História O diário (da Coreia) de Noah - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Beyond The Scene, Bts, Coréia Do Sul, Ficção Adolescente, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intercâmbio, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kpop, Min Yoongi, Rap Monster, Romance, Staff, Suga
Visualizações 35
Palavras 2.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Capítulo 14 - Pt2


Meu coração que já estava acelerado antes parece aumentar as batidas a cada segundo. Suga se aproxima mais de mim, fazendo com que sua cintura ficasse a poucos centímetros da minha. Percebo que ele tem poucos metros a mais que eu, por isso faz com que nossos olhares se cruzem. 

Apoio minha mão na extensa pia e afasto minha cabeça para trás, o que resulta com que nossas intimidades se toquem suavemente. Eu já estava ofegante, e ele percebia isso, já que era inegável. 

Por que isso acontece logo quando decido não me apaixonar por ele? Assim fica impossível. 

Ele continua com as mãos firmes na minha cintura ,e eu, com as mãos firmes na borda da pia, encravando minhas unhas. 

— Consegue subir sozinha? — Yoongi quebra o clima, se referindo à pia. 

E e juro que uma gota de decepção estava me tomando aos poucos. Nossa, como eu queria que ele beijasse agora, como eu queria que tudo isso fosse para me beijar, por que eu já estava começando a ficar com mais vontade ainda de explorar sua boca. Ele parecia estar me provocando, e se for isso, acho que não tem como eu me segurar. Caro Yoongi, você está pecando em me fazer tentações.  Ele sabe que eu tenho uma queda pela sua boca, ah se sabe! 

E se eu estou com raiva por ele não ter me beijado? Um pouco. 

Apoio minhas mãos em seu peito e o empurro de leve para trás. Percebendo que ele estava resistindo e permanecendo mesmo assim próximo, apoio minhas mãos na pia  e faço esforço para subir, o que é feito com sucesso. Cruzo meus braços e abaixo minha cabeça, fazendo com que meus cabelos escondam meu rosto. Eu estou um pouco irada por ele não ter me beijado, confesso. 

Ele então permanece no mesmo lugar e levanta meu queixo, erguendo minha cabeça. Ele se aproxima do meu rosto e sussurra: 

— Qual o problema? 

Ele só pode estar brincando. Está nítido qual o problema. O problema é que ele parecia que ia me beijar, mas não fez. E isso me fez criar esperança e ao mesmo tempo raiva, já que eu não queria me apaixonar por ele e ele me provoca desse jeito.

 E talvez menos   decepcionante do que ele não ter me beijado é que eu realmente queria que ele me beijasse, o que me faz pensar que eu realmente sinto atração pelo Yoongi. 

Merda, Yoongi. 

— Não tem nenhum problema. — deixo clara a minha raiva por ele. 

Yoongi ergue os ombros e tira mais um lenço umedecido da caixinha com cores pastéis. Eu fecho meus olhos para não ter que encarar seus olhares e muito menos a sua boca e permito que ele tire minha maquiagem, que pra falar a verdade, não estava me incomodando. Ele passa suas mãos com o lenço suavemente pela minha boca e depois segue para os meus olhos, com algumas pausas para pegar um lenço novo e chega finalmente às bochechas, que era a única parte que faltava. Ao parecer terminar, percebo que ele para por alguns segundos, com o lenço ainda apoiado em meu rosto e eu apenas esperava que ele falasse que já tinha terminado, mas não ouço nada sair da sua boca. 

Até que percebo ele tirar lentamente o lenço do meu rosto, enquanto ao mesmo tempo sinto sua intimidade tocar nos meus joelhos, o que faz pensar que ele estaria possivelmente se aproximando de mim. 

Quando ele tira totalmente o lenço do meu rosto, sinto um perfume conhecido exalar nas minhas narinas e sua respiração ofegante se encontrar com a minha. Por curiosidade, abro meus olhos e vejo que ele está prestes a me beijar, com a cabeça inclinada para os lados e os olhos fechados. 

Espera. Eu não posso fazer isso, quero dizer, eu quero, mas não dá e o motivo todo mundo já sabe. 

Mas por mais que eu queira me afastar, o meu lado dizendo pra ficar fala mais alto. Não dava mais para resistir a isso. 

Estamos tão próximos e tão perto do nosso primeiro beijo. E do meu primeiro beijo, afinal. 

Tenho a mesma sensação do meu quase beijo com Jackson. 

— Yoongi- ah! Noah- ah! — ouço a voz do Jimin ecoar pelos corredores e Yoongi infelizmente se afasta de mim. Desço da pia e encaro meu reflexo no espelho, antes percebo Yoongi atrás de mim com as bochechas rosadas e então se vira, chamando pelo nome do Jimin. Volto a encarar meu reflexo e vejo minhas orelhas voltarem a queimar e minhas bochechas começarem a ficar vermelhas. Já tinha perdido as contas de quantas vezes fiquei assim por sua causa. 

Decido lavar meu rosto, tentando amenizar aquela situação que meu rosto se encontrava e  percebo Jimin entrar no banheiro. 

Não sei o que eles estavam cochichando atrás de mim, já que estavam os dois em quase silêncio, mas eu ouvi que estavam sussurrando um para o outro. Só não sei o que. 

Fecho  a torneira e fico ali por um tempo, vendo as gotas em meu rosto pingarem uma por uma. Não queria levantar agora. Estava com muita vergonha por ter que encarar Yoongi e Jimin. 

O que Jimin estaria pensando de nós agora? Yoongi e eu juntos e sozinhos no banheiro. Nada bem. 

Eu com certeza não seria mais a mesma na frente do Yoongi. 

Que merda, Yoongi! Pt2

Escuto a porta se fechar atrás de mim e solto um suspiro de alívio. Enxugo meu rosto e fico ali por alguns minutos, tomando coragem para ir até a sala. 

Quando finalmente estou pronta para ir, já com as mãos na maçaneta, suspiro e sigo até a sala, de onde eu nunca deveria ter saído desde que Yoongi desceu as escadas. 

Chegando lá com passos lentos, alguns não percebem minha presença e continuam conversando sobre que filme assistir, enquanto  Namjoon, Jimin, Tae e o lindo Yoongi percebem minha presença. Pareciam que estavam me esperando. 

Quero agir normalmente, como se não tivesse acontecido nada, já que eu e Yoongi não havíamos sido pegos de surpresa. Não quero sair daqui sem apresentar justificativas e  poxa, eles tinham me convidado para ficar com eles mesmo assim. E eu não quero sair daqui nem tão cedo. Já que eles tinham aproveitado a maior parte do tempo sozinhos por ficarem dentro da piscina. Ou seja, meu dia com eles estava realmente começando só agora e acho que eles não se importariam se eu ficasse mais um tempinho. 

— Noah, que bom que voltou! —Namjoon sempre me salvando dos momentos em que eu não sei como agir. Sorrio de canto para ele e me aproximo deles — Vamos colocar o filme agora mesmo. Senta aqui. — ele dá algumas batidinhas no espaço do canto ao seu lado, entre ele e Tae. Longe do Yoongi. 

Assistimos um filme bem aleatório da Netflix e Tae, que já estava caindo de sono nos primeiros minutos, apoia a cabeça em meu ombro, enquanto luta contra o sono. No final do filme, Tae já se encontrava confortavelmente apoiado em meu colo, com direito até à almofada, fazendo minhas pernas ficarem um pouco dormentes. 

Por não ter muito o que opinar sobre a escolha de outro filme, apenas decido me descontrair brincando com o rosto de Tae, já que ele tinha tanta liberdade comigo, então não via nada de mal em fazer isso. 

E pensando bem, Tae é o integrante que eu mais tenho intimidade, visto que ele está com a cabeça apoiada em meu colo e que me toca várias vezes ao dia, também estando ao meu lado quase 24 horas por dia. 

Mas esse é o jeitinho carinhoso dele e afinal, nos conhecemos há tanto tempo, mesmo que tenha sido apenas por mensagens. 

E eu realmente criei um amor por Tae, como um irmão mesmo. 

Continuo a fazer carinho em seu rosto e olho para a televisão. 

— Com certeza um filme de aventura cairia bem agora. — Jin palpita. 

— Claro que não. Prefiro mil vezes um filme de terror, isso sim que cairia bem. — Hoseok afirma. 

— Sem essa de filme de terror, prefiro mesmo Stranger Things. — Kookie protesta. 

— Mas isso é uma série, e estamos escolhendo um filme. — Namjoon toma o controle da mão de Kookie. 

— Terror, terror, terror! — Hoseok grita.

— Aventura, aventura, aventura! — Jin. 

— Não, não, não! — Kookie balança a cabeça negativamente. 

— Eu vou escolher o filme. — Namjoon mantém os olhos na TV. 

— Assim não vale, Namjoon! — Jin faz bico. 

Isso leva a um bate boca infinito, o que faz Tae se remexer algumas vezes e Yoongi ficar irado, já que estava ficando entediado com aquela briga e decidido ir dormir. 

Eu vi que Yoongi parecia estar prestes a explodir e esperei um palavrão sair da boca dele. 

— Calem a p%@&# da boca! — Yoongi grita e se levanta. Todos ficam em silêncio e olham para ele, que antes de sair revoltado da sala, olha pra mim e percebe Tae no meu colo. 

Todos escutam os passos pesados de Yoongi subindo as escadas , mantendo silêncio até ele fechar a porta, fazendo um grande barulho ecoar pela sala. Depois todos voltam a debater sobre o filme, o que resulta mais uma vez em uma briga. 

Depois de tanto discutirem, se voltam para mim e pedem minha opinião, já que eu estava apenas observando tudo aquilo. Eu nem estava louca de começar a opinar, aquilo realmente parecia não terminar. 

— Pra mim tanto faz. Não tenho muita preferência em gêneros de filmes. 

Volto minha atenção para Tae, que ameaçava acordar. 

Yoongi parece ter decidido voltar para a sala, dessa vez mais calmo. Ou pelo menos parecia. 

— Agora eu escolho a p%#& do filme. — ele adorava ter essa p@#% na boca nessa p&@%# de boca. 

Yoongi tira o controle das mãos do Namjoon e coloca o filme com a capa mais assustadora de todas. Com certeza era um filme com muito sangue e violência, já que a capa só mostrava isso. 

Eu não ligo muito para esses tipos de filmes, mas com certeza esse não era um filme muito apreciável de se assistir. Acho que ninguém gosta de ver  cenas nojentas com sangue, mesmo sabendo que é pura ficção, não é? Pelo menos era o que eu pensava até ver o Yoongi assistindo os primeiros segundos do filme normalmente, como se aquilo fosse natural. Seria uma forma de castigar os meninos por gritarem tanto assim e interromper seu sagrado sono? Talvez. 

Yoongi se vira com a intenção de sentar e vê Tae ainda deitado em meu colo, mas já com os olhos quase abertos. 

— Tudo bem, pode sair daí. — Yoongi tenta tirar Tae do sofá falhadamente. 

— Me deixa, hyung! — Tae fala ainda sonolento, coçando os olhos e sentado no sofá. 

Com um simples sai pra lá do Yoongi, Tae se convence de que discutir com o ele não vai funcionar e cede um pouco de espaço para ele, que se espreme do meu lado ainda desconfortável. 

E aqui estou eu de novo. Perto do Yoongi. 

Por o filme ser realmente entediante e só ter coisas nojentas, começo a me sentir um pouco sonolenta. Vejo aquelas imagens começarem a ficar um pouco embaçadas e abro totalmente meus olhos ao ver a cena mais nojenta daquele filme até agora. A imagem pareceu ser tão real que eu espremi meus olhos e apertei as minhas coxas, não me importando o quanto aquilo doía. Abro um dos meus olhos esperando que aquela cena já tivesse passado e percebo que uma das coxas não eram minhas. 

Isso parece até piada, mas aquela coxa que se parecia tanto com a minha — só que não — era do Yoongi. E meu GD, que coxa. 

Ao perceber que ele estava me encarando com uma expressão estranha  e que tinha que tirar logo minha mão dali, faço isso e só quis me esconder em algum lugar. 

Eu já tinha passado dos limites. Nunca fiquei vermelha tantas vezes em um dia só. Ah, por que não hajo naturalmente com o Yoongi? 

Por que isso só acontece comigo? 

Só sei que depois do ocorrido, meu sono começou a atacar violentamente e eu já não aguentava mais lutar contra. Só queria dormir e ponto final. 

Depois de tanto lutar contra o sono, decido declarar a minha derrota e acabo dormindo apoiada no ombro do Yoongi, que até apoiou sua cabeça na minha, parecendo também cansado daquelas cenas. 

E eu só me lembro que alguém me carregou até o paraíso — chamado cama — e eu estava cansada demais para abrir totalmente os meus olhos, então apenas cedi. 

Alguém faz um cafuné na minha cabeça — que eu suspeito ser Tae — e depois me cobre com um edredon quentinho, com um perfume que eu já tinha sentido antes. 

Então esse alguém continua a me fazer cafuné,  enrolando algumas mechas do meu cabelo e me olhando a todo momento com o queixo apoiado no colchão, até eu dormir de vez. 

E eu queria tanto que eu pudesse dormir assim todos os dias! 











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...