História O clã - Interispécies - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Exibições 3
Palavras 1.508
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Cristtie está fazendo amizade com os humanos! Mas será que isso é realmente seguro?

Capítulo 7 - Simpatizando com humanos


ERAM CINCO DA MANHÃ QUANDO Clarissa resolveu voltar para casa.E eu fiquei sozinha em meu quarto. Eu e minha ansiedade. Não me sentia ansiosa desde que Adam me pedira que eu o esperasse em meu exílio usando a roupa de caça que ele me dera. Então acontecu algo que eu não achei que pudesse acontecer comigo: eu comecei a esperimentar todas as minhas roupas e no fim, fiquei com a sensação de que não tinha nada para vestir. Não é bom se sentir assim, mas eu não me importei. Estava feliz. Derrepente, me peguei sorrindo de lingerie na frente do espelho. Sorrindo de verdade. Não lembrava da última vez que isso aconteceu. Geralmente, eu só ria das palhaçadas da Clarissa, e forçava um sorriso de vez em quando para agradar Sylvia e Adam. Mas dessa vez não. Era de verdade.

            Cinco minutos antes de sair, eu ainda não estava vestida, então decidi pelo óbvio: o mesmo jeans preto e all star roxo do dia anterior, trocando apenas a camiseta do Green Day por uma camiseta preta do Iron Maiden que era a banda favorita de Roger. Reparti meu cabelo do lado direito e fiz a mesma maquiagem do dia anterior - essa que estava se tornando minha maquiagem do dia a dia - só que escolhi um baton vermelho desta vez. Clarissa já estava me esperando, como sempre, e insistiu que fossemos com sua Mercedes vermelha dessa vez para a escola.

            -Você tem de chegar com tudo! Quanto mais Roger te olhar mais vai gostar de você. E, além disso, somos umas gatas e é até pecado passarmos desapercebidas - disse Clarissa e eu revirei os olhos, porém, aceitei a sugestão dela. Não queria me atrasar.

            O segundo sinal bateu, e eu entrei na sala. Uma sala de aula cheia de humanos para um vampiro, é como um parque de diverssões de odores. Logo senti um odor de humano que me pareceu familiar, era Emily chegando. Sorrindo, ela me disse:

            -Bom dia! - retribuí o sorriso e o "bom dia". Sentamos. Derrepente, uma mulher baixinha, loira vestindo roupas nada adequadas para sua idade, e com uma voz estridente entrou na sala. Lembrei: essa era nossa vice-diretora. Junto com ela vinha um odor que não era humano. Odor de lobo, eu logo reconheci. Logo o dono do cheiro entrou. Ele era grande, em todos os sentidos: alto e musculoso era moreno e tinha olhos castanhos que revelavam nuances de verde - olhos de lobo. Eu não podia acreditar! Os lobos não deveriam estudar ali!

            Lobos, ou lobisomens são seres metade lobo, metade homem. E, ao contrário do que muita gente pensa, eles não se transformam apenas na lua cheia, mas transformam-se na hora que bem entendem. Apesar de serem mais fortes na lua cheia. Lobos e vampiros são inimigos mortais desde a criação do mundo. Brigamos por território e comida. Vampiros e lobos são criados aprendendo a se odiarem. Nossas brigas de "vizinhos" sempre acabam em muitas mortes. E mais: era meio que uma coisa de extinto sermos inimigos. Eu não ouvi uma palavra do que a vice-diretora disse, só ouvia minha raiva e meu extinto assassino. Passei o primeiro período todo ocupada, tentando me controlar. Felizmente, o segundo período chegou, e teríamos educação física e, pelo menos eu não ia precisar mais ficar respirando o mesmo ar daquele ser detestável.

            Eu e Emily nos sentamos em um pequeno muro, lado a lado ao lado da quadra. Felizmente ela me distraiu da raiva que eu sentia, estávamos converssando. Falávamos de música, filmes, series e do que mais gostávamos de fazer. Dscobrimos muitas coisas em comum. Eu gostei bastante da garota humana. Era sincera, interessante, falante e muito inteligente. Quando o assunto "garotos" surgiu, ela disse:

            -Eu nunca cheguei a namorar ninguém. Tive um relacionamento, mas não chegamos a namorar. Eu gostava dele, mas éramos completamente diferentes e brigávamos bastante. Aí, eu cheguei a conclusão de que não tava mais dando certo.

            -Eu - comecei - já namorei. Ele era bonito, simpático e parecia estar muito apaixonado por mim. Ele até me pediu em casamento. Eu não aceitei logo de cara porque fiquei assustada com a ideia. Mas aí ele brigou comigo e saiu da minha casa muito chateado. Eu não conseguia parar de pensar no que tinha acontecido. Eu gostava dele e me sentia culpada por te-lo magoado. Então, assim que pude fui até a casa dele e acabei o encontrando com outra. Eu dei uma surra nela e discuti com ele. Fui pra casa e chorei copiosamente. - Fiz uma pausa. Pela primeira vez, falar desse assunto não doía mais - Ele foi o primeiro cara de quem eu gostei. E eu não estava preparada para ter o coração partido. Ninguém está, na verdade mas eu era muito ingênua.

            -Nossa, isso não foi legal, que bom que você já superou. Você sabe deles?

            -Ela morreu logo depois. Parece que tava metida em coisas bem pesadas, e então, mataram ela - menti - quanto a ele, nunca mais o vi. Só que agora eu tô mais que pronta para outra. Eu tenho alguém , na verdade não tenho mas, estou apaixonada de novo . Na verdade, vim pra cá só por causa dele. Talvez você coneça. O nome dele é Roger e ele tem um irmão gemeo que se chama Reymond.

            -Só de vista. Mas, ele parece um cara legal.

            -Ele é. Eu não sei o que esperar, sabe. Só quero ficar perto dele.

            Eu tinha acabado de adimitir para Emily o que não tinha consequido adimitir para mim mesma. Era muito fácil converssar com ela. Minha intuição me dizia que ela era muito confiável. Tinhámos virado grandes amigas já no segundo dia de aula.

                                                                ***

            O sinal para o recreio bateu. Eu sabia que ia me encontrar com Roger e tinha medo dos meus extintos. Quando um vampiro reprime seus extintos, como eu houvera reprimido no início do primeiro período de aula, fica prestes a explodir. Ele era humano e eu conhecia seu cheiro o bastante para saber o que causava em mim. E ele estaria perto... Tinha medo de machucá-lo ou de ataca-lo de qualquer outra maneira. Por isso, perguntei a Emiy se ela gostaria de ficar junto comigo no recreio, eu teria que me cercar de outras pessoas para me distrair mais facilmente. Sentamos no último banco, no fundo do prédio A, atrás de uma árvore frondosa onde eu havia marcado com Clarissa, então, eu a vi. É difícil não prestar atenção nela, ela é o tipo de pessoa que você sempre vai ver primeiro. Porém, naquele momento não tive muito tempo para prestar atenção no resplendor dourado que era Clarissa a luz do sol. Vi que Roger andava a seu lado. Mais uma vez, com uma expressão que eu ainda não conhecia. Mas sabia que era de nervosismo, pois o conhecia o bastante para saber que deveria se parecer assim se ficasse nervoso. Chegaram onde estávamos.

            -Oi, Emily! - disse Clarissa, dando três beijinhos no rosto de Emily, que correspendeu com um "oi Clarissa!" e três beijinhos com estralinhos. - Ah, Roger, essa é a Cristtie.  - Quando ela disse isso, eu não sabia o que fazer. Tremia dos pés a cabeça. Tentei imitar Clarissa porque não tinha a menor possibilidade de eu conseguir ser eu mesma. Então, sorri e disse:  "oi Roger" de longe. Em seguida, Clarissa o apresentou a Emily, que também disse oi de longe. Clarissa então recebeu uma mensagem. Ela olhou o celular, sorriu e disse:

            -Eu já volto! - "Que ótimo!" ,pensei , "Me deixou aqui sozinha com dois humanos"

            Roger parecia muito nervoso. E fiquei muito surpresa quando Emily foi cumprimentar uma amiga e ele se sentou a meu lado, bem perto. Porém, ele não disse nada. Só pegou o celular nas mãos e começou a clicar em coisas aleatórias, mexendo a perna a todo instante, parecendo não conseguir nem olhar para mim. "O que será que Clarissa disse a ele?" pensei. Um instante depois, Emily voltou. Então eu e Roger nos levantamos ao mesmo tempo. Tudo ficou sob controle. Basicamente, eu e Emily converssávamos, e tentávamos fazer Roger interagir com a gente. Ele não dizia muita coisa. O recreio acabou e Roger se despediu. Eu e Emily entramos na sala de aula e passamos os últimos períodos converssando, ela sem saber, me distraíndo do odor de lobo.

                                                             ***

            Quando cheguei em casa, fui correndo abrir o facebook. Solicitei amizade a Roger, e quando ele aceitou, mandei uma mensagem a ele:

Oi!

                                                                                                    Oi! Tudo bem com você?

Sim! E você?

                                                                                                  Tudo bem!

Você ... gosta de Rock né?

                                                                                                    Sim!

Dá pra perceber pelo seu estilo.

                                                                                            Pelo seu também dá para                                                                                                                                                                                                                   perceber que você gosta!   

Qual sua banda favorita?

                                                                                    Iron Maiden!

                                                                                    E a sua?

Green day.

Iron Maiden? Que conhecidência!

Hoje eu tava usando uma cameseta deles!

                                                                                 

                                                                                   Eu vi! Bem legal!

                                                                                    Tenho que sair agora!

Vou ver você amanhã na escola?

Vamos poder converssar?

           

                                                                                    Acho que sim!

Bom ... então até amanhã!

                                                                                    Até amanhã!

 

            "Até amnhã!" Eu não podia acreditar.

 


Notas Finais


O que acharam? Bom? Ruim? Sugestões? Deixem seus comentários!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...