História O começo - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 7
Palavras 3.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


FINALMENTE !!! AS PROVAS ACABARAM E AI ESTA O PRESENTE DE FÉRIAS DE VOCÊS ❤

Capítulo 8 - O teixo - Visão do Alex


Ao abrir a velha porta - que não era nem um pouco silenciosa - vejo uma pessoa com uma máscara de raposa , ela estava com um violino na mão , logo era ela quem estava tocando aquela música .

- Taue , você finalmente chegou … - Sua voz não era estranha , tive a sensação de que já havia escutado ela

- Raposa , você está aqui ! - O menino pula nos braços dela , soltando um sorriso puro como nunca tinha visto antes

- Sim , eu estou … - Então percebo que ela estava disfarçando a sua voz , mas por que ela estaria fazendo isso ? - Me desculpem , ainda não providenciei os alimentos … - Ela se vira para as pessoas a sua volta , todas estavam magras e trêmulas , o que me fez suspeitar que não comiam direito a semanas

- Precisam de alimentos ? - Eu tento oferecer ajuda , talvez eu consiga trazer uma comida de boa qualidade para ajuda-los

- Sim , nós precisamos ! - Eu olho para a direção de onde aquela voz veio e me deparei com um homem de cabelos pretos e longos , olhos castanhos e pele negra - Mas o que alguém como você está fazendo aqui ? Esse não é o seu lugar ! Saia daqui agora ! - Continuo olhando para ele , me perguntando se havia feito algo de errado

- Escute só , eu posso ajuda-los com isso , posso reformar isso é providenciar alimentos ! Vocês ficaram saudáveis ! - Eu tentei conversar com ele para acalma-lo

- Não ! - Aquela voz gritando me causou um arrepio e enfim soube a quem pertencia , era a Maya vestida de raposa , mas o que ela fazia nessa lugar ? - Quer dizer … Por favor , providencie os alimentos mas não mexa na vila ! - Ela tenta disfarçar a sua voz novamente , mas já era tarde , eu não sou burro para cair nessa

- Do que adiante ter alimento mas morar em um lugar como esse ? - O jeito que ela falou comigo acabou me irritando , a minha vontade era de pegar ela pelos braços e arrasta-la até o castelo

- Escute seu idiota ! - Antes que eu percebesse aquele homem estava me colocando contra a parede - Não venha achando que só por que é um … - Então o som de uma marcha forte toma conta do lugar , eram soldados , mas o que estavam fazendo ali ?

- Raposa , menino encrenqueiro , por aqui ! - Uma velhinha , bem fraca e trêmula , abre a porta para o subsolo e nos empurra para lá - Caso algo aconteça , corram para longe daqui ! - Mas para onde essa porta nos levaria ?

- Vovó ! - Antes que Maya falasse algo a entrada é fechada , mas ainda era possível vê-los através de um pequeno buraco

Então aquela porta que já estava quase caindo foi derrubada por cerca de quinze homens que vestiam a roupa do castelo , o que exatamente estava acontecendo ali ?

- Ora , estão todos reunidos ? - Um dos soldados estava com um sorriso horrível estampado em seu rosto , minha vontade naquele momento era de sair daquele lugar e mandar ele ficar quieto

- Saiam daqui agora ! - Uma moça com cabelos pretos grita , parecia estressada com toda aquela situação

- Ah , então é essa a moça capitão ? - Outro soldado com a voz irritante começa a falar besteiras - Parece ser tão delicada … Quer ter uma vida boa mocinha ? - Ele levanta o queixo dela com aquelas mãos nojentas e continua - Venha comigo … Você só precisa ser minha …

- Nem eu sonho ! - Ela o empurra

Que tipo de soldados são esses ? Será que vieram por alguma ordem do Antony ? Ela pediria algo tão nojento

- O que querem aqui ? - A velhinha que nos trancou aqui se levantou e com um tom autoritário perguntou

- Não te interessa velhota ! - O soldado a empurra , mas felizmente o homem que me pegou pelo pescoço conseguiu segura-la - Olha só o que temos aqui … Te conheço de algum lugar ? - Aquele soldado pergunta para ele

- Não - Ele responde tão frio quanto antes - Saiam daqui agora ! - O homem grita

Imediatamente o soldado da um soco em seu estômago , fazendo ele vomitar . Percebi que a Maya estava irritada assim que virou pra mim e disse :

- Fique aqui , tenho alguns assuntos para resolver !

O que ela pretendia fazer ?

- Ei ! Espere ! - Eu a seguro pelo braço - Você parece com alguém que eu conheço , pode me dizer seu nome ? - Continuo olhando para ela , até que ela respondeu

- Não , você não me conhece ! - Ela disfarça a sua voz - No final do corredor vai ter uma porta que vai dar para o começo de uma floresta , saia qqqq111por lá e volte pro seu lugar ! - Ela se virou e subiu as escadas que ficavam logo após da porta da passagem e desaparecendo

- " O que ela está fazendo ?! " - Eu me perguntei por pensamento

- Desejam algo meus senhores ? - Então percebo que ela já estava em cima de um dos balcões , mas como foi que ela chegou ali ?

- Ah , você está aqui raposa ? - O comandante daquele grupo de soldados pega sua espada e aponta para ela

Dando apenas um pulo ela foi para o andar de cima

- " Como foi que ela conseguiu fazer isso ?! " - Eu estava assustado , não parecia que ela era capaz de fazer aquilo

- Acho que não vai conseguir me alcançar … -- O sorriso que ela deu me causou um arrepio - - Não lembro de ter deixado vocês entrarem aqui … - Então percebo que ela está com uma adaga na mão , de onde ela tirou aquilo ? - Saiam daqui agora !

Os soldados riram dela

- O que está dizendo ? Acha que temos medo de uma adaga ? Vamos ! Você está cercada ! - Realmente , o que ela podia fazer com uma adaga ? Aquele comandante sabia o que estava dizendo ..

- Estou avisando , saiam agora daqui ! - Novamente eles riram e enfim ela atacou

Em um piscar de olhos eu já não sabia onde ela estava , seus movimentos eram tão rápidos que me deixavam confuso , como é que ela estava fazendo aquilo ? Os soldados estavam confusos e tentavam pega-la , mas não conseguiam pois ela desviava com muita agilidade , então começaram a recuar

- Você caiu direitinho .. - Aquele comandante puxa uma pequena faca fazendo um corte no seu ombro , e foi aí que fiquei surpreso , Maya atacava com mais agressividade do que antes fazendo todos correrem :

- Raposa ! Você está bem ? - A moça de cabelos pretos corre em sua direção e pega sua mão

- Estou .. - E em um piscar de olhos vi Maya desmaiada no chão com todos tentando acorda-la

Fique tão assustado que não raciocinei direito , por puro impulso arrombei a entrada daquele esconderijo e fui em direção Maya :

- O que aconteceu com ela ? Por que ela desmaiou ? - Eu gritava enquanto tentava acorda-la

- Quietos ! - Uma voz feminina , doce e calma tomou conta daquele lugar - Ela ficará bem ! - Eu me viro e me deparei com uma mulher super parecida com a Maya , seus cabelos pretos , sua cor de pele , seus olhos e seu corpo , será que ela é alguma coisa dela ?

- Quem é você ? - Eu pergunto por puro impulso

- ( Risos ) Você não deve se preocupar em descobrir quem eu sou , e sim em socorre-la - Ela agacha e pega Maya no colo - Vamos , vou leva-la para casa pela passagem

- Como conseguiu levanta-la tão fácil ?! - Eu fico surpreso com a força dela

- Eu a pego desde pequena … - Ela olha para Maya e sorri - Cresceu tanto …

- Você é algo dela ? - Eu fico olhando para ela até que ela responde

- Chega de perguntas , vamos logo ! - Eu apenas concordo com a cabeça , parecia perigoso continuar perguntando

Ela entra com a Maya pelo lugar que levava ao subsolo e diz :

- Espero que você concerte essa porta - Me olhando de canto de olho - Sabe que não temos condições para fazer isso não é ?

- Sim … - Eu olho para ela e continuo - É … Foi veneno ?

- Sim - Ela é fria , imagino se seria assim se soubesse que sou um príncipe .. - Qual seu nome ?

- Alex - Bem , existem muitos Alexandros por aí , ela não saberia quem sou eu apenas pelo nome não é ?

- Príncipe Alexandro do primeiro continente ? Prazer em conhecer - Eu fico todo arrepiado , como ela me reconheceu ? - Meu nome é … Bem deixa quieto isso ..

- Hã ? - Por que ela não diria o seu nome ? O que estava acontecendo ?

- Fique quieto ! - Ela grita - Chega de conversa !

- Mas foi você quem puxou conversa ! - Eu grito de volta

- Só perguntei seu nome ! - Ela me olha irritada

- …. - Eu me seguro para não responde-la , afinal , estou dentro de um lugar que não conheço com uma pessoa super estranha , não quero ser morto ..

Depois de andar mais uns 20 metros nos chegamos em uma floresta , andamos por ela por mais uns 5 minutos e chegamos em uma portinha que levou a um túnel comprido que terminou em uma portinha no teto

- Suba por aqui , eu vou passar pela outra passagem - Ela disse abrindo a porta com uma chave de bronze

- Não , nao vou deixa-la com a Maya ! - Eu não podia deixar a Maya desmaiada com uma estranha

- Confie em mim , se você vir comigo só vai piorar as coisas ! - Ela me me olha com um olhar sério e eu apenas concordo com a cabeça e subo a escadinha

Quando eu abri a porta eu cheguei no jardim que havia visto antes , um pouco distante da fonte em que eu tinha encontrado aquela caixinha de música . Fui correndo o mais rápido possível para o quarto de Maya para ver se ela já estava lá , e para a minha surpresa ela estava :

- Como foi que chegaram aqui antes de mim ? - Não era possível , ela estava carregando a Maya , como chegou aqui antes de mim

- É um segredo - Ela me olhou e me deu um papel - Chame esse médico , ele vai saber o que fazer

Ela pulou a janela e me deixou lá com o papel

- Mas que droga … - Eu olho para a cama e vejo a Maya - Por que fizeram isso ?

De repente ela se senta na cama e começa a rir

- M-maya ? Está tudo bem ? - Eu corro em sua direção e abraço ela

- Aleeeex … - Ela fala com um tom estranho

- Maya ? - Eu fiquei preocupado

- ( Risada ) Por que você estava lá ? ( Risada ) Por que , Alex ? Por que ? - Ela estava totalmente estranha e falando coisas que não faziam muito sentido

- Aquele menino me levou lá .. - Eu tento conversar com ela

- Ah siiiiim … O Taue … - Ela afasta seu rosto de mim , poem a mão no meu rosto e se aproxima lentamente - Você é tão bonito … Julietta merece você … Ambos são tão talentosos ( Choro ) - Jullieta ? Por que trouxe essa assunto a tona ? E por que agora ?

- Não gosto da Jullieta , ela não parece ser o que mostra ! - Eu me afasto um pouco dela ,será que o veneno causou um delírio nela ?

- Prove ! Prove que não gosta dela ! - Ela se afasta de mim e começa a chorar

- Bem … - Eu me aproximo dela e com a mão direita enxugo suas lágrimas - Eu não beijo alguém que eu não gosto - Me aproximo de sua boca , mas logo me lembro de que tenho que buscar o médico e saio correndo , tranco a porta e vou no quarto com o número que estava escrito no papel

Bato na porta com força , demonstrando todo o meu desespero e um homem aparece

- Precisa bater na porta desse jeito ? - Ele me olha por alguns segundos e diz - O que aconteceu ?

- A Maya foi envenenada ! Por favor ! Me ajude ! - Eu sacudo ele

- Espere um pouco .. - Ele entra novamente naquele quarto , pega uma prancheta e continua - Quais são os sintomas ?

- Você só pode estar brincando comigo ! Vá até o quarto ! Socorro ela por favor ! - Aquele médico era tão relaxado que me irritava

- Quais são os sintomas ? - Ele diz devagar , palavra por palavra - Ela não vai morrer , fique calmo !

- Certo , ela desmaiou e está com alucinações ! - Eu falo o mais rápido possível

- Alguma marca no corpo ? - Ele pergunta enquanto escreve

- Não vi nada ! Vai logo ! - Eu grito com ele perdendo a paciência

- Bem , vou vê-la para ter certeza do diagnóstico , ela está no quarto dela ? - Ele pergunta colocando a caneta no jaleco e

- Sim ! Vamos !

Nós chegamos no quarto e Maya estava dormindo

- Hmmm - Ele olha seu corpo e seus olhos , e de alguma forma ela não acordou - Bem , o corte foi bem profundo …

- E o diagnóstico ? Que veneno foi ? Qual o antídoto ? - Acho que nunca tinha ficado tal desesperado

- Bem , foi teixo , estou indo buscar o antídoto ok ? Fique aqui com ela ! - Teixo ? Mas o teixo mata em 5 minutos ! Como foi que ela aguentou tudo aquilo ?!

Em alguns segundos o médico voltou e trouxe uma seringa com um líquido completamente transparente

- O que é isso ? - Eu perguntei

- O antídoto - Ele respondeu enquanto aplicava

- Mas é feito do que ? - Eu perguntei novamente

- Não te interessa - Ele se levanta e continua - Daqui a pouco eu volto , fique com ela e … - Antes dele terminar a frase , Maya começa a ter alucinações novamente

- MÃE ! NÃO ! POR FAVOR ! DEIXE ELA EM PAZ !! - Ela gritava , eu corri e tampei sua boca e tentei acalma-la

- Está tudo bem Maya , fique calma , vai ficar tudo bem .. - Eu soltei sua boca e a frase que veio a seguir me causou arrepios

- Por que Victória ? Por que fez meu pai matar a minha mãe ? - Eu estava sem reação , não sabia o que fazer diante daquilo

- A mãe de Maya foi morta quando ela era pequena , o corpo dela não foi encontrado mas provavelmente foi morta … - Eu estava assustado , tenho certeza que cheguei a ficar pálido

- Foi o Antony ? Ele matou a mãe da Maya ? - Essa era a única frase que eu consegui pronunciar

- Apenas a Maya viu , as suspeitas estão em cima dele mas ela se recusa a falar algo - Não é possível , por que Antony faria isso ? E como que Victória fez ele fazer isso ? O que aconteceu ?

- Vou no meu quarto escrever no diário da princesa e já volto - Ele sai novamente da sala me deixando com ela

Eu me sento na cadeira ao lado da cama e esperei até que :

- O que aconteceu ? - Maya parecia confusa , creio que não se lembra de nada

- Continue deitada ! - Eu estava preocupado com ela , e se aquilo fosse mais um delírio ?

Então eu escutei a porta se abrindo novamente :

- John ? O que faz aqui ? - Maya se senta na cama , e eu finalmente descubro o nome do médico preguiçoso

- Deitada !! - Eu a empurro deitando ela na cama novamente , não quero que ela corra o risco de se machucar mais do que já se machucou

- Mas o que é isso ?! - Ela grita , parecia irritada porém continuava tonta

- Maya , você foi envenenada com teixo - John finalmente consegue falar - Sua sorte é que você tem uma resistência muito forte contra venenos - Ele suspira e anota algo em um papel - Evite de todo e qualquer jeito aparecer na frente de qualquer pessoa por enquanto , os sintomas ainda não passaram e você pode voltar a desmaiar ou ter alucinações como agora pouco …

- " Resistência a venenos ? Mas conseguir resistir a teixo ? Que tipo de treinamento foi esse ?! Quando foi que ela começou a ser treinada ?! " - Eu penso , até por que eu não poderia dizer isso em voz alta nesse momento

- Alucinações ? - Ela pergunta

- Sim … - Eu olho para ela e me pergunto por pensamento - " O que será que aconteceu ? "

- Só uma pergunta Maya , você já foi envenenada com teixo ? - John olhava para ela com uma cara séria

- Sim … Quando eu era pequena e … - Ela realmente se recusa a falar do passado

- Entendi - John suspira novamente - Alex , cuide dela e não deixe que ela saia do quarto , traga frutas e muita água para ela , e acima de tudo não deixe que ninguém a veja assim , escutou ? - Eu concordo com a cabeça e ela se retira do quarto

- Maya , posso fazer uma pergunta ? - Eu me viro para ela

- Acho que sim … - Ela responde ainda confusa

- Desde que idade você é treinada para resistir a venenos ? - Eu pergunto tentando disfarçar a minha preocupação

- Desde os meus 8 anos …

- O que ?! - Eu me assusto , como isso era possível ?!


Notas Finais


Então pessoal , o que acharam ? Acho que eu saí um pouco do personagem do Alex ... Mas relaxem que logo o lado sádico dele volta !
Desculpem pelo atraso :/ Estava em semana de provas e eu não estava muito bem ..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...