História O Corvo - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Akitoki Houjou, Ayame, Inu no Taishou, Izayoi, Jaken, Kaede, Kagome Higurashi, Kagura, Miroku, Rin, Sango, Sesshoumaru, Toutousai
Tags Rin, Sesshoumaru
Exibições 95
Palavras 1.366
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


“Respirar fundo e ir à diante. Esses são os meus passos de agora, os próximos eu vou descobrindo pelo caminho.”
― Grace Kaller

KD Frases

Capítulo 16 - Origem Karasu e Magoas do Passado


Fanfic / Fanfiction O Corvo - Capítulo 16 - Origem Karasu e Magoas do Passado

No capitulo passado:

 

 

 

- O seu corvo não está aqui Keyne. _Fala este sorrindo de canto.

 

 

- Irie... _ Assustada.

 

 

_Olá Keyne.

 

_ O que você fez com a minha filha? Séria.

 

_Nada demais, eu apenas ajudei uma bela jovem a se levantar. Até onde eu sei isso não é pecado, não é? Sorrindo malicioso.

 

 

Keyne  olha assustada, virando as costas em seguida. Antes que ela se vá Irie fica em frente a ela.

 

 

_ Não se preocupe o cachorro vai encontrá-la, dizem que os cachorros possuem faro forte. Sério

 

_Juro que não entendo o que você quer Irie, mas por favo deixe a minha filha em paz. Já basta o pai dela ter voltado, estamos envolvidos em uma grande confusão, eu te imploro não faça a minha filha sofrer, por favo. Com os olhos marejados

 

Irie a olha e sorrir de canto, em seguida abre suas asas e segue pelo céu. Keyne sai praticamente correndo para a saída da escola.

 

 Um pouco distante da aquela escola, Sesshoumaru caminhava seguindo o cheiro de Rin, Cora havia ligado e informado tudo que havia acontecido.

 

_O que ele quer agora... Sério.

 

 

Sesshoumaru sente um cheiro peculiar no ar e corre rapidamente até ele, chegando em uma caverna que ficava no final de um parque de pinheiros. Essa caverna era temida pelas pessoas, pois corria um boato, que quem entrasse nela teria um azar imenso, além de que coisas estranhas aconteciam dentro dela. Sesshoumaru entra nesta sem ao menos pensar, mas para ao vê uma cena de horror. Ele encontra Rin se rastejando tentando sai da caverna, uma gosma negra habitava no corpo de Rin. Em suas costas havia um pequeno par de asas negras, os olhos de Rin estavam totalmente negros. Rapidamente Sesshoumaru a pega no braço e sai da aquela caverna sombria, ao ter contato com a luz Rin se esconde no paletó de Sesshoumaru. Mesmo notando que isso a incomodava ele prossegue até chegar ao lago, onde ele entra na água juntamente com ela. Os dois mergulham tirando assim aquela gosma do corpo de Rin, assim as asas somem.

 

 

_Sesshoumaru... Com a voz tremula.

 

_Eu estou aqui Rin, estou aqui. Carinhoso.

 

_ Eu não sei o que aconteceu, só vim parar aqui. Tremula

 

_Deixe que eu resolva isso. Quero que você descanse, tudo ficara bem no final.

 

_ Eu apenas te trago trabalho, mesmo nessa época. Fechando os olhos.

 

 

Sesshoumaru beija os lábios de Rin, após voa para a sua casa. A noite chega Rin estava descansando no quarto, Sesshoumaru havia saído para resolver algo que o perturbava. No salão Keyne estava um pouco apreensiva, até...

 

_Finalmente você chegou! Brava.

 

_Calma, calma... Já cheguei Senhora Karasu!

 

_A sua filha sofreu um atentado por sua causa, o mínimo que eu pedi foi para você chegar cedo! Mas você sempre faz isso. Brava

 

 

_ Você é ridícula mesmo! Eu cuidei da Rin desde que ela era um bebê, sei muito bem o que é melhor para a minha filha. Agora vamos subir! Bravo

 

 

Este sobe irado, Keyne vai atrás dele. Ao chegarem ao quarto Rem se aproxima de Rin e toca seus cabelos com carinho, no mesmo instante ela acorda e sorrir ao vê o pai.

 

 

_Papai... Sorrindo

 

_Olá minha hime. Carinhoso

 

 

Os dois se abraçam forte, e Keyne enxuga as lagrimas que estavam caindo sem permissão dos seus olhos.

 

_O Sesshoumaru não quer te vê aqui papai, mas eu não me importo, seja bem vindo. Vocês dois estão juntos? Sorrindo.

 

 

_Temos que está nesse momento minha filha. Fala Keyne a fitando

 

_ O que está acontecendo papai?

 

_Vamos falar sobre a nossa família. Sério

 

_Nossa família?

 

_ A origem Karasu. Sério

 

Os dois se sentam em frente à Rin e suspiram.

 

_ Nossa raça youkai é a mais antiga de todas, com isso é rara. Só existem cinco de nossa raça. Eu, você, seu pai, seu tio e o Irie. Aquele garoto que te encontrou se chama Irie, ele é a origem da nossa raça. Fala Keyne.

 

_ Há cinqüenta mil anos atrás, quando os youkais estavam tentando exterminar a raça humana, uma doença se espalhou pelo mundo. Acabo destruindo uma parte dos youkais e humanos, porém foram os humanos que sofreram mais. Em uma aldeia pequena varias crianças ficaram sem famílias e se refugiaram na floresta e acabaram servindo se alimentos para os youkais.  Fala Rem

 

 

_ Um garoto foi largado na floresta pelos pais que estavam aponto de morrer. Ele encontrou um youkai, um corvo. Os dois estavam lutando para viver e fizeram um pacto, juntaram o restante de suas vidas e se tornaram um só. O elo entre os dois fizeram a doença sumir e a paz reinou por enquanto, o youkai que surgiu dessa união foi o Irie. Este é um homem mau Rin, ele é repleto de ódio e malicia, mesmo se unindo pra algo bom, ele fez algo terrível. Ele matava youkais e bebia o seu sangue, para impressionar os outros monstros. Mas no fundo ele queria poder, para assim preencher o vazio do abandono. Ele não aguenta vê ninguém feliz Rin, por causa dele eu tive que me afastar de você, assim que você nasceu. O Irie me deu um poder imenso, mas também tirou a minha alma. Na aquela época eu pensava que se tivesse poder poderia cuidar melhor de você, mas não foi isso que aconteceu.

 

 

_ O Irie passou sua herança genetica para o pai da sua mãe e depois para a minha mãe. Ambos casaram com humanas, da sua família paterna os dois irmãos herdaram os poderes, mais da sua mãe ela foi a única a tê-los. Graças a esses poderes, ou, melhor maldição coisas ruins aconteceram a nossa família, o Irie nós amaldiçoou apenas para acabar com a nossa felicidade. Yumiko me despertou, mas foi o Irie que me devolveu esses malditos poderes, ele é o nosso ancestral.  

 

 

_ Estamos amaldiçoados é isso? O abandono da família causou essa dor nele... Os fitando

 

 

_ Existem pessoas que por passarem por uma dor, se fortalecem com ódio. Como aqueles que eles odeiam não existem mais, eles se vingam nos outros. Por isso tenha cuidado Rin, o Irie não é uma pessoa que você tem que ter pena e sim medo. Fala Keyne

 

 

_O que vocês planejam fazer? Eu não sei o que ele quer, mas pelos seus olhos ele não está querendo apenas brincar conosco. Os fitando

 

_Principalmente agora que duas pessoas estão para chegar. Fala Rem tocando o ventre de Rin.

 

_ O que você está querendo dizer com isso pai? Com os olhos marejados

 

_ Você está grávida Rin precisamente três semanas. Fala Keyne sorrindo.

 

_Porém em toda felicidade há uma infelicidade, o Irie quer os seus filhos. Sério

 

_ Grávida, meu filhos? Assustada.

 

_Sim, seus filhos. Sério

 

 

Do outro lado de Tóquio. No centro da floresta havia uma pequena casa, ela era inteiramente sombria. Ao redor dela havia vários pássaros mortos e se alimentando deles estavam os corvos. Sesshoumaru olha aquele cenário nojento e entra na casa batendo de frente com Irie.

 

_Oh Sesshoumaru! Em minha humilde casa! Pode entrar meu querido que presença notável. Irônico

 

Sesshoumaru nada responde e encara Irie sério.

 

_Você fala tão bem meu querido. Sorrindo

 

_Você acha que pode brincar comigo não é Irie. Irado

 

 

Sesshoumaru o pega pelo pescoço e Irie rir, em seguida se transforma em um corvo se afastando deste.

 

 

_ Eu faço o que eu quero Sesshoumaru. Por enquanto, pode brincar de papai Taishou. Logo, logo eu volto para buscar o que me pertence. O encarando

 

 

_Vamos vê quem vai brincar Irie. Com os olhos vermelhos.

 

_Estou ansioso por isso. Rindo

 

Este vai embora rindo e Sesshoumaru se transforma em um imenso cachorro e voa atrás de Irie pelo céu.

 

 

_Dessa vez você não vai fugir. Irado

 

Após a conversa com Keyne e Rem, Rin sentir algo estranho e vai até a varanda e uma luz vem aos seus olhos, fazendo-a lembrar de algo de suas vidas passadas. Ela toca o seu ventre e lagrimas escorrem dos seus olhos.

 

_Mas o Irie também é meu filho, eu não posso ter abandonado o meu filho, eu não fiz isso! Eu não fiz isso! Chorando

 

Continua..................................................................


Notas Finais


Sem previsão! Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...