História O Décimo Quinto Reino - Capítulo 43


Escrita por: ~ e ~AoNeko-chan

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Wendy Marvell, Zeref
Tags Gale, Gruvia, Jerza, Lyredy, Miraxus, Nalu, Personagens Originais, Zervis
Exibições 150
Palavras 2.769
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa pela demora gente >///< eu fiquei sem notebook e tive que fazer tudo pelo celular. Tenho uma novidade para vocês, agora tenho uma co-autora(linda) a @AoNeko-chan, mas ela gosta de ser chamada de Lis e é graças a ela que este capítulo está sendo postado hoje ^^

Lis : Pessoooaaas !! Vocês não têm ideia (acho) de como a história ta ficando legal O.O e muita emoção ser co-autora de uma das minhas fanfics favoritas T^T uashush parei. Vocês perceberam que não se passou uma semana desde a festa da Mavis e da Wendy o.O ? ENFIM ! Aproveitem o capítulo que tem altos babados, e me desculpe qualquer erro. :P

Capítulo 43 - Investigação no Reino da Noite


Ao descobrirem que o garoto da visão de Mavis, Zeref e Wendy era na verdade Ian Cheney, Laki levou Rogue e Mavis até Lahar, deixando os príncipes aos cuidados de Reddus, que procurou fazer seu melhor para entretê-los com sua magia. Tina Cheney foi chamada até a sala do comandante, Mavis reproduziu novamente a ilusão para a embaixadora da paz e, extremamente surpresos, ela e Rogue, confirmaram para Lahar que o garoto da visão tratava-se realmente do Herdeiro da coroa do reino da Noite. Imediatamente, Lahar mandou chamar Gildarts para substituir novamente Laki e ordenou que Rogue voltasse para a sala de aula, mas o mesmo se recusou terminantemente a regressar, queria ver o irmão, por mais que fosse afastado de sua família, a última coisa que queria era ver Ian envolvido com coisas daquele gênero. Depois de muita discussão, Tina responsabilizou-se pelo sobrinho e os quatro seguiram para o reino da Noite.

Chegando lá, Maesy abraçou-se à Rogue como se, daquela forma, pudesse protege-lo de toda dor e sofrimento existente no mundo, ao menos era a sua vontade. Rogue, que não esperava aquela reação, temeu que algo já tivesse acontecido ao irmão, quando soube sobre seu estado de saúde, deixou todos para trás e correu ao quarto do caçula.

Enquanto isso, Lahar, Laki e Tina conversavam com o rei Chio e a rainha Maesy tentando entender o que havia acontecido ao garoto. Após ouvir tudo o que eles tinham a dizer, Lahar mandou chamar Macbeth ao castelo para interrogá-lo, achou toda a história suspeita demais. Enquanto o comandante local, Mard Geear, seguia até a mansão de Macbeth acompanhado de Laki, Tina e Lahar subiram ao quarto de Ian para vê-lo. Encontraram Rogue ajoelhado ao lado da cama, tentava de alguma forma falar com o irmão, não conseguia acreditar que tal coisa acontecera a ele, era tão jovem e curioso, lembrava-se de todas as vezes que o enxotara de seu quarto por sempre chegar fazendo-lhe mil e uma perguntas ao mesmo tempo, as vezes ele respondia, mas na maioria das vezes se irritava com Ian e o mandava descobrir sozinho lendo algum livro como ele sempre fizera.

Arrependia-se tanto...

O tempo que vinha passando no mundo comum, estava fazendo Rogue perceber muitas coisas, dentre elas, a relação com sua família. Por tantos anos os culpou de serem frios e distantes com ele, mas, estava começando a se perguntar se não seria justamente ao contrário, se não seria ele o mais frio e distante de toda a família Cheney. Ver Ian naquele estado o fazia questionar-se mais ainda sobre isso. Rogue procurava fora, o que tinha ao seu lado e não era capaz de enxergar, ele começava a perceber isso e era sobre isso que falava com o irmão quando seus pais e sua tia entraram ali, mesmo que Ian não pudesse responder, falava na esperança de que ao menos ele pudesse ouvi-lo.

Vendo a família Cheney reunida, Lahar permaneceu do lado de fora dando-lhes privacidade e pensando em toda a história contada pelos reis do reino da Noite. Não conseguia parar de questionar-se, seria ele desconfiado demais, ou os pais de Rogue que eram extremamente ingênuos ao ponto de acreditarem em alguém que nunca nem mesmo ouviram falar?

Cerca de quinze minutos depois, Laki e Mard Geear batiam na porta da mansão de Macbeth. Foram atendidos por um garoto que aparentava ter dez anos, ou ciclos, como falavam naquele reino. O garoto acomodou os dois na sala de estar e saiu em busca de seu patrão. Laki estranhou ver uma criança trabalhando, mas lembrou-se que nos reinos do Dia e da Noite, alguns costumes do mundo antigo mantinham-se intactos e por respeito, não comentou nem questionou nada. Após sua chegada, Macbeth foi convidado à ir ao castelo e pouco depois, os três deixaram a mansão.

Chegando lá, Lahar, Laki, Tina e Macbeth reuniram-se em uma sala enquanto os demais permaneceram no quarto de Ian. Macbeth contou aos três tudo o que tinha acontecido horas atrás e enquanto Lahar enchia-o de perguntas, Laki e Tina apenas observavam. Se Lahar já estranhara a história contada pelos pais de Rogue, estranhou mais ainda a versão de Macbeth sobre o tal amigo que examinara o garoto e a explicação dada por esse amigo sobre o que Ian tinha. Lahar seguiu o interrogatório fazendo mais algumas perguntas sobre o tal amigo e como se conheceram, mas considerou as respostas de Macbeth vagas demais. Quanto mais olhava, mais tudo aquilo parecia estranho.

Após uma hora naquele inconclusivo interrogatório, Lahar ordenou que Macbeth permanecesse no castelo aguardando seu retorno. Ele mesmo foi buscar Grandeeney no reino das Fadas, era a única pessoa em que poderia confiar para confirmar o diagnóstico dado pelo
senhor McStarr.

 Nesse meio tempo, Rogue perguntou à tia sobre o que conversaram com Macbeth e assim como Lahar e Laki que permanecia com Macbeth na sala, Rogue ficou intrigado com aquela história, principalmente com o fato dele ser o professor do seu irmão e nunca nem mesmo ter mencionado que Ian corria tal risco por causa de sua magia. Não entendia de doenças mágicas, mas acreditava que um professor deveria ter a obrigação de conhecer sobre tais assuntos, algo que Tina lhe confirmou, ele precisava possuir ao menos um conhecimento básico a fim de identificar quaisquer sinais de algo do tipo no aluno com certa antecedência.

Quando Grandeeney chegou para examinar o jovem príncipe, com exceção de Rogue, todos, inclusive Macbeth, seguiram para o quarto. Aproveitando a distração, Macbeth tentava fugir sem ser notado, já ouvira falar do alto nível de competência e magia de Grandeeney, era questão de tempo até ela descobrir a farsa. Como estavam concentrados em Grandeeney nem perceberam sua ausência em um primeiro momento.

Rogue, que queria ficar um tempo sozinho absorvendo tudo aquilo, enquanto Grandeeney examinava seu irmão, o viu sair e resolveu impedi-lo. Macbeth o atacou e saiu em disparada pelo castelo iniciando-se assim uma perseguição. O fugitivo estava prestes a deixar o castelo quando Rogue o alcançou atacando-o, ataque que foi desviado rapidamente, deixando Rogue sem entender como, ele sempre tivera a melhor pontaria de todo o reino da Noite. Mesmo não conseguindo atingi-lo o atrasou tempo suficiente para que Lahar o surpreendesse por trás colocando nele algemas seladoras de magia, decretando assim sua prisão preventiva.

Rapidamente Grandeeney constatara que aquele Ian era falso, não passava de uma projeção de pensamento, no mesmo instante todos perceberam que Macbeth não estava mais ali. Laki e Tina correram para fora do quarto preocupadas com Rogue, porém, Lahar os encontrou primeiro.

Após efetuada a prisão, Lahar levou Macabeth para a ilha, antes de ir, ordenou que Laki liderasse uma equipe de buscas na Mansão do suspeito e Rogue foi obrigado a voltar para a ilha junto com ele. Maesy não queria que ele fosse outra vez, o que deixou Rogue   extremamente surpreso, não lembrava de nenhuma vez em sua vida, vê-la chorar. Quis ficar, mas Tina o convenceu que era melhor voltar, ela ficaria com a irmã por alguns dias e também ajudaria Laki à revistar a mansão.

De volta à ilha, Rogue encontrou com os príncipes na saída da aula de Historia Real. Durante o jantar contou aos demais o que acontecera no reino da Noite e todos transmitiram suas palavras de pesar pelo desaparecimento de seu irmão, além de formularem teorias sobre o ocorrido, entraram em um consenso de que, se as visões se concretizassem realmente, era bem provável que Ian estivesse sendo usado por algo ou alguém, pois pelo que Rogue falava, o garoto não parecia o tipo de pessoa que se envolveria com coisas daquele gênero. Já no final do jantar, Evelyn apareceu no refeitório preocupada com Tina que não tinha voltado até então, soubera que Rogue tinha ido com ela e como não encontrava o comandante Lahar, muito menos Laki para dar-lhe notícias sobre o que estava acontecendo, procurou por ele para saber algo sobre Tina.

 Após conversar brevemente com Rogue, retornou ao Castelo Principal para atualizar os demais embaixadores sobre o ocorrido e uma longa reunião iniciou-se. Discutiam dentre vários assuntos, o que deviam fazer caso o garoto Ian não fosse encontrado e se deveriam ou não deixar Lahar a par de todos os acontecimentos novamente. No final das contas, o grupo ficou dividido e Tina poderia decidir a questão ou empatar os votos, teriam que esperar seu regresso.

No reino da Noite, tão logo chegaram os soldados enviados por Lahar, Laki seguiu junto com estes, Tina, o comandante local e alguns guardas do castelo para a mansão, porém, quando estavam próximos ao local, uma explosão a destruiu

Lahar que estava interrogando Macabeth no castelo dos prisioneiros, foi chamado de volta ao reino da Noite. Relutou em ir, mas ao saber que Laki, Tina e seus homens estavam feridos, deixou ordens para que ninguém além dele entrasse em contato com o prisioneiro e partiu. No castelo, encontrou vinte dos seus soldados mortos, outros quinze feridos com graves queimaduras, dezesseis com ferimentos menores, cinco desaparecidos, Tina Cheney em estado grave e Laki desacordada ao seu lado. Em meio aquele cenário caótico, Gandeeney, que fazia o seu melhor para curar a embaixadora da paz do reino da Noite e os demais feridos que estavam amontoados em frente às ruinas da mansão, enquanto alguns guardas do castelo tentavam controlar as chamas.

Lahar mandara tantos soldados assim, pois tinha fortes suspeitas de que aquilo teria haver também com o que vinha investigando, além de se tratar do garoto das visões, por mais noção que tivesse do perigo que poderia estar à espreita, não imaginava que algo como aquilo pudesse acontecer e ajoelhado ao lado de Laki recriminava-se por não ter previsto aquilo ao mesmo tempo que agradecia à Everlock por, na pressa, ter esquecido de levar Grandeeney de volta ao reino das Fadas.

Após Grandeeney estabilizar todos os feridos, e os guardas do rei serem levados para a enfermaria do castelo, Lahar reuniu os seus e os levou de volta para a ilha, pois ali não havia mais espaço para tratá-los, a enfermaria do castelo não estava preparada para um número tão grande de feridos, na ilha Grandeeney não estaria sozinha para tratar a todos. Conseguiu levar todos à ilha, mas devido a grande quantidade de feridos, foi obrigado a teletransportar-se com todos em frente ao hospital da ilha.

Os príncipes voltavam da última aula junto com Erik quando encontraram o quartel em meio ao caos. Pessoas feridas sendo levados para a enfermaria, soldados gritando de dor, Lahar no meio daquilo tudo ordenando o que cada um devia fazer e tentando convencer Laki à ir para a enfermaria também enquanto providenciava que os soldados que foram à óbito, fossem identificados e levados para suas famílias

Em meio à todo aquela confusão, Wendy reconheceu sua tia e correu até ela, Mavis a seguiu e os demais príncipes se puseram a ajudar no que pudessem. Grandeeney pediu que Wendy a ajudasse com os feridos e ela passou a direcionar onde e como os demais príncipes poderiam ajudar. Os que tinham mais força física, ajudavam a transportar os feridos para a enfermaria e lá, os demais seguiam as orientações de Wendy.

Enquanto isso, os embaixadores desciam ao quartel para ajudar também. Lahar pediu à Makarov que reunisse uma equipe de investigação para averiguar as causas da explosão e que Eleonor fosse junto com Ultear, se preciso, para tentar restaurar o que pudesse, tinha certeza de que havia algo ali.

Ao mesmo tempo, Erik reunia seus aliados no reino da Noite para desaparecer com qualquer pista que indicasse do que se tratava o local. De volta à ilha, Crawford usando sua magia, modificou a forma física de Erik para evitar que lhe identificassem ao mesmo tempo que, outra vez, um Fake Erik fora enviado para o quartel para ajudar.

Feito isso, seguiu para o Castelo dos Prisioneiros. Os guardas que estavam ali eram seus aliados e já o aguardavam, rapidamente o mago que usava uma máscara totalmente branca, os derrotou invadiu o castelo e matou Macbeth, desaparecendo logo em seguida. Erik
conhecia um meio de usar magia dentro do castelo, mas não podia simplesmente apagar suas memórias, pois seu único objetivo em fazer isso antes, era levantar suspeitas de que era Mest o responsável por isso, então, simplesmente tirou a vida de Macbeth com as próprias mãos conforme o Mestre ordenara.

De volta ao ponto de encontro, Crawford desfez sua magia e como o combinado, meia hora após iniciar sua atuação, onde o Fake Erik devia ser visto pelo comandante e o maior número de pessoas possível, este retornou ao ponto de encontro para trocar de lugar com o
verdadeiro Erik.

Ao retornar para o quartel, Erik fez questão de ficar perto de Lahar para ver a cara dele quando
recebesse a notícia sobre Macbeth.

Assim que soube que o Castelo dos Prisioneiros tinha sido invadido, Lahar largou tudo nas mãos do primeiro embaixador que viu pela frente e teletransportou-se para o local. Ficou surpreso ao ver os guardas caídos já na entrada e correu até onde deixara Macbeth. Estancou ao passar pela porta que estava escancarada, dentro da sala, apenas um corpo degolado. Esmurrou a porta para extravasar sua ira aquilo era muito pior do que podia imaginar. Além de perder um dos principais suspeitos do desaparecimento de Ian e provável integrante da organização que vinha investigando, aquilo significava que o traidor estava realmente na ilha. Virou-se para voltar ao quartel, precisava encontrar Gildarts e direcionar mais soldados para vigiar o Castelo dos Prisioneiros e além de tudo,precisava garantir a segurança dos príncipes da paz.

Ao passar diante da cela onde Mest estava, parou por um momento lutando contra a vontade de aproveitar toda aquela confusão e simplesmente abrir a porta para que ele fugisse, naquela manhã, recebera a informação de que seu julgamento já estava marcado, seu tempo estava se esgotando. Chegou a tocar no molho de chaves que sempre levava consigo, mas desistiu no último momento voltando ao seu caminho para fora do local, se fizesse aquilo apenas o tornaria suspeito de matar Macbeth e automaticamente, suspeito de ser o traidor que todos já estavam procurando. 

No quartel, após seu retorno, ordenou que Gildarts e Erik levassem os príncipes para seus quartos. Nenhum deles queria ir, Rogue principalmente, assim que soube sobre a tia não foi capaz de fazer mais nada, queria ficar com ela na enfermaria, mas Evelyn e Sting o
convenceram de que de nada adiantaria ficar ali, pois Grandeeney não estava deixando ninguém chegar perto dos feridos mais graves

Enquanto os príncipes eram levados para seus quartos, Ultear era levada ao reino da Noite por Lahar junto com Eleonor, Silvério, Andrey, Gildarts e mais alguns soldados, na intensão descobrir o que causara a explosão e se possível, restaurar algo que pudesse servir de pistas sobre o que estavam tentando esconder ali.

Ao chegarem no local, encontraram alguns magos perambulando pelos escombros. Assim que viram Lahar, se dispersaram, tudo aconteceu muito rápido, cada um fez o melhor para impedir a fuga dos suspeitos e no final, conseguiram prender dezoito deles, porém muitos outros escaparam. Enquanto Lahar os interrogava, os demais davam continuidade à investigação. O comandante local seguiu até a mansão com seus guardas ao saber que Lahar retornara ao reino da Noite e foram duramente repreendidos por Gildarts por terem deixado o local desprotegido. Após a discussão, os dois seguiram junto com seus homens para fazer uma ronda pelas redondezas em busca dos magos que fugiram. Enquanto isso, Eleonor e Ultear executavam suas magias em determinados pontos, tendo Silvério e Andrey, responsáveis por escolta-las para que elas se concentrassem apenas na excussão de suas magias. Apesar de todos os esforços, as duas não estavam conseguindo progredir como esperavam. Estava claro que a explosão fora intencional, pois Eleonor encontrara resquícios de materiais utilizados com o intuito de impedir que magias como a Arca do Tempo restaurasse o que fora destruído. Mesmo assim, permaneceram tentando e recolhendo tudo o que conseguiam restaurar. Passadas duas horas nesta operação, Lahar desistira do interrogatório, pois os magos capturados apresentavam as mesmas características que os capturados no reino das Fadas semanas atrás,nenhum deles possuíam memórias sobre o que acontecera ali, não precisava de Mest para saber disso, reconhecia os sinais, os manteve sob a rígida vigilância de Gildarts e seus homens que já haviam voltado com mais dois magos e foi até o castelo providenciar a estadia deles no local e solicitar ao rei, alguém de confiança que guiasse os seus homens até a vila da fronteira em busca do mago fajuto.

Ultear encontrou entre os escombros, o que outrora fora uma biblioteca, pelo volume de papeis e livros carbonizados. As duas passaram a se concentrar naquele ponto, porém, Ultear, por não estar acostumada ao tempo do reino da Noite e com isso rapidamente se cansou, entretanto, mesmo cansada, insistiu em permanecer ao lado da tia nem que fosse para reunir tudo o que fosse restaurado.

Na ilha, Makarov relatava aos conselheiros todo o acontecido até aquele momento, Mart Redfox e Larcade Dragneel lideravam as buscas pela ilha à procura do responsável pela invasão ao Castelo dos Prisioneiros, enquanto os demais embaixadores analisavam as gravações das lácrimas cada um em uma das sentinelas ao redor do local.

Os príncipes tentavam sem sucesso algum, dormir. Estavam muito agitados e quando tentaram sair de seus quartos, descobriram que haviam guardas nas portas para impedir que eles saíssem do local. Presos ali, se obrigaram a dormir, mesmo faltando cerca de quatro horas
para o inicio de mais um dia de treinamento que nenhum deles fazia ideia de como seria.


 


Notas Finais


Lis: Lahar mudando opiniões nesse capítulo.
E coitada da Laki, nem sabe o que a espera.
Além disso, vai acontecer algo muito... muito alguma coisa, já que não posso falar se é bom ou ruim, com o Mest ! Sou má por fazer vocês esperarem algo, agora? -^-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...