História O dia em que te reencontrei - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Seiji Komori, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Romance Drama
Visualizações 8
Palavras 848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Mutilação, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Essa é uma fic de um anime que eu amo bastante e é um dos meus favoritos, não sei algumas personalidades de algumas mães, mas farei à minha maneira ^^

Capítulo 1 - 01 - Uma Nova Era.


Numa noite calma, seis vampiros espalhados pelo seu colégio e alguns separados em turmas. Ayato, Laito e Kanato, os trigémeos estavam na sala 1 A e estavam tendo Matemática.

Na sala 2 B estava o Subaru, tendo a seguinte matéria, Inglês. E, por fim, sala 3 C estava os dois irmãos, Reiji e Shuu tendo como matéria, Ciências fisico-quimíca.

- Que aula chata. - Murmurou o ruivo de olhos verdes, deitando a cabeça em seus braços.

Estavam todos tendo a sua aula em cada sala, logo eu entro e fico ao pé da porta da minha sala, deparando com todos os olhos dos alunos direcionados a mim, por chegar atrasada.

- Estás atrasada, Yui. - Afirmou a professora passando a sua mão em seus fios louros do cabelo.

Acenei com a cabeça timidamente e pedi desculpas pelo atraso, sentia que alguém não tirava os seus olhos de mim e direcionei os meus olhos para tal pessoa. Era um rapaz de olhos verdes e ruivo.

Abanei a minha cabeça levemente e me diriji para a minha mesa, logo sentando-me na mesma, colocando a bolsa na cadeira ao lado, por não ter ninguém ao meu lado.

Senti alguns calafrios por ainda ter aqueles olhos verdes em mim e tentei manter-me segura e firme, e tentei fazer com que ele não se apercebesse que me sentia desconfortável com aquilo.

Finalmente, ouço o tocar da campainha a anunciar o fim da primeira aula, suspirei de alívio. Quando fui sair da sala, um rapaz pega-me pelo braço, logo puxando-me até à cozinha da escola e por incrível que pareça era o tal rapaz que não parava de me olhar.

Entrámos na cozinha e o mesmo solta-me bruscamente, matendo uma grande distância entre nós.

- Você sabe cozinhar? Faça-me Takoyakis. - Este pergunta e de seguida dá a sua ordem para mim.

- Sei..., Hã? E-Eu não sou a sua criada. - Respondi àquela pergunta e de seguida tentei manter-me firme, mesmo estando assustada.

- Faça ou algo pior acontece. - Disse o mesmo com um olhar zangado.

Suspirei e olhei dentro dos seus olhos, decidi fazer o que ele me mandara fazer. Minutos depois, meti no forno e esperei o som do forno a avisar que está pronto.

Logo depois o forno apita avisando, tirei o tabuleiro do forno com os Takoyakis pousados no mesmo, estavam cheios de cor, cheirosos e quentinhos.

Meti o mesmo no balcão da cozinha da escola e o rapaz tira um palito do Takoyaki levando o mesmo até à sua boca e comendo. Vejo o seu ar de satisfação e dou um pequeno sorriso, logo abaixando a cabeça e me balançando de leve.

- Ei. Coma um também. - Disse fazendo-me olhar para o mesmo e mordi o Takoyaki. - Bom, não é?

Abano com a cabeça concordando com o que ele pergunta e volto a abaixar a minha cabeça, esperando o mesmo terminar de comer. 

Após terminado, este senta-se na cadeira e balançando, enquanto pegava no tabuleiro e o lavava. Sim, eu ainda estava desconfortável com essa situação.

Quando ia abrir a boca para falar, acabo me virando e vendo que ele não estava mais ali e dei um curto suspiro. 

Saí da cozinha olhando para os lados da porta à procura da sua existência ali e nada, logo saí daquela zona e me diriji até ao jardim.

Sentei-me no banco do mesmo e olhei para o céu claro, azul e as suas nuvens brancas como um algodão doce, sorri. Senti-me como estivesse nos braços da minha mãe que agora estava no céu.

Sentia o vento a balançar o meu cabelo médio e com alguns cachos do meio ao fim, gostava daquela sensação, era muito boa.

Abri os meus olhos e os diriji até ao chão e balancei levemente os meus pés, um pouco triste. De repente, sinto umas mãos em meus ombros e dou um pequeno salto de susto. 

- Olá de novo. Esqueci de avisar, o meu nome é Ayato Sakamaki e você vem comigo. - Se apresentava e de seguida me informava de algo increditável.

- Por que eu iria? - Soltei aquela pergunta por impulso, me afastando do mesmo.

- Porque eu quero e mando. - Falou Ayato, segurando novamente em meu pulso e sumiu comigo.

Naquele sumiço, primeiro eu via tudo preto e sentia um medo e alguns arrepios. Logo, vejo que chegámos em uma mansão enorme, e parecia vazia, só estava nós os dois.

- O-Onde é isso? - Perguntei um pouco assustada, pois não sabia direito o que estava acontecer.

Olho para o Ayato e o mesmo leva o seu dedo até à boca mandando-me calar, logo este me puxa até ao quarto e que supostamente era dele, estava bastante bagunçada.

Assim que entramos, ele me empurra contra a parede, dando um sorriso perverso e mordeu o meu pescoço. V-vampiro?! Pensei ao sentir as suas presas entrando em meu pescoço.

Fechei os meus olhos com força e tentava o afastar batendo em suas costas, mas este segura em meus pulsos os metendo na parede e continuando a beber o meu sangue.

Sentia o meu sangue escorrendo pela minha pele e sendo sugado por este vampiro. A partir deste dia, desde que entrei na minha sala, a minha vida mudou. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...