História O engano perfeito||Suga|| - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A.C.E, Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Chan, Donghun, I'M, Jason, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jun, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Wow
Tags Bts, Namjoon, Suga, Taetae, Yoongi
Visualizações 34
Palavras 1.860
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Outro refúgio estranho


Ao acordar me senti tonta, ainda estava vendada e não consegui me mexer - devo estar amarrada - um segundo se passou e eu ouvi vozes e fiquei imóvel, a voz era de uma mulher que eu reconheci pelo jeito de falar - Clarien.

Clarien era uma garota da faculdade que me infernizou durante os primeiros semestres, eu já estava acabando a minha especialização - neurocirurgiã - ela era cardiologista agora e se formara no ano passado mas eu nunca entendi sua rixa comigo. Um segundo depois alguém arrancou a venda do meu rosto violentamente, ao virar pra ver quem foi me deparei com Tae.

Clarien estava vestida em um vestido rosa claro curto, com sapatos de salto preto com brilho e o cabelo preto liso estava em um elegante coque no alto. Sempre achara Calrien mais bonita comparada a mim, eu era baixa com cabelo encaracolado, um pouco palida, e por ser baixa ganhava volume aqui e ali.

Ela por outro lado ela era consideravelmente alta, com cabelos lisos longos, olhos cor de mel, magra porem com curvas lindas e tinha um rosto extremamente limpo e perfeito. Tae a encarava com um olhar estranho, como se quisesse pega-la ou mata-la, eu não sabia decifrar ao certo.

- Veja se não é a Alira - ele exclamou com a voz doce que tinha - amarrada, impotente e humilhada. Esperei tanto por esta cena Pequena Ali.

- Isso tudo é obra sua pela sua rixinha boba comigo Clarien? - exclamei com odio na voz - talvez você quem seja a impotente aqui.

- Calada! - ela gritou - isso tudo é maior que você, nem se passa pela sua cabeça nanica o que é isso tudo. Ah vaidazinha, eu mal comecei e você já está toda destruída. Bem que meu irmão disse, pequena e frágil, muito fácil.

Ela esbanjou um sorriso branco e pegou em uma mesa atrás de si um chicote, a dor me percorreu o corpo ao ser atingida na coxa, ela ria; e eu chorava, depois de mais alguns golpes eu estava ficando com a visão turva e meu corpo ameaçava apagar.

- Eu tenho trabalhos a fazer como médica agora - ela disse perto da minha orelha - fique ai machucada, você merece.

Ela saio da sala e eu comecei um choro desesperado, Tae me desamarrou e me carregou ate um outro comodo, eu não estava mais naquela serei de corredores escuros, talvez nem naquele prédio estivesse, aquele tinha corredores com janelas com grade, podia ver que amanhecia, Tae me carregava como se eu fosse uma princesa das histórias mas eu estava destruída.

Ele me deixa em uma sala com uma maca, havia um homem muito alto com cabelos castanhos com um corte estilo cuia. Ele estava de jaleco, o estetoscópio recaia sobre o corpo magro dele, mas ele era forte, Tae me colocou em seus braços e eu senti os músculos em seu braço.

*Coreano on*

- Pobre Ali - disse o médico - ela exagerou, imagino que essa deve ser pessoal; talvez aquela que todos falam.

- Jin ajude ela, Clarien estragou ela - disse Tae apontando minhas coxas.

Jin se aproximou com gaze, analgésicos, e outros utensílios de primeiros socorros, a dor me atingiu mais quando ele começou a limpar a ferida em carne viva na minha coxa. Ele era cuidadoso, e fazia de tudo para diminuir a dor. Como médica eu sabia reconhecer.

- Pronto Alira - disse Jin terminando o curativo - você está parecendo uma múmia - ele riu.

- Imagino que as múmias não sentiram tanta dor ao serem mumificadas. - exclamei.

Ele também fazia parte da I-Lost, pelo visto o único de todos os coreanos que conheci ali que não era da I-Lost era Tae. Eles ficaram em silêncio por um tempo, eu apenas analisava meu curativo, Namjoon entrou na sala em desespero e eu me assustei. Ele correu em minha direção e acariciou meu rosto.

- Aquela vadia vai pagar pelo que fez com você Ali, eu juro. - disse Namjoon.

- Nam - disse Jin segurando no ombro do amigo - calma, assim você estraga tudo. Tem que manter a calma como fez nesses quatro anos.

- Tae você não fala nada? - eu perguntei.

- Tae não faz parte da I-Lost mas se tornou um aliado aqui - disse Nam - ele não fala nada e nos o ajudamos com treinamento e apoio, se um dia sairmos antes da IHit-Lost ser destruída ele irá conosco. Para editar

Eles me trouxeram roupas e comida e tentaram me animar, me disseram que Ariane estava em um voo para Califórnia e que só o chefe estava com ela. Jin preparou um ensopado de carne delicioso e eu comecei a me sentir melhor. Quando anoiteceu eu fui levada para o quarto de Tae pois o quarto que tinha sido separado estava sendo destruído pela discípula da Clarien, tudo para eu ficar na pior.

Tae foi tomar um banho e eu fiquei ali sozinha, decidi cheretar o lugar, não havia muita coisa ali apenas uma cama king-size, uma escrivaninha com abajur e o armário azul. Abri o armário e encontrei uma foto de Tae com uma garotinha, eles eram bem parecidos, porém a menina tinha cabelos pretos e Tae também tinha mas agora ele estava pintado.

- Sua curiosidade vai matar você aqui, Ali - ele disse atrás de mim - cuidado.

Ele estava apenas de toalha que estava enrolada na cintura, o cabelo castanho estava pingando - outro gato. Ele veio em minha direção e tirou a foto das minhas mão e a guardou eu fiquei imóvel, ele estava muito próximo e um frio percorreu minha barriga.

- Eu não queria... eu só estava... - gaguejei - Desculpe, Tae.

Eu me dirigi a cama e me sentei de costa para ele se vestir, senti um cheiro gostoso vindo dele e isso me afetou de maneira estranha me virei e deparei com ele preste a vestir a camisa listrada vermelha mas parou quando eu o encarei - todos os coreanos daqui tem tanquinho - eu ri com a idéia e ele me encarou atravessado.

- Porque as meninas tem esse costume de rir do nada? - ele perguntou se aproximando - eu tenho cara de palhaço, Ali? - a última frase ele fez questão de falar bem ao pé do meu ouvido.

- Talvez - eu ri - e se eu dizer que tem, vai fazer o que?

- Não brinque comigo Ali - ele disse colocando as mãos na minha nuca - eu gosto de brincar, mas não com você.

Não entendi porque meu consciente ficou frustrado, ele ficou ali pertinho de mim e eu não conseguia tirar os olhos dos dele, ele estava com uma lente de contato, os olhos estavam em uma mistura de verde e preto. Meu corpo vibrou e eu quis encostar minha boca na dele.

- Porque você não se junta a I-Lost? - foi a única coisa que eu consegui dizer, ele me olhou sem expressão mas me soltou bruscamente.

- Não sei se consigo, eles fazem coisas que você nem imagina para manter...

- O disfarce - disse uma voz rouca que eu não reconheci.

Olhei para a janela que dava em um corredor cheio de portas, e lá estava um homem - coreano - com cabelos pretos, pele muito palida, sorriso doce e olhos negros. Vestia camisa de moleton preta com um casaco também preto com forro laranja, calça preta e tênis também preto. Por ser pálido o visual dark caia bem nele. Sem contar que ele era incrivelmente gato, eu simplesmente não tirava os olhos dele; era perfeito e a voz dele me causou arrepio, ele me encarou incrédulo.

- Yoongi você não deveria estar aqui - exclamou Tae.

- É bom ver você também Tae - disse Yoongi - eu só queria ver a tal Alira que tanto falam, garota você é lendária na IHIT-LOST e na I-Lost também.

- Vai me machucar também?! - eu não controlei a tristeza na voz, e as lágrimas surgiram do nada - eu não sei nem porque estou aqui, uma fala de não gostar de mim e outro diz ser culpa do meu pai. Eu sei tão pouco e sou jogada, chicoteada e humilhada e você chega falando assim. Eu cansei disso.

Eu voei pra cima dele lhe atingindo um soco na barriga, ele mal cambaleou e logo estava vindo em minha direção com olhar de ódio, eu cai de joelhos a espera do que seja lá o que ele iria fazer. Ele apenas se ajoelhou ao meu lado e me puxou para um abraço.

- Em outros tempos eu ate iria te meter a porrada Alira - ele começou - mas eu não sou mais nada.

- Eu só quero ir pra casa - eu me aninhei em seu colo e chorei mais - será que é muito ao menos saber o que esta acontecendo?

- Ouvi dizee que você era meio depressiva - disse Yoongi.

★★★

Acordei nos braços de Yoongi no dia seguinte, eu quase não dormira pois fiquei ouvindo Yoongi contar mais sobte ele. Yoongi era da IHIT-LOST mas se tornou um traidor e se aliou a I-Lost, agora ele estava no meio termo, nem totalmente mal porém nem totalmente bom. Ele estava confinado em uma sela no corredor que pode ser visto pela janela que ele entrou.

Disse que há várias pessoas ali, e que gritam por piedade a noite mas como fica em um andar baixo não se escuta no quarto de Tae. Yoongi se despediu e se jogou na janela a baixo, ele estava preso lá mas sabia como fugir da sela sem ser notado, era muito bem treinado; um calafrio me atingiu.

- Temos que ir procurar o Jin, você precisa trocar esses curativos. - disse Tae.

Estavamos indo a procura de Jin quando Jimin apareceu no corredor com olhar incrédulo, ele estava com uma camisa branca com detalhe preto nos lados e calça preta e botas marrom, e um bone super estiloso. Ele sussurrou algo para Tae que me entregou a ele.

Seguimos para um elevador e lá estava Clarien e o chefe que eu reconheci pelo modulador de voz e a máscara. Fomos para um andar bem abaixo e eu comecei a ouvir gritos, meu coração doeu e eu quis chorar - você precisa ser forte Ali - ao chegarmos em um corredor mal iluminado de paredes com cor de verde enferrujado eu reconheci a vista, era o corredor onde Yoongi se jogara, ele estava ali em algum lugar.

Eu quis gritar seu nome, eu me senti segura com ele mas algo dizia para desconfiar dele. Chegamos a um quarto todo surrado com uma cama de ferro e um colchão sujo e rasgado. Havia um banheiro sujo e o cheiro era horrível, minha mala estava em um canto e havia manchas vermelhas ali.

- Bem vinda ao lar - Clarien e o chefe disseram em coro - espero que você não morra antes do nosso plano estar concluído.

Jin entrou no quarto e trocou meus curativos, ele me deu comida e pediu para ser forte; como eu podia? Eu estava sozinha agora e trancaram a porta, eu deitei na cama suja e me abracei ao lençol e comecei um choro desolado, sozinha, machucada, morrendo ao poucos.


Notas Finais


Hiou meus bolinhos de arroz, como disse antes, essa fic está na wattpad faz um tempo, então já tem várias capítulos prontos, vou postar durante a semana. Bjs da pedaço de gente Maque MonHine


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...