História O Diário de um Solitário - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mutilação, Passado, Perdas, Sozinho
Exibições 1
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem da histórias, use a imaginação e leia com atenção! Você vai se emocionar, talvez você se identifique com a história.

Capítulo 1 - Perda sem despedida


Fanfic / Fanfiction O Diário de um Solitário - Capítulo 1 - Perda sem despedida

     Olá, eu vou contar uma história baseada em fatos reais, uma história de uma perda, muita dor, muitas saudades. Então pegue o lenço, e embarque nesta história comigo.

    Ela se chama (líndaura), ela é a melhor pessoa que eu já conheci na minha vida! Ela era como uma segunda mãe. Se preocupava, me dava carinho, amor e atenção. Ela vivia brincando comigo, como:
- Ela:Quer vim morar comigo?
-Eu: não!
-Ela: porque?
-Eu: por causa que tem minha mãe!
Eu era um fofo que ela amava muito, ela queria ser minha madrinha mais infelizmente não foi possível.
    Ela mim levava para sua casa, dormia la. Eu ia visita ela sempre, ela mim dava vários presentes lindos. Lembro como hoje, quando ela ia me dar banho, ela lavava meu pezinho falando coisas engraçadas e lindas, quando ela ia me arrumar, o cheiro do perfume o que ela passava em mim, quando ela penteava meu cabelo.
     Passando um tempo ela já não podia mais me dar banho, não podia mais brincar comigo como antes. Ela descobriu um pequeno caroço em seu seio, então ela decidiu fazer um exames. Descobriu que era cânce de mama. Ela começou fazer tratamento, o tratamento era muito forte e foi causando a queda dos seus cabelos. Então ela decidiu fazer o que era preciso, o que iria aliviar mais seu sofrimento, raspando sua cabeça, adotando os lenços. Eu não sei muito sobre o amor mais sei que o amor que tinha por ela é eterno, é lindo, é maravilhoso! Lembro que quando fui visita-la, ela se agachou e falou umas palavras, me abraçou bem forte e em seus olhos lágrimas.
Ela me deu um presente que nunca vou esquecer, guardei em meu coração e na cabeça as lembranças.      Então ela operou para remover seu seio, depois teve que remover o outro seio.
     Em uma noite ela piorou, ela gritava de dor, então levaram ela para o hospital, lá ela ficou internada. Ela estava com muita saudades de mim e eu dela, ela queria muito mim ver e de pressa. Minha mãe tentou me levar várias vezes, mais era proibido entrada para criança.
     Em uma noite ela pediu para reunir toda família, então ela começou se despedi, falar palavras lindas e doces em momentos desespero, ela com certeza deve ter chorado muito ao despedi de suas ( Duas filhas, de sua mãe, irmã) mais estava faltando alguém para ela dizer adeus! Ela foi se despedindo de todo mundo, suas últimas palavras, seu último suspiro. Sua última palavra e seus olhos fechou, sua respiração parou, as máquinas apitaram, e os gritos, desesperos naquele momento que ela fechou os olhos. Naquela noite deitei na minha cama e logo ve uma Luz e no meio da luz vi ela, me abraçando, se despedindo de mim, na mesma hora falei com minha mãe, minha mãe tinha visto a luz também, ela virou e mandou eu dormi. No outro dia ela recebeu a notícia.
Eu estava na casa da minha tia, minha irmã foi mim buscar, pegamos uma corridinha para ver quem chegava primeiro. mal  sabia do que tava preste acontecer. Então chego em casa e minha mãe me chama, ela estava sentada, quando ela falou:
-Ela: não fica triste com o que vou falar não viu, você jurar que não vai?
-Eu: sim.
-Ela: papai do céu levou líndaura, ela foi morar com papai do céu agora.
Quando ela abriu a boca meu mundo acabou, eu estava chorando por dentro, as lágrimas se prendeu em minha garganta e a dor tava me sufocando cada vez mais.
   Mim arrumei e fui para o velório mais minha mãe, minha mãe teve que me pegar no colo, porque eu era muito pequeno, quando ela me levantou eu vi (líndaura) deitada naquele caixão, com um lençol na sua cabeça e os cabelos pretinhos, eu fiquei observando o rostinho dela, os cabelos, e até mim passou na cabeça da noite interior que vi ela se despendido de mim, eu olhando em voltas e muitas pessoas chorando, um desespero total e eu ali com o choro preso na garganta, doendo muito, eu só não queria chorar na frente de todo mundo, eu não queria mostrar minha dor em meio muita gente. Então fechou o caixão para levar até a igreja, a igreja era pertinho, então todos nós fomos andando atrás do carro da funerária. Eu e minha mãe estávamos de mãos dadas e cada passo que dava parecia o fim. Chegando na igreja sentamos no banco, no meio do altar estava o caixão dela, o padre falando palavras e eu ali sofrendo por dentro, então abriu só a janelinha onde tava o rostinho dela, eu ali olhando o rosto lindo que ela tinha pela última vez, nada naquele momento se passou pela minha cabeça. Não fui no enterro. Quando cheguei em casa chorei muito no banheiro, só de imaginar que nunca mais iria ver-la, toca-la, foi e ainda é uma dor muito forte, tão forte que neste exato momento escrevo este livro com lágrimas, lembranças, saudades e uma dor muito grande.
     Eu fecho meus olhos e nele vem as lembranças, quando íamos de mãos dadas até sua casa, quando ela lavava meu pezinho sorrindo, quando ela me abraçava, quando ela me beijava, quando ela dava tchau, quando ela me arrumava, quando ela passava aquele perfume em mim, quando ela sorria, quando vi as lágrimas cai dos olhos dela, quando vi ela com o lenço sobre a cabeça, quando ela tirou seu seio e suportou a dor. O que mais doe em me é que não pude estar presente quando ela falou as últimas palavras, quando ela deu seu último suspiro, não tive a oportunidade de dar o último abraço, o último beijo, e dizer que amava ela muito, não pude pedi ela para ter força e vencer a morte, vencer o câncer. Ela Morreu com vontade de me ver. Eu vi ela se despendido de me naquela noite, mas achei que era apenas uma visão, uma ilusão, coisas da minha cabeça, nunca pensei que era ela se despendido de mim. Deus deu uma oportunidade de se despedir de mim, dizer adeus, mais eu não tive a oportunidade de abraçar ela, dizer coisas que nunca disse, beijar aquele rostinho lindo pela última vez


Notas Finais


Obrigado, por navegar nesta história emocionante comigo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...