História O Charme da Raposa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Ahri, Braum, Draven, Fiora, Jhin, O Virtuoso, Lucian, Shen, Vayne
Tags Ahri, League Of Legends, Lol, Lucian, Romance
Exibições 29
Palavras 2.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Antiga Cobrança


"Aonde vai?" a raposa questionou ao ver abrindo a porta do apartamento.

"Primeiramente, bom dia." ele saudou..

"Bom dia..."

"Me chamarão para uma partida." ele explicou.

"Sério?"

"Sim."

"Posso ir também?." ela pediu enquanto se espreguiçava.

"Você acabou de acordar e nem tomou café ainda." ele comentou.

"Eu como algo na cantina do instituto."

O purificador pensou por alguns segundos no pedido dela, mas não viu motivo para negar.

"Vá se arrumar para sairmos."

"Obrigada!"

A raposa voltou correndo para o quarto porque ainda vestia uma camisa social que encontrou no guarda-roupa dele, durante esse tempo que ele esperou ficou sentado no sofá da sala, poucos minutos depois ela apareceu arrumada e com uma bolsa nas mãos.

"O que é isso?"

"Nada de importante, apenas materiais para uma roupa que eu vou pedir para fazer."

"Karma?" ele comentou.

"Como você sabe?"

"Ela quem fez o meu uniforme." ele explicou.

"Nossa..."

"Ela tem mãos muito boas." o purificador comentou.

"Bom saber disso." ela comentou ansiosa.

"Vamos?" ele perguntou.

"Vamos!"

Os dois sairão cedo do apartamento, a filial do Instituto da Guerra de Demacia ficava bem longe de onde ele morava.

"Então, o que vai pedir a ela?" o purificador perguntou.

"Sinceramente eu não sei, talvez um vestido no estilo de Ionia..."

"Como soube dela?" a raposa perguntou.

"Fiora." ele respondeu.

"Fiora?"

"Fiora..."

Os dois riram por alguns instantes.

"Ela é uma figura..." a raposa comentou.

"Verdade." ele acrescentou.

"Ela é uma pessoa muito boa, devo muito a ela..." a raposa comentou.

"Ela sempre foi alguém com que você pode confiar." ele comentou.

"Como vocês se conheceram?" ela perguntou.

O purificador ficou em silencio por alguns instantes se lembrando da ocasião.

"Eu ainda era novato no exército de Demacia e ela já era conhecida por lá devido ao seu pai."

"Hmm..."

"Um dia ela me viu treinando e pediu para se juntar, dai para frente viramos amigos."

"Legal!" a raposa comentou.

A raposa viu um sorriso no rosto do purificador enquanto comentava sobre o assunto, adorava ver ele sorrindo.

"E a Vayne?" ela aproveitou a ocasião.

Ele deu uma rápida pausa para se lembrar.

"A Shauna era do meu batalhão na época, agente sempre se ajudava no que precisava."

"Hmm..."

Esse comentário a levou de volta ao dia do refeitório, isso explicava o porque da caçadora estar tão preocupada com ele naquele dia.

"Ela sempre foi muito séria e focada no trabalho, mas por dentro é um doce de pessoa." ele comentou.

"Hmm..."

A raposa estava adorando conhecer mais sobre dele, ela queria aproveitar o máximo que podia desse momento.

"E o Henno?"

O purificador riu em seguida.

"Aquele imbecil..." ele comentou rindo.

"Eita..." ela comentou surpresa pelo tratamento.

"Ele fazia parte do mesmo batalhão que eu e Shauna, por algum motivo eu e ele sempre competimos para ver quem era o melhor..."

"Era divertido..." o purificador acrescentou.

A raposa parou sessão de perguntas, estava ocupada imaginando como teria sido as coisas na vida de estudante dele.

"E você?" o purificador questionou.

"E-Eu?"

Ela ficou surpresa apesar de imaginar que teria que passar pela mesma situação.

"Sim, seus amigos."

"De amigos mesmo, só tenho a Taliyah... talvez a cacatua..."

"Ekko?" ele riu.

"Sim..." ela riu em seguida.

"E acho que estou começando a ficar mais a vontade com a Fiora e professor." ela acrescentou.

"Que bom."

"Tudo graças a você..." ela comentou.

"Minha causa?" o purificador ficou surpreso.

"Desde que eu passei a... morar contigo..." ela disse com dificuldades, "eu tive a oportunidade de conhece-los melhor..." finalizou.

O purificador tirou a atenção da estrada por alguns instantes e olhou para a raposa, a expressão no rosto dela era de satisfação.

"Seja bem vinda." ele saudou enquanto levava a mão na cabeça dela para um rápido cafuné.

"Obrigada..." ela comentou enquanto apreciava o gesto.

Poucos minutos depois do final da conversa, eles chegaram ao Instituto da guerra. O purificador saiu do carro para abrir a porta para ela e aproveitou para fazer uma pergunta.

"Como você quer que sejam as coisas lá dentro?"

"Como assim?" perguntou confusa.

"Quer que as coisas entre nós seja mais discre..." antes que ele pudesse terminar a frase, ela o interrompeu.

"Não!" ela exclamou com o rosto corado.

"Certeza?"

"Sim!"

O purificador olhou para a raposa por alguns instantes, mas percebeu que ela estava realmente decidida com escolha.

"Certo." ele acatou a decisão dela.

Os dois começaram a seguir pelo estacionamento do Instituto até chegar na entrada, ao abrir as portas era possível ver que alguns invocadores já a esperavam, mas nenhum se aproximou porque viu que ela estava acompanhada. A raposa ficou surpresa com a mudança de comportamento deles, amou o fato de não ter sido abordada, para se certificar ainda mais disso, segurou a mão do purificador, o mesmo olhou para ela curioso.

"Certeza disso?" ele questionou novamente.

Ela apenas sorriu em resposta, o purificador deu uma rápida ao seus arredores para ver o que a atitude dela havia causado, claramente viu vários invocadores os observando.

"E os seus fãs?" ele brincou.

"Eles podem esperar." ela respondeu.

O purificador estava surpreso com a mudança de atitude dela, a garota que a um tempo atrás mal conseguia olha-lo nos olhos se transformou em uma pessoa mais confiante e firme na frente dos outros, ficou curioso em saber por quanto tempo ela manteria essa postura.

Os dois continuaram andando em direção ao destino do purificador,  as instalações do instituto eram imensas, de andar de um bloco até outro levava consideráveis minutos, isso costumava pegar desprevenidos os novatos que sempre se perdiam.

"Tenho que encontrar o minha no ultimo bloco..." o purificador comentou.

"Quer me esperar no salão do espectador?" ele sugeriu.

"Não, eu vou com você." ela respondeu firme.

"Certo."

A caminhada continuava, mas faltava apenas alguns metros até o destino.

"Bom dia, Lucian!" uma voz familiar os saudou a distancia.

"Bom dia, Braum." o purificador saudou em resposta.

"Bom dia." a raposa repetiu o gesto.

O suporte se aproximou dos dois.

"Preparado para a partida?" ele perguntou visivelmente ansioso.

"Sim" o purificador respondeu.

"Ela vai participar também?" o suporte perguntou.

"Eu só vim acompanhar." ela respondeu.

O suporte ficou curioso com a resposta dela, com uma observada melhor e viu que os dois estavam juntos.

"Quando vai ser o casamento?" ele brincou.

A raposa corou forte como resultado.

"Primeiro eu tenho que comprar a aliança e rezar para não ser rejeitado." o purificador brincou olhando para ela.

"E porque eu o rejeitaria?" ela questionou desviando o olhar.

"Vai saber, talvez eu não seja bom o suficiente."

A raposa não gostou desse comentário, para mostrar isso ela virou a sua atenção para ele e comentou com um tom sério.

"Você é o homem que eu amo."

O purificador ficou surpreso pelo comentário.

"Que fofo!" o suporte comentou.

"Sortudo!" ele brincou com Lucian fazendo um sinal de aprovação com a mão.

Ao mesmo tempo o pequeno poro que o suporte sempre tinha como companhia saltou das costas dele, o bigode abriu a mão e a pequena criatura caiu nela.

"Poro..." a raposa comentou enquanto virava a sua atenção para o criatura peluda.

"Posso?" ela pediu.

O bigode nem respondeu e o poro saltou nos braços da raposa.

"Acho que isso é um sim." o suporte comentou.

Enquanto a raposa estava ocupada com o poro, os dois homens começaram a conversar sobre a partida.

"Já sabemos quem vai ser a equipe?" o purificador questionou.

"Eu, você, Lux, Pantheon e Shen." o suporte respondeu.

"Interessante."

"Só faltava você chegar pra irmos para plataforma de invocação." o suporte comentou.

"Desculpe a demora." o purificador s desculpou.

"Não se preocupe."

"Vai ter que leva-lo?" a raposa parou de brincar com o poro para perguntar.

O suporte deu uma boa olhada nela, mas como viu que ela estava se divertindo com o ele resolveu deixar com ela.

"Pego ele depois da partida."

"Obrigada!" ela agradeceu com um belo sorriso.

"Vamos indo?" o purificador sugeriu.

O três andaram juntos até a plataforma onde encontraram o resto do grupo.

"Bom dia." Shen saudou.

"Soldados." o padeiro saudou em seguida.

"Dia!" e Lux por ultimo.

"Todos aqui, podemos ir?" Shen perguntou.

Após todos sinalizarem que sim o grupo começou a se dirigir para as plataformas.

"Lucian!" a raposa chamou.

"Diga?"

Ela fez um gesto com a mão para ele se aproximasse, quando ele chegou perto ela deu um beijo de despedida.

"Bom jogo!" ela desejou com um sorriso no rosto.

"Obrigado..."

O purificador estava surpreso pela atitude dela, considerando que tinha outras pessoas por perto. O homem se virou para voltar para a plataforma.

"Pronto." ele comentou quando se juntou ao grupo na plataforma.

Uma luz começou a brilhar ao arredor do grupo sinalizando que estava tudo pronto, segundos depois um rápido clarão tomou conta da sala e em seguida o grupo não estava mais por lá, a raposa ainda ficou alguns segundos parada observando antes de se retirar. Por incrível que parecia, era a primeira vez que ela andava sozinha pelas instalações sem ser abordada por invocadores, imaginou se tinha algo a ver com o gesto que fez na entrada no instituto, mas ela não se importava se a sua popularidade entre os invocadores com isso, o que valia mais a pena para ela agora era a atenção do purificador.

Não demorou muito até chegar a uma das várias salas de descanso, por sorte pegou uma que estava vazia, se sentou no sofá e começou a brincar com o poro para passar o tempo, era quase um sonho ela ter uma oportunidade dessa então tinha que aproveitar. Generosos minutos se passaram mas ela não cansou de brincar com poro, estava tão entretida que não percebeu o som da porta abrindo.

"Bom dia jovem."

A raposa ouviu a voz e olhou e avistou duas figuras familiares.

"Ashe?" comentou surpresa.

"O que faz por aqui?"

"Acabei de terminar uma partida." a arqueira explicou.

"Posso sentar?" ela perguntou ao se aproximar do sofá.

"Sinta-se a vontade." a raposa respondeu.

"Um poro?" a arqueira comentou surpresa.

"Ele é do Braum." respondeu.

"Explicado."

O silencio tomou conta da sala e enquanto a raposa continua a brincar com o poro a arqueira fechou os olhos para descansar um pouco.

"A Taliyah mandou abraços." a arqueira comentou de repente.

"Hein?!" a raposa exclamou surpresa.

Ela havia se esquecido que a tecelã havia se mudado para Freljord para estudar e se sentiu um pouco culpada por esquecer disso.

"Como ela vai?"

"Vai muito bem, passa boa parte dos dias estudando com os mestres." a arqueira respondeu.

"Ah, que bom."

"Sente saudade dela?" a arqueira perguntou.

"Como não sentir falta daquela cabeça de vento..." a raposa brincou.

A saudade da antiga amiga era forte, mas depois que começou a morar com Lucian devido ao contrato, acabou esquecendo dela.

"Gostaria que eu mande algum recado para ela?" a arqueira perguntou.

"Não, obrigada."

"Certeza?" a arqueira questionou.

"Certeza." a raposa reforçou.

Um rápido silencio tomou conta das duas, mas a arqueira já estava preparada com uma pergunta.

"E como vão as coisas com Lucian?"

A raposa olhou surpresa, ela sabia que depois do que tinha feito iria virar fofoca, mas não imaginava que seria tão rápido.

"O que você ouviu?"

"Entrada de mãos dadas e o beijo na plataforma." a arqueira comentou.

"Não poderia ter sido um pouco mais discreta?" a arqueira brincou.

"Talvez..."

"Como foram as coisas? Ele que te chamou para sair?" a arqueira perguntou.

A raposa permaneceu alguns segundos pensando no que ia responder, calmamente contou uma versão diferente do que havia acontecido, começou com os fatos do refeitório e saltou para o encontro que teve com ele e seus amigos.

"Interessante." a arqueia comentou ao ouvir a versão da raposa.

"Desejo boa sorte a vocês dois."

"Obrigada." a raposa agradeceu.

Ao final da conversa a arqueira se levantou do sofá e arrumou o seu vestido.

"Se me permite, preciso me preparar para a minha partida."

"Sinta-se a vontade e bom jogo." a raposa respondeu.

Mais uma vez a raposa se encontrava sozinha na sala, ela até tentou brincar com o poro para passar o tempo, mas ele estava cansado e acabou dormindo no colo dela.

"Que fofo..." ela comentou.

Segundos depois ela decidiu fazer a mesma coisa que a pequena criatura, se deitou no sofá e colocou  o poro bem pertinho para ficar observando ele até pegar no sono.

Generosos minutos se passaram até que um pequeno toque em seu ombro a acordou.

"Lucian?" ela comentou enquanto abria os olhos.

"Boa tarde." o purificador saudou.

Calmamente a raposa se levantou, quando terminou de se sentar no sofá sentiu falta de algo.

"Sumiu?!" a raposa exclamou.

"Braum passou mais cedo e o pegou." o purificador explicou.

"Mais cedo? Por quanto tempo eu dormi?"

"Três horas."

A raposa ficou surpresa por ter dormido por tanto tempo, mas a surpresa virou curiosidade quando ela notou uma expressão séria no rosto do purificador.

"Lucian?"

"Ahri, preciso te perguntar uma coisa?"

"O que aconteceu?" a raposa começou a ficar nervosa.

"O nome Montanha Tevasa lhe é familiar?"

A raposa ficou assustada quando ouviu o nome.

"Foi o local onde eu nasci..." ela comentou.

"Então você precisa vir comigo urgentemente." o purificador pediu.

"Tudo bem." a raposa se levantou.

Os dois deixarão a sala, a raposa não sabia o que estava a acontecendo, só sabia que estava seguindo o purificador. Depois de alguns minutos os dois encontraram Shen em uma das plataformas de transporte.

"Chegaram rápido." o ninja comentou.

"Trouxe ela." o purificador comentou.

O ninja imediatamente focou a sua atenção na raposa.

"Ahri, nós precisamos da sua colaboração em Ionia."

"O que aconteceu?"

"Um pequeno batalhão de noxianos foi avistado nos arredores da Montanha Tevasa." o ninja explicou.

"Aconteceu alguma coisa." a raposa perguntou.

"Ainda não, mas pode acontecer a qualquer momento." ele explicou.

"E no que eu posso ajudar?" a raposa perguntou.

"Uma carta com uma única exigência foi feita." o ninja comentou.

"E qual seria ela?" o purificador perguntou.

"Que nós te entregasse para o batalhão de Noxus." o ninja apontou.

A expressão no rosto da raposa era de surpresa e nervosismo, o purificador notou isso, mas no momento não podia fazer nada naquele momento além de tentar ajudar, poucos segundos depois os três usaram uma das plataformas de transporte para se mover para Ionia onde teriam mais informações sobre o problema.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...