História O Charme da Raposa - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Ahri, Braum, Draven, Fiora, Jhin, O Virtuoso, Lucian, Shen, Vayne
Tags Ahri, League Of Legends, Lol, Lucian, Romance
Exibições 21
Palavras 3.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Hospitalidade Ioniana


O grupo chegou em questão de segundos a filial do Instituto na capital de Ionia, os dois continuaram seguindo o ninja.

"Shen, poderia me dizer o que realmente aconteceu?" a raposa perguntou ansiosa.

"Alguns dias atrás recebemos uma denuncia de um dos moradores da Montanha Tevasa."

"O dizia?" o purificador perguntou.

"Um grupo de soldados começou a vagar aos arredores da vila recentemente, mas nenhum deles se parecia com soldados de Ionia."

"Então mandaram alguém para verificar..." o purificador comentou.

"Eu fui pessoalmente." o ninja respondeu.

"Entendo."

"Aconteceu alguma coisa com os moradores?" a raposa perguntou.

"Por enquanto nada a não ser a carta com exigências."

"E o que pretendem fazer sobre a situação?" o purificador questionou.

"Por enquanto tentar negociar a segurança dos moradores." o ninja comentou.

"E se acontecer das negociações falharem?"  o purificador deixou a hipótese.

"Vamos tentar evitar o maior número de baixas civis."

O purificador ainda tinha algumas questões em mente, mas algo lhe chamou a atenção, a raposa estava muito calada.

"Ahri?"

"Hmm?"

"Tudo bem?" ele perguntou.

A pergunta era bem simples, mas o ele gostaria de ver é como a raposa estava reagindo a situação.

"Um pouco nervosa..."

Ele apenas a observou por alguns instantes até voltar a sua atenção ao ninja. O grupo andou até sair do Instituto, do lado fora havia um transporte os esperando, uma pequena carroça movida a cavalos.

"A viagem a pé é um pouco longa, o transporte vai ajudar a não chegarmos muito tarde." o ninja comentou oferecendo passagem para os dois.

Lucian e Ahri sentaram juntos e Shen separado, nada fora do comum, a não ser o fato de que a raposa estava muito inquieta.

"Ahri?" o purificador chamou a sua atenção.

Ela estava com a cabeça distante e não o ouviu chamando.

"Ahri?" ele levou a mão ao ombro dela.

"Perdão..."

"Pensativa..." ele comentou.

A raposa olhou para ele com uma expressão de preocupação no rosto.

"Tenta descansar um pouco." ele sugeriu.

"Como?"

O purificador a deitou no banco descansando a cabeça dela em sua pena, de inicio a raposa se sentiu envergonhada por fazer isso na frente do ninja, mas o balançar da carroça e o cafuné do purificador eram como uma canção de ninar, em pouco tempo ela dormiu, logo após isso os dois homens voltaram a conversar.

"Vejo que ficaram bem íntimos." o ninja apontou.

"Algumas coisas aconteceram."

O ninja achou a relação entre os dois inesperada, mas como já havia presenciado a mesma situação antes não ficou tão surpreso, só permaneceu a duvida se a relação entre eles iria influenciar nas negociações.

"Poderia me dizer mais sobre a vila?" o purificador perguntou.

"A vila de Tevasa fica na base da montanha que possui o mesmo nome, sua população não passa de cem pessoas."

"E o que os soldados noxianos estão querendo com eles?"

"Provavelmente usar como moeda de troca pela raposa."

"Qual é a relação deles com Ahri?" o purificador perguntou .

"Ela já te falou algo?" o ninja questionou.

O purificador pensou por alguns segundos, mas tudo que havia ouvido dela foi a declaração dela mais cedo, o resto da vida dela era desconhecido a ele.

"Não."

"Então vou começar do inicio." o ninja apontou.

"A alguns anos atrás quando Noxus invadiu Ionia, umas das primeiras vilas a serem atacadas foi a de Tevasa."

"Eles são pacíficos?" o purificador perguntou.

"Sim, mas por sorte na época uma pessoa em especial defendeu a vila contra tropas noxianas."

"Ahri?" o purificador questionou curioso.

"Não, mas alguém próximo a ela."

"E quem seria?"

"A mãe dela."

"Mãe?" o purificador parecia visivelmente surpreso e curioso.

"Sim."

O purificador voltou a sua atenção para a garota que dormia nas suas pernas por alguns instantes.

"A mãe dela cresceu junto com aquela pequena vila." o ninja explicou.

"Então ela se sentiu no dever de defender a vilas..." o purificador concluiu.

"Sim." o ninja afirmou.

"Então os noxianos procuram vingança?" o purificador apontou.

"Seria uma possibilidade."

"Mas a mãe dela sumiu a alguns anos atrás." apontou.

"Sumiu?"

"Sim e na mesma época a sua filha foi mandada para Demacia pelos moradores."

Lucian pensou por alguns instantes sobre a situação.

"Então como eles não acharam a mãe dela, resolveram buscar vingança na filha?" deixou a hipótese.

"Provável, mas eu acredito que seja outro motivo."

"Porque?"

"Já se passou muito tempo para que eles ainda desejarem vingança." o ninja explicou.

"Mas não deixa de ser uma possibilidade..." o purificador apontou.

O ninja ficou em silencio por alguns instantes até que perguntou.

"Será que ela sabe o motivo?" ele questionou enquanto observava a raposa.

Nesse momento o purificador se lembrou do ocorrido no refeitório e no atentado, os noxianos certamente queriam algo com ela, imaginou se os dois fatos estavam relacionados a essa invasão, mas ele não tinha nenhuma informação para confirmar, e criar outra hipótese não era uma boa opção nesse momento.

"Não sei." o purificador respondeu, "Mas posso perguntar a ela." ele sugeriu.

"Agradeceria."

As possibilidades muitas, com isso em mente os dois mudaram o objeto da discussão para a questão da negociação, eles conversavam bastante nas opções que tinham, porém o clima ficou pesado quando o ninja comentou sobre a possibilidade de entregar a raposa em ultimo caso.

"Perdão Shen, mas não concordo com essa opção."

"Mas é uma das possibilidades."

A possibilidade era verdadeira, infelizmente salvar um e matar outros cem não era um resultado interessante, e o purificador sabia disso.

"Entendo que vocês criaram um laço durante esse tempo que passaram juntos, mas..." o ninja apontou.

"Laço..." o purificador pensou.

Ele começou a se perguntar quando foi que esse laço surgiu, a procura de resposta olhou para a garota que dormia em seu colo, em seguida se lembrou do atentando.

"Eu preciso protege-la..." ele pronunciou a si mesmo.

A imagem da garota em seus braços, toda ensanguentada devido aos ferimentos, foi uma visão muito forte até mesmo para ele. Depois desse dia o purificador decidiu trabalhar para que essa situação não se repetisse.

"Mas eu acredito que você também pensou na possibilidade, mesmo que não concorde com ela." o ninja finalizou a frase.

Era verdade, o ninja sabia que o purificador em algum momento chegou a pensar nessa possibilidade, mas devido a proximidade dele com a raposa, provavelmente descartou a opção logo de cara.

"Você sabe que não vai ser fácil." o ninja comentou.

"Eu sei, mas mesmo assim, vamos deixar essa opção de lado." o purificador pediu.

Os dois homens ficaram em silencio por alguns instantes antes de voltar a discussão.

"Então Shen, como estão as coisas para o nosso lado, em números?"

O ninja não respondeu logo de cara.

"Nessa questão, seremos só nós durante as negociações." ele comentou.

"Como assim? Não teremos ajuda da capital?"

"Sim, eu recebi essa noticia quando o conselho descobriu sobre a carta de exigências. Eles preferem entregar ela do que entrar em uma luta contra tropas noxianas."

"Qual o medo do conselho?" o purificador questionou.

"Que isso possa ser considerado um chamado de guerra por parte dos Ionianos."

O purificador pensou sobre a explicação, apesar de ele ser contra a postura deles, não podia fazer nada em relação.

"Eu te disse que não vai ser algo fácil." o ninja apontou.

Depois dessa ultima declaração os dois homens ficaram em silencio, ambos focados nos próprios pensamentos, a viagem durou mais alguns minutos até que eles chegaram no destino.

"Lucian, chegamos." o ninja comentou.

O purificador ficou surpreso, a conversa entre os dois ajudou a passar o tempo. Calmamente ele acordou a raposa.

"O que aconteceu? Chegamos?" ela perguntou enquanto se levantava.

"Sim."

Momentos depois os dois saltaram da carroça e observaram a pequena vila que estava a distancia.

"Realmente pequena." o purificador comentou.

"Tevasa..." a raposa chamou ao ver a vila.

Enquanto se aproximavam da vila, o purificador começou a notar as semelhanças com a capital de Ionia.

"Parece surpreso." a raposa comentou.

"A semelhança com a capital de Ionia." ele respondeu.

O grupo continuou andando até chegar a entrada da vila onde duas pessoas o esperavam.

"Senhor Shen." eles saudaram.

"Desculpe a demora. Como estão as coisas?"

"Por enquanto continua tudo em paz." um dos homens respondeu.

"Entendo, onde está a senhora?" o ninja perguntou.

"Ela está o esperando na casa dela." o outro respondeu.

"Com licença." o ninja pediu e seguiu viagem.

O purificador e a raposa seguiram ele pela cidade, a cidade estava bem calma apesar da ameaça que os rodeava. Não demorou muito até que o grupo chegasse a uma casa que ficava um pouco distante do resto da vila.

"Senhora?" o ninja chamou enquanto batia na porta da casa.

Enquanto esperavam a pessoa atender a porta, o purificador percebeu o nervosismo na raposa.

"Ahri, se acalme." ele pediu.

"Estou tentando..."

Ao final da frase o purificador calmamente a segurou a mão para tentar acalma-la.

"Relaxe." ele pediu.

Segundos depois um som chamou a atenção dos dois, era a porta da casa se abrindo.

"Boa tarde, senhor Shen." uma pequena senhora saudou a porta.

Lucian observou bem a senhora, ela era um pouco menos que a raposa, tinha uma aparência bonita apesar da idade, vestia um belo yukata preto decorado com desenho de flores de ionia.

"Desculpe a demora..." o ninja se desculpou.

"Não precisa." a senhora comentou.

Momentos depois a senhora percebeu que o ninja não estava sozinho.

"Ahri?" ela chamou.

"Vó..." a raposa respondeu.

Calmamente a raposa se aproximou da senhora.

"Vó!" a raposa exclamou enquanto abraçou a senhora.

Um abraço forte e apertado.

"Senti muito a sua falta..." a raposa declarou quase chorando.

"Também minha criança, também." a senhora respondeu.

Depois de um longo abraço a senhora tornou a sua atenção para a nova presença.

"E quem ser esse belo homem?"

"Prazer, Lucian." ele se apresentou.

"O prazer é meu, meu nome é Akari." ela repetiu o gesto.

"Parecem um pouco cansado, entrem por favor." a senhora ofereceu.

A senha deu passagem, o ninja entrou primeiro seguido e o purificador em seguida, as duas mulheres ainda ficaram do lado de fora conversando um pouco.

"Que lugar bonito." o purificador comentou enquanto vagava pela sala.

"Primeira vez em uma residência ioniana?"

"Sim."

O purificador observou cada pedaço da sala, ficou impressionado com o a simplicidade e beleza da casa, do chão até o teto, os materiais eram em boa parte de madeira e seus derivados.

"Como a região de Ionia e cheia de grandes arvores, as pessoas começaram a trabalhar com base nesse material." o ninja comentou.

"Interessante." o purificador observou.

O purificador começou a tocar em alguns moveis da sala, a sensação era muito boa que acabou gerando o desejo de conhecer mais sobre o assunto, mas sua apreciação foi interrompida quando a senhora chamou comentou.

"Aprecio que tenha gostado da casa."

"Muito bonita." ele respondeu voltando a sua atenção a ela.

"Agradeço o elogio, depois te levo para dar uma olhada nos outros cômodos da casa." a senhora avisou.

"Agradeço."

"Ahri?" a senhora chamou.

"Diga?"

"Poderia me ajudar na cozinha? Os rapazes parecem estar famintos." a senhora comentou.

"Sim." a raposa se voluntariou.

"Se me permitem, enquanto esperam pela comida, fiquem a vontade."

As duas mulheres se retiraram deixando os dois sozinhos.

"Ela parece mais calma." o ninja comentou.

"Ela se acalmou depois que viu a senhora."

Ao mesmo tempo que o purificador comentou sobre isso, veio a curiosidade, qual seria o parentesco entre as duas, se a senhora era realmente avó da raposa.

"Shen, você sabe algo sobre a relação das duas?" o purificador perguntou.

O ninja pensou um pouco antes de dar a resposta.

"Pelo que sei, essa senhora cuidava de Ahri quando ela ainda era uma criança." respondeu.

"Entendo."

Isso explicava a mudança no humor da raposa.

"Então a Ahri a considera como uma figura materna?" o purificador deixou a duvida no ar.

"É bem possível."

A conversa entre os dois estava interessante, porém teve que ser interrompida quando a  raposa apareceu na sala com uma bandeja repleta de petiscos.

"Rapazes." ela chamou a atenção deles.

"Desculpe a demora." a senha apareceu em seguida com uma bandeja de chá.

"Com licença." o ninja pediu enquanto pegava a bandeja das mão da senhora.

"Obrigada, rapaz." ela agradeceu.

Na sala que estavam tinha uma pequena área aberta, dentro dela tinha uma pequena mesa, as bandejas foram colocadas em cima dela e em seguida o purificador e o ninja se sentaram, a raposa ficou esperando a senhora se sentar.

"Pode se sentar, só vou pegar algumas coisas que faltam." a senhora comentou.

"Não precisa de ajuda?" a raposa tentou ser prestativa, mas a senhora dispensou a ajuda.

Momentos depois a raposa se juntou a mesa sentando a o lado de o purificador.

"Finalmente se acalmou." ele comentou observando ela.

"Um pouco..."

"Pega algo para comer, tenho certeza que não comeu nada desde de manha." o purificador comentou.

A raposa não pegou nada até a senhora aparecer na sala e se juntar a eles, o silencio tomou conta da mesa enquanto o grupo se alimentava.

"Entendo..." a senhora comentou enquanto olhava os casal.

"O que?" a raposa perguntou.

"Nada não." a senhora respondeu.

"Quando vai ser o casamento?" ela brincou.

O purificador tirou a atenção da refeição por alguns instantes ao ouvir a brincadeira, olhou para a senhora que tinha um sorriso brincalhão e depois para a raposa extremamente corada.

"Você não é a primeira pessoa que diz isso." o purificador brincou.

"Ah, se for o caso, já escolheram quem vai ser a madrinha?" ela brincou novamente, "Se quiser eu estou disponível." continuou.

Apesar de ter sido uma brincadeira, a raposa levou a possibilidade a sério, o purificador percebeu isso no olhar dela.

"Eu agradeceria." o purificador continuou, "Shen poderia ser o padrinho..."

O ninja apenas observou em silencio ser colocado na brincadeira.

"Que tal o Gragas? Bebida grátis na após a cerimônia?" o purificador brincou.

"Esse Gragas é o dono daquela famosa marca de bebida?" a senhora perguntou.

"Esse mesmo."

"Então tá perfeito!" a senhora aprovou.

"Lucian, certo?" a senhora chamou com um tom mais sério.

"Diga?"

"Me prometa uma coisa, que vai cuidar bem dela, essa é a minha única exigência como segunda mãe." a senhora pediu.

O purificador pensou bem nas palavras da senhora, antes de responder deu uma boa olhada na raposa ao seu lado, ela tentava esconder o rosto para não mostrar o quão corada estava.

"Sim, eu vou cuidar dela, e muito bem." ele respondeu enquanto levava a mão a cabeça da raposa para um cafuné.

"Vocês dois já terminaram de torturar a garota?" o ninja comentou.

"Sempre tão sério, agente só esta brincando com ela." a senhora respondeu.

"Mas sendo bastante séria agora." a senhora comentou, "Lucian." ela chamou.

"Por favor, cuide bem dela." dessa vez o pedido era mais simples, mas soou com mais legitimidade que o ultimo.

"Eu irei." o purificador respondeu com a mesma legitimidade que foi feita a pergunta.

Depois dessa pequena brincadeira o grupo começou a conversar sobre  várias coisas, ninguém mais se lembrava do principal motivo pelo qual estavam ali. Conversa vai e vem, a noite chegou.

"Olha a hora!" a senhora comentou, "Parece que exageramos um pouco." acrescentou.

"Um pouco?" o ninja implicou.

"Larga de ser chato Shen, é por isso que não arranja namorada."

"He-ein!" ele respondeu um pouco incomodado.

"Relaxa!" ela comentou.

A senhora calmamente se levantou da mesa e começou a arrumar as louças.

"Ahri, poderia levar essa louça para a cozinha enquanto mostro a casa para o Lucian?"

"Sim."

"E você Shen, pretende passar a noite por aqui?" ela questionou.

"Agradeço o convite, mas preciso resolver algumas coisas." ele explicou.

"Ah, que pena."

"Se me der licença." ele educadamente comentou.

"Vá em frente."

Momentos depois o ninja saiu da casa para resolver os problemas que tinha para resolver.

"Então Lucian, me daria a honra do passeio?" a senhora comentou enquanto oferecia a mão.

"Com todo o prazer." ele a segurou pela mão e ambos começaram o passeio.

A casa era maior do que ele imaginava, apesar disso o expedição foi rápida, o que ela fez foi somente dizer o que tinha atrás de cada porta. Apesar disso o purificador não achou uma perda de tempo, até que gostou da pequena passeada que deu pelo local. O passeio terminou de frente para uma porta.

"Esse quarto é de vocês." ela comentou.

"Nosso?" ele questionou.

"Vocês não estão juntos, ué. Qual problema de passarem a noite no mesmo quarto?" ela apontou.

"Nenhum, mas..." ele ia responder mais foi interrompido.

"Só não façam muito barulho durante a noite que esta tudo bem." ela brincou.

Os dois deram uma bela risada como resultado da brincadeira, ao final a senhora repetiu o mesmo gesto de antes, mas agora abaixou a cabeça em respeito a ele.

"Por favor, cuide bem dela..."

O purificador observou a situação que a senhora estava se submetendo e em respeito respondeu com toda sinceridade.

"Eu irei."

Essas palavras soaram como musica aos ouvidos da senhora, como resposta ela deu um belo sorriso de satisfação que pegou o purificador desprevenido.

"Ho! Eu vi o jovem corar?" ela brincou.

"Não, imagina." ele respondeu.

"Bom saber que uma velha como eu ainda consegue causar esse tipo de reação nos homens." ela comemorou orgulhosa.

"Mas você é uma mulher bonita." ele elogiou.

A senhora sorriu novamente pra ele e comentou.

"Ela escolheu certo."

Momentos depois que a senhora falou isso a raposa apareceu.

"Louças lavadas."

"Que garota prestativa!" a senhora elogiou.

"Bem, esse é o quarto de vocês dois pelo tempo que desejaram passar na vila."

Ahri olhou surpresa.

"Não pre..." a raposa ia falar algo mais foi interrompida pela senhora.

"Por favor, Ahri."

"Tudo bem."

"Lucian?" a senhora chamou.

"Vou roubar ela de você por algum tempinho, algum problema?" ela perguntou.

"Nenhum problema."

"Agradecida." a senhora comentou ao final.

"Vamos Ahri, precisamos manter as fofocas em dia."

"Certo!" a raposa respondeu ansiosa.

"Mas antes deixa eu fazer uma coisa." a raposa avisou a senhora.

Calmamente a raposa se aproximou do purificador para dar um pequeno beijo.

"Daqui a pouco eu volto." ela comentou ao final.

"Não precisa se preocupar." ele respondeu.

"Vamos?" a senhora comentou para a raposa.

"Sim." a raposa respondeu.

"Boa noite, Lucian." a senhora se despediu.

"Boa noite, Akari." ele repetiu o gesto.

Depois disso as duas mulheres foram em direção a sala deixando ele sozinho na porta do quarto.

"Que mulher interessante." o purificador comentou com um sorriso de satisfação no rosto.

Momentos depois entrou no quarto, ficou surpreso quando percebeu que o cômodo era parecido com o seu, só que era todo construido em madeira. Também chamou a sua atenção o fato do colchão da cama ser colocado no chão de madeira. Curioso ele sentou para testar, ficou surpreso quando percebeu que a sensação, esse tipo de cama era muito melhor que as padrões que ele estava acostumado. Sem pressa ele tirou as botas e o excesso de roupa e se deitou, em questão de segundos ele sentiu o sono tomando conta do seu corpo, momentos depois mal conseguia manter os olhos abertos.

"Que delicia" ele pensou e logo após dormiu.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...