História O dinheiro não compra amor - Destiel. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Bela Talbot, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Claire Novak, Dean Winchester, Ellen Harvelle, Gabriel, Jo Harvelle, John Winchester, Kevin Tran, Lúcifer, Mary Winchester, Miguel, Personagens Originais, Rafael, Rowena MacLeod, Ruby, Sam Winchester
Tags Castiel, Dean, Destiel
Exibições 180
Palavras 1.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


segundo capítulo pra vocês, espero que gostem.
não se esqueçam de comentar, porque isso me deixa muuuuuito feliz. ; )

Capítulo 2 - Cadê todo mundo?


Capítulo 2

Cadê todo mundo?

Pov Castiel

O dia anterior fora um verdadeiro borrão para mim, eu não saí do quarto e nem falei com os meus irmãos quando eles vieram me convencer a me alimentar, o que também não ocorreu.

Decidi procurar por esse tal de Dean Winchester na internet, não há tanta coisa sobre ele, mas o que eu descobri já me deu uma má impressão sobre ele.

O nome dele é Dean Campbell Winchester, tem 22 anos e aparentemente viveu sua vida inteira no conforto; A mãe dele se chama Mary e o pai se chama John, os dois são casados e tem dois filhos, Dean e Samuel winchester; Samuel tem 19 anos e é modelo, solteiro, muito lindo e mora junto de Dean e seus pais na mansão Winchester; Dean também é solteiro, teve várias relações com diversas modelos, mas nada sério tem uma empresa de fotografia, que é dominante na cidade de Nova York e em algumas outras cidades (como Kansas, em Lawrence); sua empresa é associada a diversas empresas de moda, como a empresa Vogue e as filiais Novak e Sons;

Depois de procurar por ele na internet, meu estômago começa a roncar, pois eu não comi nada na noite anterior, e estou faminto. Desço as escadas somente de pijama (uma calça de moletom cinza e uma camiseta regata branca), enquanto desço não ouço barulho de nada; da tevê, dos eletrodomésticos da cozinha, dos pacotes de bala que o Gabriel come e Miguel reclamando por Gabriel comer doce demais, o som da Taylor Swift de manhã no quarto ao lado do meu, minha amiga Charlie me mandando mensagens, Miguel batendo as panelas para me acordar e nem sequer os vizinhos barulhentos cantando Macarena enquanto lavam o carro.

Primeiro vou até a cozinha: vazia. Em seguida vou ao banheiro, depois vou ao quarto de Miguel, ao quarto de Gabriel, sala de estar, quarto de visitas, sala de jantar, salão de jogos, porão e sótão, mas a resposta é a mesma, vazios. E não é um simples vazio de falta de pessoas, mas sim de todos os móveis que ficavam lá sumiram do dia para a noite, como uma limpeza de assaltantes rápidos e burros o bastante para deixar o meu quarto intacto.

Saio correndo para o jardim dos fundos, que também está brutal e perfeitamente vazio, a única coisa que preenche esse vazio é a casa atrás de min e a cerca envolvendo ele.

- MIGUEL, GABRRIEL, CADÊ VOCÊS? – Grito o mais forte possível, mas a única coisa que eu ouço é o motor de um carro. UM CARRO! Só pode ser Miguel, já que ele é o único que dirige aqui em casa. Vou correndo em direção ao jardim da frente, o ronco do motor desaparece assim que eu ponho os pés lá na frente, antes que eu possa falar algo, eu percebo que não é Miguel que está saindo do carro, mas sim um homem velho, de altura mediana, cabelos castanhos (quase totalmente brancos), olhos castanho-claros e um olhar que indicava que ele tinha muita sabedoria sobre a vida.

- Ah... Bom dia? – Pergunto a ele antes de ele poder dizer alguma coisa, pela sua aparência ele com certeza veio ver Miguel, pois todo o domingo ele jogava pôquer com conhecidos da empresa. – Me desculpe, mas Miguel não está.

- Na verdade eu vim falar com você, garoto, você deve ser Castiel, eu sou Robert Singer e fui encaminhado de te levar até o senhor Dean Winchester, mas eu recomendo que troque de roupa. – Diz ele me olhando dos pés a cabeça, de repente eu me lembro de que estou de pijama, não consigo conter a vermelhidão no meu rosto.

- Mas como assim me levar, eu nem fiz as minhas malas ainda, tenho que empacotar minhas coisas, comprar uma passagem e me despedir dos meus irmãos e amigos. – Digo olhando para Robert que apenas bufa. Ele que fique bufando, como eu vou para Nova York assim do nada? – Me desculpe, mas eu não posso ir hoje.

- Senhor Novak, tudo o que você precisa já está lá, e caso você necessite de mais alguma coisa, o senhor Winchester poderá arranjar para o senhor. Agora, por favor, se troque para podermos conseguir pegar o voo a tempo, pois o senhor Winchester detesta esperar. – Tudo o que eu preciso já está lá, como assim? Será que esse tal de

Dean está fingindo ser meu amigo ou está tentando se de verdade, uma pessoa legal? Pela reputação dele eu diria que é só fingimento, aposto que nem foi ele quem comprou as coisas (SE comprou elas).

Entro dentro de casa acompanhado de Robert, que parece nem notar que o local está totalmente VAZIO. Subo as escadas e vou em direção ao meu quarto, fecho a porta na cara de Robert e começo a escolher a roupa certa, se eu vou me encontrar com esse tal de Dean, vou fazer ele me achar o mais repugnante possível, para desistir de me trancafiar na casa dele. Acabo por vestir uma calça jeans escura bem apertada nas coxas (é a calça mais feia que eu tenho, mesmo me deixando muito bundudo, ela fica horrível nas pernas), uma camiseta verde com estampa da Daenerys Targaryen, um gorro preto, um par de sapatos dourados da All-star e o meu colar com um “C” de prata em uma corrente simples.

Assim que saio eu percebo que Robert não gostou do meu modelito, mas essa era a intenção. Quando estava no final das escadas eu me lembro que esqueci meu celular em cima da cama, tento convencer Robert a me deixar ir buscar, mas ele apenas me olha bravo e me puxa em direção á porta. Ao sair de casa me desgrudo do aperto de Robert e ando apressadamente até a porta do carro. Robert, que vinha atrás de mim abre a porta e eu entro naquele carro lindo e espaçoso, mas ao me ajeitar no banco eu me deparo com uma visão linda.

Samuel Winchester está dentro do carro.

- Bom dia, Castiel.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, não me matem pelo fato do Sam ter conhecido o cass primeiro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...