História O casamento da minha melhor amiga - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce, Casamento, Castiel, Lysandre, Rosalya
Exibições 87
Palavras 2.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AVISO: ISSO TÁ UMA MERDA.

Ok, confesso que esse é sem DUVIDA ALGUMA, o capitulo que eu menos gostei de TODA a historia dessa fanfic, isso é, eu estou com um bloquei criativo TERRÍVEL, e eu não consigo escrever nada de jeito, ou seja, ou era isso ou era nada e eu acho que já atrasei muito na atualização dessa fanfic né? Então ME DESCULPEM, sério eu prometo que no próximo vou me esforçar, e por falar no próximo... As ideias tão loucas >.>

Tá o nome do capitulo é esse mesmo porque tô sem ideias, mas é insistência porque a Rosa faz de tudo para que os dois fiquem juntos

Capítulo 6 - Insistência


-Acorda!  - Senti um peso sobre mim seguido de algumas risadas.

-O que? – Levantei assustada – Rosalya!

-Você não vai trabalhar? – Me olhou inocente, me virei um pouco e olhei o relógio no meu criado mudo.

-Rosa... – Murmurei –Está cedo ainda – Enfiei minha cabeça de volta nos travesseiros.

-Sim está, mas lembra daquele papo de “você não corre mais comigo” – Disse numa tentativa falhada de imitar minha voz.

-Você quer mesmo correr? Em uma plena sexta feira as seis e meia da manhã? – A encarei – Vá sozinha – Deixei a preguiça tomar conta de mim.

-Vamos logo! – Pulou em cima de mim novamente – Vamos, vamos, vamos! – Repetia alto – Você sabe que não irei desistir, né?

-Tá’ Bom! – Gritei – Eu vou! –A empurrei da cama – Só para de gritar.

-Isso! – Sorriu se levantando.

Com muita força sentei na cama e cocei os olhos, olhei novamente o relógio para acreditar que eu estava mesmo fazendo isso por birra da Rosalya. Ela realmente é pior que criança.
Respirei fundo e fui até o banheiro lavando o meu rosto, escovei os dentes e amarrei o cabelo. Não ia me dar o trabalho de tomar um banho agora se eu ia voltar suada para casa, então só vesti algo confortável e fui para cozinha onde Rosalya me esperava.

-Pronta? – Sorriu quando me viu me pergunto de onde ela tirou toda aquela energia.

-Sim, deixa só eu pegar alguma coisa pra comer e...

-Não! A gente come alguma coisa na padaria quando estiver voltando – Me interrompeu num grito.

-Rosa é só uma fruta – A olhei – Por que está agindo estranho?

-Eu não estou agindo estranho – Bufou ironicamente.

-Rosalya, o que está aprontando? O que você está aprontando? – Cruzei os braços.

-Você está louca Lena? Eu estou normal – Ela se mexia muito rápido, e falava meio enrolado. Rosalya nunca foi boa com mentiras.

-Sei.

Acabei cedendo a ela e não comi nada, saímos do apartamento juntas e pegamos o elevador e em nenhum momento Rosalya olhou para mim, o que me fazia acreditar ainda mais que ela estava planejando alguma coisa.

-Bom dia - Dissemos uníssono para o senhor Fernando que limpava o balcão.

-Bom dia meninas – Devolveu o sorriso que havíamos lhe lançado, um dia eu apertarei tanto aquelas bochechas fofas.

-Nós vamos dar uma volta – Rosalya disse – Se alguém que está na lista aparecer pode deixar subir – Ela olhou o senhor que acenou com a cabeça.

-Lista? – Perguntei assim que saímos do prédio.

-Sim, a lista – Rosalya olhou para a rua antes de atravessarmos.

-Eu agradeceria se você fosse mais especifica – A olhei.

-Eu fiz uma lista de pessoas que estão autorizadas a entrar no apartamento quando nenhuma de nós estiver.

-E eu posso saber quem está nessa lista? – Disse assim que pisamos na areia da praia.

-Ah claro – Suspirou – Na lista estão inclusos... Alexy, Lysandre, sua mãe, meus pais, a Kim... E o Castiel – Disse quase num sussurro.

-Quem?

-Castiel – Repetiu alto.

-Por que o Castiel está nessa lista? – Perguntei cruzando os braços.

-Por que ele é o padrinho do meu casamento oras – Começou a correr.

-Mas ele não tem nada pra fazer lá quando não estamos! – Respondi e também comecei a correr.

-Não fica brava Lena, é só uma lista estupida – Sorriu.

Eu não consigo entender aonde Rosalya quer chegar com toda essa historia, ela não pode ter planejado tudo isso só para me fazer ficar mais próxima dele, teria?
Tirei esses pensamentos da cabeça, eu acordei cedo por um motivo e não foi para ficar me estressando a toa, continuei correndo ao lado dela que não falou nada pelo resto do tempo, quando estávamos quase no fim do percurso que fazíamos reclamei de fome e ela decidiu parar, então fomos a uma padaria ali perto.

-Bom dia – A garçonete se aproximou – Posso ajudar?

-Um pão de queijo e um suco natural, por favor – Pedi com uma voz cansada ainda ofegante.

-Eu quero só uma agua com sabor – Rosa pediu.

-Claro – Anotou os pedidos e saiu entrando numa porta que presumi dar acesso a cozinha.

-Então – Me sentei num banquinho perto do balcão – Decidiu onde vai comprar o vestido?

-Huh? Não... Ainda não – Me olhou – Eu não achei nenhum que me agradasse nas lojas que fui.

-Domingo podemos ir juntas a uma loja – Olhei para onde a garçonete havia entrado torcendo para que ela voltasse rápido com meu pedido.

-Tudo bem – Fez uma pausa.

Alguns minutos em silencio depois a garçonete voltou com nossos pedidos, planejava comer com calma, por que além do mais não estava com pressa e faltava muito para meu horário de trabalho começar, mas Rosalya começou a me apressar e eu acabei indo mais rápido do que o planejado.
Ela me puxou o caminho inteiro de volta para casa, ela corria muito rápido e segurava meu pulso com firmeza, ia com toda a certeza ficar vermelho.

-Rosalya! – Gritei me soltando de sua mão – Vai com calma, por favor.

-Desculpa, eu só quero volta logo pra casa – Respirou fundo meio cansada.

-Por quê? – A olhei – Pensei que queria passar mais tempo comigo.

-Podemos passar mais tempo juntas em casa, não?

-Ok, agora eu tenho certeza – Cruzei os braços – O que você está tramando?

-E não estou tramando nada.

-Você sabe que não sabe mentir né?

-Eu minto muito bem! – Elevou o tom de voz.

-Não mente não – Ri baixo – Agora conta.

-Tudo bem – Fez uma pausa – Eu meio que... Chamei o Castiel pra dar uma passada lá em casa – Ela fez oque?

-Você fez oque? – Gritei.

-Chamei o Castiel para...

-Eu entendi oque você disse! – O olhei e comecei a andar.

-Então por que perguntou? – Riu.

-Por que você fez isso Rosalya?

-Por que eu acho que vocês deviam ficar juntos – Sorriu.

-Isso não vai acontecer! – Olhei para trás olhando então para ela.

-Ele é um cara legal.

-Rosa – Suspirei – Entende uma coisa. Não é só porque você gosta dele que eu vou ficar com ele.

-Mas devia.

-Rosalya!

-Tudo bem – Abaixou a cabeça – Mas a essa hora – Olhou no relógio de pulso que usava – Ele já deve estar lá.

-Você simplesmente entra e mande o sair – Sorri.

-Como se fosse tão simples – Respondeu.

-Mas é.

-Até parece que não conhece seu par... –Parou quando a olhei – Digo o Castiel.

Não falamos nada, só continuei andando, eu estava um pouco irritada por essa atitude imatura da Rosalya, é assim que ela quer me ver ao lado dele? Sendo forçada?
Quando chegamos à frente do nosso prédio falei para ela subir e mandá-lo ir embora enquanto eu me escondia no saguão. Confesso que a minha atitude também é imatura, mas a dela com certeza foi mais!

Passados alguns minutos vi Castiel sai do elevador, suspirei aliviada por ter dado certo. Mas ele não foi diretamente para fora do prédio, o ruivo andou até o balcão e ficou alguns minutos conversando com o senhor Fernando, eu fiquei tão focada nos dois que tirei a revista que cobria meu rosto, me deixando assim “reconhecível” oque foi um erro, pois o ruivo virou o rosto assim me vendo, tentei me esconder mais totalmente inútil, pois lá estava Castiel com seu típico sorrisinho vindo em minha direção.

-Que coincidência – Se sentou ao meu lado – Eu acabei de sair do seu apartamento.

-Ah é? Nossa que interessante – Sorri falso folheando a revista, pelo menos eu tinha que disfarçar – Eu acabei de voltar da minha corrida e vi essa revista aqui – Apontei – Vi uma matéria muito interessante e fiquei para ler – Castiel riu.

-Vamos subir? – Engoli o seco, como assim “vamos”?

-Vamos – Falei com dificuldade, ele sorriu e tirou a revista do meu colo colocando novamente na mesinha de centro.

Então me vi vencida, tive que subir com Castiel, eu podia imaginar o sorriso de vitória da Rosalya quando visse que eu fui pega.

-Rosa... Voltei – Falei desanimada quando abri a porta.

-Lena eu já falei pro... – Ela apareceu na sala e um sorriso se formou em seus lábios - Vi que você a encontrou Cass.

-Ela estava no saguão lendo – Sorriu.

-Que peculiar – Ela também sorriu, olhei os dois, pareciam cumplices.

-Eu vou tomar um banho – Avisei saindo da sala deixando os dois sozinhos.

Eu sabia que não ia acontecer, mas esperei com todas minhas forças que quando eu voltasse para a sala o Castiel teria ido embora, mas isso infelizmente não aconteceu, quando voltei ele estava lá, sentado no sofá conversando com a Rosalya.

-Bom, agora que a Helena já voltou – Ela sorriu quando me viu – Ela pode te fazer companhia enquanto eu tomo banho – Se levantou.

-Espera Rosa... – A chamei.

-Sim? – Me olhou.

-Você vai mesmo me deixar sozinha com ele? – Falei num tom baixo, o qual só a platinada poderia ter escutado.

-O que foi? Você tem medo do ruivo? – Sussurrou quando passou por mim.

Para falar a verdade sim, eu tinha muito medo daquele cara, sabe se lá o que se passa na cabeça dele! Ele poderia me atacar a qualquer momento, visto que ele deixou bem claro que queria “ficar” comigo.

-Eaí? – Ele disse quando me sentei no sofá a sua frente.

-Oi.

-Como vão os preparativos para o casamento? – Perguntou.

-Estão bem – Respondi o mais simples possível, eu queria que aquilo fosse uma conversa rasa, bem banal. Mas era obvio que o ruivo não ia deixar isso acontecer.

-Quando vai fazer a lista de presentes?

-Huh? – O olhei, eu nem tinha pensando naquilo, e era algo bem importante para o casamento – Não sei ainda.

-Ótimo, amanhã resolveremos isso – Sorriu, como assim “resolveremos”?

-Amanhã? – O olhei – Você acha mesmo que alguma loja estará aberta num sábado?

-Tudo bem... Quando é melhor pra você? Por que eu estarei disponível a semana inteira – Sorriu malicioso.

-Castiel eu não tenho tempo para suas cantadas – Respirei fundo – Se quiser vir comigo, vai ter que ser para ajudar. Você vai ter que parar de tentar me conquistar.

-Oh meu Deus como você é convencida! – Ele fingiu choque – O que te faz pensar que estou interessado em você? – Riu.

-Eu estou falando sério – O encarei – Esse casamento é importante para mim, e creio que também deve ser importante para você já que é do seu melhor amigo. Então, por favor, pare de fazer piadas.

-Hugh, tudo bem, vou ser o Castiel chato e responsável que você tanto está implorando – Suspirou – Mas não será divertido planejar o casamento com ele.

-Fique tranquilo eu não quero diversão.

-Argh, você é tão chata! O que eu vi em você? – Ele disse e eu ri.

-Quer um café? Podemos tomar um enquanto conversamos seriamente sobre como vai ser a preparação.

-Eu aceito – Ele se levantou.

Caminhei até a cozinha sendo seguida por Castiel, lembrei que Rosa e eu não havíamos tomado café da manhã em casa, então eu teria que preparar a bebida, liguei a cafeteira e esperei que a mesma fizesse seu trabalho, senti o olhar de Castiel sobre mim o tempo todo, fui até o armário e peguei duas xicaras e coloquei sobre a mesa.

-Quer alguma coisa para comer? – Olhei para ele que negou com a cabeça.

-Só quero resolver o assunto da lista de presentes – Me olhou, ri internamente, ele estava mesmo sério?

-Tudo bem – Peguei a jarra de café e coloquei nas duas xicaras e logo me sentei na cadeira a sua frente – Quarta feira vamos fazer essa lista.

-Quarta?

-É – O olhei – Pensei que você tinha dito que estava livre a semana inteira.

-Claro, eu estou... É que...

-Que... ? – O apressei em dizer.

-Nada – Suspirou – Quarta feira passo aqui para te buscar.

-Ok – Dei um gole na minha xicara de café, quando ouvi um som contaste de algo batendo no chão, era Rosalya correndo – Rosa, oque foi? – Olhei a platinada de roupão e de cabelos molhados que pingavam no chão.

-O Buffet... – Ela tomou um tempo para respirar – Eles não têm o que quero.

-O que? – Castiel a olhou.

-Castiel, você sabe do que os pais do Lysandre gostam né? – Ela olhou para o ruivo que acenou com a cabeça – O Buffet que contratei não tem especialidade nesse tipo de prato, preciso que vocês dois vão até a cidade vizinha ver essa empresa – Ela me entregou um cartão.

-Só essa empresa tem esse tipo de prato? – A olhei.

-A única que conheço especializada – Ela sorriu – Preciso muito que vocês resolvam isso para mim, vou estar ocupada com outros preparativos do casamento.

-Mas você não vai... – Castiel me interrompeu.

-Nos vamos – Ele sorriu, porque sinto que isso é só uma desculpa para que nos dois ficássemos a sós?

-Tem que ser amanha – Ela me olhou – Foi quando eu marquei – Vi um sorriso sapeca brotar em seus lábios.

-O que? Rosalya! Deve demorar umas quatro horas de viagem de carro para chegarmos à outra cidade! – Falei.

-Então vocês vão ter que sair hoje à noite, porque eu marquei amanhã de manhã – Sorriu.

-Eu não acredito nisso – Suspirei.

-Quando eu posso aparecer aqui? – O ruivo me olhou, com o mesmo sorriso que a Rosalya apresentava.

-Pff venha as nove – Cedi – Mas vamos no meu carro! – Eu não iria com o louco do Castiel pilotando aquela moto.

-Tudo bem.

-O endereço está aqui, agora se me dão licença, vou voltar a me arrumar – Rosalya saiu.

-Eu vou para casa, preciso resolver algumas coisas – Castiel deu um ultimo gole em seu café – Nos vemos a noite Helena.

-Até – Fiz um bico, eu estava irritada, por que isso tinha que acontecer? Por que esse Buffet tinha que ser tão longe?

-Não faça esse biquinho – Sorriu – Prometo que não vou te encher – Apertou minhas bochechas, mas eu bati em suas mãos e o mesmo as tirou rindo.

-Espero – Cruzei os braços.

-Que fofa – Me deu um beijo rápido na bochecha, senti as mesmas esquentarem, mas que merda! Eu não posso corar! – Tchau.

Assim que ele saiu fui até meu quarto, me troquei e arrumei minhas coisas para ir trabalhar. O resto do dia correu normal, trabalhei e fui chamada algumas vezes até a sala do Ryan para conversamos, almocei com Lisa e voltei para casa casada. Vi um bilhete de Rosalya em cima do balcão da cozinha dizendo que iria dormir na casa do Lysandre, ela não tinha dito que ia resolver coisas do casamento? Bom, agora já não tinha mais oque fazer, tomei um banho e me troquei, peguei minha bolsa e minha carteira, procurei meu celular e depois me sentei no sofá esperando Castiel chegar, não tardou muito e o Interfone tocou.

-Sim?

-Senhorita Helena, o senhor Castiel acabou de chegar – Ouvi a voz do senhor Fernando.

-Peça para ele me esperar, já estou descendo.


Notas Finais


EU SEI, o dia tecnicamente não acabou, mas finge que sim huh?
É que eu quero utilizar a madrugada também e se eu acabasse o dia certinho na meia noite, eu teria que cortar o capitulo e não quero fazer isso, mas isso não vai mudar nada com os trinta e um capitulos ok?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...