História O colecionador II - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Exibições 45
Palavras 2.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ooooooi minha gente
¶ Aqui vai está o que verdadeiramente aconteceu pra Selena e Justin se separarem de vez.
¶ Espero que gostem e sorry algum erro, eu tenho tanta preguiça de revisar que vocês não imaginam.

Boa leitura <3

Capítulo 2 - Atos sem pensar gera consequências desagradáveis.


Fanfic / Fanfiction O colecionador II - Capítulo 2 - Atos sem pensar gera consequências desagradáveis.

Point Of View | Justin Bieber 

Flashback 

Hospital Center Maryland; 03:03 AM

Dois anos atrás; 25/11/2014

 

— Tem certeza que quer fazer isso mesmo, não é? Que depois não vai ficar correndo atrás daquela moça, depois de ter matado as duas amigas delas, quando ela estiver com uma puta raiva de você?

Jeremy fazia várias e várias perguntas antes de entrarmos no hospital, que a louca da Kendall estava lá novamente por motivos óbvios, e a Paige fazendo fisioterapia. Eu sabia que se eu fizesse isso, mais pra frente eu iria me arrepender, sei muito bem como é cometer algum ato com raiva e não pensar nas consequências, mas nesse exato momento estou pensando isso, porém não consigo colocar na minha cabeça que não devo matá-las, então apenas concordo com a cabeça em resposta ao meu pai, ele logo suspira já sabendo que eu estava com um pé na frente e outro atrás.

— Justin, dá pra perceber que você não quer matar elas. Deixe que eu faço isso, pois não ficarei arrependido, já você... — só foi o bastante ele dizer isto, levantei meu punho fechado, dando um soco em sua boca claramente pedindo para que ele parasse de falar asneira. Não demorou muito pra que ele devolvesse um soco no mesmo lugar que levou. — Espero que não faça isso de novo, caso contrário, você também irá fazer parte do combo assassino.

Sinceramente, suas palavras não me causavam um pingo de medo, ultimamente não sinto medo de absolutamente nada, tirando o fato de Selena, o que me faz sentir-me estranho. Caminhamos em direção a entrada do hospital, adentrando o mesmo silenciosamente. Já que era três horas da madrugada, claramente tinha poucos enfermeiros ou enfermeiras rondando pelo hospital, todavia a vigilância ainda estava de pé, mas não por muito tempo.

Jeremy foi andando normalmente indo próximo ao um vigilante que estava de costas enquanto falava algo, provavelmente estando no telefone e eu fui até uma das câmeras que pegava o guarda e a quebrei, quando o cara escutou o barulho e virou-se Jeremy não deu tempo pra ele, logo lhe acertou um tiro na cabeça silenciosamente.

Peguei minha arma já destravada e com silenciador e fomos andando nos corredores, tomando cuidado com o possível fato de aparecer algum médico chato, cobrindo todas as câmeras presentes e olhando de sala em sala para ver se achávamos a Kendall.

Na sala vinte e quatro do corredor cinco, claro que não foi fácil chegar aqui tivemos que matar vários seguranças e enfermeiros, mas finalmente achamos a vagabunda que estava acompanhada de uma enfermeira que estava injetando alguma injeção na sua veia. Esperamos a velha sair e antes que ela fechasse a porta, coloquei o pano em seu nariz, ao mesmo tempo tampando sua boca, enquanto meu pai entrava no quarto e eu já tinha escutado um grito agudo. Deixei a enfermeira deitada no chão, indo ajudar Jeremy que praticamente lutava para tentar segurar Kendall, então ele foi obrigada a dar um murro em sua cabeça para fazê-la desmaiar e ser possível tirá-la daqui.

Não perdemos mais tempo e saímos correndo do hospital com Kendall nos braços de Jeremy e eu matava outro seguranças que tentavam atrapalhar nossa saída.

 

04:01 AM

 

Kendall tinha acabado que acordar.

Seus pés e mãos estavam amarrados na cadeira e sua boca estava amordaçada. Do nada, assim que ela passou sua vista por mim e arregalou seus olhos, começou a tentar gritar e se debater sobre a cadeira, que a mesma acabou caindo para o lado. Não fiz nada apenas fiquei observando a cena dramática. Posso estar pensando irracionalmente, mas pra mim isso é dramático, pra que tentar gritar se já sabe que vai morrer? Eu queria acabar com isso logo, mas meu pai aida queria matar a outra amiguinha da Selena, o porquê eu não sei, mas preferi não interferir e apenas fazer a minha parte com Kendall.

 

Atlanta

30/05/2008

 

Cheguei em casa irritado pra caralho por causa da péssima notícia que eu tinha recebido. Eu seria pai. Se eu estava pronto ? Claro que não, provavelmente nunca e eu nem queria que isso tivesse acontecido, foi totalmente indesejado para mim tanto como para Kendall, mas eu sei que ela está toda feliz por isso. Eu amo ela, mas eu não estava nem um pouco afim de ter um filho agora, nós dois somos completamente novos, ela mal tem experiência com seus sobrinhos bebês, quem dirá como mãe de uma criança.

— Justin... — escutei sua voz irritante e melosa me chamar manhosa, rolei os olhos.

— O que é? — falei rude, não deveria, porém estava com a paciência esgotada.

— Por que está estressado? — tentou me abraçar por trás, com tentativa falha, a empurrei levemente afastando-a de perto de mim.

— Não te interessa, vai dormir que é o melhor pra você fazer é me deixa em paz — fui até a a geladeira da cozinha com ela vindo atrás de mim.

— Justin, por favor. Me dá atenção — abri a garrafa de cerveja voltando novamente pra sala me jogando no sofá.

— Eu não estou com paciência pra nada, muito menos pra você, me entendeu?! Só me deixa em paz e some da minha frente, pois eu não quero nem mais escutar sua voz! — explodi de vez fazendo ela ficar assustada. Me lavantei do sofá disposto a sair dessa casa e nunca mais voltar aqui.

 

 

 

Lembro-me perfeitamente que eu ficava arrependido toda noite que fazia isso com ela, mas agora eu não estou nem um pouco estando preste a matá-la.

— Hohohoho — meu pai imitou o som de papai noel, assim que entrou no cômodo com Paige nos braços. — Quanto tempo, querida Kendall — ele disse sorrindo, colocando a outra garota em seu lado em uma cadeira da mesma forma dela, mas sem a mordaça e logo retirou da vadia, provavelmente querendo ver ela gritar de dor quando começasse a sessão de tortura. — Conhece essa? — ele perguntou apontando pra Paige, eu apenas fitava tudo intensamente e friamente. Kendall concordou com a cabeça.

— Não faça nada com ela, por favor. Paige não tem nada a ver com o que eu fiz pra vocês dois — ela pediu com súplica, já chorando. — Pode me matar, eu não ligo. Não tenho ninguém que se importe comigo nesse mundo — ela chorava rios enquanto olhava pra Jeremy que apenas ria. Parecia até cena de filme em que ela estava fingindo ter medo, mas na verdade ela tinha planos pra nos matar, ao invés do vice-versa, porém não era isso que iria acontecer.

— Isso é mentira — falei me referindo em relação do " Não tenho ninguém que se importe comigo nesse mundo ". — Você tem a sua amiguinha, Selena e a " vó " de Jazmyn. Erin o nome dela? — ela me olhava com medo, tristeza, deboche, raiva, tudo ao mesmo tempo. — Seria até legal mais uma mulher pra matar.

— NÃO! Vocês não podem matá-la, por favor... Já não é o bastante trazer a Paige que não tem nada a ver com isso? Justin, pense nas meninas.. Não mate a Paige, pense na Selena, eu sei que você gosta dela! Pense nas consequências que você irá ter se nos matar — agora ela estava fazendo ao contrário, agorinha estava dizendo que não ligaria de morresse.

— Se você reclamar, vou matar a outra amiga de Selena — cruzei os braços, vendo a outra garota despertar.

— Onde estou? — ela acordou atordoada. Jeremy pegou uma arma, passando pelas belas perna de Paige, enquanto tinha um sorriso psicopata estampado no rosto. — De novo não, por favor, me deixe ir.... — sua voz era fraca e continha muito medo. Levantou a cabeça e olhou todo o local, quando seus olhos pararam em mim. — Justin?

— Sim ? — respondi.

— Uma hora você me salva, outra hora você vai me matar ? — perguntou bem sínica. Jeremy não gostou da sua ousadia, logo cravou a faca na perna dela, mas ela nem parecia ter sentido dor, novamente ele deu facadas repetidas na perna dela, enquanto a mesma olhava pra ele e sorria. No começo eu fiquei sem entender, depois que eu vi me lembrar.

— Jeremy, ela não sente as pernas — ele olhou pra mim sem entender nada.

— Então ela não anda? — neguei com a cabeça.

— Ah, então pra que ainda tem suas pernas se não pode usá-las, não é mesmo? — Paige olhou pra ele com os olhos arregalados.

— Você quer dizer que...

— Isso mesmo garotinha inteligente, vou cortá-las. Mas pra mim é uma pena, elas são tão belas — Jeremy olhava descaradamente para suas pernas expostas, logo ele pegou a serra elétrica e a ligou. Jorrava sangue pra tudo quanto é lado, inclusive na sua cara que estava repleto de sangue e ao mesmo tempo ela chorava também, juntamente a Kendall.

— Para, por favor.

— Acaba logo com isso, Jeremy — falei, ele assentiu pegando sua arma. Deixei que ele atirasse logo na cabeça de Paige, que depois ele apontou a arma na mesma direção que eu, Kendall. Daí, apertamos o gatilho juntos várias e várias vezes, gastando todas as balas nela e deixando o seu corpo repleto de balas.

 

Point Of View | Selena Gomez

01/12/2016

10:09 AM

 

Iríamos hoje ao shopping, eu, as meninas, Gisela, Taylor e Ethan, para comprar decorações para natal. Na verdade eu nem gostava muito de comemorar esse feriado depois da morte da Paige e da Kendall, apesar de eu amar natal, me sentia como se estivesse comemorando a morte delas, mas então esse ano decidi que eu iria esquecê-las temporariamente e comemorar o natal como era antes, árvores de natal, ceia, presentes e etc.

— Jazmyn, vá trocar de roupa rápido, já temos que sair — ela assentiu.

— Posso vestir qualquer roupa ? — ela perguntou animada.

— Pode, mas não vá exagerar como se estivesse indo para um casamento e nem vista roupa igual a de Kayla.

— Mas foi a senhora que comprou porque achava bonitinha gêmeas de roupas iguais, como quer que eu não vista?

— Primeiramente, não foi eu que comprei, segundo, desde quando eu disse que acho bonitinho? Eu não acho isso, na minha opinião é bem chato, porque desse jeito eu não vou saber quem é quem.

— Tudo bem, vou colocar outra roupa.

— Vá logo — ela correu em direção ao seu quarto. — Vai querer comer alguma coisa, Kayla?

— Quero, tô com muita fome — respondeu sentando na mesa.

— O que você vai querer?

— Ovos mexidos.

— Quer suco de laranja também?

— Hum.. Pode ser.

Fritei os ovos os colocando em um prato e dei para Kayla, fiz também o suco de laranja colocando em uma jarra grande. Assim que Jazmyn chegou pronta pra sair, coloquei a mesma comida pra ela, que tinha feito alguns minutos atrás. Após nós três estarmos completamente prontas, saímos de casa entrando no meu carro e eu dei partida pra casa de Taylor.

— Sempre atrasada, né Selena — Gisela falou assim que abri a janela do carro.

— Sempre apressada, né Gisela — debochei dela.

— Calem a boca e vamos logo, não está cedo — Taylor falou saindo de casa.

— Sempre mau humorada, né Taylor — Gisela zombou dela, Taylor revirou os olhos e entrou no seu carro com Ethan.

 

Alguns minutos depois..:

 

Chegamos ao shopping de quase onze horas do dia, por causa do trânsito que atrapalhou e o shopping também não era muito perto.

— A loja que queremos comprar as coisas está quase fechando, o porquê eu não sei. Mas vamos correr — Gisela disse.

— Eu não vou correr de salto, sua idiota! Quer que eu torça meu pé? — Taylor protestou.

— Se vira, ninguém mandou você vim de salto — sorri dela. — Vamos, meninas — chamei Jazmyn e Kayla e começamos a correr em direção a loja que estava próximo a gente, antes que o segurança fechasse, Gisela o chamou.

— Moço, pelo amor de Deus, deixe-nos comprar só umas coisinhas rápidas, por favor ! — ela disse ofegante.

— Pode ir, mas vão rápido.

— Ah, e por que já está fechando? — perguntei antes de entrar.

— Não sei, apenas recebi ordens.

— Não estamos mais atendendo, senhoritas. Peço-lhes que se retirem — falou uma senhora ruiva e baixinha.

— Mas tia por favor, é a única, exclusiva, maravilhosa e honesta loja que eu gostaria de comprar minhas decorações de natal, juntamente à minhas amigas. Por favor, faça só um esforço pequeno de nos deixar comprar, é bem rápido. Pode marcar ai quinze minutos — Gisela tentava convencer a mulher.

— Quinze minutos ? Eu deixaria se fosse cinco minutos, mas realmente precisamos fechar.

— Por favor tia, nós só podemos vir aqui hoje, eu juro que é rápido.

— Eu sei muito bem que não vai ser, geralmente escolha ora esse tipo de decoração demora demais, pois você fica indecisa entre uma coisa e outra, vai olhar preço e tudo mais — ela sorriu, baixando a cabeça — Todos os trabalhadores daqui estão completamente assustados — assustados ?

— O que houve ? — Taylor perguntou.

— Olhe a notícia na televisão — nós três olhamos para a televisão, inclusive as meninas e Ethan.

Acaba de ocorrer um assalto gravíssimo em uma loja no shopping de Maryland. Três seguranças mortos, seis mulheres feridas, um cliente com um tiro de raspão no antebraço, dez mil reais e mais de quarenta objetos de valores roubados. Os autores do furto foram oito caras encapuzados armados até o pescoço, porém um deles foi identificado como Justin Drew Bieber, a polícia neste exato momento procura mais informações do assaltante para começar a fazer as buscas.

Quando o jornalista parou de falar, eu e as meninas ficamos olhando uma pra outra. Jazmyn ia falar alguma coisa, mas eu apenas a olhei e ela entendeu que não era pra falar absolutamente nada. Então, esse psicopata agora não está mais na clínica de reabilitação e sim fazendo assaltos? Eu espero que ele não venha me procurar, muito menos procurar Jazmyn e Kayla.


Notas Finais


Ate mais jsnsn (-‿°)
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...