História O casamento do meu melhor amigo - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Hentai, Lemon, Romance, Yaoi
Exibições 46
Palavras 765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obs: Molecada, medo de vocês depois que lerem isso.

Música: I a mess (Ed Sheeran) ou Give me love ( Ed Sheeran, também)

Despedida: do Mocinha para vocês, absorvem esse capítulo.

Capítulo 29 - Lágrimas que limpam tudo


Fanfic / Fanfiction O casamento do meu melhor amigo - Capítulo 29 - Lágrimas que limpam tudo


"Siga com o fluxo como uma folha que desliza lentamente sobre a água, não seja como uma pedra, porque as pedras afundaram, as folhas se agarraram aquilo que não vai deixá-las morrer", dizia ele cheio de orgulho das belas palavras.
 Depois que Leo atingiu seu ápice ele tirou o membro de dentro de mim, e ficou se tocando até finalmente gozar, em meio a gritos, gemidos e tremores que lhe percorriam o corpo todo, fiquei apenas jogado na cama ao lado dele, piscando lentamente enquanto ouvia todos os barulhos sendo produzidos em câmera lenta, passei várias vezes na minha cabeça tudo que tínhamos feito, o quanto doloroso, no começo, mas acabou sendo bom. Eu poderia ter feito aquilo com qualquer um, mas não fui fazer logo com o meu melhor amigo, algo que foi bem errado, eu deveria ter saído do quarto dele enquanto ainda tinha tempo várias vezes, porque depois que ele acabou eu fiquei com medo e talvez um pouco ressentido, estava até com remorso do que iria acontecer depois, se nossa amizade iria continuar, se nós virariamos um casal, ou se acabariamos em lados opostos do mundo por não conseguiríamos nos unir como um só, porque até então, eu não sabia se ele me amava como eu o amava, não era algo de criança, era muito mais, algo que se assemelha ao fogo e gasolina quando então em combustão. E assim que retomei os meus sentidos, eu continuei olhando pro teto, enquanto ouvia uma espécie de risada vinda do Leo, ele parecia feliz o que me assustada pra caramba, então apenas... comecei a chorar, ele parou de rir e se virou para mim depressa, se sentou na cama e foi para perto de mim, como eu estava estático eu acho que ele pensou que ele tivesse me machucado na coluna ou algo assim. Eu comecei a chorar feito uma criança e via a cara dele mudar de simples susto para muito preocupado.
- George. O que eu fiz?- Perguntou ele.- Eu te machuquei?- Neguei freneticamente com a cabeça em meio ao choro.- Quer que eu chame alguém?- Balancei positivamente.- Seus pais?- Novamente neguei freneticamente a cabeça.- A Lexie?- Balancei a cabeça positivamente, nem eu sabia o real motivo de estar chorando.
{♢}1 hora e 30 minutos depois {♢}
Ele tinha me levado para o meu quarto no colo, me deu um roupão e perguntou se precisava que ele ficasse comigo até ela chegar, eu somente neguei com a cabeça, ele pareceu ficar desapontado, mas apenas me entendeu e saiu do quarto até fechou a porta. Boa pessoa até com medo. Eu ouvi a campainha, eu não estava mais chorando feito uma criança, eu estava apenas derramando várias lágrimas que não se contentavam em ficar no meu corpo, elas queriam marcar tudo a minha volta ou que estava de baixo delas. Ouvi os passos indo em direção a porta da suíte e lá estava ela, com seu rosto, mostrando preocupação e cuidados de uma verdadeira mãe. Ela se sentou na cama bem perto da onde eu estava deitado e apenas ficou lá me observando e esperando, ela me deu o que eu precisava, meu tempo para se recompor. Assim que meus olhos decidiram acabar com as lágrima, eu acordei, deveriam ter dormido uns 30 ou 45 minutos, me levantei um pouco olhei eu volta, Leonardo não estava lá, só estava ela, me sentei devagar, estava com as costas um pouco doloridas. Ela, que estava antes olhando para um ponto fixo, logo se dispertou e voltou a me olhar com a mesma espressão. 
- Como você está?- Perguntou ela.
- Bem.- Falei um pouco rouco, eu sempre ficava com uma rouquidão na voz depois que chorava.
- Por que estava chorando?
- Eu não tenho certeza.
- Poderia explicar um pouco melhor.
- O Leonardo te contou?
- Me contou o que?- Pareceu não está sabendo de nada.
- A gente... a gente... a gente transou.- Falei baixo. Ela não peare eu surpresa ou curiosa.
- É por isso que você estava chorando?- Perguntou confusa.
- Não... não exatamente.
- Pelo o que então?
- Medo.
- De...?
- Perder meu melhor amigo.
- Mas você não vai perdê-lo.
- Como você sabe?
- Apenas sei.
- Deve se desculpar com ele, deixou ele muito preocupado.
- Mas eu não sei se consigo olhar na cara dele, do mesmo jeito.
- Então não olhe do mesmo jeito, olhe do jeito que você conseguir, deixe seus olhos decidirem o que querem ver. Só não mate as pessoas de susto como fez com ele e comigo.
 


Notas Finais


Desculpa por essa capítulo, isso acontece com algumas pessoas(EU talvez) e é super normal(na vdd não é não), enfim Mocinha está se despedindo de vocês para ir dormi. *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...