História O Casamento Real - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Tags Drama, Romance
Exibições 238
Palavras 1.407
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, pessoal! Tudo bem? Comigo tudo... mais ou menos, enfim.. Espero que gostem do cap de hoje! Beijos.

Capítulo 38 - A Revelação Daquele Que O Tempo Nos Fez Esquecer...


- Eu quero, e vou contar. – Disse Melanie, respirando fundo. – Não sei se sabe, mas eu amava um garoto, e ele me amava, eu acho. Nós ficamos juntos por muito tempo. E então, nós brigamos... – Disse ela, Melanie sentiu seu olhos encherem de lágrimas. – E então ele voltou, hoje. E me disse que... sentiu minha falta, e... não podia ficar sem mim... – Ela começou a chorar. – E então eu ainda gostava dele, ainda o amava, e nós fizemos... aquilo... – Disse Melanie, Gus sentiu seu coração despedaçar. Tanto para Melanie quanto para si mesmo. – Só que ele só havia feito uma aposta de me levar para a cama, e ele trouxe sem eu ver, alguns garotos, e eles assistiram tudo. – Disse ela, chorando muito. – Eu estou desesperada... não sei o que fazer. – Disse ela, chorando mais ainda.

- Melanie... – Gus sussurrou.

- Eu sou idiota, burra. – Disse Melanie, batendo em sua própria cabeça.

- Não, não faça isso. – Disse Gus, segurando os braços de Melanie. – Ele foi um babaca em te usar. – Disse ele, Gus estava tão triste por Melanie, que ele mesmo quase chorou. – Mas ele conseguiu... penetrar? – Perguntou ele.

- S-Sim... – Disse ela.

- Deus... – Disse Gus, colocando uma mão na testa.

- Eu preciso da sua ajuda... me ajude a achar algo para não engravidar, por favor. – Disse Melanie, implorando.

- Sim, me deixe ver... vou buscar e já volto.

- Corra. – Disse Melanie, vendo Gus sair correndo de seu quarto. Gus foi tão rápido e voltou tão rápido, que nem precisou passar cinco minutos, e logo ele já estava lá.

- Aqui, tome isso. – Disse ele, entregando um comprimido.

- Está bem. – Disse ela, indo até o banheiro pegar um copo de água.

Melanie tomou o comprimido, e depois voltou.

- Tem certeza que vai funcionar? – Perguntou ela, com a mão na barriga.

- Sim, bom... depende. Há quanto tempo isso aconteceu? – Perguntou Gus, ele estava com raiva desse garoto, mas não queria sair do lado de Melanie, ela precisava de apoio mais do que nunca.

- Não sei ao certo... – Disse ela, se sentando na cama ao lado de Gus.

- Eu sinto muito, Melanie... – Disse ele, olhando para ela, que olhava para baixo.

- Não tem o que sentir, você não tem o que sentir. – Disse Melanie, olhando para o nada.

- Me desculpe... – Disse ele, olhando para baixo.

- Nem o que pedir desculpas. Você é um grande amigo. Não sei como não está comprometido ainda. – Disse ela, sorrindo fraco para Gus.

- A garota que eu queria que estivesse comprometido, está bem na minha frente. – Disse ele.

- Eu? Não, não faça isso com si mesmo... Não perca tempo comigo. – Disse ela, começando a chorar de novo.

- Perder tempo? Com você? Nunca. – Disse ele. – Não me arrependo de nenhum momento que tivemos. – Disse Gus, colocando uma mão no rosto de Melanie.

- Eu não consigo nem... Segurar minhas emoções... Imagine um relacionamento... – Disse Melanie, negando com a cabeça.

- Shhh. – Disse ele, colocando um dedo na frente dos lábios de Melanie. – Não chore mais, não desperdice nada seu com ele.

- Gus, eu não... – Ela começou, Melanie não conseguia nem terminar a frase, era difícil dizer isso, principalmente agora que Gus estava tão perto dela.

- Olhe para mim. – Disse ele. – Eu nunca faria algo como aquilo com você. Eu não sei como... Mas... Eu amo você. – Disse Gus, sussurrando, mas Melanie podia ouvir perfeitamente. Gus começou a se aproximar dos lábios de Melanie, que olhava para a boca de Gus. Melanie sentiu os lábios de Gus, levemente encostarem em seus, Melanie colocou sua mão no peito de Gus, e o segurou, impedindo de se aproximar.

- Eu... não posso fazer isso... não agora... – Disse Melanie, Gus abriu seus olhos devagar, e viu Melanie chorando novamente. – Obrigada, mas você é meu amigo... Só amigo. – Disse ela, negando com a cabeça novamente.

- Melanie, não faça isso. – Disse Gus, sem se afastar de Melanie. Ela se levantou e foi até a sacada, e ficou observando a paisagem, como se Gus não estivesse ali.

- V-Vá embora, Gus. – Disse ela, sem olhar para Melanie. Ele se levantou, e ficou atrás de Melanie, longe por alguns metros, já que ele estava dentro do quarto, e ela na sacada.

- Se isso... Te deixar confortável, eu vou. Mas saiba, que... Eu... te amo.

- Eu não te amo, gosto de você como amigo, apenas. – Disse Melanie, Gus sentiu uma lágrima cair de seu olho. Ele a enxugou, e disse:

- Pois bem... – Disse ele, com um nó na garganta. E logo depois, se retirou.

- Me desculpe... – Ela pensou em voz alta, continuou chorando, e se jogou no chão.

            Enquanto isso, com Marinette...

- Amor, fiz um surpresa para você. – Disse Adrian, indo até ela.

- Surpresa? – Perguntou ela, sorrindo.

- Sim. Coloque isso. – Disse ele, mostrando uma bandana.

- Tudo bem. – Disse ela, colocando em seus olhos.

- Vou te guiar, pode confiar em mim. – Disse Adrian, amarrando a faixa para Marinette.

- Se eu bater em alguma coisa, você vai se ver comigo. – Disse ela, com um tom sério.

- É uma ameaça? – Disse ele, sussurrando no ouvido de Marinette.

- É.

- Então pode ameaçar, por que você fica linda assim. – Disse ele, deixando um beijo no pescoço de Marinette.

- Obrigada.

- Vamos? – Perguntou ele.

- Vamos. – Adrian começou a guiar Marinette pelos corredores do castelo, Adrian às vezes soltava algumas risadas do jeito de Marinette agir. Ele a levou para os jardins, ele a posicionou um pouco antes de onde ficava a grama. – Vou tirar seus sapatos. – Disse ele, abaixando e tirando as sapatilhas de Marinette.

- Onde estamos? – Perguntou ela, sentindo o chão gelado, ainda sem encostar na grama.

- Surpresa... – Adrian guiou Marinette mais para frente, e ela sentiu uma grama molhada tocar seus pés, Marinette sorriu. – Abra os olhos.

Marinette tirou a faixa, e abriu os olhos. Podendo ver o jardim, as flores, a grama... mas havia algo mais. Ela viu uma mesa, com duas cadeiras, velas, comida, e tocadores de instrumentos clássicos, que tocavam uma música maravilhosa.

- Adrian, isso é lindo. – Disse ela, maravilhada.

- Vamos dançar um pouco. – Disse ele, estendendo a mão. – Aliás, faz muito tempo que não temos um momento só nós dois. A lua de mel não foi bem o que eu esperava, mas... – Marinette o interrompeu, dando um beijo suave em seus lábios. Seus lábios se separaram, e Marinette deitou sua cabeça no ombro de Adrian. Eles continuaram dançando devagar, de acordo com a música. Marinette nem sabia direito porque, mas aquela música lhe deu vontade de chorar. Aquela música, lhe lembrou sobre alguns momentos que ela nunca esqueceria. Ao invés de segurá-las, como fazia normalmente, ela simplesmente deixou-as caírem de seus olhos, e rolarem pelo seu rosto. Adrian nem percebeu. Ele ouviu Marinette fungar, ele olhou para ela, e viu lágrimas. – Marinette?

- Oi? – Perguntou ela, enxugando as lágrimas.

- Por que está chorando? – Perguntou ele.

- Não sei, me deu vontade. – Disse ela, sorrindo fraco.

- Aqui. Deite-se. – Adrian se deitou com Marinette, na grama, e ela colocou sua cabeça no peito de Adrian, e ele a abraçou com o outro braço. E então, eles ficaram observando as nuvens, conversando e se beijando de vez em quando. Até que...

- Senhor Agreste? – Os dois ouviram uma voz, Adrian se sentou, e olhou para trás, vendo uma criada.

- Sim?

- Sua mãe deseja falar com você. – Disse ela, sorrindo.

- Ah, sim. – Ele disse, se levantando.

- Já vai? Não pode ficar mais um pouco? – Perguntou Marinette, se levantando também.

- Não, princesa. Vou indo, mas volto daqui a pouco, volto o mais rápido que puder. – Disse Adrian, ele seguiu a criada, deixando Marinette sozinha. Ela se sentou na cadeira, e ficou pensando. Marinette resolveu dar uma volta pelo jardim, ela se levantou, e começou a caminhada. Quando de repente alguém a puxa pelo braço, e Marinette, quando vê, está entre algumas árvores, um pouco escondida, e um garoto em sua frente. Era o personagem esquecido, aquele mesmo...

- Por favor não me machuque! – Disse ela, quase chorando.

- Calma, não vou te machucar. Como eu poderia machucar a minha pequena joaninha? Se lembra, LadyBug? – O garoto sorriu, quando Marinette olhou para ele, apesar de toda a sujeira, e poeira, ela o reconheceu. Marinette levou as mãos à boca, e sentiu seus olhos lacrimejarem.

- Nathaniel? 


Notas Finais


E aí, gostaram? Espero que sim! Um grande beijo!

Notícias:

Eu tenho uma notícia bem triste para dar, mas vamos lá:

Como semana que vem, é a minha semana de prova, eu provavelmente não vou poder postar por uma semana, mas eu vou tentar, vou mesmo. Mas enfim...

Spoilers:

O personagem esquecido vai dar encrenca, de novo!
Adrian vai ver algo que ele não queria.
Agora quem vai ajudar no relacionamento é a Marinette, com Melanie e Gus.

Beijos e Queijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...