História O Convento. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kizashi Haruno, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Sasusaku Hentai Naruhina
Visualizações 29
Palavras 988
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction O Convento. - Capítulo 2 - Capítulo 1

Meses antes...

O gorjeio das aves anunciavam o início  de uma plena e ensolarada manhã.

As seis da manhã o sol contemplava  mais uma vez aquele jardim primoroso do Convento Senju, monastério  de grande tradição e respeitável perante toda a sociedade do vilarejo de Konoha.

O estampido causado pelos calçados  era o único  acontecimento  que poderia ser notado aquela hora da manhã.

Uma mulher de pele alva e de olhos castanhos exuberantes caminhava apressadamente até  a entrada daquele ambiente de devoção  ao Senhor.

A jovem senhora esboçou  um límpido sorriso ao encontrar a silhueta juvenil parada a sua frente.

- Sakura, querida! - Puxou a menina para um robusto abraço. Afinal, era sua sobrinha. 

A princípio, doce e inocente, filha de sua irmã  caçula. A pequena moça  de cabelos róseos, olhos tão  reluzentes como esmeraldas, de lábios  rubros de rosa e pele tão  alva quanto a sua.

- Senti saudades, madre superiora. - Disse a donzela, sabia que ali, não  deveria tratar a mais velha com informalidade, pois estava entrando em ambiente que não  lhe era cabível  para tal.

- Você  aprende rápido, minha menina. - Respondeu, assim que se desvencilhou do aperto da mais nova. - Fico extremamente  feliz que tenha optado a seguir esse caminho.

- É  uma chance de recomeçar. - Disse a rosada, lançando  um mínimo sorriso. Afinal, seus erros do pretérito ainda eram como focos de incêndio  que infestavam a sua mente, quase que subitamente.

- O Senhor sempre nos mostra a direção, e nos acompanha  em cada plano de nossa vida, e contigo não  serás diferente.

- Amém! - Sussurou  a jovem.

- Vamos entrar, estava a sua espera. - Proferiu a  madre.

A jovem moça  concordou e por ali seguiu os passos de sua tia Tsunade.

[...]

- Então, às  seis da manhã  naquela Capela que lhe mostrei.

- Certamente. - A Haruno lançou  um sorriso.

Assim que a superiora se retirou a pequena virtuosa soltou um longo suspiro de satisfação, pois mais uma vez a sua máscara  era deveras convincente.

- Agradeço... - Sussurrou para si. - mais uma vez...

Sua compostura retornou assim que se sucederam leves batidas na porta.

- Entre. - Pronunciou  docemente.

Uma mulher de olhos incrivelmente  perolados e estatura  mediana adentrou o local, vestida no habito, segurando vestimentas lilás  em ambas as mãos.

- Desculpe incomodar, vim lhe trazer seus trajes. - A mocinha ofereceu para rosada  seu melhor sorriso  que fora retribuído  a altura.  - A propósito, sou a irmã  Hinata.

- Sou Sakura. - Repondeu a rosada.

- Fico imensamente feliz, que mais uma jovem tenha escolhido esse caminho de bênção. - Siciou a religiosa.

- É  uma grande escolha... - Murmurou a rosada.

- De fato. Precisa de ajuda ? - Indagou evidenciado a mala sob a cama, que ainda encontrava-se fechada.

- De modo algum, não  quero atrapalhar os seus afazeres.


- Imagina, quero lhe auxiliar no que for preciso. -  A perolada sorriu novamente.

- Aceito sua ajuda. - A Haruno lhe devolveu  o sorriso e caminhou até  a sua bagagem para iniciarem a tarefa.

Em todo o ofício trocaram poucas palavras, Hinata ora ou outra perguntava onde deveria guardar alguns pertences, como cadernos, livros e peças  íntimas. Sakura  questionava sobre as dependências  e rotinas do convento, tal para permanecer o mais longe possível  de problemas.

Após  o término  sentaram-se no  sofá  no quanto direito do pequeno quarto bege.

- Quantos anos tem? - Indagou Sakura com curiosidade. 

- Vinte um, e você? 

- Vinte. - Suspirou pesadamente. - O que faz aqui, irmã  Hinata? - Perguntou genuinamente.

Graças ao seu senso observador, notara que Hinata não  era quem aparentava ser, toda aquela ternura  e felicidade eram tão  lubridiadora quanto a dona.

Sakura notou a jovem franzir o cenho, como avaliace minusiosamente a pergunta, poucos segundos depois a perolada sorriu.

- Ora, sou uma jovem que escolheu de coração  puro ser devota ao Senhor. - Respondeu.

- Claro. - Disse a rosada.

- E você?  - Rebateu com um misto de curiosidade.

- Mudança  de vida. - Respondeu de modo
direto.

- Entendo. Mudei minha vida radilcamente quando resolvi vir para cá. - A noviça suspirou. - Mas não  me arrependo de nada. - Ela se levantou e sorriu abertamente. - Tenho que voltar aos meus afazeres, nós  vemos depois, irmã  Sakura.

- Ótimo, irmã  Hinata. - Sakura levantou  e retribuiu  ao abraço  da perolada. - Que você  tenha um dia abençoado.

- Nós  teremos. - Sussurou.

Novamente  elas se despediram, e a rosada sentou-se no para-peito da janela olhando diretamente  para campina que se estendia até  um muro alto, construído  de rochas.

Um sorriso malicioso formou-se nos lábios  da rosada ao ver novamente  a noviça  dos olhos perolados regar as roseiras com uma felicidade sem igual, enquanto cantava um belo louvor. 

- Deveria esconder melhor o chupão  que levou, irmã  Hinata. - Murmurou para si.

Afinal, Sakura havia notado enquanto arrumavam seus pertences, a marca  arroxeada com um formato tanto que peculiar.

Aquela ali, sabia vestir-se muito bem, a máscara  lhe caía perfeitamente  bem.

" Terei uma ótima  estadia aqui..." Pensou por fim.

[...]

Naquela mesma noite a recém  chegada noviça  caminhava pelos corredores extensos do convento.

Sua estrutura arcaica exibia seu preceito. Era um ambiente deveras belo.

Apenas os passos da Haruno eram o ruído  audível, por mais cautelosa fosse. Afinal, em sua primeira noite já  quebrará umas das regras.

Suspirou pesadamente, pois não  havia encontrado nada que lhe despertasse  seu interesse.

Enquanto retornava aos seus aposentos, escutou pequenos ruídos provindos do corredor na área leste.

Esboçou um sorriso ladino, pois aqueles ruídos  eram de pura luxúria, consumados em um ato profano, ainda mais para aquele ambiente. 

- Até  que esse convento não  será tão  tedioso... - Murmurou  para si.

Desviou o caminho de volta ao quarto. A rosada  sabia que aquele ainda não  era o momento de encontrar o que lhe era propício, pelo menos não agora. 


Notas Finais


Bye bye!!
Beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...