História O Crush - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun
Tags Amor, Chanlu, Crush, Jongin Uke, Kai Passiva, Kaisoo, Kyungsoo Seme, Layhun, Me Nota Senpai, Para Você Lay, Quase Crackfic, Romance, Sexing, Sookai, Talvez Um Revezamento
Exibições 1.287
Palavras 1.884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha quem demorou dhshje
Espero que gostem do capítulo, tentem prestar atenção em uma coisa, pois é isso que vai dar continuidade a fanfic.

Boa leitura e desculpem os erros.

Capítulo 20 - Parabéns JongIn


Domingo.




— Esse arocha é pra você que achou que eu tava ali sofrendo, Uh vai vendo. — Sehun começou a cantar enquanto a gente limpava a cozinha. — Esqueci o resto da música.


— graças a deus. — murmurei.


— Tá chatinho meu amor, qual o problema? 


— Minha mão que ainda não foi de encontro com essa sua cara de merda. 


— Ui, tá chato mesmo. — ele riu. — Yixing está nos esperando lá na esquina.


— Porque não aqui em casa? — perguntei limpando minhas mãos. 


— Ele disse que só vem aqui quando for para me pedir em namoro. — ele riu. — Não sabia que o Yixing era tão gay assim. 


— Você também é super hétero né? Você quer que ele venha aqui pedir sua mão em namoro que nem uma menina virgem.


— Mana eu posso ser menina, mas não sou virgem. — Sehun balançou a cabeça como se estivesse jogando os cabelos para trás. — Vem logo. 


— Eu odeio isso! — antes de abrir a porta Krystal entrou com tudo.


— eita caralho. — murmurei. 


— o que foi emo? — Sehun perguntou. 


— Eu tenho cara de lésbica? 


— Lésbica tem cara? — perguntei e Sehun deu de ombros. — tipo, "porra hoje você tá tão cara de lésbica." 


— Que nem cara de gay e bi. — Sehun riu. — Tem também cara de travesti, não acho ofensa porque tem uns travestis que dão de dez a zero em algumas mulheres. 


— Olha, eu só odeio quando dizem que eu sou machinho por ser lésbica e quando me chamam de lésbica como se isso fosse ofensa pra mim, tipo, ser lésbica não é ser um homem. — Krystal disse e eu concordei. — Que nem ser gay não quer dizer que você tem que ser totalmente feminino. 



— O assunto ta legal e bonito, mas precisamos ir. — Sehun disse me empurrando. — E não liga pra isso, Krys, só liga o foda-se. 




-x- 



— Quer que a gente participe da conversa, filho? — Sehun perguntou e Yixing riu.


— Te lasca, cacete. — eu disse indo até o KyungSoo. — Fica por aqui, vai que dá ruim eu pelo menos tenho vocês dois.


— Os papais amam você. — Yixing disse e Sehun assentiu.


— Cara, eu odeio vocês, misericórdia. 


Fui andando até KyungSoo que estava em um dos bancos da praça, de burro olhei para trás, Sehun e Yixing faziam sinal de 'joinha' para mim, eu não mereço isso. Me aproximei de KyungSoo e ele sorriu quando me viu, se afastou me dando espaço para sentar. 


— Sabe, eu sempre reparei em você e em como você era engraçado. — ele disse e eu quase me joguei no chão e gritei para jesus me levar. — Sempre calado, mas quando estava com Sehun parecia não parar quieto, as pessoas acham que por eu ser um dos jogadores não percebo ninguém que não esteja no meu ciclo de amigos, mas eu sempre te percebi JongIn, na realidade não tem como te perceber. 


— Obrigado? — perguntei confuso e ele riu. 



— Quando eu achei o diário minha primeira reação foi achar que era brincadeira, sei lá, mas lendo eu percebi que não era apenas uma pessoa escrevendo seus momentos, mas sim pondo seus sentimentos. — puta merda, o ar ta faltando, cadê meus pais? Sexing pais, eu preciso de vocês! — Eu não imaginava quem era, no começo não, mas com o tempo eu fui ligando os pontos e eles me levaram a você. 


Meu jesus, agora é que eu me fodo e não de um bom jeito. 


— E-eu ... Me desculpe KyungSoo, eu juro que não queria e- 


— Por quê? — ele perguntou. — Porque você não falou comigo? Ou disse logo que o diário era seu, nesse tempo eu estava esperando JongIn, tanto é que na festa eu não deixei as coisas avançarem porque lembrei que você estava me escondendo isso, eu não gosto de mentiras.


— Eu não menti, eu omiti um fato. — murmurei. — KyungSoo você acha que eu teria coragem de dizer que escrevi aquelas coisas? Que eu escrevi tudo aquilo? É vergonhoso até estar perto de você e saber que você leu tudo aquilo, leu cada parte que eu falava sobre você, leu sobre o quanto eu te acho bonito e leu quando eu descrevi meus sonhos com você, eu sou bem cara de pau, mas não tanto assim. 


— Não estou falando só do diário, estou falando de você vir e falar comigo, conversar. 


— Você leu todas as páginas? — perguntei e ele assentiu. — Leu aquela que eu falei sobre ser invisível? Que você era intocável para mim? 


— Li, e não acredito nisso. Eu passo para os outros que sou intocável? 


— Você é como um Deus, KyungSoo. — ri baixinho. — Falar com você era a última coisa que eu imaginava, eu poderia dizer que iria tentar, mas não iria conseguir porque não tinha forças.


— Tudo que está no diário é verdade, não é? — assenti. — Certo. 


— Certo? 


— Sim. — ele me entregou o diário. — Nos vemos amanhã. — ele beijou minha testa e se levantou. 


— Quê? — fiquei olhando pro nada. 



-x- 


— Você quer um cachorro? — Yixing perguntou a Sehun. 


Depois que KyungSoo me deixou ali na praça que nem um idiota que levou o fora, chamei Sexing para ir embora e Sehun mesmo sendo um imbecil, percebeu que eu não estava para brincadeira, por isso não fez piada ou disse que eu poderia ir sozinho, ele e Yixing apenas me abraçaram pelo ombro e começaram a andar comigo assim.


— Aquele apartamento é silencioso demais, Yixing. — Sehun disse, eu ainda estava no meio dos dois. — Podia comprar um cachorro.


— Vamos fazer assim, quando a gente terminar o ensino médio e você for morar comigo naquele apartamento, eu te compro até um coelho. — Yixing disse e eu acabei rindo. — Nosso filho aprovou. 


— Ai Xing, temos que arrumar o quarto pro JongIn. — Sehun disse e suspirou. — eu vi uma cama rosa choque linda. 


— Yixing, fode o Sehun. — eu disse. 


— Menino, eu não te eduquei assim, olha o respeito. — Sehun disse. 


— Brincadeiras a parte... — Yixing disse sério. — Não quer conversar sobre o que aconteceu com o KyungSoo? 


— Não, pai. — eu disse e ele riu. — Sério Lay, não quero falar.


— Gente, desculpa atrapalhar o momento pai e filho. — Sehun murmurou. — Tem um carro nos seguindo, Yixing salva o JongIn! 


 — Você ta levando a sério esse negócio de Mãe. — eu disse. — Não tem carro nenhum.


— Olha para trás, disfarçadamente. — Sehun disse baixinho e eu me virei. — Disfarçadamente, cacete! 


— Quando eu falar três a gente corre. — Yixing disse me soltando. — TRÊS! 




-x- 


— Yixing eu tô morrendo. — Sehun se jogou no chão da sala e eu me sentei no sofá ainda tentando respirar direito. — Não esquece que eu te amo. 


— Também te amo, bebê. — Yixing se jogou ao lado de Sehun. — Que porra foi aquilo? Eu não quero vocês saindo de casa tão cedo.


— Olha pai, não sei se você esqueceu, mas não tem como. — eu disse me deitando no sofá, ainda bem que não deixei cair o diário. 


— Foi a primeira vez? — Yixing perguntou e Sehun assentiu se deitando por cima do namorado. — Amor eu estou todo suado. 


— Já fiquei em cima de você depois de gozar, isso não é nada. 


— Sehun tu não presta, caralho. — eu me levantei do sofá. — Tô indo pro quarto, acho bom levar o Yixing para o seu porque a tia deve estar para voltar com a Suhyun e o BaekHo.


A primeira coisa que fiz ao entrar no quarto foi me jogar na cama, domingo nunca é um dia legal, sempre soube. Olhei para o diário e minha vontade era jogar essa porra longe, ele me meteu nisso tudo, nessa bagunça e para o KyungSoo uma mentira.


— Eu sou um puta azarado, KyungSoo poderia sei lá, ter me dado uma chance? — me sentei e abri o diário. — Agora ele sabe que eu escrevi essas coisas, e ainda não me disse nada de concreto. — comecei a passar as páginas e uma me chamou atenção. — Nunca escrevi com caneta preta. 



"Kim JongIn, nome tão bonito e cheio de significados para mim, ou apenas um: a pessoa perfeita. 

Acho que eu comecei a te observar de longe assim que você entrou na escola, cidade pequena não é? Sabemos quem é quem. Você entrou junto com o Sehun e nunca estudamos juntos, por mais que esse sempre tenha sido o meu querer, Chanyeol sempre brincou dizendo que você era meu crush, teve até uma época que ele teve um crush em você, mas não deixe Luhan saber disso, ele é pequeno e fofo, mas sabe virar um leão quando alguém dá em cima do seu Channie. 

Gostava de te observar de longe, o jeito que você ria quase caindo quando lanchava com Sehun embaixo daquela árvore. O jeito que você modia o lábio ao passar por alguém sem querer ser notado, mas eu te notava, você que não percebia. 

Sabe, quando eu falei com você pela primeira vez quase tive um ataque do coração, mas tentei me manter calmo em sua frente. Quando ficamos presos no banheiro, minha vontade era te beijar como se em seus lábios tivesse a único água do mundo depois de anos no deserto, pois eu necessitava sentir seus lábios e eu senti, e como eu gostei e como eu quero mais, eu preciso de mais, preciso de você. 

Você sabe o meu número, só me ligue quando tiver entendido tudo. " 


— SEHUN! AONDE VOCÊ DEIXOU O MEU CELULAR!? — gritei sentindo minhas mãos tremendo. — É UM CASO DE VIDA OU MORTE, VOCÊ PODE MORRER SE NAO ENCONTRAR!


— Tá aqui. — Sehun entrou no quarto com o celular na mão, ele estava apenas com um calção e com algumas marcas vermelhas pelo corpo. — O quê? Nunca transei com o Yixing na minha cama, há desejo pra tudo que é gosto. 


— Me dá isso aqui. — Puxei o celular da mão dele. — Eu espero que ainda tenha crédito.


— Eu não gastei, se não tiver a culpa é da Suhyun que trocou de crush e pega seu celular pra ligar pros boy. — Sehun disse saindo do quarto. 


— KyungSoo. — disse assim que ele atendeu, só escutei sua risada e de novo eu me joguei na cama. 


"Achei que ia demorar, meu anjo." 


Eu nem estou me contorcendo na cama como uma menina sentindo cólica, que isso. Tô bem normal, só querendo gritar pro mundo o quanto KyungSoo me deixa seco quase na beira da morte.


"Ei, tem uma coisa que eu não escrevi" 


— O q-quê? — isso porra, gagueja, imbecil. 


"Eu gosto de você." 


Acho que morri. 


— SEHUN ME AJUDA, EU TÔ MORRENDO! KYUNGSOO GOSTA DE MIM, CARALHO!


— E EU TÔ PRA FODER! MEUS PARABÉNS FILHOTE, EU E SEU PAI ESTAMOS FELIZES, AGORA SE CALA! — ele gritou de volta e eu lembrei do celular. 


Parabéns JongIn, KyungSoo escutou.



Notas Finais


AMO VOCÊS, ATÉ MAIS 💕😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...