História O Circense. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmin, Vhope
Exibições 154
Palavras 3.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Wow... quatro meses sem atualizar é muita coisa, né? :( ME PERDOEM!!

Bom, eu me sinto na obrigação de explicar o porque de tanta demora pra eu voltar a aparecer no site, e a demora pra responder também todos os comentários.

Algumas pessoas devem saber, porque já conversei com várias leitoras fora daqui, mas pra quem não sabe eu vou contar, enfim, eu tive um ano bem complicado de lidar.

Meus pais se separaram no final do ano passado e não foi um divorcio nada amigável, envolveu posses, dinheiro, renome, então infelizmente a briga dos dois refletiu muito na minha vida ao longo do ano, chegando a ser insuportável a convivência com ambos. Eu também estou no terceiro ano do colegial (ou estava, porque estou praticamente de férias, não sei saushu), e passei o ano inteiro ouvindo sobre faculdade, vestibular, cursinho, futuro, tudo.

Eu estava a beira de um colapso nervoso, eu não tinha certeza do que queria fazer, não sabia a quem recorrer, não tinha pra onde fugir. Então pra ajeitar as coisas, principalmente comigo mesma, eu precisei de um tempo. Eu precisei me encontrar, me redescobrir e isso fez muito bem pra mim, só sinto muito que tenha levado tanto tempo e que infelizmente eu tenha que ter aberto mão, temporariamente, de algo que eu amo fazer, escrever.

Desculpem essa explicação que mais pareceu um desabafo, mas eu sei que muitas de vocês se preocuparam (aliás, vocês são lindas, tenho um carinho gigante por cada uma) então acho que foi um mal necessário kkk.

Ok, sem mais enrolações vou deixar vocês com esse capitulo fresquinho terminado ontem pra matarem a saudade.
Vejo vocês nas notas finais <3

Capítulo 5 - Anjo caído.


Novamente uma noite de espetáculos se encerrava e com ela o cansaço atingia a todos, e dessa vez não fora diferente para mim. Não pude assistir a trupe novamente, pois Namjoon pediu que eu tomasse conta da segurança, o que foi um tiro certeiro já que pude dar conta de dois pivetes que estavam tentando bater carteira no lugar. Nem mesmo eu quando fazia esse tipo de coisa era burro o suficiente pra fazer em um lugar tão cheio de gente como aquele.

Assim que meus colegas encerraram suas apresentações, foram novamente distribuídos para outras tarefas. Tive sorte pois Taehyung teve de tomar conta de uma barraca bem ao lado de onde eu estava batendo ponto, então agora eu finalmente teria alguém com quem conversar.

-Eu to podre. -Taehyung bufou. -To morrendo de fome, aish.

-Eu também to com fome. -confessei. -Hyung, vamos comer um hambúrguer quando isso aqui fechar?

-Jeon Jungkook, você é um gênio!

Continuamos conversando, mas sempre dando prioridade para nossas funções no momento, e assim que tudo fora fechado e devidamente desligado pudemos correr até a cozinha com mil e um planos na mente. Eu não podia mentir, Kim Taehyung seria um ótimo chefe, tinha ideias absurdas e ousadas, mas eu as adorava. Por fim ele me alcançou o moedor de carne e tentou com calma me explicar como usar tal utensilio, enquanto eu moía precisamente o bife avermelhado o mais velho procurava outras coisas que pudessem incrementar nosso lanchinho da noite.

Finalmente ele havia achado pão, alguns molhos, salada e uns três tipos de queijo que ele afirmava que deixariam aquele hambúrguer o mais delicioso de todos, e eu apenas concordava e seguia suas ordens. Fizemos os bolinhos com a carne moída, temperamos e fritamos até que estivessem em um ponto perfeito. Depois montamos tudo com as alfaces, os laticínios e o pão por fim. Cada um de nós possuía dois lanches monstruosamente grandes que seriam mais do que o necessário para saciar nossa fome de leão.

Comemos enquanto conversávamos sobre as apresentações e outras coisas, Taehyung era um garoto divertido, era fácil manter uma conversa com ele e o mais velho parecia estar sempre enxergando tudo de bom que a vida pode nos oferecer, era o tipo de pessoa que todos querem manter ao lado. Em algum momento, não sei exatamente qual, o rumo da conversa fora parar em Jung Hoseok, e o mais velho parecia falar sobre o amigo com muito carinho.

-As vezes ele é idiota, mas ele não faz por mau. -sorriu.

-Vocês parecem se dar muito bem. -comentei.

-Ah sim, e nos damos, mas as vezes eu não tenho paciência com ele. -suspirou. -Principalmente porque estamos sempre muito juntos, fazemos as piadas juntos, dormimos juntos, comemos juntos.

-Ainda sim, vocês parecem inseparáveis. -sorri.

-Acho que somos, não sei. -riu confuso. -Jungkook, não vai comer esse outro hamburger? -apontou para meu segundo lanche. -Vai esfriar.

-Ah... Não é pra mim. -sorri tímido. -Hyung, preciso ir a um lugar.

-Tudo bem, eu vou indo tomar um banho e morrer, porque amanhã temos que desmontar tudo. -bufou sôfrego e me despedi sem cerimonias.

Corri os olhos por todos os lugares, procurei no carrossel, perto dos aposentos, perto da tenda, mas nada da pequena figura de Park Jimin. Suspirei frustrado encarando o sanduíche em minhas mãos, não havia ficado ruim e eu queria que Jimin pudesse comer algo antes de dormir, ele parecia comer tão pouco, ele não podia ficar doente nem nada do tipo.

Vaguei ainda perdido por mais alguns minutos e quando finalmente cogitei desistir de minha busca incansável pelo mais velho finalmente fui capaz de encontrar um garoto de cabelos avermelhados sentado em um canto qualquer escondido de todos, como quem não quisesse ser encontrado. Novamente suspirei, mas dessa vez de forma encorajadora, e caminhei lentamente em direção ao menor, que não pareceu surpreso com minha presença, simplesmente me recepcionou com um sorriso meigo, fácil, como se fosse automático de si sorrir em qualquer circunstância.

-Eu fiz um lanche pra você. -cuspi de uma vez enquanto esticava o prato até si.

-É hambúrguer? -questionou-me curioso. -Parece estar bom.

O garoto de cabelos vermelhos encarou o prato com carinho e não demorou até desferir a primeira mordida. Assistir seus dentes tortinhos afundarem na textura fofa do pão era como fazer-me cosquinhas, teve de me controlar para não rir da cena meiga que estava presenciando. Ele conseguia ser encantador até mesmo comendo, incrível.

-Você come muito pouco, Hyung. -disse por fim.

-Eu não posso engordar. -disse com a boca cheia e sem tirar os olhos de sua comida. -Seria ruim pro Bardo.

-Mas e se você ficar doente? -sentei-me ao seu lado e encarei-lhe.

-Ya, eu não vou. -riu. -Você tá parecendo Seokjin dizendo que eu preciso comer.

-Ele diz pra mim que eu como demais, vou acabar engordando. -bufei ao lembrar das broncas do mais velho.

-Ele diz isso? -gargalhou alto. -Não ligue pra ele, você está bonito assim.

Engoli seco, por algum motivo. Era estranho como nossas conversas as vezes conseguiam me deixar constrangido, ainda que não houvesse nada demais nas palavras declamadas pelo ruivo. Pisquei várias vezes no intuito de conter minha vergonha e o rubor que desejava brotar em meu rosto. Um silêncio desconfortável atingiu-nos. Observando melhor, a única pessoa desconfortável ali era eu, pois Jimin parecia estar se divertindo enquanto comia e balbuciava o quão delicioso aquilo estava, o que me deixava feliz. Era bom vê-lo comer bem assim.

Desliguei-me de minha consciência por poucos segundos e permiti-me encarar o mais velho durante esse período de tempo. Seus olhos brilhavam demasiadamente, eles sempre foram assim? E as bochechas, sempre foram tão inocentes assim? E seus lábios, sempre foram tão cheios e corados de tal maneira? Ou eu simplesmente estava encarando-o demais dessa vez, diferente das outras? Descansei o rosto em uma das mãos, apoiando a cabeça de uma maneira confortável para que continuasse em busca das respostas para minhas perguntas, e procurava-as em seu rosto, perfeitamente desenhado e delicadamente perfeito. Park Jimin parecia uma pintura em aquarela, sobreposta em um fundo negro que contrastava diretamente com sua luz própria.

-O que foi? -a voz doce do mais velho caiu-me como um balde d'água gelado e fui obrigado a me recompor. -Meu rosto tá sujo?

-Não... -tossi. -É só que você é... Sei lá.

-Sei lá? -gargalhou novamente.

-Não sei, você só é diferente de tudo que eu já vi, e olha que agora eu vivo com uma trupe de circo. -ri junto consigo.

-Diferente... -sussurrou para si mesmo enquanto balançava a cabeça. -Você também é diferente, Jungkook. -Jimin sorriu e senti o peito pulsar.

Não consegui controlar meu rosto, um sorriso quilométrico simplesmente formou-se em meu rosto, o que fez com o que o mais velho novamente risse. Tive de pedir licença e sair dali com pressa. Por quê? Nem mesmo eu sei, a única certeza que eu tinha era que eu deveria estar com algum problema cardíaco, por meu peito doía horrores.

 

...

 

Acordei extremamente cansado, na verdade muito mais do que cansado, eu estava acabado por dentro e por fora devido uma péssima noite de sono, na qual eu não havia pregado os olhos um único instante, permaneci rolando de um lado pro outro inquieto tentando entender o porque de tanta agitação de minha parte. Era inútil negar que eu estava sendo exagerado, mas eu não conseguia simplesmente conter tal fervura de minha parte, era quase como o corpo reage a uma forte gripe, com uma febre intensa, e não há o que fazer para impedir isso.

Demorei um tempo incalculável para tomar a devida disposição e juntar-me a todos para tomar um bom e caprichado café da manhã. Cheguei à tenda barulhenta onde todos estavam reunidos e não fiz questão de maneirar na quantidade de comida em meu prato, afinal de contas o dia seria turbulento e repleto de trabalho pela frente, então eu precisava me manter forte e com o estomago cheio para aguentar tanto desgaste. Obviamente ouvi alguma piadinha ou outra por parte de Seokjin, que alegava que eu escondia um segundo ser humano, ou sabe-se lá o que, dentro de mim e precisava mantê-lo alimentado. Apenas sorri em resposta e não pude deixar de correr os olhos pelo lugar a procura do baixinho de olhos apertados e sorri por fim quando nossos olhares se encontraram.

Park Jimin estava usando pijamas laranjas que combinavam com seus cabelos, fazendo-o parecer um ursinho de pelúcia de tamanho real, estranhamente adorável. Ele estava ao lado de Min Yoongi, então o que fiz foi sentar-me ao lado de Kim Taehyung, que sentava-se de frente para Yoongi. Todos conversavam sobre algo engraçado que acontecera com Minjoon na noite passada, algo relacionado a uma garota e uma confissão atrapalhada, e as piadinhas começaram quando Hanuel afirmou não ter visto o colega de quarto no trailer, o que apenas consolidava as sugestões de Hyejeong, de que o mesmo havia passado a noite com a garota em algum hotel fajuto.

-Não é a primeira vez que ele faz isso, não sei pra que tanto furdunço. -Mingyu revirou os olhos e todos riram concordando.

-Aish, Minjoon não tem jeito. -Hoseok riu. -Uma vez um Don Juan, sempre um Don Juan.

-Olha quem fala. -fora a vez de Minjoon rir alto. -Você só não faz mais sucesso com as garotas porque elas correm pro Jiminie primeiro.

Mais uma vez uma gargalhada uni sonora tornara-se audível seguida de inúmeras brincadeirinhas com Park Jimin, que agora tentava esconder entre seus dedos curtos um rosto extremamente corado e envergonhado. Sorri indiscretamente com aquela cena, o garoto realmente conseguia chamar a atenção de tudo e de todos sem a menor das intenções, e justamente por isso Park Jimin era algo impossível de ser descrito em palavras.

-Verdade, lembro quando ficamos uma semana em Dongducheon e eu tive uma quedinha por uma garota lá. -Jiahn confessou nostálgico. -Ela só falava comigo porque queria saber do Jimin.

-Ele não tem culpa se é lindo. -Hyejeong deu de ombros e todos riram. -Pena que foge das garotas. Você tem que ser menos envergonhado, Jiminie.

-Ya, parem de tentar corromper a pureza do meu dongsaeng. -Yoongi encenou indignação.

-Sabe de uma coisa, acho que Jungkook também vai dar muito trabalho no quesito garotas.- Mingyu afirmou. -Quer dizer, ele é completamente o oposto do Jimin, é alto, forte e mal encarado, as garotas gostam disso, não? -riu questionando Hanuel, que concordou com a cabeça enquanto comia seu sanduíche.

-Mal encarado? -questionei ofendido.

-Ele quis dizer que você parece misterioso, só isso. -Taehyung sorriu confortável.

-Mas só parece também, porque na verdade é somente uma criança esfomeada. -fora a vez de Seokjin complementar e arrancar risos em conjunto.

Eu não sabia ao certo o que dizer do comentário de Mingyu, talvez ele tivesse razão e todos os anos de convivência tinham feito de mim uma pessoa com uma aparência fria e estruturada, do tipo que guardava segredos de todos e jamais os revelaria a ninguém, mas na verdade eu me considerava longe disso. Aos poucos o rumo da conversa fora mudando e passei a concentrar-me somente em minha deliciosa refeição enquanto trocava algumas palavras com Taehyung.

-Jungkook. -Jiahn chamou-me baixo enquanto os outros conversavam sobre outra coisa. -Você já... você sabe... Esteve com alguma mulher?

-Que? -engasguei repentinamente. -E-eu não... Quero dizer, como sempre estive na rua só era possível o contato com garotas de programa, e sinceramente é nojento só de imaginar. -franzi a testa.

-Fiquei curioso, achei que por você ter morado na rua era experiente nesse tipo de coisa. -riu. -Mas Seokjin tem razão, você é só um crianção.

Ri em concordância e balancei a cabeça. Depois de algum tempo Namjoon designou cada um para sua posição de trabalho, e não me surpreendi por acabar ficando com algum que envolvesse por demasia esforço e trabalho braçal, uma vez que eu era um dos mais aptos fisicamente para exercer tais funções.

Depois de um tempo correndo de um canto para o outro inacessivelmente e sem parar um segundo sequer para poder adiantar cada vez mais o trabalho, assim não teria muito para fazer no dia seguinte, finalmente acabei por pegar algo mais leve, que consistia em separar somente alguns utensílios em um dos compartimentos de bagagem. Por sorte Taehyung também estava lá, então agora o trabalho corria mais levemente, pois eu teria com quem conversar por algum tempo.

Taehyung, no meio de alguma conversa nossa, me revelou que eu era completamente diferente do que aparentava, que era alguém simpático, de alguma maneira tímido, o tipo de pessoa com quem é fácil conversar. Obviamente fiquei feliz, pois apesar de não ser a intenção do mais velho, eu sentia-me elogiado e não fui capaz de esconder tal felicidade. Para alguém que crescera sozinho, receber um elogio voltado a minha personalidade era quase como tornar-me o homem mais rico do mundo com apenas algumas palavras mágicas.

Fiz questão de retornar os elogios ao mais velho, afinal de contas Taehyung realmente era uma pessoa a qual eu havia me tornado próximo nos últimos dias. Era impossível não simpatizar com o garoto falante e engraçado que não parece ficar sem graça em nenhuma situação, sempre é capaz de tornar tudo uma grande piada, talvez esse fosse parte de seu encanto.

Quando terminamos todo o trabalho o sol já havia se posto e mal a pena tínhamos percebido o tempo que estávamos ali, jogando conversa fora e organizando as coisas dentro dos compartimentos. Enquanto descansávamos um pouco Hoseok, que parecia tão cansado quanto nós dois, avisou-nos de que a janta estava pronta, então retornamos a tenda com nosso Hyung e esperamos até que todos estivessem ali para que pudéssemos comer. Todos pareciam exaustos, massageavam os ombros enquanto reclamavam de dores agudas pelo corpo e afirmavam precisar de um banho e de uma bela noite de sono, e eu concordava com tudo, afinal também mal aguentava-me em pé no momento.

Tive que segurar uma risada espontânea que me atingira quando Jimin adentrou o local seguido de Jiahn, o baixinho possuía uma faixa de sujeira, provavelmente terra, que se estendia desde sua bochecha até seu pequeno nariz. Parecia uma criança que havia passado a tarde brincando e que agora estava cansado, ansiando pelo ócio. O pequeno serviu-se em silêncio e não conversou muito durante a janta, parecia estar extremamente cansado e suas bochechas pareciam mais coradas do que o normal. Muito antes de todos ele terminou seu prato e despediu-se de todos ali, saindo ligeiro do lugar.

-Ele deve estar muito cansado. -Taehyung comentou ao perceber que eu seguira o mais velho com os olhos.

Concordei com a cabeça e sem perceber acabei acelerando meus movimentos, poucos minutos depois eu já havia terminado tudo que havia em meu prato e encontrava-me deixando a barraca e correndo os olhos pelo lugar em busca do garoto de cabelos coloridos. Não me surpreendi ao encontrá-lo no mesmo lugar da noite passada, com seu rosto afundando aos joelhos em uma posição que eu julgara desconfortável, mas Jimin era capaz de fazer coisas incríveis com o corpo, então aquilo não deveria ser nada demais. Me aproximei de si e ele vagarosamente encontrou-me com o olhar.

-Você quer ficar sozinho? -perguntei percebendo que poderia estar sendo intruso.

-Não, tudo bem. -sorriu simples. -Gosto da sua companhia.

-Você parece cansado.

-E estou. -suspirou.- Não sou muito forte fisicamente porque como pouco.

-Você deveria comer mais. -encarei o chão.

-Já expliquei que não posso engordar. -continuou e suspirou fundo. -Eu só preciso de um bom banho.

-Por que não aproveita agora que todos estão jantando?

-Boa ideia. -o mais novo levantou-se meio tropeço. -Você vem? -encarou-me ao perceber que eu encontrava-me no mesmo lugar.

Encarei o garoto parado a minha frente e engoli seco algumas vezes enquanto piscava seguidamente. Era estranho como esse convite fazia eu sentir-me... Diferente. Eu imaginava que era assim a sensação de estar com um amigo, mas era diferente quando estava com Taehyung. Acabei por levantar e acompanhar o mais velho, ele insistiu que eu banhasse-me primeiro, então desisti de contradizê-lo e o fiz. Enquanto trocava-me e sentava na cama que eu julgava ser de Haneul, pelas roupas femininas jogadas sob a mesma, ouvia Jimin cantarolar ao chuveiro e não pude conter um sorriso ladino que formara-se em meus lábios.

Era até certo ponto irritante como tudo no mais velho era extremamente harmonioso. Seu rosto, seu corpo, sua voz, tudo. Era como se fosse algum tipo de ser feito sob medida para tudo aquilo que eu julgava bom e bonito. Era mais irritante ainda como eu continuava a pensar em Park Jimin ainda sem qualquer motivo, como continuava correndo meus olhos em busca de si sem saber o motivo. Talvez o mais velho tivera sido acolhedor comigo quando eu chegara e eu somente estava sendo como um cachorrinho grudento com seu dono. Mas eu não sabia afirmar nada.

Eu estava perdido em meus pensamentos quando a voz de Park Jimin se fez presente ao meu lado, carregando uma pergunta relacionada suas roupas, o que me fizera instantaneamente virar o rosto e encarar a figura do menor completamente despida, senão por uma toalha que envolvia seu intimo. Pisquei algumas vezes e tentei não descer os olhos em seu tronco e dali para suas pernas, tentei não gravar absolutamente tudo que eu via ali no momento, mas eu simplesmente não era capaz de controlar meus próprios atos.

-Jungkook! -a voz do ruivo acordou-me. -Você viu... minha cueca?

Balancei a cabeça tentando me livrar de sua imagem gravada em minha mente e também lhe respondendo, levantei subitamente e só então percebi que estava sentada sobre a tal peça de roupa o tempo todo. Quis gritar de frustração, mas a risada aveludada do menor acalmou-me. Ele simplesmente pegara a peça e sumira novamente dentro do banheiro. No meio tempo entre Jimin trocar-se e abrir aquela porta eu fui do céu ao inferno comigo mesmo, sentindo o rosto arder como nunca.

O barulho da maçaneta girando fez meus olhos arregalarem instantaneamente, então tive de chacoalhar a cabeça para voltar ao meu juízo e agir normalmente. O mais velho vestia roupas confortáveis, dessa vez nada colorido como si mesmo, mas sim um simples shorts e uma blusa branca. Seus cabelos alaranjados ganham uma coloração engraçado ao estarem molhados, mas eu não podia dizer muito, já que o meu nem aparentava o tom rosa quando encharcado.

-Jungk... -ouvi a voz de Taehyung ecoando longe, mas não fui capaz de desprender os olhos de Jimin. -Ah, você tá aqui. Tava te procurando.

-Inteligentes, já tomaram banho. -Hanuel, que havia chegado com Taehyung, comentou despreocupada, adentrando o local e jogando-se em sua cama. -Se vocês forem educados gostaria que saíssem, porque também preciso de um banho.

Não havia o que fazer, simplesmente saímos os três do lugar e caminhamos até o trailer onde eu e Taehyung dividíamos com Hoseok e Jiahn. Como o sereno não estava de brincadeira, achamos melhor entrarmos, afinal eu e Jimin estávamos com os cabelos molhados, e não seria nada bom pegar um resfriado com uma dia de trabalho pela frente. Ofereci minha cama para Jimin que ficou um tanto receoso em aceitar, enquanto não tive problema em ajeitar-me com Taehyung em somente uma enquanto jogávamos conversa fora.

Em algum momento Taehyung, em meio a bocejos, perguntou algo a Jimin que o mais velho não respondera, só então pudemos ver que o ruivo já dormia, e sinceramente eu nunca havia visto algo tão gracioso na vida. Era incrível como até dormindo ele preenchia todos os quesitos próximos a perfeição. Eu começava a cogitar o fato de Park Jimin não ser humano.

-Mano, que sono! -Jiahn exclamou entrando no lugar e fora reprendido por mim e Taehyung.

-Ele tá dormindo. -Taehyung comentou espreguiçando-se. -Vai dormir com os outros hoje e deixa ele ai, ele tá podre de cansado.

-Vocês são folgados, né? -revirou os olhos, juntou algumas roupas e saiu sem comentar mais nada.

-Eu vou deitar na cama do Jiahn. -afirmei saindo de perto de Taehyung e deitando-me na tal cama, que por coincidência, ou não, ficava justamente a frente da minha, onde Jimin dormia tranquilamente.

Depois de ainda conversar por alguns minutos com Taehyung, o mais velho pareceu calar-se quando Hoseok adentrou o lugar, então não demorou muito para que os dois pegassem no sono e restasse somente eu, no escuro, acordado e lutando contra mim mesmo para não encarar o semblante descasado de Jimin enquanto dormia. Mas isso tudo era mais forte que eu.

Acabei virando-me e não sei por quanto tempo fiquei observando o mais velho inspirar e expirar, sempre calmamente, como se fosse um anjo caído. Eu pensava e analisava comigo mesmo como era possível as sobrancelhas serem tão certinhas, cheias evitando qualquer falha, como os lábios tinham um caimento perfeito e harmonioso com o restante do rosto como seus olhos e nariz. Park Jimin parecia irreal naquele momento, algo muito além de minha compreensão de estética ou qualquer outra coisa. Ele era absurdamente perfeito. A maneira como os cabelos alaranjados caiam sobre seu rosto, o modo como mexia os lábios uma vez ou outra, voltando sempre a deixa-los semiabertos, possibilitando a visão de seus dentes graciosos, tudo parecia ser coordenado por Afrodite para de alguma maneira deixar-me intrigado com tamanha perfeição. Mas, de fato, o que mais me intrigava era porque eu pensava tais coisas sobre Park Jimin


Notas Finais


Só eu achei esse capitulo muito curto? Desculpem, mas eu realmente precisava dar essa desenvolvida em algumas situações, se bem que eu acho que os momentos jikook foram bem melzinhos hsuahsuahsau

Prometo que não vou mais fugir, ok? UHSAHUAS

Como eu to de férias agora com certeza sai capítulo toda semana, no máximo de duas em duas, mas vou fazer de tudo pra não atrasar tanto.

Obrigada por me esperarem, espero que tenham gostado do capítulo, não deixem de comentar e fazer essa boba alegre feliz <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...