História O Destino de Gêmeos - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Aspros de Gêmeos, Defteros de Gêmeos
Tags Aspros, Defteros, Hentai, The Lost Canvas
Exibições 88
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 27 - Acorde Noturno


Fanfic / Fanfiction O Destino de Gêmeos - Capítulo 27 - Acorde Noturno

A sensação de ter a armadura de Lira presa ao seu corpo, era a melhor de todas. Era inevitável lembrar de Richard a usando, mas estranhamente isso a encorajava mais, pois sentia como se ele estivesse naquela armadura a protegendo e dando forças a ela.

Quando Diane via seu mestre com aquela armadura aparentemente pesada ficava a imaginar como seria lutar usando algo tão pesado, mas agora que também a usava podia entender, não era nada pesada, pelo contrário, aquilo a fazia se sentir muito segura e protegida.

 

-Não tenho tempo para admirações, preciso ajudar o Defteros. Meu mestre Richard, me ajude. -Diz Diane para si mesmo.

 

A menina deixou a casa com pressa e logo se espantou quando viu que não apenas sua mãe, mas todos estavam sendo controlados pela mesma melodia que os guiavam para um mesmo lugar. Sem tempo para pensar, correu para a mesma direção em que todos seguiam, o mais rápido que pode até avistar Defteros já longe.

 

-Defteros. -Grita a menina o chamando.

 

Mesmo longe o azulado foi capaz de escutar a voz que mais amava. Ao se virar, sentiu um alivio ao vê-la bem e logo ficou um tanto surpreso, Diane havia ficado diferente com aquela armadura, mas não havia perdido sua serenidade, Defteros logo percebeu que não existia outra armadura que combinava tanto com ela quanto a de Lira, pois a armadura não a deixou perder aquele ar gentil, pelo contrário.

 

-Diane. -Sussurra o homem vendo a amiga se aproximar.

-São muitas pessoas... Temos que descobrir o que está acontecendo.

 

Defteros volta a si, pois não era hora de admira-la, precisavam descobrir o que estava acontecendo. Continuaram a seguir a mesma direção em que todas aquelas pessoas hipnotizadas seguiam. Logo chegaram a um lugar em que todos estavam parando, esperando por algo e quando se aproximaram mais se depararam com uma bela mulher de cabelos loiros usando uma Sapuris, a mesma tocava uma flauta.

 

-Deveríamos ter imaginado antes que e tratava de um espectro de Hades. -Diz Diane com desprezo. -Quem é você e porque está fazendo isso?

-Então vocês não caíram no encanto de minha flauta... Quem são vocês para serem tão resistentes ao poder de uma flauta dada pelo meu imperador Hades?

-Estou usando uma armadura, então é meio obvio que sou uma amazona de Atena. -Retruca Diane irritada com a situação.

-Você é muito sem educação, menininha. E respondendo sua pergunta, sou Minta a ninfa do submundo e estou aqui a pedido do meu imperador Hades.

-O que você está fazendo com essas pessoas? -Pergunta Defteros sendo direto.

-Criando servos para o meu imperador Hades e não a nada que vocês possam fazer, pois já estão todos sobre o encanto de minha flauta do submundo.

 

Defteros sem pensar duas vezes, foi para cima da ninfa do submundo, mas a mesma desviou o mais rápido que pode.

 

-Você é um belo homem, vamos ver como fica sem essa máscara. -Diz Minta aparecendo na frente de Defteros, retirando sua máscara, sem o homem conseguir para-la de tão rápida. Aproveitando a aproximação, ele tentou ataca-la, mas ela logo se afastou. -Como eu esperava, você é um homem lindo. Que pena que não está sobe as minhas ordens, mas posso resolver isso...

 

Diane aproveita a distração e tenta ataca-la, vê-la tentando seduzir Defteros, deixou a amazona muito irritada. Mas sua tentativa foi falha, mas dessa vez quem acertou foi o azulado, que depositou um soco no rosto da ninfa que se afastou.

 

-Ai, doeu muito... Um homem bonito como você, não deveria fazer esse tipo de coisa com uma mulher como eu... E você garota, está com ciúmes, está com medo de perder para mim? Se eu tivesse no seu lugar teria muito medo e inveja, pois sou uma linda ninfa e você apenas uma humana feia e ....

-Cale a boca. -Grita Defteros a interrompendo.

-Não seja grosso, deixe essa humana e venha comigo servir o imperador Hades quando ele retornar a esse mundo.

-Eu nunca deixaria a Diane para ir com você... -Responde o azulado furioso, aquela ninfa só queria brincar com os dois e os irritar.

-Que pena, não queria fazer isso a força, mas.... Você não me deixa escolhas. -Sussurra Minta aparecendo na frente de Defteros e o beijando.

 

A amazona ficou cega de raiva naquele momento, e avançou para cima de Minta para separa-la dele, mas antes que a acertasse a mesma se separou e ordenou:

 

-Acabe com ela.

 

O azulado se virou depositando um soco no estômago da morena que é arremessada e pela força acaba cuspindo sangue.

 

-Defteros... O quê você fez com ele?

-Apenas o trouxe para o meu lado. -Responde Minta debochada. -Como é ser acertada pelo próprio amigo?

-Defteros. -Chama Diane. -Você precisa se lembrar de mim, você não é fraco, não caia nas armações dela, Defteros, acorde.

-Não adianta. Defteros, acabe com ela. -Ordena Minta mais uma vez.

 

Defteros avançou para cima de Diane que tentava apenas desviar, sem feri-lo. A ninfa começou a tocar sua flauta novamente e todos começaram a se mover, a música que os controlavam, quando ela parava todos ficavam parados sem se moverem.

 

-Me perdoe, Defteros. -Pede a amazona posicionando sua Lira e fazendo apenas um som, mas com apenas aquele rápido som pode perceber que todos voltaram ao normal por alguns segundos, principalmente Defteros que hesitou. -Entendi, como eu não pensei nisso antes... Minha Lira quebra o efeito de sua flauta

-Parece que você não é tão fraca quanto parece, mas sinto lhe dizer, mas não será tão fácil quebrar o encanto de Defteros.

-Defteros. -Chama a menina se aproximando com cuidado. -Eu vou ajuda-lo, mas você também precisa me ajudar... Então fique parado, eu o livrarei dessa tortura.

-Ataque ela, Defteros. -Ordena a ninfa mais uma vez se divertindo com aquilo.

 

O azulado a atacou novamente e depositou outro golpe no estomago da menina, mas dessa vez, Diane foi mais resistente e o agarrou depositando seus lábios com sangue nos lábios do amigo. Ela não sabia se aquilo funcionaria, mas valia a pena tentar, pois Defteros também era forte e lutaria para sair daquele transe e a amazona acreditava que havia descoberto o que Minta havia feito.

Diane sentiu o soco se afrouxar e percebeu que o mesmo estava voltando ao normal e o abraçou até ele ficar totalmente consciente novamente.

 

-Diane... -Chama o mesmo preocupado.

-Que bom que você voltou para mim, Defteros. -Responde a menina com a voz fraca se ajoelhando, por conta dos golpes de Defteros que não eram nada fracos. -Está doendo.

-Diane, me desculpe. -Pede o azulado se abaixando e a abraçando preocupado.

-Como descobriu? -Pergunta a ninfa se aproximando.

-Quando você o beijou seus lábios continham sangue, pois ele havia a ferido e eu logo percebi que era o seu sangue que a permitia controla-lo. Eu limpei a boca dele com a minha e por acaso a minha também estava com sangue por conta do golpe, então meu sangue anulou o seu.

-Eu não vou perdoa-la por me fazer ferir a minha... a Diane. -O próprio azulado se interrompeu mudando suas palavras.

 

Defteros se levantou furioso, estava pronto para atacar Minta e não pegar tão leve quanto estava pegando antes só porque ela era uma ninfa.

 

-Eu vou matá-la. -Grita o homem furioso.

 

Minta volta a tocar sua flauta aumentando a velocidade e pelo som ordena que todos atacassem Diane e Defteros.

 

-Não os machuquem Defteros, eu acho que sei o que fazer... Será minha Lira contra a flauta dela. Me ajude, Richard, ainda sou inexperiente.

 

Diane começou a tocar sua Lira e logo pode perceber que as pessoas pararam, não obedeciam mais aos comandos de Minta que aumentou ainda mais o som e as pessoas voltaram a ser controladas, mas Diane também começou a tocar mais rápido os parando novamente, e as duas permaneceram nesse duelo por muito tempo, e ambas já estavam muito cansadas.

 

-Está dando certo, aguente Diane. -Encoraja Defteros.

 

Diane se manteve firme e usou tudo o que Richard havia lhe explicado sobre a armadura de Lira, a amazona estava tão sincronizada com a Lira que apenas escutava sua melodia e nada mais. Tocar para ela ficou mais fácil, como se já fizesse isso a anos e logo as memorias de seu mestre tocando para si veio em sua mente e Diane nem percebeu quando a flauta de Minta partiu-se ao meio.

 

-Volte para o submundo, Minta... Acorde Noturno.

 

Com o Acorde Noturno a batalha se finalizou, e o vencedor foi o santuário. As pessoas estavam confusas e com medos e suas cabeças doíam muito. Diane ao ver que estava tudo bem se acalmou e desmaiou nos braços de Defteros que a segurou encostando sua testa na testa da menina.

 

-Bom trabalho, Diane. Você deve estar exausta, pois é a primeira vez que veste a armadura, ainda está se adaptando a ela, mas teve que se esforçar ao máximo para usar um ataque tão poderoso e tocar por tanto tempo... Descanse, eu cuido do resto. 


Notas Finais


Minta ou Menta foi a ninfa do submundo amamente de Hades.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...