História O destino - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avril Lavigne, Becky G, Cara Delevingne, Cody Christian, Daniel Radcliffe, Dylan Sprayberry, Ian Somerhalder, Jamie Campbell Bower, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Kaya Scodelario, Lily Collins, Martin Garrix, Shay Mitchell
Personagens Ian Somerhalder, Jamie Campbell Bower, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Martin Garrix, Personagens Originais
Tags Legalzinha
Exibições 10
Palavras 2.849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyyyyy galera tudo bem com vocêis? Hum. To aqui com um cap que pra mim foi o mais difícil de escrever porque eu não sabia escrever nenhum tipo de hot, e acabei fazendo com base nos que eu li. Desculpa a demora boa leitura💙💙💙

Capítulo 24 - Meu amor


Fanfic / Fanfiction O destino - Capítulo 24 - Meu amor

" Porque em um céu cheio de estrelas eu acho que vi você"

                          

                           Pov. Karol

       - Tá legal, e o que você tá fazendo aqui? - perguntou enquanto se sentava na sofá e eu fiz o mesmo logo em seguida. 

        - Eu não sei. 

        - Então você pegou o táxi e não sabe como tá aqui e porque. - falou com ironia.

        - A Isabella me chamou pra uma balada e eu fui enganada agora to aqui. - Ele olhou como se já tivesse entendido o que estava acontecendo.

         - Então fomos enganados. Olha - estendeu o celular.

          - Maninho não vai dar pra mim ir junto com você então vou mais tarde. - li em voz alta. - Não creio. Jura?

          - Pois é.

          - Então eu acho melhor chamar um táxi.- digo enquanto tiro o celular da bolsa. 

           - Não... - olhei pra ele com um sorriso surpreso - Quer dizer já tá tarde e você pode ficar aqui amanhã a gente volta. 

            - Eu não sei....

            - Mas tudo bem se você quiser ir,  eu só propus porque eu ainda me importo com você.... - ficamos numa espécie de transe olhando um pros olhos do outros. Até que decido quebrar o silêncio. 

             - Eu também... Eu também me importo muito.

             - Karol eu.....

             - Não precisa falar nada. Eu sei, você não quer mais nada e eu fico acha.... - fui interrompida por um beijo. - Uou.

             - Err.. - Ele desviou a direção do olhar.

             - Ei - fiz carinho em seu rosto e ele voltou o olhar a mim - Senti sua falta.

             - Você não imagina o quanto eu senti. - Eu não queria estragar o momento mas eu precisa saber. 

              - O que aconteceu? Você pediu um tempo, e já se passaram 3 meses. - Ele murchou o sorriso.

               - Eu tava confuso, é difícil. E eu não me arrependo de ter pedido. 

               - Mas 3 meses? Eu não sabia o que você queria, ou se ia me ligar ou qualquer coisa, eu fiquei esperando uma mínima coisinha e tive um simples nada.

               - Karol você tem que me entender. Foi ruim pra mim também. Descobrir que a minha namorada ela me traiu.....

               - Eu sei, e entendo. Tanto que eu nem sei se deveria estar aqui, quer dizer estaríamos mesmo aqui ou em qualquer outro lugar, você teria me procurado? E se não tivesse sido uma armação do Martin e da Isa. Estaríamos aqui? - Ele ficou quieto. - foi o que pensei, mas o que eu realmente esperava era outra coisa. - levantei e caminhei até a porta. Quando toquei na maçaneta ele apareceu atrás de mim e segurou o meu pulso levemente.

               - Vem cá meu amor. - ele me puxou e me deu um beijo. A quanto tempo eu não sentia mais aqueles lábios. 

                - Meu amor?

                - É. Meu amor.

                - E o......

                - A gente vê isso amanhã tá. 

                - Isso é uma espécia de convite pra passar a noite com você?

                - Se você quiser é. 

                - Eu acho que posso esperar até a manhã pra te xingar. - Ele me pegou no colo e começou a me beijar. 

                 Ele caminhou até a cama e me deitou carinhosamente ficando por cima de mim, e eu estava delirando já com os caminhos de chupões que Matheus estava deixando do meu pescoço ao meu peito. Ele de repente parou e o me olhou.

                 - Tem certeza? 

                 - Toda. 

                 Então ele sorriu e tirou meu vestido delicadamente enquanto depositava beijos pelo meu corpo. E voltou a me beijar enquanto passava a mão por meu cabelo fazendo carinho e eu retirei sua camisa. Comecei a deixar leves arranhões por suas costas.

             Decidi que era minha vez e me virei ficando por cima rapidamente. Fiz uma trilha de beijos por todo seu abdômen que estava mais malhado, logo em seguida comecei dar leves mordidas em sua orelha em meio aos vários chupões de seu pescoço. Passei a mão por cima de sua calça que já estava volumosa. Tirei sua calça sensualmente e fiz massagem no grande volume de sua cueca o fazendo gemer. Ele me olhou riu e tirou meu sutiãn e começou a beijar e dar leves chupões em meus peitos, me fazendo gemer. Já estava na hora eu precisava senti-lo. Nós dois já estávamos excitados o bastante e eu acho que ele percebeu minha urgência por isso.

                  - Confia em mim? - disse Matheus se virando ficando por cima. 

                  - Confio. - sorrimos

                  Ele tirou minha calcinha delicadamente, não deixando de olhar nos meus olhos um segundo. Quando ele terminou eu retirei sua cueca e seu membro já estava ereto, também fiquei olhando em seus olhos e suas bochechas ficaram vermelhas de vergonha e eu apenas sorri. Ele começou introduzindo bem devagar e eu gemi de dor. Cara aquilo doia bastante. Ele percebeu e começou a ir mais fraco ainda. Seu membro fazia movimentos de vai e vem, e logo me acostumei com a dor que deu lugar ao prazer. Não tínhamos problemas com o volume dos gemidos, afinal estávamos no meio do nada. Chegamos ao nosso ápice juntos, foi maravilhoso minha primeira noite de amor com o meu amor. Caimos cansados na cama cansados, e eu me aconcheguei nos braços de Matheus. Ele estava com a respiração pesada mas logo dormiu e não ouvi mais nada pois também cai no sono.

           Era pro meu sono ser flores, borboletas e arco-iris e foi por um tempo, mas no meio da noite tive um pesadelo horrível.

           Sonho on:

          - Matheus? O que tá acontecendo aqui?

          - Karol - disse se desgrudando de uma garota qualquer.

          - Porque você tá fazendo isso? - Não conseguia conter as lágrimas.

          - Você fez primeiro lembra? Com a Giovanna. 

          - Mas eu pedi perdão e você perdoou.

          - Tem razão, eu te perdoei. Mas eu não devia

          - Não fala assim. A gente se ama.

          - Se ama mesmo? Ou isso aí é culpa pós traição hein?

          Sonho off.

          Levantei assustada, já estava de manhã Matheus dormia ao meu lado igual um anjo. Eu não contaria esse pesadelo a ele pelo menos não hoje. Acordei lhe com um beijo em seus lindos lábios rosados, e ele logo despertou. 

            - Eu te amo. - disse antes de ele falar qualquer coisa.

             - Eu também te amo. - sorrimos. - Mas eu queria ter acordado primeiro. 

              - Por que? 

              - Pra te ver acordar depois da nossa noite. - ele era incrível. Sério. Mas eu ainda quero xingar ele rostinho lindo. - Vou fazer nosso café da manhã. - Disse se levantando porém segurei seu braço pra voltar.

               - Fica mais um pouco?

               - O pouco que você quiser. 

               - Sabia que você fica muito melhor assim? Sem roupa nenhuma. Te valoriza bastante. - olhei de cima a baixo para ele.

                - Você com certeza fica melhor. - Ele também me olhou. - Na verdade você fica maravilhosa. - Ele chegou mais perto e me abraçou, e no meio do abraço nosso lábios de tocaram.

               - Agora pode ir, sério. To com muita fome. - fiz biquinho.

               - Eu vou. mas só porque você fica muito linda assim. 

                - Só por isso?

                - Claro que não. - Ele levantou não vestiu nada e foi preparar o nosso café. Fiquei observando meu lindo namorado nú preparando meu café da manhã. - Não vai babar hein - Voltou com uma bandeja maravilhosa café quentinho, pão de queijo, geleia de morango minha preferida, morangos e torradas. 

                  - Meu amor. Isso mesmo bom garoto. - me entregou a bandeja e eu logo devorei.

                 - Seu irmão sabe que você ia passar a noite fora? - Ah meu deus o Douglas. 

                 - Cade meu celular? - perguntei largando a bandeja em cima da cama mesmo e procurando meu celular descontroladamente.

                  - Não sei. Deve tá por aí junto com a sua roupa. 

                  - Achei. - tava embaixo do meu vestido que estava jogado no sofá. - Eu tenho 2 ligações perdidas da isa, 3 do Martin e 14 do meu irmão. 

                 - Liga pro seu irmão primeiro.

                 - É. Mas antes - peguei a camisa do Matheus e coloquei. - Pronto.

                 - Tava melhor antes. 

                 - Mas aqui tá um pouco frio sábia? Você quer que eu pegue uma gripe por ficar andando pelada porque meu namorado pediu? - Peguei sua calça e joguei pra ele. Ele estava em silêncio quando me toquei do que disse - Ah meu deus. Acabei com o momento né. Eu não devia ter....

                    - Claro que devia. - Ele chegou perto e me puxou contra seu corpo. - A gente voltou. - logo em seguida me deu um beijo bastante demorado.

                     - Agora eu posso tomar um banho? 

                     - Claro. E se você quiser pode me levar também. O chuveiro é bem quente 

                     - O que um banho bem quente e de brinde meu namoradinho?

                     - Hurum. - Sorri e ele me puxou até o banheiro. 

                     Tirei minha camiseta e entrei no chuveiro. A água estava realmente bem quente, perfeita. Meu namoradinho entrou logo em seguida. Tomamos um longo banho. Claro que no meio disso tudo havia beijos, carícias e um quase sexo no chuveiro. Sai primeiro e fui me trocar coloquei uma camiseta que achei de Matheus e fiquei sentada no sofá, acabei de ligar antes pro meu irmão então ligaria agora.

         Ligação on:

         - Karoline stilinsky onde é que você tá? Porque eu vou te buscar agora.

         - Me desculpa esqueci de ligar. To na casa de uma amiga minha. 

         - Que amiga?

         - Uma amiga osh.

         - Amor o que acha de fazermos uma lasanha pro almoço? - Era a voz de Matheus de fundo.

         - E por acaso sua amiga te chama de amor e tem voz de homem?

         - Ops.

         - Onde é que você tá que eu  o indo te buscar agora? Anda Karol fala.

         - Por favor maninho. Não precisa. Chego em casa até as 8 Tá?

         - 5 Horas e se você  não tiver colocando os pés nesse casa às 5. Eu vou te achar e ai vai ser pior.

         - Tudo bem. 

         Ligação off:

        - Me desculpa eu juro que não sábia. - disse Matheus me abraçando por trás.

        - Tudo bem. Mas você vai ter que me levar pra casa até as 5. 

        - tudo bem saímos daqui 5 horas e até a 7 chegamos.

        - Não. Vamos ter que sair daqui 3. Ele me quer em casa às 5.

        - Que chato.

        - Culpa sua.

        - É.

        - Sabia que já são 12:30?

        - O que? 

        - É. A gente podia ir agora e almoçar no Bk. Que tal?

        - Eu queira algo mais romântico mas como não dá. Tudo bem. 

        - Awns você queria alguma coisa mais romântica? - fiz uma voizinha e lhe dei vários selinhos.

         - Eu vou chamar um táxi.

         O táxi não demorou e logo já estávamos chegando ao shopping perto de casa. No caminho fomos parecendo aqueles casaisinhos fofos sabe? Que quando você vê e tá solteira fica com ânsia de vômito. Chegamos no Bk e pedimos nossos lanches. Isso 3:30 depois andamos pelo shopping e compramos muito finni. Me entupi de doce aquela tarde. Quando deu 4:30 Matheus me levou até a porta de casa.

          - Eu amo você. - Lhe dei um longo beijo.

          -Eu também te amo. 

          - Agora até a manhã.

          - Já?

          - Você ainda me quer?

          - Mas é claro 

          - Então me deixa entrar ou o meu irmão vem me buscar e as consequências podem não ser muito boas.

           - Ok. Só mai um beijo. - dei um beijo bem demorado e entrei sem fizer mais nada.

           Tentei subir as escadas sem ser notada mais foi inevitável. 

           - Karoline onde é que você tava?

           - Eu tava sendo feliz.

           - Isso não é resposta. 

           - Não fiz nada de errado. Eu tava só sendo feliz, como eu não era a muito tempo.

           - Poderia ser feliz dando notícias pelo menos né?

           - Foi mal. - dei um beijo em sua testa - agora eu vou terminar de ler um livro e dormir.

           - rum. Nunca mais faça isso ouviu?

           - Tudo bem. - subi pro meu quarto.

           Terminei de ler o livro e coloquei um pijama. Deitei na cama pra dormir, meu dia foi bem cansativo. Cansativo bom. Mas não conseguia tirar o meu pesadelo da cabeça. Dormi com as seguintes palavras em minha cabeça "Se ama mesmo? Ou isso aí é culpa pós traição hein?"


Notas Finais


Gente tentei o meu melhor mas prometo que os próximos serão melhor. Eu ouvi próximos 😶😀 eu sei que vocês esperavam algo melhor e eu também mas foi o que consegui Sorry😔 obrigada por ler e Bjs e até o próximo💙💙💙💙💙 comentários serião maravilhosos pra me incentivar💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...