História O engano perfeito||Suga|| - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias A.C.E, Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Chan, Donghun, I'M, Jason, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jun, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Wow
Tags Bts, Namjoon, Suga, Taetae, Yoongi
Visualizações 40
Palavras 2.255
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - O que você fez comigo?


★Yoongi on★

  Alira dormia em meus braços de maneira tão singela, eu ri dela por ela dormi de boca aberta e rocar mas ela nem se mexeu, eu havia amolecido desde que a vi, ela mexia comigo de um jeito estranho, e sempre que eu escutava I need u eu pensava nela.

   Eu preciso dela...

  Lembrei de quando eu costumava ser menos frio e mais doce, quando ainda estava na academia com Nam, Jin, Jimin e Kook. Aquela época marcou a minha vida, eu havia conhecido a garota perfeita mas ela fora tirada de mim sem dó, ela estava casada agora; deve até ter filhos, e I need u era a música que me lembrava ela, agora era só a Ali.

  ☆Quebra tempo☆

  No dia seguinte quando acordei Ali já não estava mas na cama, procurei no banheiro e ela não estava lá, eu a encontrei na cozinha fazendo panquecas. Ela sorriu ao me ver mas percebi que não estava bem; logo me preparei para a bomba que ela iria me lançar.

- Eu peguei seu celular - ela disse - então eu estou na situação a mais ou menos um mês e meio.

  Sua voz indicava que ia chorar, eu não sabia o que dizer então só a ouvi.

- Presa, humilhada e maltratada; quase morta; ein? - ela continuou - já que você sabe tudo, o que houve com meus pais?

  Eu congelei, seu tom era frio e eu percebi que mesmo triste ela pensava em cada palavra - Ali, você é igual ao sei pai - ela jogava a panqueca para cima e a pegava com perfeição.

- Responda Yoongi - ela disse elavando a voz em tom de ordem - por favor!

- Ali, quando você chegou no complexo da IHit-Lost eu já estava preso; eu não faço a mínima idéia de onde ou como estão - eu disse - mas acho que estão bem.

- Eu odeio achismo Yoongi - seu tom era de quem estava preste a atacar - já que você não sabe; descubra!

  Eu me levantei fui em sua direção, eu passei meus braços em sua cintura coloquei minha boca em seu pescoço e ela não teve reação.

- Não acha que está cedo demais para ficar me abraçado por trás? - eu me assustei, porque minha BabyGilr estava assim! - acho que é exagero; não?

- Eu não acho - eu pudi ouvi como minha voz saia triste - sem contar que você está na minha "casa".

- Não banque o autoritário comigo - ela se virou e estávamos frente a frente.

  Como ela é baixa eu a olhava de cima, e mesmo parecendo tão pequena e vulnerável seu olhar mostrava outra coisa. O jeito como seus olhos me encaravam eram frios e tinham um ar calculista, como se analisasse cada célula minha.

  Eu queria chegar mais perto dela mas reprimi o desejo, por dentro queria que ela o fizesse mas ela apenas baixou a cabeça e se afastou de mim.

- Só descubra se estão bem ou não! - sussurrou ela - aproveite o café, eu já comi.

- Ali onde você... - falei mas já era tarde ela não estava mas lá, segui em direção do quarto.

  Após o café eu fui atrás dela, ela estava na sala de espelhos dançando, ah BabyGilr por que essa reviravolta, por que eu sinto vontade de guardar você apenas para mim...

  O que você fez comigo?

  Ela dançava tão levemente e nem fez questão de mostra reação a me ver. Eu não conseguia entender meus sentimentos por ela, eu havia superado qualquer possibilidade de gostar de alguém mas ela simplesmente mudou tudo, eu só queria ela agora.

  Eu me sentei no chão ela parou de dançar, ficou para na minha frente como se eu fosse um rato e ela uma cobra, ela se inclinou sobre mim e sorriu.

- Já descobriu o que eu pedi? - ela disse - pela sua cara não, né?

- Se você pegou meu celular por que não pesquisou você mesma?

  Eu senti sua guarda baixar, ela se sentou e ficamos ali cara a cara e sua voz vacilou.

- Eu não tenho a senha... - exclamou - ...pra acessar os arquivos.

Eu sorri e a puxei para perto e fiz cócegas em sua barriga ele começou a gritar e eu ri; quando parei ela estava vermelha.

- Eu preciso de um banho - ela disse.

- Eu vou assistir tv - exclamei.

  Fomos cada um em uma direção, ela para o quarto e eu para a sala.

☆QUEBRA TEMPO☆

  Já era noite, o humor de Ali já tinha melhorado; e ela pediu desculpa por parecer fria, eu a entendo; estaria confuso se tivesse passado por tudo que ela passou nos últimos dias.

- Eu vi sorvete no freezer, 'tá afim? - ela disse.

- Claro!

  Tomamos sorvete assistindo The Big Bang Theori, ela ria muito e era bom saber que mesmo em toda essa situação ela estava rindo. Ela sentia falta dos pais e eu ainda tinha que checar a situação deles. Eu a convidei para ir a sala de controle de minha "casa" , seguimos pelo corredor que leva a entrada da casa e entramos na sala de controle.

  Eu não ficava na minha casa já tinha uns anos então nem lembrava como era o lugar, ainda era a mesma mesa cheia de computadores com os monitores gigantes na parede, as cadeiras acolchoadas pretas a "caixa preta" que me da acesso a tudo que eu quiser.

- Uau - ela disse boquiaberta - tem mas algo de grandioso que você queria me mostra? Porque eu já to quase infartando.

  Eu sorri com o comentário dela e ao em minha mente obscureceu, ela sorria ao olhar aquilo tudo; Ali era como um ser humano super dotado, era dançarina; falava inglês, coreano e francês. Era formada em informática e estava acabando a especialização em medicina.

- Pode cheretar a vontade, Ali - exclamei - eu vou chegar a situação dos seus pais.

  Comecei a decifrar as criptografias dos arquivos de segurança do Brasil e logo tive acesso a vida da família da Ali, chequei as ligações e emails e câmeras de segurança do aeroporto no dia em que ela foi levada.

- Ali! - eu comecei escolhendo as palavras - seus pais acham que você embarcou no meio da confusão e pensam que você esta bem. Basicamente rackearam seu email e mandaram mensagens se passando por você para dizer que estava bem.

- Então meus pais não tem idéia do que estou passando?! - as lágrimas escorreram por sua bochecha - é melhor assim, não quero preocupa-los.

- Eu sinto tanto Ali, eu queria dizer para você pegar um voo e ir para casa mas a IHIT-LOST saberia imediatamente e tomaria providências.

  Ela estava sentada de cabeça baixa, eu me levantei e me agachei na sua frente acariciando seu rosto, ela soluçava baixinho. Eu peguei sua mão e a levei para quarto dela, ao chegarmos ela se jogou na cama e agarrou o travesseiro, se fosse outra pessoa eu riria com a idéia dela estar agarrada ao travesseiro mas agora, eu não sabia o que fazer.

- Por favor, eu não quero dormi sozinha hoje - ela disse - ficar, por favor.

- É claro, BabyGilr - ele se espantou com a forma como a chamei.

  Me deitei ao seu lado e abracei forte, eu odiava ver ela assim mas eu estava tão perdido quanto ela, por causa dela eu não tinha reação, eu não pensava direto, ah BabyGilr o que você faz comigo. Ela adormeceu e logo depois eu também.

  ☆No dia seguinte☆

  Quando acordei Ali ainda dormia, decidi fazer uma surpresa e lhe fazer o café da manhã. Preparei(tentei) preparar uma torta de cereja, era sua favorita. Procurei na Internet a receita e segui bem ao pé da letra, alguns minutos depois a torta já estava no forno.

  Comecei a cantar I need u enquanto arrumava a bagunça que fiz na tentativa de fazer a torta, deixei cair a tigela com os resto da massa da torta, fiquei feliz por ser bem pouco que havia sobrado; um segundo depois ouvi um riso.

- O que está fazendo Suga? - perguntou ela - isso é cheiro de torta?

- Eu queria agradar você então procurei na Internet a receita da sua torta favorita - eu disse dando de ombros.

  Ela veio em minha direção e se abaixou para me ajudar a limpa a sujeira. Nossas mãos seguiram ao mesmo tempo em direção a tigela e nossas mãos se tocaram, ela retirou a mão imediatamente.

  Ela se levantou e foi ate a bancada e pegou um guardanapo se abaixou para limpar a massa. Depois de limparmos a bagunça sentamos na bancada onde sempre comemos e ficamos em silêncio.

- Se importa em ficar olhando a torta enquanto eu tomo banho - eu perguntei.

- Claro! - ela disse.

  Segui para o quarto e fui ate o banheiro, fiquei encarando o espelho grande; que havia em cada banheiro da casa; meu semblante era cansado e abatido, meu olhar parecia doce e a muito tempo eu não vi esse olhar. Fui obrigado a me torna frio, passei por um treinamento rígido e tinha superado qualquer sentimento de afeto, nem pelos meninos que conviveram no treino comigo.

  Eles não tinham se tornado frios como eu mas, não deixavam de ter o passado que eu tive, porém eu tinha sido escalado para um disfarce e acabei traindo minhas origens; me aliar a IHit-Lost foi uma boa e péssima decisão.

  Tomei uma ducha rapida e vesti uma camisa de mangas compridas listrada branca e preta e um short amarelo e azul, fui atrás da Ali que estava inclinada para tirar a torta do forno; eu mordi os lábios afinal eu sou homem então é normal desejar, mas com a Ali era diferente; era mais que desejo.

- Açúcar sua torta está até que com uma cara boa - era riu ao colocar a torta na bancada.

  Ela pegou os pratos e dois garfos para nós, cortou a torta e o cheiro gostoso de creme e cereja exalavam pela cozinha.

- Está uma delícia, Açúcar - ela disse.

- Qual a necessidade de traduzir meu nome? - exclamei.

- Sei lá, é fofo...como você.

- A torta realmente ficou boa, você gostou mesmo? - perguntei meio aflito.

- Sim!!!- disse ela de boca cheia e eu ri, ela era a coisa pequena mas legal que eu já vi.

  Ela estava bonita, os machucados e marcas roxas estavam sarando, as olheiras estavam sumindo e ela sorria. Estava vestida com uma camiseta branca e vermelha e uma bermuda de cintura alta preta.

  Depois do café fomos para o meu quarto - a pedido dela - ela me jogou na cama e depois se jogou ao meu lado rindo.

  ★Ali on★

  Aquela manhã estava ótima, Suga preparou torta de creme e cereja que era minha favorita. Eu também não podia esquecer a sensação da mão dele esbarrando na minha quando fomos pegar a tigela que tinha caído.

  Eu pedi para eu e ele ficarmos deitados no quarto dele. Eu joguei ele na cama e e logo me joguei também, ele parecia aflito. Ficou me fazendo cafune e cantou algumas músicas do BTS pra mim. As voz dele era muito bonita, as vezes ele desafinava de propósito e eu ria.

- Obrigada por me trazer com você na sua fuga - eu disse.

- Minha fuga? - ele disse confuso.

- sim! Você fugiu e me trouxe consigo - exclamei - por que você fez isso? Por que me tirou de lá?

- Eu estava passando pela sua sela e senti pena...

★Yoongi on★

- ...Por que você fez isso? Por que me tirou de lá? - ela disse.

- Eu estava passando pela sua sela e senti pena e quis tira-la de lá - quis parecer o mais frio possível mas minha voz vacilou, ela pareceu triste.

  Eu não aguentava mais, eu queria muito pedir desculpa pelo meu jeito de falar mas meu corpo falou mais alto. Eu puxei ela pelos pulsos e selei meus lábios nos dela, pedi passagem com a língua e ela cedeu, ela abraçou meu pescoço e me puxando para mais perto me fazendo ficar por cima dela.

  Me afastei por conta da falta se ar, ela estava corando e olhava para o lado, eu virei seu rosto para que ela me encarasse.

- Eu não con-sigo - ela disse gaguejando.

- Por causa do seu ex? - perguntei

- Nã-não, eu não consigo olhar diretamente pra alguém assim, tenho vergona - ela disse.

  Eu ri e ela corou mais, eu coloquei uma mecha do cabelo cacheado que caia sobre seus olhos atrás da orelha, então não quis fazer muita cerimônia e selei nossos lábios outra vez; seu corpo pareceu relaxa e ali ficamos um bom tempo apenas nos beijando.

- Eu não tive pena de você Ali... - eu disse - eu já estava planejando fugir, pra ser sincero eu ia fugir no dia que te conheci; eu tinha ido ao quarto de Tae para me despedir dele mas quando te vi tudo mudou. Eu decidi que não sairia dali sem você minha  pequena.

- Então eu não sou a única sentido isso tudo?! - ela disse tocando em seu coração.

  Eu balancei a cabeça em negativa e a beijei outra vez. Depois de muito beijos decidimos ver tv - outra tv na escondida na parede - disse ela rindo.

Assistimos um filme de terro, Ali se assustava mas não gritava nem fazia escândalo, só ficava inquieta na cama.

  Passou um tempo e eu adormeci. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...