História O diário de Katy Oswald - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Letícia, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Exibições 22
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Ficção Científica, Romance e Novela, Sci-Fi, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AAAALLLLOOOOO, DESCULPA ESTAR POSTANDO MEIO TARDE... esqueci o caps ligado, btw, espero que gostem :3

Capítulo 38 - Capítulo 37


Meu coração batia forte, minha respiração acelerada, “Por que? Eu amo o Armin mas por que estou me sentindo assim?” não podia fazer aquilo, não podia deixar o Castiel fazer aquilo, cada vez mais torcia pelo termino da música mas sentia como se nunca fosse terminar, ia ficando mais apreensiva, ele aproximou seu rosto do meu, não podia deixar que fosse alem daquilo, falei em um quase sussurro para que mais ninguém escutasse, mas minha voz saiu mais fraca, insegura e relutante que o normal.

Katy: Por favor....não. –De súbito ele se afastou, estava envergonhada demais para encará-lo, então continuamos a dançar sem que um olhasse nos olhos do outro.

Quando tudo aquilo terminou o baile começou, as pessoas dançavam aquelas musicas antigas chatas de deprimentes de baile de idade média, eu não tinha coragem pra encarar o Castiel, e o Armin estava comigo, depois de conversarmos um pouco chegamos a mesma ideia.

Katy: A gente vai mesmo fazer isso? E se der merda?

Armin: Não vai, isso é só um favor para as pessoas aqui.

Katy: Beleza.

Fomos até onde a banda estava, havia um equipamento do amplificação de som e um microfone (as vezes eu não entendo o por que deles terem tecnologia mas insistirem em viver como se estivessem na idade média) o Armin ligou e conectou o microfone.

Katy: Gostaria de pedir licença a todos para dizer que nós vamos animar esse baile.

Ele colocou seu pen drive e Freaks começou a tocar, apagamos as luzes e o Armin fez alguma coisa no sistema de holofotes que fez eles ficarem piscando,nós dois parecíamos dois retardados dançando, mas no drop todo mundo pulou e dançou junto.

Noah: Senhorita, não sei se isso é adequado.

Katy: Noah, ta vendo minha cara? Então, não brinca com ela, aproveita pra curtir um pouco.

Noah: Não acho que deveria...

Katy: Isso é uma ordem. (Dizer que era “uma ordem” sempre funcionava lá)

Depois de varias músicas e quase quebrar meu salto pulando me toquei que não tinha visto o Castiel em lugar nenhum, procurei por todo o salão mas não o via em lugar nenhum depois de ir até uma parte externa parecida com uma sacada senti um cheiro de cigarro e tive certeza de que ele estava por lá, depois de andar feito trouxa mais um pouco, achei ele debruçado no parapeito.

Katy: Ei ruivinho!

Castiel: De novo com isso!? –Ele parecia um pouco irritado então decidi parar.

Katy: Qual é Castiel? Por que tá assim?

Castiel: Assim como?

Katy: Desse... desse jeito ai?                                                     

Castiel: Esse é o único jeito que eu consigo ser.

Katy: Vou repetir o que eu disse pro Noah.

Castiel: O que?

Katy: Tá vendo a minha cara, então, não brinca com ela. –Fui até o lado. –Aqui é realmente muito bonito, vou sentir falta quando ir embora.

Castiel: Então você vai ir embora mesmo sabendo que todo mundo aqui conta com você? Um pouco egoísta da sua parte.

Katy: Você queria que eu fizesse o que? Ficasse aqui? Nós temos que voltar, temos família, amigos e essas coisas.

Castiel: Por nós você quer dizer quem?

Katy: Eu, você e o Armin, ué.

Castiel: Pode me tirar dessa lista ai.

Katy: O que? Por que? Não, e os seus pais? E o Lysandre?

Castiel: Aqueles dois só estavam fazendo o papel dos meus pais, e o Lysandre... eu acho que ele consegue se virar sem mim.

Senti uma lagrima escorrendo pelo meu rosto, Castiel era um dos meus melhores amigos, deixa-lo lá seria como deixar a Rosalya ou o Alexy, talvez até como o Armin, mas eu não poderia simplesmente obriga-lo, por isso deixei as lágrimas rolarem e caírem na pedra fria em que eu me apoiava, mas ainda sim segurando os soluços na esperança de que ele não percebesse.

Castiel: Você chorar não vai fazer eu mudar de ideia, tábua. –Mesmo sem ter olhado pra mim, ele sabia.

Katy: Não estou tentando fazer você mudar de ideia, apenas estou triste.

Castiel: Então para de chorar, essa não é a Katy que eu conheço, aquela Katy é forte.

Katy: Certo, se por forte você quer dizer que ela não demonstrava sentimentos, desculpa, mas nossos conceitos diferem. –Por algum motivo, aquilo o acertou como uma flecha, eu enxuguei meu rosto e o deixei ali. Voltando para o salão puxei o Armin até uma das varandas onde havia um banco mas com pouca iluminação, nós nos sentamos um de frente para o outro.

Katy: Precisamos conversar.

Armin: Não fala assim, isso me lembra minha mãe quando ia dar bronca.

Katy: Kkkk, eu não vou dar bronca, é só um assunto sério mesmo.

Armin: Então fala.

Katy: Eu preciso saber o que vamos fazer, não sei se ficamos ou voltamos.

Ele hesitou um pouco em responder, mas quando falou tinha um sorriso e me olhava nos olhos.

Armin: Não importa o que você escolha, eu vou estar do seu lado e ficar com você, pelo tempo e onde precisar.

Aquela foi a melhor resposta que eu poderia ouvir, saber que o Armin estaria comigo me deixou totalmente feliz e segura, eu o abracei enquanto ria.

Armin: Por que está rindo assim?

Katy: Por que eu estou feliz, ué.

Armin: Posso saber o motivo de você estar tão feliz assim?

Katy: Por acaso você é lerdo? É obvio que é por sua causa.

Armin: Na verdade, eu sei, mas eu só queria ouvir você dizer isso, mesmo.

Eu não queria desfazer o abraço, queria que aquele momento durasse pra sempre, mas senti o Armin me empurrando levemente, não como se quisesse que eu o soltasse, e sim como que para ficarmos frente a frente. Estávamos a centímetros um do outro, eu podia sentir sua respiração, vi seu rosto se aproximando cada vez mais do meu, até o momento que nossos lábios estavam juntos num beijo sem línguas, quase que inocente, como se fosse o primeiro, mas mesmo assim apaixonado, ele acariciava meu rosto gentilmente e eu me aprofundava cada vez mais em seu abraço, meus olhos estavam fechados então não podia ver nada, mas sentia seu cheiro, e aquilo só me deixava mais feliz.

Katy: Obrigada.

Armin: Pelo que?

Katy: Por estar comigo.

Armin: Boba, eu não sei o que faria sem você também.

Katy: kkkk.... eu te amo.

 

Armin: Eu também.


Notas Finais


Pergunta nada a ver que eu quero fazer, vocês estão jogando Eldarya? Se sim, me adiciona lá hehe :3
http://www.eldarya.com.br/player/profile/AgathaAkabane


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...