História O Destino de Rebecca Burn - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 6
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Capítulo Seis


Rebecca Narrando:
Eu estava usando um cropped branco com uma saia preta, tinha furado meu septo e meu umbigo literalmente eu me sentia aquelas meninas que eu via enquanto passava horas no Facebook vendo as páginas "tumblr"… Estava toda arrumada para um homem que não conheço, Sr. Moraes o nome dele, a única coisa que eu sei de um homem que irei passar algumas noites para o Henrique conseguir deixar o hotel em pé, mas eu o amo e faria milhares de vezes se for necessário..

-Ei, novata, vamos para o cassino, precisamos trocar de turno com as meninas - Disse Ana, uma ruiva maravilhosa que qualquer homem se jogaria no chão.

Chegando no cassino, ví várias pessoas importantes de donos de empresas até políticos e artistas, ví políticos brasileiros e americanos, mas o que mais me impressionou foi as mulheres nuas em seus colos enquanto jogavam milhoes de dólares em uma mesa, logo me deram umas bebidas para sair entregando para esses homens

- Essa novinha é especular em Henrique, loirinha como eu gosto - Um homem totalmente desconhecido grita para o Henrique que apenas da um sorisso malicioso em seu rosto

- Essa aí é a minha, Henrique? - Um homem, talvez com seus 50 anos, cabelos pretos e uma pele de bebê sem nenhum pelo na cara, tinha um corpo não tão bonito - Muito prazer eu sou Moraes, mas me chame de Sr.Moraes.

- Prazer sou Rebecca mas pode me chamar de Becca, senhor Moraes.

Ele de certa forma me deu medo, via a maldade em seus olhos castanhos, não entendia como que a Anna poderia dormir com ele tantas vezes sem sentir nojo próprio.. Ele sentou em uma mesa e Anna me puxou para sentar no colo dele, enquanto ele fazia suas apostas, passava seu dedo em minha vagina bem devagar

- Hoje anoite não vou te machucar - Disse ele sussurrando em meus ouvidos - Vou ser bem carinhoso se for comigo

Engoli essas palavras a seco e dei um sorriso, os outros homens me olhavam diretamente como se eu fosse a única a estar num colo de um homem, que no qual è casado, pois vi uma aliança em seu dedo.

Sr.Moraes Narrando:

Aquela menina era incrível, se eu não fosse casado, eu lhe pediria em casamento no mesmo momento e nessa noite estarei acompanhando dela e da Anna, talvez seja minha noite de sorte, desde que ela sentou em meu colo e a estimulava ganhei 50 Milhões, isso era muito dinheiro para apenas uma hora, os homens da mesa me olhavam com inveja por eu estar acompanhando com aquela loira, e essa noite prometia pagar o preço, infelizmente percebi que ela reparou em minha aliança, mas não devo nada a ela..

-Vamos para o quarto - Dizia Anna com uma chave dourada em sua mão.

- Só se for agora, iremos aproveitar essa noite o máximo que pudermos - Rebecca me pegou pelas mãos e me levou para suíte.

Chegando na suite, Anna preparou um conhaque para mim e começou a beijar Rebecca para me provocar, e como me provocavam demais, quando vieram pra cima de mim, eu apaguei, nao me recordo de mais nada, não sei se eu desmaiei ou apenas perdi a consciência pelas drogas.

Anna Narrando:
Não acredito que o Henrique está fazendo isso com sua própria filha, igual meu pai fez comigo, me pois para trabalhar nesse Hotel onde todo mes ele ganha 5 Mil reais, as pessoas falam que estou por vontade própria mas não é e nunca vai ser, meu sonho desde pequena era ser Médica veterinária e não uma prostituta mas as consequências da vida me trouxeram para este lugar, mas nem tudo é só defeitos, Henrique comprou uma casa em nome dos meus irmãos para minha família viver.. Mas continuando, quando eu vi aquela menina, tão inocente sendo enganada por aquele monstro pensei em ajudar, mas não sabia como, mas graças a Deus, o Sr.Moraes é um velho "Guloso" gosta de várias novinhas e colocou eu e ela juntas, quando cheguei no quarto, eu preparei um conhaque pra ele e coloquei dois boa noite cinderela, aquela noite eu consegui fazer o sofrimento dela passar, mas nao sei o resto, ele apagou e eu continuei beijando aquela menina na cama a noite inteira

- Meu Deus, isso é tão bom, continua - Dizia ela gemendo enquanto eu a chupava e apertava os seus peitos - Mas o senhor Moraes não vai participar?

Como ela conseguia ser tão burra? Eu tirei uma noite de sofrimento dela, esse homem iria arrebentar ela nos tapas e deixar marcas na vida dela.. Henrique conseguiu enganar ela direitinho.

- Ele dormiu então só vamos eu e você, meu anjo

Rebecca Narrando:

Foi uma noite cansativa, a Anna me fez gozar pelo menos umas cinco vezes naquela noite, quando conseguimos dormir uma do lado esquerdo do Moraes e a outra do lado direito, ela me disse para concordar nas história que ela inventar pela manhã

- Ei, dorme bem meu anjo loiro - Disse Anna me beijando lentamente.

Apaguei depois daquilo e acordei pelas 8 horas da manhã com o Henrique no quarto, ele estava tão bonito, com uma bermuda e sem sua blusa onde mostrava sua barriga trincada

- Como foi a noite ontem, minhas meninas?

-Shhhhh, fala baixo, você sabe que o senhor Moraes detesta ser acordado - Disse Anna - E aliás foi ótima, não Rebecca?

- Pois é..

- Anna quero conversar com você, vamos para o meu quarto e Rebecca depois vai ser você.

Anna Narrando:

Ele sabia de algo, nunca me chamou parar conversar assim, me levantei dos braços do sr.moraes e coloquei um roupão, e fui para o quarto do Henrique..

- Sua vagabunda - Disse ele gritando e pegando meus cabelos a força enquanto batia minha cabeça na parede com ódio - Eu vi as câmeras do quarto e você drogou o nosso cliente para comer a vagabunda da minha filha.

- Talvez eu tenha feito isso por que você não tem o direito de fazer isso com a menina.

- Tenho sim, ela é minha propriedade como você é

Continuei apanhando quando fui estuprada por ele, ele teve a coragem de me bater enquanto transava comigo por uma hora, me chamava de vagabunda e piranha enquanto eu tinha que sentar pra ele, puxava meu cabelo e deixou meu olho roxo.

Henrique Narrando:

Não acredito aquelas vagabundas drogar o Sr.Moraes e transaram, apenas essas duas, elas são inteligentes mas pensaram que os seguranças não iriam ver as câmeras e notar alto estranho, eu chamei uma por uma e comi enquanto a batia e isso me dava prazer, um prazer indescritível, me fazia gozar mais rápido e as vagabundas engoliam a porra com gosto, por mim eu afogaria elas no gozo, cinco horas depois o Sr.Moraes acordou e me chamou para o quarto..

- Essa noite foi cansativa, acho que essas meninas me deram trabalho demais, infelizmente não lembro de muitas coisas, teria como você me mostrar as gravações?

- Sr. Moraes peço lhe desculpas mas infelizmente o quarto que lhe enviaram não tinha câmera por seu o quarto VIP - Consigo mentir tao bem que ele nem percebe..
   


Notas Finais


Capítulo meio pequeno por que estou meio ocupada hoje, anoite vai sair mais quatro capítulos que iram recompensar esse


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...