História O Encanto da Rosa - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Julian Solo, Kiki de Appendix, Mascára da Morte de Câncer, Mu de Áries, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shura de Capricórnio, Sorento de Sirene
Tags Afrodite, Afrodite De Peixes, Afrodite X Shun, Cavaleiros De Ouro, Drama, Gravidez, Mistério, Romance, Shun, Shun de andromeda, Suspense, Traição
Exibições 141
Palavras 4.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus queridos leitores.
Bem, as coisas vão continuar bastante agitadas e quentes.
Espero que gostem e tenham uma boa leitura.

Capítulo 43 - Fortes emoções


Felizmente ninguém suspeitou ou ouviu a briga no jardim, isso deixou os quatro aliviados pois não era justo uma noite tão especial ser arruinada por culpa de dois encrenqueiros.
Em uma das mesas, Sorento conferia algumas fotos em seu celular enquanto seus amigos conversavam, Thetis iria pagar muito caro por estar traindo Julian, ela não o merecia e faria a piriguete ser desmascarada da pior forma possível.

 Já em outra mesa, Shun beliscava alguns aperitivos da tábua de frios que estava em sua mesa, estranhara a demora do pisciano, ele lhe dissera que iria buscar alguma bebida e até agora não voltou. Foi então que viu Hyoga se aproximando e depois parar ao seu lado.

- Boa noite Shun.
- Boa noite Hyoga, perdesse alguma coisa por aqui?
- Credo que mau humor.
- Hyoga fale de uma vez o que você quer.
- Eu estava entediado e vim conversar um pouco.
- Vá procurar os seus amiguinhos e não me incomode. Eu não esqueci das baixarias que você me disse na casa de peixes.
- Eu vou partir em missão em três dias, então vim te convidar para ser a minha dupla.
- É incrível a sua cara de pau, você mesmo disse que eu só te envergonhava e agora vem me pedir para ser a sua dupla?! Vá procurar outro que te agüente.
- Mas...
- Por acaso você é surdo? Ele não vai te acompanhar!

Ao ouvir aquela voz tão conhecida e detestada, Hyoga se vira e vê o pisciano se aproximando, Afrodite tinha uma expressão séria e um pouco incomodada, nas mãos trazia duas taças de coquetel.

- Não se meta.
- Olha o respeito, o Shun não vai te acompanhar. Vá procurar outro.
- Ora seu...
- Mais uma palavra e eu corto a sua língua imunda com uma rosa negra. Agora saia daqui.

Sem alternativa, Hyoga olha ameaçadoramente para os dois e depois vai para outra parte do salão onde estavam Seiya e Shiryu. Como ninguém queria ser sua dupla, resolveu apelar para aquele garoto que lhe dava nojo, mas pelo jeito teria que ir sozinho.
Enquanto isso na mesa, Afrodite entrega um dos coquetéis ao castanho e se senta ao lado dele. Agora sua expressão estava serena como se nada tivesse acontecido.

- Que cara de pau daquele pato em vir te incomodar.
- Ele veio pra cá cheio de interesses, provavelmente ninguém quis ser a dupla dele, daí ele veio até mim como ultimo recurso. Mas eu não vou ser feito de trouxa, ele que vá sozinho.
- Muito bem Shun, às vezes é melhor ser um pouco egoísta do que ser usado e depois descartado. Além disso ele não merece a sua ajuda, agora o pato que se vire sozinho, ninguém mandou ele ser um preconceituoso egoísta.
- É verdade. Mas onde você estava, já estava ficando preocupado com a sua demora.
- Quando eu estava no bar, senti o cosmo do Ikki se alterando e ao ver que ele não estava no salão decidi ver se ele estava aprontando alguma coisa. Momentos depois senti o cosmo do Baldr também se elevar e fui correndo para o jardim. Quando cheguei lá vi os dois brigando, sorte que o Utgard também sentiu os cosmos e me seguiu, felizmente conseguimos acabar com a briga causada pelo frango de padaria antes que virasse um escândalo e arruinasse a noite de todos.
- Não vai me dizer que ele se atreveu a atacar a Esmeralda.
- Sim, pelo que eu entendi, ele se aproveitou que ela tinha ido dar uma volta sozinha e a atacou. Momentos depois o Baldr chegou para defendê-la e eles acabaram discutindo. O Ikki não suportou ouvir umas boas verdades e partiu pra briga.
- Mas ela está bem?
- Sim, ela só ficou nervosa e assustada. Agora ela deve estar com a Marin e o namorado.
- Quem bom que não aconteceu coisa pior. Mas acho que o Ikki arruinou a noite deles.
- Eu acho que não, Baldr me contou do plano dele e nós três bolamos outro para dar uma boa lição no Ikki e no Aiolia.
- Então ele te disse que...
- Sim, ele me contou que você vai ajudá-lo com a surpresa. Me encanta como você se prontificou a ajudá-lo sem nenhum interesse ou pedir algo em troca. Isso mostra o quanto você se importa com eles, seus sentimentos são puros assim como o seu coração.
- Ah Dite, assim você vai me deixar sem jeito. Eu gosto muito de ajudar os meus amigos, é um grande prazer pra mim ajudar o Baldr fazer essa surpresa pra ela, pois a quero ver feliz.
- Já faz bastante tempo que estamos vivendo juntos e você ainda continua me surpreendendo meu querido Shun.
- Mas espere um momento, por que você mencionou o Aiolia? Ele também andou aprontando?
- Ele fez o mesmo que o Ikki, só não atacou a Marin. Ele o Utgard bateram boca, mas felizmente não se avançaram. Como esses dois nos causaram bastante transtornos, decidimos nos unir e dar uma boa lição nesses dois machistas egoístas.
- E o que vocês pretendem fazer?
- Nada muito radical, mas será bastante humilhante e vergonhoso pra eles. E eu vou precisar da sua ajuda Shun. Você aceita se unir a nós para dar o troco nesses dois ignorantes?
- Pode contar com a minha ajuda, já está na hora deles pagarem por todo mal que nos fizeram.
- Ótimo, quando o Baldr nos der o sinal, nós vamos escondidos para a nossa casa buscar o perfume que você escondeu e mais uma coisinha que fará parte do nosso plano.
- Certo, pelo jeito essa festa vai render muito.
- Concordo, mas você está se divertindo?
- Sim, nunca pensei que uma festa formal pudesse ser tão animada e divertida. Mas e você?
- Nem preciso dizer que estou adorando, prefiro festas como essa do que baladas em casas noturnas.
- Eu soube que você e o Mu ajudaram na organização e decoração. Vocês dois tem muito bom gosto, pois está tudo perfeito.
- Obrigado, deu bastante trabalho, mas valeu à pena. E eu digo o mesmo das músicas, você e o Sorento realmente têm muito bom gosto, colocaram de tudo um pouco.
- Fico feliz que esteja gostando, não foi fácil fazer a seleção, mas o resultado compensou o trabalho que tivemos.
-Shun, me desculpe por aquela cena que eu fiz ontem a noite, eu...
- Não há nada que perdoar, eu entendo os seus motivos para ter feito aquilo. Mas você não precisava ficar com ciúmes, pois você é o único que tem um lugar especial e é o mais próximo de mim. Espero que tenham entendido isso.
- Eu entendi, não se preocupe, aquilo não vai acontecer novamente.
- Eu sei que irá cumprir com a sua palavra, e fico feliz que tenha se entendido com o Sorento, ele só foi impulsivo, mas não tinha más intenções.
- Realmente o julguei precipitadamente, mas agora o mal entendido foi resolvido. Espero que ele consiga o amor da pessoa que ele tanto ama. Sinceramente, acho que o Julian ficaria muito bem com o Sorento, aquela Thetis não vale nada. Agora que estamos na metade da noite, ela já deve ter dado em cima da maioria dos convidados.
- É realmente uma descarada, olha lá ela dando em cima do Frodi.
- Por Atena, isso não vai prestar. Eu vou lá antes que...
- Deixe as coisas acontecerem.
- O que?! Você está me dizendo pra deixar uma bomba explodir?!
- Sim, deixe o circo pegar fogo, o Sorento vai agradecer por isso.
- Shun isso é... Ah não, agora ferrou!
- O que?
- Veja você mesmo.

Ao olhar para um dos lados, o castanho vê Lyfia furiosa se aproximando de onde estava seu namorado. Agora sim o circo pegava fogo, aquela piriguete ia ver o que era bom.
Já Afrodite estava apreensivo enquanto via a cena desenrolar diante de seus olhos, torcia para que aquele possível barraco não arruinasse a noite.

Na outra mesa, Thetis se insinuava descaradamente para o guerreiro deus, Frodi já estava ficando irritado com a loira, pois ela não estava nem ai se era comprometido. Mas quando ia fazer algo, sentiu um arrepio na espinha ao ver Lyfia se aproximando rapidamente com uma expressão muito irritada.

- Faça o favor de deixar o meu namorado em paz. Vá procurar outro sua oferecida!
- E se eu não quiser, vai fazer o que tampinha?
- É melhor você sair daqui ou eu grito e todos vão saber a vadia que você é!
- Invejosa. Me chama de piriguete, mas morre de inveja de mim. Eu tenho um corpo de verdade, ao contrario de você que é sem graça.
- E o que adiante ter um corpo escultural se o interior é podre e fedorento. Ao contrario de você, eu tenho conteúdo não apenas uma casca oca.
- Ora sua...
- A verdade dói, não é mesmo? Agora saia de perto do meu namorado!
- Seu? Pois saiba que se eu quiser, eu o tiro de você em poucos minutos sua camponesa imunda!

Frodi fica muito irritado ao ouvir aquelas palavras descaradas da loira, não ia permitir que ela chamasse sua amada daquela forma tão baixa. Mas quando ia se pronunciar para defender Lyfia daquela piriguete, é impedido pela ruiva.

- O que disse?!
- Apenas a verdade. Além de eu ser linda, eu sou uma comandante marina. Já você não é nada, não passa de uma sem graça com esse corpinho apagado, uma camponesa invejosa e imunda que...

Mas antes que a loira pudesse terminar de destilar seu veneno, Lyfia dá um forte tapa em seu rosto a fazendo recuar dois passos. Thetis fica furiosa com aquilo e imediatamente revida atacando o rosto da ruiva com suas unhas. Lyfia dá um grito de dor ao ter a pele ferida pelas unhas da loira.

- Sua infeliz, isso é pra você saber onde é o seu lugar!
- Já chega Thetis, você não tinha nenhum direito de insultar a Lyfia e merecesse o tapa.
- Mas...
- Cale essa sua boca e saia daqui.

Então o castanho vai até sua amada e se assusta ao ver um filete de sangue escorrer entre os dedos da mão dela que cobria o ferimento. Aquilo o deixou ainda mais furioso com a loira.

- Lyfia, eu...
- Cale a boa seu sem vergonha, isso é culpa sua!
- Por favor, eu não...
- Você estava adorando as investidas dela, não é mesmo?! Se realmente se importasse comigo, teria dado o fora nela! Mas não você estava adorando se paparicado por essa vadia!
- Para com isso, eu só estava sendo educado, mas nunca...
- Mentiroso, eu nunca mais quero ver você na minha frente seu cachorro!

Antes que Frodi pudesse fazer alguma coisa, a ruiva sai correndo do salão indo na direção dos banheiros. Esmeralda não perdeu tempo e foi atrás de sua amiga enquanto Baldr tentava acalmar seu amigo.

- Está feliz agora sua piriguete?! Lyfia só te disse a verdade, não passa de uma descarada.
- Calma Frodi, você só vai perder tempo brigando com essa piranha. Vamos para outro lugar.
- Mas e a Lyfia? Eu preciso ver se ela está bem.
- Não se preocupe, Esmeralda vai cuidar dela. Agora é melhor deixá-la se acalmar.

Em outra mesa, Shun e Afrodite estavam pasmos com aquela briga entre as duas. Jamais imaginaram que a loira fosse falar aquelas baixarias e ferir a ruiva daquela forma tão covarde.

- Eu disse que aquilo não ia prestar.
- Nunca imaginei que ela fosse tão baixa, aquilo foi muita covardia. Será que a Lyfia está muito ferida?
- Pela raiva dela, eu acho que ela deve ter ficado bastante machucada. Mas eu não vou ficar aqui de braços cruzados.
- Eu vou com você.
- Não, é melhor você ficar aqui. Eu vou ver como ela está e se precisa de ajuda.

Mesmo um pouco contrariado, o castanho acena com a cabeça e o loiro sai do salão, Afrodite temia que o golpe covarde da loira tivesse causado ferimentos profundos no rosto de Lyfia. Se esse fosse o caso, a ruiva precisaria ser curada e ele era o único que podia fazer aquilo.

No salão, as coisas voltaram ao normal, para a maioria aquilo tinha sido apenas uma briga irrelevante. Já Sorento que estava em uma das mesas, comemorava internamente pelo barraco feito por Lyfia, agora Julian veria quem na verdade era sua querida namorada.
Mas o que aconteceu diante de seus olhos o fez ter vontade de vomitar.

Perto de uma das mesas Julian estava irritado com a conduta de sua namorada, nunca pensou que ela pudesse armar um escândalo como aquele. Thetis estava muito irritada, mas não deixaria a corda arrebentar para o seu lado.

- Isso foi desnecessário, era só ignorar e sair.
- Aquela nojenta me ofendeu, eu só estava conversando com o rapaz quando ela chegou me chamando de piriguete e vadia.
- Mesmo assim não devia ter feito aquilo, você é uma dama não uma garota qualquer.
- Eu só dei um tapa nela, nada de mais.
- Ah, vamos encerrar esse assunto por aqui. Agora tome mais cuidado pra não se meter mais em problemas.
- Eu terei, não se preocupe Julian.
- Ainda está brava comigo?
- Sim, agora com licença, vou retocas a minha maquiagem.

Então a loira sai do salão deixando Julian inconformado com aquela conduta rancorosa da loira. Mas decidiu deixar ela se acalmar e foi até onde estavam Hilda e Shion.
Já na outra mesa, Sorento sentia se sangue ferver de raiva, como Julian podia ser tão cego?! Aquela vadia tinha feito coisa muito pior e ele acreditara na mentira dela. Agora tinha vontade de esganar aqueles dois, estava tão enraivecido que não percebeu Shun se aproximando.

- Fique calmo ela vai ter o que merece.
- É incrível como o Julian é cego, ela o enganou facilmente.
- Eu vi, sei que isso é revoltante, mas uma hora todas as mentiras se voltarão contra ela.
- É o que eu espero, Será que a Lyfia está bem?
- Eu não sei, Afrodite foi ver se ela ficou muito machucada e até agora não voltou.
- Então só nos resta esperar.
- Eu vou até o bar pegar uma bebida pra mim, você quer alguma coisa.
- Não, obrigado.

Momentos depois fora do salão, Afrodite finalmente encontra Esmeralda que estava diante de uma porta trancada. A loira tentava fazer a amiga abrir a porta, mas sem sucesso.

- Então, como ela está?
- Eu não sei, ela se trancou no banheiro e se recusa a sair. Já tentei de tudo, mas ela não me dá ouvidos.
- Deixe isso comigo, sei como fazê-la sair daí.

Dentro do banheiro, a ruiva segurava um guardanapo de pano sobre o ferimento em seu rosto, mas o sangue não cessava. Estava furiosa e muito envergonhada, já não tinha mais vontade de continuar naquela festa, sua noite estava arruinada e tudo por culpa daquela vadia e de Frodi.
Levou um susto ao ouvir fortes batidas na porta e uma voz diferente falar consigo.

- Lyfia, abra essa porta, não adianta ficar se escondendo.
- Vai embora!
- Garota, se você não abrir essa porta, eu arrombo ela agora.

Ao ouvir aquela ameaça, Lyfia abre a porta e fica sem ação ao ver quem era. Já Afrodite ficou apreensivo ao ver o guardanapo quase todo manchado de sangue, pelo jeito a coisa tinha sido bem feia.

- Deixe-me ver isso, se continuar sangrando você pode correr perigo.

A ruiva apenas acena com a cabeça e retira o pano de seu rosto, Afrodite e Esmeralda ficaram chocados ao ver o ferimento no rosto dela. Havia um corte longo e fundo na bochecha da ruiva e por muito pouco as unhas da loira não feriram o olho dela. Depois desse, havia mais dois arranhões nas laterais, mas felizmente tinham sido mais leves. O pior era o corte no meio da bochecha, Lyfia tivera muita sorte, pois poderia ter ficado cega do olho esquerdo caso a loira o tivesse acertado com a unha.

- Céus, isso está horrível! É melhor a levarmos para a enfermaria.
- Não, eles vão dar vários pontos e o rosto dela ficará marcado pra sempre. Eu não vou deixar um rosto tão belo ser estragado por uma sem-vergonha. Lyfia, feche os olhos.

Lyfia apenas acena com a cabeça e fecha os olhos. Antes de fazer algo, Afrodite tira uma foto do rosto ferido da jovem, depois coloca sua mão bem próxima ao rosto dela e começa a emanar seu cosmo para o ferimento. Em poucos instantes aquele corte horrível foi sumindo junto com os outros arranhões. Quando terminou, o roto da ruiva estava como se aquela briga nunca tivesse acontecido.

- Está tudo bem agora, eu curei o seu rosto.
- Muito obrigada, eu sinto muito por aquilo, eu não devia...
- De nada. Está tudo bem, qualquer um faria o mesmo que você naquela situação. Mas evite aquela piriguete, agora sabemos que além de vadia ele também é uma covarde. Agora vamos voltar para o salão antes que venha alguém nos procurar.

As duas apenas acenaram com a cabeça e acompanharam o loiro até o salão, lá cada um foi para um lugar diferente. Lyfia foi com Esmeralda para a mesa onde estavam suas amigas, já o pisciano voltou para a mesa onde estava antes e viu Shun conversando com Sorento, percebeu no mesmo instante que o marina estava muito decepcionado com algo.

- Mas por que essa cara Sorento?
- Aquela piriguete se fez de vitima e o idiota do Julian acreditou.
- Mas que mulherzinha descarada, vejam só o que ela realmente fez com a Lyfia.

Então Afrodite mostra aos dois a foto que tinha tirado com o seu celular do rosto de Lyfia antes de curá-lo. Shun e Sorento ficam chocados ao verem aquele ferimento no rosto da jovem, aquilo fez Sorento repudiar ainda mais a loira.

- É realmente uma cínica, como eu queria dar uma lição nessa sem-vergonha.
- Eu tenho um plano ainda melhor que o primeiro, hoje você vai desmascará-la.
- O que pensa em fazer?
- Confie em mim, é hoje que certas pessoas pagarão por todo mal que fizeram. E essa falsa vai cair feio, esteja preparado.

Assim a festa continuou se seguindo normalmente, Milo estava emburrado pois Camus continuava o ignorando e já estava há um bom tempo na mesa onde estavam Sorento, Afrodite, Shun e Jean o guerreiro deus de Nidhögg.
Eles pareciam conversar animadamente enquanto ele estava ali no vácuo, pois não conseguira pegar nenhuma garota e o francês vinha a todo momento em sua mente.
Outros dois que também não estavam nada felizes, eram Ikki e Aiolia que bebiam no bar enquanto observavam os outros se divertindo, agora estavam ali trocados e encalhados e nada podiam fazer para reverter aquilo.

Perto da hora do jantar, Baldr decide que estava na hora de colocar o plano em pratica. Então mandou um sinal para Afrodite e Shun pelo cosmo. Os dois amigos entenderam que era hora de colocar a mão na massa. Então pediram licença aos amigos e saíram do salão.

- Vá pegar o presente dela e eu vou pegar algo que irá nos vingar daqueles três.
- Mas não eram apenas os dois leoninos?
- Aquela piriguete também terá o que merece. Darei uma ajudinha ao nosso amigo músico.
- O que você está pretendendo? Veja lá o que vai fazer.
- Não se preocupe e confie em mim, esses três terão um castigo do qual nunca se esquecerão.

Quando chegaram em peixes, Shun foi até seu quarto pegar o presente de sua amiga, estava realmente muito ansioso para ver aquele pedido de casamento.
Já Afrodite, foi até o quarto vago onde guardada várias substancias que fazia com os estratos de suas plantas, vasculhou um pequeno baú até que encontrou o que queria. Dois tubos de ensaio com um líquido incolor e outro com um líquido levemente rosado.
Momentos depois, o loiro encontrou o castanho na sala o esperando, Shun ficou intrigado ao ver aqueles tubos.

- Você vai drogá-los?
- Não, o que tenho aqui é algo muito diferente. Esconda isso no bolso da sua camisa.
- Certo, só espero que ninguém desconfie da gente.
- Não se preocupe, estão todos tão distraídos e entretidos que não vão suspeitar de nada.

Em seguida eles voltaram para o salão onde Shun entregou a pequena sacola ao seu amigo que abriu um enorme sorriso, até aquele momento tudo estava indo como tinham planejado.
Sem perder tempo foi até onde estava Atena e pediu para que ela chamasse a atenção dos convidados, a jovem deusa concordou sem questionar, pois sentia que aquilo seria algo muito bom.

- Por favor, peço a atenção de todos os presentes. Um dos nossos amigos gostaria de fazer um anuncio antes do jantar.

Ao ouvirem a voz da jovem deusa, todos olham pra ela e fazem silencio, estavam curiosos para ver do que se tratava. Aquela noite estava prometendo render muito. Em seguida Baldr foi até o centro do salão para que todos o vissem.

- Obrigado pela atenção te todos, eu quero aproveitar essa noite tão especial para fazer um anuncio muito importante.
Há alguns meses eu encontrei uma pessoa muito especial que mudou a minha vida. Quando a conhecia ela era muito arisca e fechada, mas aos poucos fui ganhando sua confiança. Não demorou muito e pude ver como ela estava ferida e maltratada, com o passar do tempo consegui livrá-la desse mal.

Então o jovem guerreiro vai até sua amada e segura em sua mão. Depois a puxa de leve para que ela o acompanhasse até o centro do salão. Esmeralda sentia seu coração acelerar enquanto ele a olhava intensamente.

- Inicialmente nos tornamos bons amigos e com o passar do tempo nos tornamos namorados e passamos a viver juntos. E posso dizer que esses foram os melhores meses da minha vida, pois tenho alguém muito especial ao meu lado. Mas agora vejo que já somos muito mais do que namorados, nosso amor vai muito mais além disso e eu decidi que já está na hora de dar mais esse passo em nossas vidas.

Em um movimento, Baldir se ajoelha perante sua amada e segura sua mão direita, então olhou no fundo dos belos olhos verdes da loira.

- Esmeralda, você quer casar comigo?

A loira fica surpresa e sem palavras com aquela linda declaração e também com o pedido inesperado. Seus olhos estavam marejados de felicidade enquanto sorria alegremente para seu amado.

- Minha resposta é sim, eu quero me casar com você meu amor.

Baldr sorri ainda mais ao receber a resposta que tanto desejava ouvir, então tirou uma caixinha de veludo do bolso de sua calça. Ao abri-la esmeralda viu um lindo anel de noivado, sem perder tempo ele o coloca no dedo anular da mão direita dela. Depois se levanta, mas sem quebrar o contato visual. Então aproximou seu rosto ainda mais do dela e os dois se beijaram diante de todos os presentes que começaram a aplaudir o jovem casal.

Afrodite usou seu cosmo para fazer uma chuva de pétalas de rosa vermelha cair sobre o belo casal enquanto eram aplaudidos fortemente. Atena e Hilda secavam suas lagrimas de emoção enquanto sorriam ao verem como eles estavam felizes.

Quando o casal finalmente se separou, receberam inúmeros cumprimentos dos amigos e dos outros presentes. Depois que as coisas se acalmaram, Baldr entrega o presente a sua amada. Quando abriu a caixa e viu o perfume, a loira abraçou e beijou seu amado como agradecimento. Ambos se sentiam muito felizes.
Mas nem todos estavam felizes, no bar Ikki via tudo com uma expressão atônita, só naquele momento tinha percebido o tamanho da besteira que fizera e o que tinha jogado fora. Mas agora era tarde de mais, Esmeralda iria se casar com outro.
Foi então que Utgard chamou a atenção de todos, agora era Aiolia quem estava apreensivo, não tinha gostado nada daquilo, mas veria do que se tratava.

- Eu gostaria de aproveitar que estamos todos no clima para fazer um pedido a deusa Atena e a nossa representante de Odin Hilda de Polaris.
- Continue, Atena e eu estamos te ouvindo.
- Deusa Atena, eu quero pedir a sua permissão para oficializar o meu namoro com a sua amazona Marin de Águia. E também quero pedir a sua permissão senhorita Hilda, pois sou seu guerreiro deus.
- Utgard, você tem a minha permissão e benção, desejo a vocês muita felicidade.
- Eu faço das palavras da Atena as minhas, sejam felizes.
- Obrigado as duas, isso significa muito pra nós.

Em seguida Utgard beija sua amada ruiva diante de todos, o beijo foi rápido, mas o suficiente para render muitas palmas dos presentes.
Agora foi a vez de Aiolia de quebrar a cara e ter o coração despedaçado, sua ruiva o tinha deixado e estava nos braços de outro, realmente era tarde demais e não poderia fazer nada para tê-la de volta.

- Mas isso merece um brinde, não é todo dia que temos dois casais tão apaixonados.
- O Afrodite está certo, temos que brindar para comemorar.
- Concordo com vocês, o que acha de um brindarmos a eles minha deusa?
- É uma ótima idéia Shion.
- Deixa que eu e o Shun pediremos para as servas servirem um champanhe para brindarmos.
- Obrigado, vamos ficar esperando.

Então os dois vão até a cozinha onde Dália e Anna ajudavam os cozinheiros, as duas servas ficam surpresas ao verem os dois ali na cozinha.

- Em que podemos ajudá-los senhor Afrodite?
- A nossa deusa pediu para que sirvam uma taça de champanhe a todos os presentes.
- Certo, irei pegar as garrafas.

Enquanto Anna foi pegar as garrafas, Afrodite puxou Dália para um canto onde poderia falar com ela.

- Dália, eu quero que vocês sirvam três pessoas por ultimo.
- Algum motivo em especial?
- Sim, e eu quero que distraia a sua amiga para que eu coloque um presentinho na bebidas deles.
- Afrodite, isso pode acabar em confusão.
- Não se preocupe, eu sei o que estou fazendo.
- Certo, e quem são essas pessoas?
- Aiolia, Ikki e Thetis.
- Os três detestáveis?!
- Sim agora preste muita atenção para não trocar as bebidas deles.

Para facilitar as coisas, Dália pega uma taça diferente para não confundir a bebida daquela patricinha descarada. Depois levou Anna para um canto para que Shun e Afrodite colocassem as substancias nas bebidas daqueles três. Depois saíram da cozinha deixando o resto por conta de Dália, Afrodite confiava muito naquela serva que era como uma mãe pra ele, sabia que ela não falharia.

Não demorou muito e elas começaram a servir todos que estavam no salão, Afrodite sorriu ardilosamente ao ver Ikki e Aiolia recebendo suas bebidas das mãos de Dália, não demorou muito e Thetis também recebeu seu presentinho.
Baldr e Utgard também sorriam maliciosamente ao verem os dois com suas bebidas turbinadas. A substância começaria a fazer efeito na hora do baile que seria depois do jantar, aqueles dois teriam o pior castigo e humilhação de suas vidas.
Quando todos tinham sido servidos, Shion levanta sua taça para fazer o brinde.

- Um brinde a esse tempo de paz e a felicidade desses dois casais apaixonados!
- E que todos sejam felizes nesse tempo de paz e tranqüilidade!

Então os presentes levantam as taças e brindam nos grupos que estavam formados, apenas os dois leoninos não tinham motivos para brindar, mas tentaram disfarçar para não chamarem atenção. Ambos beberam todo o conteúdo de suas taças em um único gole, Thetis também não demorou muito a beber todo seu champanhe. Mal sabiam eles que tinham caído em uma terrível armadilha.


Notas Finais


Finalmente o Afrodite colocou seu plano em prática, Já Baldr e Utgard terminaram de quebrar a cara daqueles dois leoninos.
Bem, muitas surpresas vão acontecer na última parte dessa festa, preparem seus corações.

Antes de me despedir, deixo aqui o link de uma linda fic da Akyla que recomendo muito a leitura pra que curte o casal Afrodite e Shun. https://spiritfanfics.com/historia/quando-a-chuva-passar-7086262

Muito obrigada a todos que estão lendo comentando e acompanhando a fanfic. O apoio de vocês é muito importante e significa muito pra mim.
Um grande abraço e até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...