História O Destino de Rebecca Burn - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 6
Palavras 1.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Só irei postar as 15:00 De amanhã os próximos capítulos ❤
Serão 5 Capítulos por dia.

Capítulo 5 - Capítulo Cinco


Fanfic / Fanfiction O Destino de Rebecca Burn - Capítulo 5 - Capítulo Cinco

Rebecca Narrando:

Acordei com muita dor no corpo e em uma cama que não era a minha, a dor de cabeça era inigualável, uma dor que parecia que iria explodir minha cabeça em milhares de pedaços, quando eu viro para o lado, pra tentar me localizar, lá estava meu pai, meu próprio pai, sem roupas como eu, deitado do meu lado, no momento eu travei nao tive reação, a não ser, meu coração acelerado.. Eu perdi minha virgindade com meu pai? Como ele teve coragem? Sou sangue do sangue dele, mas não deveria pensar nisso e sim em uma maneira de sair daquele lugar sem acordar ele, no relógio que estava na mesa do meu lado marcava ser 09:11 da manhã e ele normalmente acordava as 11:00, eu tinha bastante tempo para sair de lá sem ele me ver, entao eu me levantei sem mesmo respirar para ele não notar, procurei minha roupa e coloquei a blusa dele por cima e peguei meus saltos na mão, meu celular estava de baixo dele e não conseguiria pegar..
Na hora que fui sair notei que a porta estava trancada e comecei a procurar a chave por tudo que é lugar mas não achava, quando supostamente achei, caminhei lentamente para porta e tentei abrir, na hora só ouvi o gatilho de uma arma e quando olhei para trás, lá estava ele, parado sem roupas me olhando com uma arma apontada para mim

- Saia de perto da porta, se não eu atiro - Dizia ele com ódio - Atiro igual fiz com sua mãe, acha mesmo que ela morreu graças a você? Você nem atrapalhar o parto conseguiu, tive que atirar e pagar os médicos para fingirem que foi pelo parto.. E alguém desconfiou? Provavelmente não, sabe porque? Sou a pessoa mais rica desse país, muitas famílias sem mim cairiam na pobreza e se eu atirar em você agora, não vai fazer a falta que eu faria aqui, sabe porque? Você é só mais uma piranha sem valor algum, deu para seu próprio pai, que vergonha em menina..

As palavras dele machucavam como uma facada, parecia que aquele seria meu momento de morte e eu esperava a morte ansiosamente para me juntar com meu avô e minha mãe.

- Pai, por favor abaixa essa arma e vamos conversar - Eu disse tentando manter o controle da situação mas ele nem ligava -  eu faço o que o senhor quiser..

- Então pare de chamar de pai, e tira essa roupa e venha aqui, senta na cama e me chupa, sua piranha

Fiz tudo que ele mandou, mas ele não tirou a arma de minha cabeça em nenhum momento, o desespero só batia, depois de chupar ele, ele me tacou na cama violentamente pegou sua gravata e me amarrou sem pena, fui ver o que ele foi fazer, pegou cocaína para cheirar, logo depois que cheirou, ele me pegou pelos cabelos e me tacou de boca na cama onde me estuprava sem pena, me chupou de certas maneiras que até eu gostaria se não fosse um estupro e se nao fosse meu próprio pai, depois de tudo, ele ate me fez sentir confortável, deixou eu cheirar e fumar maconha com ele e isso até que me acalmou na situação

Henrique Narrando:

A vagabunda gostou de dar para mim e eu gostei de comer ela, para uma virgem, ela me satisfez bastante, vou continuar comendo ela, e ela vai me fazer lucrar quando eu colocar ela para trabalhar no cassino, os milionários iram pagar uma fortuna para algumas horas com ela e sempre vão querer mais, comentando com os amigos e me trazendo clientes novos e depois só mandar essa piranha pro saco, e arranjar outra piranha..

- Gostou dessa noite? - Ela ja estava chapada, e é claro que falaria a verdade.

- Gostei, mas é meio estranho, voce não é meu pai?

- Não sou seu pai, não sou do seu sangue apenas criei você - Menti na cara dura, mas como ela era meio burra acreditou - e eu tenho planos com você.

- Sabia que nao era meu pai, mas se eu me apaixonar? Vai ser errado?

- Você nao vai ser apaixonar.. Agora vai se vestir, preciso trabalhar e anoite vou te buscar

Ela se vestiu rápido e eu deixei ela em casa e fiz a prometer que nao iria contar para ninguém nada, se contasse iria matar dona Maria, sua única figura materna, logo depois disso fui para o cassino e encontrei meu cliente principal Sr.Moraes

- Boa tarde, Sr.Moraes veio procurar algo em particular para hoje?

- Ah meu jovem, você sabe, queria curtir essas noites que estarei longe da minha patroa.

- Anna estará livre essa noite, se o senhor quiser mando ela no seu quarto com algumas surpresas para essa noite.. - Anna era uma ruiva incrível, ela estava por vontade própria e tinha seus 18 anos, estava lá desdos 15, sempre satisfez os desejos do Sr.Moraes e nunca teve nenhuma reclamação, só trazia lucro para empresa..

- Queria algo diferente nessa noite, vou querer o passe para ala VIP, para fazer umas apostas e conhecer outras piranhas

- Tudo bem senhor, hoje vamos ter quatro jovens novas na área VIP, e tem uma em potencial que o senhor vai amar

- E quanto está essa menina?

- Está 3 Milhões, mas lhe garanto que você vai amar, como o senhor vai passar a semana aqui e sei que não gosta de muitas mulheres diferentes, posso fazer um pacote semanal, essa menina e a Anna por 11 milhões, acho que o senhor não vai se arrepender.

- Quero conhecer essa menina nessa noite, se ela ainda estiver disponível, vou querer esse pacote..

Seria um grande lucro para mim, mas teria que ensinar a Rebecca a se comportar com os clientes, liguei para Dona Maria em seguida para saber como ta as coisas

- Dona Maria?

- Pois não senhor Henrique?

- Aonde a Rebecca está?

- Ela está dormindo senhor, quer que eu acorde?

- Mande ela se arrumar as 17:00 que as 18:00 Irei buscar-la..

As 18:00 fui buscar lá e ela estava tao bonita quanto ontem, mas não era o caso, precisava treinar essa cadela para ser minha prostituta mais cara…  Chegando no hotel, mandei ela colocar uma saia preta com um cropped branco e arrumar o cabelo, mandei umas meninas fazerem a maquiagem e ela nem reclamou

-Preciso de um favor seu Rebecca.. Sr.Moraes é uma pessoa muito importante para o hotel e ele quer passar algumas noites com você e espero que entenda que isso vai me trazer lucro para colocarmos dentro de casa, estamos perdendo tudo e ele vai nos ajudar, se voce não fizer isso provavelmente o hotel vai fechar

- Mas o que vou precisar fazer?

Expliquei para ela a situação e ela concordou por apenas mil reais, ela aprendeu passo a passo com a Anna e como a noite seria, ela cheirou muito pó até fiquei impressionado com aquilo, ja que ela nunca tinha feito isso, não fazia nem 48h a primeira vez.

Rebecca Narrando:

Ele dizia que eu poderia salvar a família, como eu sempre quis e aquela noite poderia ser minha chance de conquistar ele, ele dizia nao ser meu pai, e eu estava me apaixonando pelo novo Henrique, talvez eu seja uma idiota mas ele dizia ter planos no futuro comigo e esse Sr.Moraes iria trazer milhões para o hotel..



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...