História O dançarino do luar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Lemon, Taikomochi, Yaoi
Exibições 28
Palavras 1.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HI GUYS
Bom... essa é minha primeira fic TuT To tão emocionada, nem sei oq dizer!
Estou postando esse capitulo como teste, afinal, só vou continuar se vocês quiserem <3
Se houver algum erro, perdão :,D
O primeiro capitulo é bem curtinho mesmo por ser uma "introdução",
mas vou tentar aumentar o tamanho nos próximos.


Bom leitura s2!

Capítulo 1 - Capitulo 1 - A Surpresa da floresta


~~~~Jungkook Pov’s On~~~~

 

Estava caminhando novamente. Poderia dizer que era normal me encontrar nessa situação: Cansado, irritado, e com as roupas rasgadas enquanto andava naquela rua de terra próxima á minha casa.

Havia acabado de brigar novamente com meu pai, um "grande" senhor feudal e dono de terras dessa região. Ele é muito conhecido, respeitado e principalmente invejado junto com nós, seus "honrados" filhos. Porém para mim, não acho que ter um pai que rouba terra de outras pessoas seja algo para se gabar de fato.

Enfim, novamente o mesmo estava tentando me convencer que eu deveria ficar com a maior parte das suas terras como herança já que sou o filho mais velho, mas como sempre, acabou em briga. Sempre me recuso a aceitar e meu pai sempre perde a cabeça quando faço isso, ele diz que eu deveria parar com minha bondade exagerada e que deveria começar a agir como um digno filho de senhor feudal em seus plenos 20 anos.

Após a briga, resolvi sair para caminhar de noite como sempre faço para me acalmar. O som fraco do vento balançando as folhas das arvores, longe daquelas luzes vermelhas irritantes da cidade, apenas na companhia da lua e das estrelas junto com os sons da natureza, era para mim, simplesmente o melhor cenário do mundo.

Caminhei um pouco até chegar próximo á uma floresta e adentrar a mesma, chegando num pequeno lago cristalino que ficava por entre os grandes pinheiros, ali o som era praticamente isolado por conta da grande quantidade de folhagem em volta, e a beleza da claridade que passava por entre as folhas, se refletindo no lago, era digno de uma obra de arte.

Juntei algumas folhas secas que estavam espalhadas pelo lugar e me sentei apoiado numa pedra, aparentemente presa ao chão. Olhei ao redor para me certificar de que estava sozinho, e após confirmar, peguei meu pequeno livro rabiscado.

Sempre que ia ali, gostava de desenhar o cenário ou até mesmo tentar escrever algumas canções para passar o tempo e esquecer os problemas. Era uma ótima forma para me desestressar, algo que eu realmente procurava no momento.

Agora, estava desenhando uma pequena borboleta que havia pousado sob algumas plantinhas que ficavam beirando o lago, era algo simples, delicado e realmente bonito, extremamente diferente do resto das coisas que sou obrigado a aturar durante o dia a dia.

 

Completamente diferente.

 

Estava prestes a finalizar o desenho quando ouço uma voz fraca vinda de dentro da floresta, logo me assustando e me fazendo levantar bruscamente com o livro em mãos.

Um pouco assustado, continuo ouvindo a voz que agora parecia estar cantando melodicamente uma musica que eu não conhecia. Era uma voz suave e surpreendentemente hipnotizante, o suficiente para me deixar curioso ao ponto de sair procurando sua origem.

Parece idiota fazer isso, afinal nunca se sabe o que posso encontrar. Não que eu tenha medo ou coisa do tipo, mas viver rodeado por lendas de criaturas hipnotizantes que enfeitiçavam pessoas e as matavam, definitivamente não ajuda.

 

Afinal é uma fucking voz vinda do meio de uma floresta que á momentos atrás aparentava estar vazia.

 

Continuei me aproximando do som que aumentava conforme meus passos, e quando percebi, estava próximo a um pequeno campo florido com algumas pedras e uma arvore  no centro. A voz parecia vir de lá, porém por mais que eu tentasse encontrar, tudo que via eram pétalas voando.

 

Ah que legal Jungkook, além de uma “decepção” para sua família, também é um paranoico.

 

 Estava quase desistindo e indo embora, porém, foi então que paralisei.

 Lá bem no meio do campo, como se tivesse surgido da arvore, havia um garoto. E não era um garoto comum, suas vestes denunciavam que, se ele não era um espírito, com certeza era um Taikomochi. Além de possuir grandes chinelos de madeira por sua pequena estatura, ele trajava um kimono azul claro com algumas flores brancas em sua borda, feito de um tecido aparentemente leve, pois praticamente voava enquanto o jovem dançava.

Aquela imagem se encaixava perfeitamente na aparência daqueles famosos artistas japoneses das casas de chá.

Ele segurava numa mão, um pequeno leque da mesma tonalidade do kimono, e na outra, segurava uma espécie de guarda-chuva, e a leveza com que ele dominava os mesmos era admirável. Era algo delicado e ao mesmo tempo sensual, como se quisesse realmente me hipnotizar e depois me matar, tipo naqueles contos de pescador.

Não conseguia ver seu rosto por conta da sombra projetada ali graças á arvore e a luz da lua, mas sua voz me fazia querer me aproximar cada vez mais, além de sua dança que, por conta das pétalas que voavam ao seu redor, realmente o fazia ter uma aparência quase angelical.

Estava completamente admirado com aquilo, porém como sou um gênio, fiz a maior cagada que poderia fazer no momento: Pisei em um galho.

Xinguei-me mentalmente de todas as formas que possíveis ao ver que o garoto se assustou e parou bruscamente sua pequena apresentação secreta, olhando apreensivo para minha direção.

Foi então que, para meu desespero, ele aparentemente me viu. Ao ver que o mesmo iria provavelmente gritar ou algo do tipo, andei para frente a fim de acalma-lo e dizer que não faria nenhum mal, porém antes que eu pudesse dizer algo, fui interrompido.

-NÃO SE APROXIME! – Ele gritou, e pelo seu tom de voz, provavelmente se pudesse ver seu rosto, o mesmo estaria apavorado. Não tive tempo para dizer nada, pois após gritar, o mesmo saiu correndo floresta á dentro.

Resolvi ir embora ao invés de segui-lo e assusta-lo mais ainda, afinal ele poderia pensar que eu estava o espionando, e isso não seria bom.

 

Se bem que de certa forma era isso mesmo, ou quase.

 

 Suspirei pesadamente e passei a mão pelo meu cabelo enquanto me preparava para sair daquele campo.

E então, completamente confuso, sai da floresta indo em direção á minha casa, me perguntando o que caralhos era aquilo que havia acontecido momentos atrás e quem era aquele garoto dono de uma voz encantadora.

 

 

~~~~Jungkook Pov’s Off~~~~


Notas Finais


Bom...
Foi isso :,D
Espero que tenham gostado s2
(Se ficou algo confuso, não se preocupe pois no decorrer da fic posso explicar.)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...