História O Dourado Sobre o Escarlate - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bakemonogatari, Monogatari Series: Second Season
Personagens Izuko Gaen, Personagens Originais, Shinobu Oshino, Yotsugi Ononoki
Tags Ação, Aventura, Bakemonogatari, Drácula, Luta, Mistério, Monogatari Series, Morte, Vampiro, Vampiros
Exibições 24
Palavras 6.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"Não importa quem ou o que você seja. Se você visa apenas o passado e o presente, será sempre superado por aquele que visa e caminha para o futuro. "
"Os mais poderosos já caíram por não olhar para o futuro, por pensar que apenas por seus status atuais, eles eram invencíveis."
"Nessa, todos os que pensaram assim, caíram diante aqueles que pensavam adiante, caíram para os que olhavam e caminhavam para o futuro."
"Na maioria das linhas temporais, os seres humanos conseguiram superar tudo, superar as expectativas de todos aqueles que aqui residem, mas, isso só foi possível devido a vontade deles de evoluir, em outras palavras, humanos se tornaram mais fortes devido suas visões para o futuro, colocando os seres do passado, aonde vivem e se proclamam vitoriosos."

Se quiserem saber mais, possos mostrar-les em Tabibito no monogatari.

Capítulo 4 - Arco 2: A Caçada!!!


Fanfic / Fanfiction O Dourado Sobre o Escarlate - Capítulo 4 - Arco 2: A Caçada!!!

“Quando Alguém não cobra pelos seus talentos... Esse alguém é um tolo”

Itou~~

††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††††

 

Centro da Cidade, Kishiwada, Osaka, Fevereiro de 2015, dia 06, 23h48min. 

 

Duas semanas após a batalha dos vampiros novos incidentes começaram a surgir na cidade, os habitantes estavam começando a entrar em pânico com a falta de explicação do governo, primeiro a floresta, o parque e um pequeno prédio onde antes funcionava um centro de cursos de preparação, foram destruídos sem qualquer tipo de explicação, porém, mesmo com tal incidente a desculpa do governo era que, “uma forte tempestade havia destruído aqueles locais”, mas, após tais acontecimentos pessoas começaram a morrer misteriosamente, casas começaram a desmoronar sem nenhuma explicação plausível, apesar das tempestades de vento que estariam ocorrendo naquele local do Japão, nenhuma era forte suficiente para destruir as casas, devido às estruturas da mesma, ao mesmo tempo, ondas gigantescas estavam encobrindo e engolindo os barcos nas docas da cidade, sem explicação alguma, tsunamis que nem mesmo os geólogos mundialmente reconhecidos conseguiam explicar, algo estava errado naquele local, abalando todo o equilíbrio da vida e da natureza, mudando totalmente o curso de acontecimento para aquela pequena cidade.

 

O céu estava escuro aos olhos de todos os seres considerados “comuns”, as luzes do centro da cidade poderiam ser vistas a longo alcance, poucas pessoas ousavam andar pelas ruas em tal horário, contavam às historias que aquele era o horário dos espíritos, um horário que eles se libertavam de suas prisões espectrais e iam atrás de corpos humanos para assombrar, mas para os cidadãos daquela cidade, isso não passava de lenda, já para os seres não-humanos que lá residiam, era comum ver outros seres caminhando durante a noite, sem que fossem interrompidos em suas tarefas, não importando sua natureza.

No centro daquela cidade, agora quieta, estava um homem a “procurar” um ser em especifico, mas era uma tarefa árdua até mesmo para um homem como aquele, o tal estaria acima de um prédio, olhando para todos os locais, procurando por algo ou uma energia em especifico, mas não conseguia encontrar nada, a brisa do local fez com que seus cabelos balançassem suavemente, atrapalhando um pouco sua visão, os fios acinzentados caíam sobre os olhos rubros do homem, o grisalho possuía um grande sobretudo negro, com detalhes metálicos por toda sua roupa,  tal vestimenta encobria seu corpo alto e de porte comum, em sua mão direita encontrava-se um cigarro aceso, já tragado algumas vezes pelo homem, a expressão de seu rosto era calma, como se nada preocupasse o homem, com aquele jeito que possuía, poderia acreditar-se que o grisalho dificilmente ficava alterado ou talvez nunca ficasse.

 

-Se mostre de uma vez...—O homem levou o cigarro até sua boca e tragou o mesmo, logo tirando e segurando a fumaça por alguns segundos, até sentir-las em seus pulmões e então soltando-a em meio ao ar.—Eu não tenho a noite toda...—Dizia o homem com uma voz calma, não mostrando nenhum nervosismo ou ansiedade com aquilo.—

 

Seus olhos percorriam a cidade, em busca da tal energia, mas estava difícil de encontrar-la, apesar de sua imensa capacidade de destruição e o nível de poder que “aquilo” possuía.

Esse homem era especialista em caçar tais coisas, sendo um ser ou qualquer outro tipo de coisa, ele estava totalmente capacitado para lidar com tal energia que estava afetando o equilíbrio natural da cidade, mas o homem não conseguia encontrar tal energia.

Logo o homem sentiu uma energia poderosa, porém similar próxima a si, ele se lembrou de tal energia, não era a que ele estava procurando, mas era alguém que talvez conhecesse quem ou o que estava desequilibrando aquela cidade.

Perto do grisalho estava um homem alto, de porte atlético e cabelos avermelhados, ele estaria a dois prédios ao lado do homem de sobretudo, que estava a tragar novamente seu cigarro, repetindo o ciclo que já havia feito. O ruivo já havia sentido a presença do homem, porém preferiu ignorar-la por um tempo, para que pudesse buscar uma energia, um cheiro ou uma forma especifica, mas o homem não teve sucesso, seus olhos azuis fitaram o homem, ele não parecia ameaçador e ambos já haviam se “encontrado” antes, sim, enquanto o ruivo estava a batalhar com a vampira no parque, de fato era aquele homem, porém seus cabelos não eram brancos e sim, grisalhos, um erro cometido pelo vampiro e pelo luar ilusório que refletia nos cabelos do homem, mesmo com tal erro o vampiro não se importava com o homem, se havia errado ou não, afinal, não o conhecia e mesmo se conhecesse, continuaria a não ligar para tal futilidade, logo o homem saltou do prédio onde estava para perto do grisalho, um único salto foi mais que suficiente para ficar a menos de quatro passos do homem, mas claro, sendo um ser sobrenatural, era extremamente fácil realizar tal ato.

 

-Tu... Estas me perseguindo homem? –Disse o vampiro, enquanto encarava o homem, com uma expressão fria.—

 

-Eu não chamaria coincidência de perseguição. —Disse o grisalho, tragando novamente seu cigarro.— Eu poderia chamar de, “encontro para negócios”.—Completou o homem, gesticulando as aspas com sua mão esquerda.—

 

Logo o homem tragou seu cigarro pela ultima vez, uma tragada longa e que perdurou por alguns segundos, até o homem finalmente soltar a fumaça e jogar o cigarro em direção das ruas da cidade, o vampiro não disse nada por alguns instantes, ele não havia entendido o que o homem havia dito, mas logo se tocou que ele estava a falar sobre a criatura que Morthey procurava, o homem deveria estar interessado em oferecer seus serviços para o vampiro, o que não era uma má idéia, porém não era de extrema necessidade, mas poderia ser um contrato rentável para o ruivo, apesar do homem não gostar da idéia de ter que se aliar a um ser que é exatamente como um humano, mesmo com a energia que o homem emanava, ainda sim, ele era um humano ou já foi a um longo tempo e deixou de ser, mas aquilo não importava no momento, não quando a criatura continuava a destruir e abalar o sistema daquela cidade.
 

-Seja formal e demonstre respeito por aquele que está em tua frente homem. Respeite também o teu formal pedido de negociação.—Disse o vampiro, em um tom arrogante.—

 

O vampiro tinha curiosidade sobre o ser a sua frente, apesar de sua forma arrogante de iniciar uma conversa com o homem, sua energia era diferente de qualquer energia que havia sentido, o homem emanava um cheiro diferente, parecia que ele tinha viajado a diversos locais diferentes durante os anos e os cheiros dos locais impregnaram no tal, não era um cheiro comum, um cheiro de qualquer lugar da face da terra, o ruivo saberia se fosse, afinal, já havia percorrido todos os cantos do planeta, até mesmo os locais mais inóspitos da terra, o homem havia visitado, então ele sabia que o estranho tinha alguma capacidade de viajar para outras dimensões, uma capacidade que aumentou ainda mais a curiosidade do vampiro sobre ele, aquele desconhecido poderia saber muito a respeito de outros locais, muito a respeitos de outras dimensões, Morthey acreditava que o homem possuía uma idade e um conhecimento bem elevado para sua respectiva aparência.

O grisalho por outro lado, não estava muito interessado no passado do vampiro e queria saber apenas se, por ventura, o tal não possuía alguma informação sobre o ser que estaria destruindo tudo no local, porém o homem não deixaria claro para o tal que estava à procura do ser, caso deixasse isso explicito, não poderia cobrar por seus serviços. O tal era um “caçador de recompensas” e caçava especificamente seres que acabassem com o equilíbrio natural de algum lugar, como a “coisa” que estaria destruindo a cidade e causando estragos catastróficos, alterando toda a linha do equilíbrio natural da cidade. Apesar de tudo isso, o homem de sobretudo havia entendido o que o arrogante ruivo estava a dizer naquele momento, como aquilo foi praticamente um pedido informal de negócios, o vampiro estava querendo que o grisalho se apresentasse, antes de tudo.

 

-Se está interessado no meu nome, então basicamente aceitou pelas negociações, não? —O grisalho usava de um tom calmo, ele mantinha a certeza de que era aquilo e logo, sua resposta venho com um aceno positivo de cabeça por parte do vampiro.— Entendo... Meu nome é Itou, sou um caçador de recompensas que estava a perambular pela cidade, quando a chance de um trabalho surgiu.—Disse o tal, que logo completou.— Se você estiver disposto a pagar algo de grande valor, poderia te ajudar com seu caso.—Itou usou de um tom frio e seco, seus olhos rubros cruzaram com os azuis do homem, que logo soltou um suspiro.—

 

-Tu deverias ajudar-me gratuitamente e ficar extremamente feliz por estar ajudando alguém como eu, deveria proclamar meu nome e me idolatrar.—Disse o vampiro, arrogante e cheio de si.— Mas irei respeitar tua profissão homem, sendo ela uma profissão antiga, como tu já me disse teu nome, irei dizer o meu.—Disse Morthey, que logo moveu sua mão, posicionando-a em sua cintura.— Sou Morthey Vladvlaus Draculian, filho da casa de sangue e o ultimo herdeiro do lendário clã de caçadores de demônios.—Disse o homem, que como sempre, usou da arrogância para aumentar ainda mais seu ego.—

 

-Filho de Belmont? Entendo, já escutei falar sobre tal clã e se me lembro bem, já executei um serviço para eles, se você é o ultimo deles a perpetuar, então com certeza sabe com o que eu vou lidar neste trabalho.—Disse o grisalho com seu tom de sempre, que logo viu uma grande e forte rajada de vento aproximar do local onde estavam.—

 

Certamente, a rajada seria capaz de derrubar qualquer pessoa humana, mas ambos que estavam ali não eram humanos, apesar da aparência dos tais ser muito parecida com a de um humano, ainda sim, eles continuavam a não ser humanos, o máximo que a rajada conseguiu foi fazer com que o cabelo de ambos balançassem de acordo com a vontade do tempo, isso e o sobretudo de Itou balançar suavemente.

 

-Tu estarás lidando com um tipo de Deus menor caçador.—Disse o vampiro, sem enrolar.— Um Deus fora do controle e que repentinamente deixou de fazer tuas tarefas cotidianas.—Completou.—

 

-Um Deus? Mas que tipo de Deus estamos lidando aqui?—Questionou o homem, tentando adquirir o máximo de informações possíveis.—

 

-Ichimokuren, uma divindade menor que controla os ventos desta região do Japão, não necessariamente, mas este ser é o Deus do vento que está causando tais atrocidades nesta cidade. Geralmente este desgraçado é pacifico e não interfere nas vidas e no clima dos humanos, mas como tu já percebeste, este ser está causando uma imensa desordem natural nas coisas. —O vampiro usava palavras certeiras, para que o homem entendesse bem com o que ele iria lidar, seus olhos frios e afiados penetravam na alma do grisalho a cada palavra.— O olho que ele possui será teu pagamento, um olho com propriedades que acredito que serão úteis para ti.—O homem apontou seu indicador em direção do sobretudo do homem.— Este cheiro em teu sobretudo, não é algo comum eu diria, não é um cheiro que eu conseguiria descrever, é único e fantástico, porém, ainda sim, consigo descrever com precisão o que tu carregas, tu utiliza de armas para combate, isso é fato, mas ainda sim, não consegui identificar o cheiro que sinto, apesar disso as propriedades que o olho daquele desgraçado possui, pode capacitar ainda mais tuas armas.—Disse o vampiro, que logo cruzou os braços, esperando pela resposta do homem.—

 

Itou estava realmente tentado a aceitar aquela proposta, por mais que lidar com um Deus, mesmo que menor, poderia vir a se tornar um problema, não pelo homem, mas pelo equilíbrio da cidade que já estava bem abalado, a oferta era extremamente tentadora, dizia-se que a capacidade do único olho que Ichimokuren possuía eram incríveis, uma visão fora do comum, um senso de direção ainda melhor e uma incrível e inalcançável capacidade de ser certeiro, podendo cortar milimetricamente uma bolha com suas rajadas de vento, também, se aquele olho fosse utilizado para melhorar uma arma de qualquer tipo, tal arma teria suas próprias capacidades elevadas, criando a capacidade de lançar rajadas de vento de média pressão, o que poderia ser utilizado com as armas que o homem carregava, as armas possivelmente ganhariam a capacidade de fazer as balas irem ainda mais rápidas, com ainda mais pressão, tornando-as assim, ainda mais eficientes para o homem.

O grisalho logo posicionou sua canhota sobre seu queixo, tomando uma pose “reflexiva” diante da situação, ajudar o vampiro para receber tal pagamento se mostrava algo “justo” e interessante aos olhos do homem, porém, ele ainda estava confuso, como iria utilizar os olhos do Deus para aprimorar suas armas? Era de conhecimento cultural que era preciso um ser com grandes conhecimentos nas artes arcanas e principalmente nas artes das trevas, para conseguir fazer com que o olho do Deus fosse utilizado...

 

“Ao menos que ele tenha tais capacidades...”—Pensou o homem.—

 

Itou logo olhou para o ruivo a sua frente procurando saber se ele realmente teria tal capacidade, logo pode-se ver um sorriso convencido no rosto do vampiro, mesmo sendo quase comum para um vampiro ser arrogante e se gabar, eles ainda sim gabavam-se de capacidades que possuíam, não era a toa que conseguiam enganar tantos seres, a índole de mentirosos que possuíam, apenas se mostrava em alguns contos humanos, mas para quem conhecia o mundo sobrenatural em si, sabia que aquilo não era de fato verdade.

Após pensar por alguns minutos, Itou deixou um suspiro escapar de seus lábios, mostrando que já tinha sua resposta, o ser a sua frente, por outro lado, sabia desde o começo qual seria a resposta do homem, apesar de tudo, eles não precisavam nem discutir mais termos de acordo naquela negociação.

 

-Eu aceito.—Disse o grisalho de maneira seca.—

 

-Excelente, agora que tu aceitou o trabalho, podemos caçar-lo.—Disse o homem, com um sorriso diabólico no rosto.— Eu o localizei a um tempo atrás, apesar de não saber tua exata localização, tem algo que ele está protegendo, algo que exala um cheiro muito forte, algo que nem mesmo tu seria capaz de detectar meu caro caçador.—Disse sua ultima frase de maneira debochada, o que não afetou em nada a feição no rosto de Itou.— A energia dos humanos que estão a rezar para tal Deus, está personificando em apenas um local e este é possivelmente o local cujo está.—Completou o homem, que logo colocou a destra no ombro do homem.—

 

-Está dizendo que as orações das pessoas emanam energia para alimentar-lo?—Questionou o homem e com a pergunta correta a se fazer naquele momento.—

 

-Precisamente. Tu tens um ótimo raciocínio meu caro, vejo que irei adorar esta caçada contigo.—O homem riu de uma maneira inexplicavelmente diabólica.— Quanto mais destruição e desequilíbrio ele causa, mais preces e crenças ele consegue, mais conhecimento, mais pessoas sabendo de tua existência, que até a pouco era insignificante.—Disse o homem com um sorriso intrigante em seu rosto.—

 

-Eu posso nos lev..—Antes do homem terminar sua frase, algo o interrompeu.—

 

Quando o grisalho tentou falar, uma aura vermelha encobriu o corpo de ambos os homens, tal aura estava emanando de Morthey e chegando até Itou através da mão direita do ruivo, posicionada no ombro do caçador, logo o prédio se mostrava límpido, não poderia mais ver-los naquele local, não era como se eles estivessem invisíveis ou algo do tipo, era como se a essência e a matéria deles tivessem sido transferidas para outro local, um local muito distante da cidade.

Quando o grisalho se deu por conta, estava em cima de uma grama fresca, suave e completamente bem cuidada, estava distante da cidade, muito distante, deveria estar em alguma montanha, para ser mais especifico, um templo no meio de uma montanha, já que tudo o que conseguia ver naquele momento era arvores cobertas pelas folhas verdes e a entrada de um templo feito com madeira antiga, porém bem conservada, o templo parecia estar sendo visitado frequentemente nos últimos dias, na certa, estavam no templo de Ichimokuren.

Após ter certeza que estava no local certo a aura que estava encobrindo ambos se esvaeceu aos poucos, Morthey então se colocou a frente do grisalho, andando com passos curtos e lentos em direção ao templo que estava bem na frente de ambos, até que ficasse a pouco mais de 8 metros de distância, o templo era muito antigo e realmente bonito, sua estrutura totalmente de madeira de “encaixe”, um método antigo de se construir templos, as madeiras da mais alta qualidade, um telhado piramidal de cor verde, outra característica marcante da arquitetura é a forma dos seus beirais, eles serviam para aumentar o sentimento de estabilidade da harmonia da forma da construção e uma caixa de “pedidos” no meio da porta de entrada do templo, o homem então deu um sorriso de canto como se estivesse alegre de ver tal templo e ele realmente estava, aquele tempo estava consumado de energia, energia suficiente para fazer o que ele queria, mas seu sorriso de felicidade logo seu tornou uma expressão fria e sem vida, seus olhos afiados como lâminas e sua atenção voltada a porta de entrada do templo, que logo se abriu.

 

-Vejo que não venho aqui para me pedir nada.—Disse uma voz juvenil, com um tom rude e cheio de raiva.—

 

Logo ambos os homens conseguiram ver o dono de tal voz, era diferente do que o grisalho esperava, mas ainda sim não se sentia surpreso pelo Deus ter tal aparência, uma aparência juvenil, parecido com um adolescente comum do Japão, ele tinha a pele pálida, os olhos bem desenhados de cor negra, um cabelo da mesma cor dos olhos, de tamanho médio e liso, tal cabelo escorria até a base de seu pescoço e na frente uma franja caia sobre onde seria seu olho esquerdo, apesar de seu tom, sua expressão era calma e serena, ele estava vestindo um quimono preto simples e outro quimono por cima do tal, o outro quimono possuía coloração avermelhada e possuía um desenho de um dragão com um olho só nas costas, ele tinha uma estatura media 1,76 de altura, um corpo magro, porém saudável.

Antes de qualquer outro movimento daquele jovem que residia no templo, Morthey fez um sinal para que Itou fosse para a floresta, possivelmente o caçador entendeu o que o vampiro estava planejando e obedeceu ao comando, porém, antes de ir em direção da floresta, o homem sacou uma pistola de seu sobretudo, uma pistola que se assemelhava a uma magnum .357 e logo efetuou seis disparos em direção do jovem que estava parado em frente ao templo, visando acertar seu corpo, mas também, com o intuito de criar uma distração para que conseguisse correr para a floresta. Os disparos atravessaram o fino papel de arroz que decorava a entrada do templo, deixando os seis exatos buracos na tal, mas não atingiram  o jovem, que deu um salto descomunal, ficando a 6 metros do chão e logo caindo em cima do templo, os olhos dele agora estavam fixos em Morthey, que continuaria parado naquele momento, o homem grisalho já havia corrido rapidamente em direção da floresta, apesar de se parecer com um humano, suas capacidades físicas eram bem elevadas aos deles.

 

-Então Vampiro... Vai me atacar ou apenas observar a paisagem?—Disse o Deus com uma calma extrema.—

 

-Tu não precisas premeditar tua morte Ren.—Disse o vampiro de maneira debochada.— A tua luta começa agora.—Completou o vampiro, que logo materializou sua espada em sua mão direita.—

 

A espada fez a feição do Deus mudar completamente, apesar de ser um Deus, nem mesmo ele conseguiria sobreviver a um corte fatal daquela arma, ele sabia que teria de lutar com todos os seus poderes, ele estava com raiva do ruivo, sabendo que ele estaria com aquela armas em mãos, sabendo que teria que efetuar ataques de grande escala para vencer-lo.

Logo Ichimokuren apontou sua mão direita para o vampiro e um olho duas vezes maior que o de um humano nasceu na mesma, sua íris tinha uma coloração parecida com verde esmeralda e sua pupila era parecida com a de um dragão, então uma energia densa de cor cinza se concentrou em tal olho enquanto o Deus segurava seu braço com a mão esquerda, um ataque extremamente concentrado como aquele, iria destruir o vampiro por completo e era isso que Ichimokuren queria, acabar com aquilo rapidamente, apesar de ter visto o outro homem no local, não se preocupava muito com ele, afinal, não sabia se o homem era forte ou fraco e nem se importava em saber, logo uma imensa rajada de vento foi lançada em direção do vampiro, tal rajada tinha a capacidade de desmembrar-lo completamente, porém ela não conseguiu atingir o vampiro, que utilizou de sua velocidade extrema para escapar do ataque. Tal ato fez com que o Deus ficasse ainda mais irado, mirando novamente no ruivo e disparando uma nova rajada de energia em direção do tal, que abriu suas asas e decolou para o céu, sem atacar o tal no momento.

 

-Desgraçado, pare de correr como uma barata e me enfrente!!!—Gritou em ira o Deus.—

 

-Se tu pedes...—Disse o vampiro, levantando sua face e mostrando um ar de “superioridade” contra o Deus.—

 

O ruivo rapidamente mergulhou em direção do Deus em uma velocidade absurda, o Deus deu um pequeno sorriso satisfatório, como se o homem tivesse feito exatamente o que ele queria e quando o tal se aproximou a 3 metros, Ichimokuren lançou uma grande rajada de vento para frente, mas não acertou o vampiro, que utilizando de seus incríveis reflexos conseguiu desviar da ventania que o homem fizera naquele momento, indo rapidamente para a esquerda e então para baixo, logo o homem estava próximo do Deus, que tentou reagir, mas não conseguiu a tempo, sendo acertado diretamente com um chute em sua cabeça que  fez o tal cair ao chão, saindo de cima do templo, o impacto do Deus criou um buraco três vezes maior que seu corpo, logo o Deus saiu rapidamente da cratera, voando da mesma maneira que o vampiro, porém se o uso de asas, o Deus e o ruivo se encararam por alguns segundos e logo partiram rapidamente um para cima do outro.

Enquanto o Deus e o vampiro batalhavam na frente do templo, Itou traçava sua estratégia, ele havia compreendido o que o homem tentou dizer com o simples sinal, aquele não era apenas o sinal para o caçador ir para a floresta, era também o sinal que ele iria utilizar para o homem atacar o Deus de onde estava como o vampiro havia imaginado, o Deus subjugou o homem e estava prestes a se arrepender de tal feito. Quando Itou viu que o Deus foi jogado ao chão, ele rapidamente retirou um cubo metálico de dentro do seu sobretudo, esse cubo se armou e logo abriu, liberando uma grande maleta preta, quando o homem abriu a maleta, partes de um rifle poderiam ser vistas, um rifle médio parecido com um Hecate, o homem utilizou de ambas as mãos para montar o rifle em poucos segundos, ele possuía uma incrível destreza em ambas as mãos, o que facilitou e acelerou a montagem do rifle, o homem então posicionou o rifle no chão e logo deitou-se para conseguir mais estabilidade e uma melhor posição para atirar, Itou estava apenas esperando pelo sinal do vampiro e então iria atirar com potencia máxima para cima do Deus.

Enquanto o grisalho se posicionava, o homem continuava a lutar contra aquele Deus, enquanto estavam indo para cima um do outro, Ichimokuren lançou uma rajada em diagonal em direção do vampiro, pela localização do corpo do tal  a rajada atingiria seu braço esquerdo certeiramente, possivelmente iria arrancar o membro do ruivo, como ele estava indo rapidamente em direção do Deus não conseguiria desviar do ataque, a rajada acertou um pouco a baixou de seu ombro, cortando o braço do vampiro praticamente inteiro, o braço do tal voou para perto da entrada do templo, uma quantidade significante de sangue havia jorrado do braço do vampiro, mas aquilo não afetou o homem, pelo contrario, deixou ele ainda mais excitado para lutar contra o Deus e logo, um grande sorriso malévolo se formou no rosto do vampiro, que abrupta e rapidamente arrancou a perna esquerda do Deus, utilizando da velocidade que estava e da distancia que se encontrava do Deus naquele momento, Ichimokuren ao contrario de Vlad, fez uma expressão de dor, sentiu como se sua alma divina tivesse sido cortada junto a sua perna, o sangue espirrou na cara do vampiro, que logo parou em meio ao ar e segurou a perna do Deus.

 

-Desgraçado!!! Eu vou torturar você por toda eternidade por isso vampiro!!!—Gritou o Deus enfurecido.—

 

-Ooooh... Estas furioso por que eu arranquei tua perna?—Disse o vampiro de maneira sarcástica.— Tome ela de volta.—O vampiro deu uma baixa risada e logo arremessou brutalmente a perna do Deus na direção do mesmo.—

 

Quando o vampiro arremessou a perna de Ichimokuren, também foi em disparada para cima do Deus, que ao agarrar sua perna, sentiu a espada do vampiro perfurar seu estômago, ele conseguiu sentir sua energia se esvair de seu corpo, mesmo sendo divino, ainda tinha uma energia que poderia ser drenada pela espada do ruivo, que logo posicionou seus pés ao lado da espada cravada no estomago do Deus e impulsionou os pés contra a barriga do mesmo, retirando a espada do estômago do tal e o empurrando em direção ao chão. Quando removeu a espada, uma linha de sangue seguiu o movimento da lâmina, Ichimokuren caiu em frente ao templo, em cima de uma poça de sangue que havia saído do braço de Morthey, que estava logo ao lado da tal poça, as costas do Deus ficou completamente encharcada, seu cabelo, suas pernas, braços e até mesmo parte de seu rosto estava completamente encharcado com o sangue. Para Morthey, o local e a condição em que o Deus se encontrava eram perfeitas, mal sabia Ichimokuren que aquilo estava para acabar naquele exato momento, logo o vampiro fez sua espada desaparecer de sua mão, deixando apenas um rastro azul no ar, logo o homem posicionou o dedo indicador e médio de sua mão direita para o chão em diagonal, aquilo fez com que a poça de sangue cobrisse o corpo de Ichimokuren e tapasse sua boca, o sangue naquele momento parecia uma pasta pesada e resistente, que estava grudada ao corpo do Deus e não permitia que ele se movesse do local, logo uma risada alta saiu da boca do vampiro, que logo deixou o sorriso vitorioso escapar.

 

-Para um Deus tu não és um desafio. Mesmo com teus poderes, tu ainda não conseguiste me vencer Ren, eu sou o mais poderoso ser existente, eu sou o Príncipe das Trevas e sou superior a ti. —O homem deu uma risada baixa.— Eu o venci para provar que nem mesmo tu, um Deus, pode superar-me.—Completou o vampiro com arrogância.—

 

Logo o vampiro moveu seus dedos que estavam levantados para cima, fazendo com que a mão direita da divindade ficasse levantada, ela estava exatamente na mira do grisalho que se escondia na floresta, que não hesitou e puxou o gatilho, atirando certeiramente contra a mão do Deus, quando Ichimokuren escutou o estrondo do tiro, se arrependeu de não ter matado o grisalho, se arrependeu de não ter considerado ele como um oponente também e em pouco menos de 2 segundos, a bala atravessou o olho da mão do Deus, fazendo-o dar um grito ensurdecedor de dor, naquele momento, até mesmo o vento parou de circular pelo local, ficando um clima melancólico como se a própria natureza tivesse ficado de luto momentaneamente.

Morthey caminhou até perto de Ichimokuren e pegou seu braço que estava estirado ao chão, colocando-o novamente em seu corpo e em menos de dois segundos, o braço havia voltado novamente ao normal, logo a poça de sangue no chão evaporou, liberando e limpando o corpo do Deus, que estava caído e de olhos fechados, sua boca sangrava e sua mão direita também, o olho que ela possuía desapareceu, logo o vampiro abaixou-se perto do Deus e enfiou brutalmente sua mão no olho esquerdo do tal, que estranhamente não possuía nenhum olho, apenas o orifício vazio, ele então alcançou o cérebro do Deus, logo arrebentou o cérebro ao meio com o dedo indicador, logo, fez com que sua unha crescesse cerca de 5 centímetros e espetou algo que estava no meio do cérebro da divindade, então o homem retirou sua mão de dentro do olho de Ichimokuren e em seu indicador estava o olho do Deus, a mão do vampiro estava completamente coberta pelo sangue do Deus, o sangue escorria pelo seu braço até chegar próximo ao seu cotovelo, quando o homem levantou-se escutou a voz do grisalho, que estava com as mãos nuas e suas armas já guardadas.

 

-Terminamos. Agora, meu pagamento, encante minha arma com o olho de Ichimokuren. —Disse de maneira calma, porém tentando ser o mais direto possível.—

 

Após ver o vampiro em ação, Itou ainda não havia entendido o “porque” do tal ter aceitado o acordo, ele possuía capacidade e poder mais que suficiente para derrotar Ichimokuren sem a ajuda do caçador e obviamente, já tinha rastreado o Deus muito antes do grisalho, então algumas dúvidas ficavam no ar e principalmente na cabeça de Itou, mas no momento, o homem não iria se preocupar com tal coisa, era insignificante, já que de um jeito ou de outro, havia sido pago para fazer algo que faria de graça.

 

"Quando alguém não cobra pelos seus talentos... Esse alguém é um tolo"—Pensou o homem, relembrando uma frase que utilizava a muito tempo.—

 

-Eu sempre cumpro com meus acordos, me entregue tua arma homem. —Disse o vampiro, de maneira fria.—

 

Itou retirou suas duas magnuns de seu sobretudo e colocou de maneira calma sobre o chão, deixando-as cruzadas, como se formassem um "X", logo deu alguns passos para trás, apenas para ter uma segurança a mais contra aquele feitiço, apesar de não acreditar que o vampiro iria fazer algo contra ele, ainda sim, era melhor se prevenir e estar preparado para qualquer coisa, o grisalho sabia muito bem o tipo de ritual que ocorreria ali, iria corromper o templo e aquele local seria um ima para seres que almejam a morte e a destruição, mesmo que isso levasse um tempo. O vampiro posicionou o olho de Ichimokuren acima das armas e logo apontou sua destra para o corpo do Deus e sua canhota para as armas e logo começou a recitar o feitiço.

 

“Obiectum Habeo ego mitto ad margines mortis exitium numinis telo valuit hic insignis et cruentam mortem.”

 

Ao recitar essas palavras o olho do Deus acima das armas começou a entrar em combustão, porém as armas e a grama não eram afetadas pela chama, que possuía uma coloração roxa.

 

“Haec potentia non est mortua, hoc non potest manere cum qui errant in Purgatorio, quia hoc solius Dei est, hoc ius ut homicida confero uires telum divina Furorem dissipavit Deus relinquo et omne quod est in eo casu in eum qui omisit ira et immortalitas cadit in laqueos mortis.”

 

As armas ganharam um brilho verde assombroso, logo o olho começou a levitar e girar em circulo acima das armas, era como se a própria alma do Deus estivesse pedindo clemência para aquele ato, era como se o Deus estivesse sofrendo, mesmo após sua morte, mas aquele fogo roxo deixava a situação como um "espetáculo" de fim de ano, parecia até um "rojão" girando infinitamente ao redor de algo.

 

“Hic notatur in eo solum quod ego principi tenebrarum, declaramus et ordinamus quod potentiae animae remaneant Dei Ichimokuren arma et vivunt, et manent in saeculum saeculi super eam apud omnes dolor, ira, odio, omnis dolor omnis dolorem Deus, homo factus labes telum nomine Itou. Ego cum potestate tenebrarum et caliginis destructionem imperii divini animi Ichimokuren praedicare Deum ventorum spiritus et animae Dei iratus nativitatem annuntiantes.”

 

Ao proclamar as ultimas palavras do encantamento, um grande dragão de um olho só saiu do olho acima das armas, o dragão urrou como se estivesse sofrendo, como se estivesse chorando e como se estivesse sendo cortado por mais de mil laminas ao mesmo tempo, então o olho do dragão começou a sangrar exageradamente, o sangue percorreu por todo seu corpo até chegar às armas, quando o sangue tocou as armas, uma luz verde florescente emanou das tais, logo as devolvendo sua coloração original, o olho de Ichimokuren ficou completamente preto e o dragão que estava praticamente pendurado no céu desapareceu, sem deixar rastro algum, Itou apenas observou todo aquele ritual, sem mover-se em qualquer momento, o tal não estava impressionado com o que aconteceu ali, já havia visto coisas mais impressionantes, afinal, ele era um cara que poderíamos chamar de “viajado”.

Quando o ritual finalmente acabou, Itou foi e pegou suas armas, ele sabia o que o encantamento teria feito com as tais, ele tinha ciência de que as armas estavam encantadas com a alma de poder do deus, mas não se incomodava com isso, não ligava para tal fato, apenas sabia que seu pagamento tinha sido efetuado, o homem então colocou as armas novamente dentro do sobretudo, logo ficando de costas para o vampiro e colocando um cigarro em sua boca.

 

-Foi um prazer fazer negocio com você Vlad. —Disse Itou de maneira calma, logo acendendo seu cigarro.—

 

-Até mais highlander Itou.—Disse o vampiro, pegando o corpo de Ichimokuren do chão e colocando sobre o ombro.—

 

O homem virou-se rapidamente para olhar o vampiro, aquilo era algo que realmente havia feito o homem ficar surpreso, como aquele vampiro sabia quem ele era? Ele sabia desde o principio isso? Ou descobriu apenas depois? O homem de fato ficou surpreso com aquilo, mas aquela resposta o grisalho não conseguiria naquele momento, já que subitamente o vampiro havia desaparecido, da mesma maneira que fez para chegar ao local, possivelmente fez para ir embora rapidamente, para que não sobrasse tempo para questões, ou simplesmente por não querer ficar naquele local, logo seus olhos rubros olharam para o céu, ele sabia que um certo alguém voltaria a encontrar-lo, ele sabia que isso era irremediável, sabia também que não poderia mudar o que estava a vir no futuro, mas ele simplesmente já havia aceitado aquilo, então o homem deu uma tragada em seu cigarro e começou a descer as escadas do templo, era aproximadamente 4:30 da manhã, mas até mesmo o horário havia se tornado obsoleto para ambos os seres, cujo a aparência esconde a idade. 

Em outro canto da cidade, no castelo de Morthey, o vampiro deixava o corpo morto do Deus no chão, em meio a um circulo mágico dentro de uma das inúmeras salas que aquele castelo continha, mas tal sala parecia ter sido feita especificamente para isso, já que não havia nada nela além do círculo, que logo começou a brilhar intensamente, até começar a engolir o corpo do Deus, o vampiro soltou um sorriso diabólico enquanto assistia o corpo de Ichimokuren ser devorado pelo circulo mágico. Mas o que poderia ser aquele circulo mágico? Será que o vampiro havia usado o caçador de algum modo? O que aconteceria logo depois daquilo? Ninguém sabia a resposta, apenas o vampiro a tinha e a mantinha para si mesmo, ele tinha algo especifico para tais atitudes, logo todos descobririam. Mas estranhamente a vampira que o derrotou não saia de sua cabeça, a mulher e o vampiro tiveram alguns outros encontros durante essas duas semanas que se passaram, os encontros apenas fortaleciam a vontade de um conhecer o outro, talvez o vampiro visasse a mulher para procriar, talvez ele tivesse sentido um sentimento “humano”, ou talvez ele simplesmente tivesse curiosidade quanto a vampira loira de nome extenso, não se sabia ao certo, nem mesmo os dois sabiam o que estava ocorrendo com eles, mas brevemente tudo será revelado.   

 

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...