História O costureiro. Kai; Kim Jongin. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Personagens Originais
Tags Kai, Kim Jongin
Visualizações 16
Palavras 1.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - "Uma única chance... Sem volta"


Fanfic / Fanfiction O costureiro. Kai; Kim Jongin. - Capítulo 1 - "Uma única chance... Sem volta"

Uma manhã cinzenta e chuvosa de quarta-feira, este clima era um dos meus favoritos... O ar puro, e o cheiro de chuva me deixava muito calma mas ao mesmo tempo alegre; neste dia avia levantado mais cedo para que eu possa levar minhas saias da escola para Kai concertar, desde pequena o mesmo sempre me tratou muito bem, ele um homem jovem, bonito não irei negar, mas nunca senti um tipo de atração alguma pelo mesmo, minha mãe fala que sou muito chata em questão de namoro, mas realmente assumo que sou assim, só que isso é algo de mim, sou seletiva... Não atirada, sou muito maliciosa, mas não safada; meu pai também diz que sou muito nova pra tais coisas, e eu completo dizendo que não estou interessada agora no assunto.

Sai de casa em direção a casa do costureiro e logo ir a escola, o céu estava não muito bonito na visão de muitos, mas pra mim era uma das únicas coisas maravilhosas que poderia ver ao vivo todas as manhãs; subia a escadaria do lugar em que Kai morava, ele não teve um passado muito bom na adolescência e principalmente na infância, meu pai diz que não é muito bom tocar nesse tipo de assunto com o mesmo, ele não me proibiu de conversar com ele ou até mesmo de falar sobre isso, mas é que meu pai sabe que isso é chato pra Kai, então as vezes é melhor evitar, também penso o mesmo, confesso que fico curiosa em sabe mais sobre ele, mas repenso é deixo pra lá, ele não morava lá em lugar muito bonito, era um prédio grande, que nos fundos avia um portãozinho que era a entrada para sua casa no último andar, não era de luxo, um lugar simples que passava uma aura estranha, mas não incomodava muito; toquei a campainha duas vezes e o aguardei descer as escadas, depois de um tempo o vejo descer.

Kai : Olá Kana, de novo se meteu em briga?

Dei uma risada de leve e lhe respondo.

Eu : Não tenho culpa se sou tão famosa assim.

Ele abre o portão me dando passagem para entrar.

Kai : Vamos?

Olhei pro mesmo e abri um sorriso calmo.

Eu : Tenho que ir pra escola, só vim deixar isso mesmo.

Estendi a sacola com as saias para ele, ele encara as sacolas, estendeu o braço para pegá-las mas sou surpreendida com o mesmo me puxando pra dentro.

Kai : Deixa de ser chata, ainda é 6:40 da manhã, você entra 8 horas...

Kai fecha o portão e se direciona pra mim pegando em meu queixo encarando-me.

Kai : Ou está planejando aprontar algo antes de entrar pra escola?

Eu : Quem disse que planejo entrar pra escola hoje?

Ficamos nos olhando por um tempo até darmos risada.

Eu : Tô brincando.

Kai : Eu sei, bom agora pode subir pra eu ver o que faço com isso.

Ergueu a sacola fazendo "referência" a mesma.

Eu : Estou de Saia... Se eu subir na frente irei lhe dar uma visão bem desconfortável.

Ele ao escutar aquilo me olha mordendo o lábio inferior.

Kai : Você é bem espertinha ein!?

Começou a subir as escadas e eu logo fui atrás.

Kai : Você definitivamente e idêntica ao seu pai.

Eu : Sai de dentro dele, como não puxar tal beldade.

Escutei suas risadas, Kai toda vez que ficávamos só nos dois me tratava desta forma, mas sempre arranjo um jeito de dar um "chega pra lá" nele, entrei pra dentro de sua casa, dei uma olhada e vi que era pequeno, mas o suficiente para uma pessoa morar.

Kai : Senta.

Assenti e me sento em uma poltrona que tinha do lado de sua cama.

Eu : Hoje tem ensaio da banda?

Kai : Tirei uma semana de férias finalmente junto a Lay Sehun...

Disse enquanto preparava a máquina.

Kai : Eita garota, ela ferraram com 4 saias suas? Em quantas brigas você se meteu?

Sorri tranquilamente pra ele e lhe respondi meia rouca sem intenção.

Eu : Em 5, a primeira das 5 foi de boa... Agora as outras 4...

Respirei fundo e escutei sua risada nasal...

Eu : E como está Xiumin?

Ele para um momento o que estava fazendo se costas pra mim... Ficamos em um momento de silêncio mais incomodo para mim.

Eu : Eu fiz algo de errado em perguntar isso?

Kai : Sim!

Me assustei com sua resposta rígida e repentina.

Eu : Ok... Quando voltar da escola passo aqui para buscá-las....

Falei já ao lado da porta apontando para as saias em sua mão.

Kai : haa me desculpe se eu te assustei, e-

Eu : Você não meu assustou... E muito menos me surpreende Kai... Sei que quando disse aquilo era o que realmente queria falar... E há muito tempo provavelmente o que sinto pelo Xiumin vem lhe irritando.

Ele me olha de uma forma tenebrosa que me fez engolir saliva.

Kai : Kana...

Ele se retira de trás da mesa de costura com as mãos no bolso, o encaro sem dificuldade alguma.

Eu : Oi?

Kai : Por que não.... 

Chega perto do meu ouvido, sem me mexer escuto o que avia pra dizer.

Kai : Não cumpriu o que disse?

Senti a porta atrás de mim ser aberta, dei uma risada abafada, chego em seu ouvido e susurro.

Eu : Porquê tinha um babaca me atrapalhando.

Me afastei dele e fui embora.

(...)

Já estava dentro de casa, acabado de tomar um banho quente e colocado uma calça moletom da adidas e uma blusa bege de manga cumprida sem marca.

Eu : MÃE! JÁ TÔ INDO!

Não obtive resposta, sem me importar fui até a casa de Kai buscar minhas coisas.

(...)

Kai : Me desculpe pelo o que aconteceu hoje de manhã...

Me entregou uma xícara de chá logo em seguida se sentando a minha frente.

Eu : Ok...

Kai : Um "ok" não é o suficiente.

O olhei seria.

Eu : Então o que é suficiente para você?

Kai : Isso.

Antes mesmo que eu pudesse ter alguma reação, Kai pega em minha nuca de modo firme e da início a um calmo e delicado, o empurrei fazendo o mesmo voltar a se sentar.

Eu : Já vou indo.

Peguei a sacola e dei passos rápidos até a porta, mas Kai me puxou me sentando em seu colo, ele me abraça pela cintura me fazendo sentir as "curvas" de seu membro e peitoral, arranhei seus braços me debatendo.

Eu : Me solta Jongin!!

Sinto sua respiração contra minha nuca, e o baforar de suas falas contra as mesma.

Kai : Mesmo se eu te deixasse ir... Não teria ninguém em sua casa para lhe colocar pra dentro.

Eu : Q-

Antes que ao menos pudesse terminar a fala, Kim me joga em sua cama colocando minha mãos presas pra cima de meu corpo.

Kai : Agora você é minha.

Disse dentre tentativas de voltar a me beijar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...