História O casamento do meu melhor amigo - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Hentai, Lemon, Romance, Yaoi
Exibições 128
Palavras 747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A não amoras, eu to cagando arco-íris, mal postei o último capítulo e já subimos para 118 exibições, mas uma vez não sei quantos favoritos, gente to pensando em lançar um capítulo bônus depois das 00:00 se eu ainda estiver vivo. O que sei acham? Enfim pensem nisso enquanto lêem esse capítulo.

Capítulo 7 - Pequena Tentação



-... segura sua mão, dá um beijo nas costa e fecha os olhos, eu lembro dela entrando em desespero, ela começou a gritar freneticamente ficou batendo nele e tentando fazer a massagem cardíaca, eu já sabia que ele estava morto, ele estava com um rosto branco, sua expressão era de paz, ele parecia estar feliz com o que aconteceu, hoje eu sei que se ele tivesse vivido naquele dia hoje eu não estaria aqui, porque minha vó mesmo sabendo que ele estava morto tentou fazer algo louco. Ela pegou uma pedra quebrou parte dela formando uma lasca, que parecia a ponta de uma faca, e começou a rasgar o peito dele, eu já estava sem fala, foi quando ela quebrou parte dos ossos do peito, o externo e algumaz costelas e eu vi o coração dele, parado, ela o segurou e começou a aperta, se virou para mim e falou para eu chamar alguém, corri para fora do bosque entrei na enorme casa é chamei um velho empregado amigo dos dois o único que estava lá, ele foi até ela com um celular, mas já era tarde de mais.
 Sem perceber deixei uma lágrima cair, Antony viu ela e apenas tirou-a  de meu rosto, em um movimento calmo e preciso, diferente do que poderia acontecer se eu tivesse com o Diego deitado ao meu lado, provavelmente ele iria tremendo.
- Não precisa contar mais nada, eu já entendi tudo que deveria entender.- Falou com um ar de preocupado.
- Eu só queria que você entendesse direito, eu não sou esquisito como a maioria dos cardiologista devem ser, só quero provar para mim mesmo que eu poderia ter feito alguma coisa, ao invés de deixar minha avó abri meu avô na minha frente, poderia tê-la ajudado pelo menos a tentar salvá-lo.
- Você fez tudo que podia, tudo que estava ao seu alcance, isso o salvaria.
 O clarão da tarde estava se tornando em um quase cinza que indicava que haveria uma noite bem bonita e bem constragedora a seguir.
- Está escurecendo - Falei olhando para o azul cinzento que cobria tudo em cima de nós.
- Está mesmo - Disse o ruivo.
 Derrepente sinto algo em meus lábios algo macio, talvez um pouco doce, com cheirinho de baunilha e morango, quando abro os olhos para saber o que era, vejo Antony, na maior cara de satisfeito, me recordo de que essa poderia ser a expressão do Diego se o mesmo na minha frente não tivesse nos atrapalhado, ou será que não? Bom não importa, vou apenas aproveitar. 
Derrepente ele parou.
- O que foi? - Perguntei.
-  Você está chorando.- Senti as lágrimas descendo logo passei o braço sobre o rosto para retirá-las dali. 
- Vamos sair daqui?- Perguntei.
 Ele assentiu, apenas seguimos para fora do Jardim, eu lembrei que ia ter uma pequena festa de comemoração para os calouros, mas sem os veteranos, essa era só pro pessoal ter seu último dia como pessoas normais, porque depois todos se tornariam importantes e quase sem vida social, pra mim é moleza, mas tem muita gente que não vai gostar ou que não está gostando nada disso.
 Eu não tinha certeza se o Diego ia estar lá, não sei porque mais eu queria ver ele, saber como ele está. A festa ia começar em poucos minutos, devem ser umas 7 horas qua do cheguei para fazer a inscrição era 5 horas. Nossa nem vi o tempo passar. 
- Tenho que trocar de roupa.
- Por que? Esta parece ótima para ocasião.- Minhas roupas não são feias, mas vamos concordar que eu não estava parecendo estar muito solto, uma blusa social, calça skinny petróleo, uma coturno preta de cano alto e um colete social. Eu já estava me sentindo encomodado com aquela roupa.
- Eu não me pareço com alguém que vai se divertir.
- Você trouxe alguma roupa?
 Droga, não trouxe, não sabia que uma para uma festa de última chamada.
- Não.
- Tudo bem, eu empresto uma para você - Falou o ruivo.
- Okay
Caminhamos até o quarto dele. Descobri que ele vive em República,eu esperava chegar no quarto e encontrar uma bagunça produzida por dois meninos, mas parecia que só ele usava o quarto que era algo de outro mundo no nível de organização.
- Caraca você é muito organizado.
- Obrigado.
- Tecnicamente dizendo, não foi um elegio.- Ele me encarou confuso - É um pouco assustador sua organização, é muito perfeita.
 


Notas Finais


Acabou a tortura, to tentando desviar das pedras que vocês estam jogando, mas estão acertando muitas. Calma gente, mas então vcs pensaram, na bomba bônus depois da 00:00? Pois é, me falem, o que acham, ai talvez eu poste, é claro que vou postar de qualquer forma, mas digamos qu eu gosto que imploram por mais, ainda mais depois disso daí vocês converterá vão querer mais. *3* até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...