História O começo da eternidade - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Totalmente Demais
Personagens Germano Monteiro, Liliane "Lili" de Bocaiuva Monteiro
Tags Bastille, Gerlili, Germano, Lili, Pasmartins, Totalmente Demais
Visualizações 69
Palavras 656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Reluta


Povs Lili

Cheguei em casa e ocorreu tudo bem. Meu pai ainda estava na empresa e minha mãe resolvendo algo com algum cliente. Cumprimentei Rosa e ficamos conversando um pouco. Rosa trabalha pra gente a bastante tempo, eu a considero da família. As vezes ela me ajuda mais que os meus pais. Sempre tem ótimo conselhos e seu colo sempre está a minha espera quando preciso. Ela é um amor!

“Boa noite, filha!” Minha mãe veio até mim. me dando um beijo e logo após foi falar com Rosa.

“Seu pai disse que não vai vir jantar. Está atolado no trabalho. A sorte é que aquele moço ajuda ele!” Ela disse e eu a olhei. Sabia que o “moço” era Germano. Não precisava nem a pronúncia de seu nome para meu estômago me castigar.

“Ultimamente seu pai quase não têm tempo. Vive trancado em salas de reuniões.” Mamãe estava insatisfeita com a ausência do meu pai, mas eu acho que posso entendê-la. As vezes meu pai chegava tarde da noite por causa da Bastille. Se meu pai não fosse a pessoa mais careta, eu poderia até desconfiar de outra coisa, mas não! Meu pai ama a mamãe e sinceramente? Isso é uma das coisas que eu mais admiro nos dois!

“Acho que vocês estão precisando de férias. Só os dois!” Eu disse sem pensar. Estávamos na mesa jantando. Percebi o olhar dela pra mim.

“Falei demais?” A questionei.

“Não, meu amor! Talvez você esteja certa.” Ela estava pensativa e por dentro eu estava adorando! “Mas talvez seu pai não concorde em deixar você sozinha. Você o conhece!” Prosseguiu acabando com minha felicidade interna que eu nem sabia direito o motivo da mesma.

“Rosa está aqui, mãe! Mas de qualquer forma, falei sem pensar. Foi só uma ideia.” Sorri e ela me sorriu de volta. Seu semblante ainda estava pensativo. Eu conhecia minha mãe muito bem e posso dizer que se ela quiser essa viagem acontecerá.

Terminamos o jantar e fomos para a sala de estar assistir qualquer coisa na televisão. Eu estava com vontade de ligar para ele, mas sei que não devo. Iria parecer uma louca desesperada por companhia ou coisa pior. Não queria incomodá-lo. Dei uma desculpa qualquer a minha mãe e subi, meus pensamentos não paravam de rodear o beijo que demos. Cada vez que eu o beijava, mais sentia vontade de beijá-lo.

Sentei-me na cama e após revirar tanto meus pensamentos na tentativa de esquecer Germano, percebi o quanto ele sabia sobre mim e eu nada sobre ele. Ele quase não falava de si e acho que posso me culpar por tal fato. Eu falo muito sobre mim, minhas frustrações e só agora estou percebendo o quão chato pode ser isso. Nunca dei muito espaço para ele falar de si, nunca lhe perguntei algo se quer, mas agora estou disposta a lhe conhecer melhor. Germano está me afetando de um modo que eu não sei controlar.


Povs Germano


Lili chegou toda apressada na sala reclamando de seu pai. Ela é jovem demais e não aceita ser tratada como uma e particularmente isso me fascina. Eu adorava o jeito como ela ficava furiosa por ter que obedecer as ordens do seu pai. Ela nunca foi muito chegada em obedecer, ela gostava de mandar. Seu gênio forte deixava transparecer isso de longe, mas por incrível que pareça, era fácil fazê-la se acalmar. Lili gosta de uma conversa boa e tranquila. Eu não me importava nenhum pouco em ouvi-la, mas o que me deixava mais intrigado é que ela nunca perguntava sobre mim. Ela é uma pessoa tão curiosa, gosta de saber tudo; sobre todos, o fato dela se contentar em saber apenas sobre minha faculdade e alguns namoros do passado me deixa bastante incomodado, eu diria. Isso me faz parecer nenhum pouco interessante, e isso é uma pena porque eu estou tão interessado nela.

O beijo inesperado antes dela ir embora me despertou algo que internamente eu esteja relutando contra. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...