História O chapeuzinho vermelho 2 a maldiçao de sarashaland - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mario, Sonic The Hedgehog
Personagens Cream the Rabbit, Luigi, Maria Robotnik, Mario, Miles "Tails" Prower, Personagens Originais, Princesa Daisy, Shadow the Hedgehog, Sonic The Hedgehog
Tags Chapeuzinho Vermelho, Luigi, Mario, Mario Bros, Marionic, Marioxsonic, Princesa Daisy, Somari, Sonic The Hedgehog, Sonicxmario, Super Mario
Visualizações 6
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei!!!! Gente eu posso pedir um favor? Eu quero que vocês possam ler o jornal que eu escrevi ontem, que são umas coisas que seriam difficiles de explicar aqui nas notas das autora nas minhas fics!
E que este capitulo era pro Sonic ser violento, só que ele ficaria muito pesadão!
Tenham uma boa leitura e bom capitulo!

Capítulo 13 - A borboleta e o pássaro


Daisy P.O.V

Eu contei tudo para o Mario, o que a maldição realmente fazia com as pessoas. Mario no início não aceitava isso, ainda mas que agora o seu amigo virou um monstro. A maldição por algum motivo ainda não atacou o Mario, provavelmente eles devem estar dando bastante atenção no Sonic.

Segundos depois, o comportamento das nebrinas começa a mudar e vindo na nossas direção só que bem calmas. Eu estranhei o comportamento, pois segundo as pessoas que acabaram “ganhando” a maldição disseram que as neblinas foram agressivas.

A única atenção delas era o Mario, devagar elas foram rodeando o Mario, com todo o cuidado do mundo.

Daisy: Você está bem?

Mario: Sim! Eu só sinto que...

Daisy: Que...

Então começa a nascer as orelhas, que parece que o capuz ganhou uma adaptação para elas e uma cauda de guaxinim. Mario ficou começou a tremer de medo, quando as neblinas rodeava ele. Por sorte elas foram em bora, deixando nos dois em paz.

Mario: Como eu estou?

Daisy: Eu esperava mais, parece que você teve muita sorte!

Mario: Ufa! Mas você ainda vai me ajudar a encontrar o Sonic?

Daisy: Sim! Ainda mais você ainda sendo a mesma pessoas!

Mario: Mas eu ainda tenho uma pergunta.

Daisy: E qual é essa pergunta?

Mario: Por que as neblinas não foram tão agressivas comigo?

 

Sonic P.O.V

Me sinto estranho... me sinto diferente... me sinto complemente diferente. Sujo de sangue, quanto na roupa, nas mãos e principalmente na boca e na alma. Por algum motivo não sinto mais sentimentos, não sinto mais amor nos meus amigos e principalmente o Mario. Por algum motivo eu odeio o Mario.

Não sinto mais misericórdia de mim mesmo... mas do mesmo jeito eu quero fazer coisas ruins.

 

Tails P.O.V

 Já eram 5:20 da manhã, acordei bem cedo só para saber se Daisy e Mario voltaram. Mas infelizmente não, mesmo eu já ter pego a maldição eu não poderia deixar a Cream e o Cheese sozinhos.

Estou tão preocupado com eles que nem pretendo voltar a dormir. Quando eu já estava prestes a entrar para cozinha, escuto alguém batendo a porta. Então eu rapidamente corro para porta, quando eu a abro descubro que é o Sonic, cheio de sangue nas roupas, nas mãos e na boca.

Tails: Sonic o que aconteceu com vo...

Sonic rapidamente me empurra para dentro, fecha a porta e me encara com um olha bem maligno.

Sonic: Escute Tails! Eu matei o lobo que tinha invadido a biblioteca e quero a sua ajuda!

Tails: Então eu vou te ajudar em que? Fala com medo

Sonic: Eu só quero que você se livra destas roupas cheias de sangue, enquanto eu tomo banho. Após disso eu irie sair desta cidade e começar a aterrorizar os moradores da vila Florestal.

Tails: Mas enquanto aos seus amigos? E o Mario? O seu amor verdadeiro!

Quando eu falei a última frase Sonic rapidamente faz um olhar mortal para mim, enquanto ele subia as escadas. Depois disso as minhas orelhas se abaixaram rapidamente, fiquei com tanto medo que nem sei se vou ter coragem de segurar até mesmo as roupas do Sonic.

20 minutos depois

Eu não esperava que o Sonic iria demorar tanto para tomar banho, preocupado eu vou até o quarto e bato na porta.

Tails: Sonic você está bem?

Sonic não responde, isso só me fez eu fiar ainda mais preocupado. Sem pensar duas vezes eu entro no quarto e não estava, nem até mesmo no banheiro do quarto. Mas a janela do quarto estava aberta.

Sem pensar duas vezes eu saio de casa, levando uma corda em caso que a gente precisar prendê-lo.

 

Mario P.O.V

O Sol já estava prestes a subir aos céus, eu a Daisy continuamos procurando pelo Sonic. Eu estava bastante cansado, só que eu ainda queria encontrar o meu Sonic. Daisy também está cansada, mais ela ainda estranha de eu insistir tanto em querer encontrar o Sonic.

Daisy: Mario é melhor nos irmos para casa, isso não vai dar em nada.

Mario: Não! Eu não quero ir! Eu quero encontrar ele.

Daisy: Só que o nosso amigo se tornou um monstro.

Mario: ELE NÃO É UM MONSTRO!!!

Eu gritei tão alto que Daisy ficou bastante calada e eu comecei a chorar. Enquanto eu chorava Daisy me abraça e eu contribuía. Enquanto nos abraçávamos o Sol começava a iluminar o céu, junto com as borboletas e pássaros douradas.

Mario: Daisy olhe só para isso!

Então Daisy se desfaz o abraço e também começa a ver o espetáculo.

Daisy: Isso... isso é tão lindo!

Então uma borboleta e um pássaro se aproximam de nos dois.

Borboleta: Vocês dois são bem corajosos.

Pássaro: Estamos bem impressionados no que vocês fizeram.

Daisy: Mas nos dois fizemos nada, nos só apenas andamos.

Borboleta: Só que cada um dos dois representaram uma coisa.

Pássaro: Daisy você representa a teimosia. Uma teimosia que invés de abandonar o seu primo e ir apara casa, você quis ir ajuda-lo mesmo ainda não querendo mais.

Borboleta: Mario você representa o exagero. Um exagero de querer salvar uma pessoa mesmo sabendo que agora ele está num estado extremamente diferente. Um exagero do coração.

Mario: Eu...

Borboleta: Mario eu sou sua borboleta durada, eu sou sua cura para a maldição.

Mario: Vocês eram a cura todo este tempo!?

Pássaro: Nos só curamos pessoas de coração disponível em ajudar as pessoas.

Borboleta: Mario eu me tornarei parte de você, mas você não será igual a Daisy.

Daisy e Mario: Como assim?

Pássaro: O Mario será metade humano e metade da magia da borboleta dourada.

Borboleta: Resumindo, 50 por cento humano e 50 por cento magico, só que sem poderes como a sua prima.

Quando a borboleta terminou a sua frase, o pássaro dourado já tinha ido embora, sem se despedir.

Mario: Eu ainda tenho uma pergunta!

Borboleta: E qual é a sua pergunta?

Mario: Como vamos acabar com a maldição?

Borboleta: Bom o único jeito de acabar com a maldição você tem que decifrar esta frase. “A vida separou, com as mãos juntas, a magia ira libertar”

Depois que a borboleta terminou a sua frase, ela se fundi em mim. Eu consigo sentir a magia da borboleta, consigo ver da cena da morte da Maria. O meu coração começa a bater rápido, as orelhas e a cauda de guaxinim somem desaparecem.

Daisy: Você voltou ao normal! Mas você está bem?

Mario: Vamos para casa provavelmente Tails pode estar bastante preocupado com a gente.


Notas Finais


Jornal > https://spiritfanfics.com/jornais/revisando-fan-fics-e-criar-one-short-9953303
Se cuidem
Fiquem com Deus
Mamãe pata desliga!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...