História O eterno pode durar até um segundo - MITW - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Andrei Soares "Spok" Alves, Aruan Felix, Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Christian Figueiredo, Douglas "Rato Borrachudo", Eduardo Benvenuti (BRKsEDU), Evaristo Costa, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Castanhari, Felipe Neto, Felipe Z. "Felps", Feromonas, Flavia Sayuri, Gabriel "MrPoladoful", Gabriel Brianez (Lugin), Gabriel Vilhena, Guilherme "Mano Coelho" Coelho, Gustavo Stockler (Nomegusta), Inês Brasil, Isis Vasconcellos (Heeyisis), João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Leandro Pereira (Milho Wonka), Leonardo Bacci (BomDiaLeo), Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Henrique e Rosane Martins (Casal de Nerd), Lucas Lira (Invento na Hora), Luiz Felipe (Luiz 1227), Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Maddu Magalhães, Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Maria Luiza Ramos (MoonKase), Mariana "Satty" Ferreira (Pense Geek), Maycon Lorenz, Murilo Cervi (Muca Muriçoca), Natalia "Nah" Cardoso, Nilce Moretto, Patricia "Pathy" dos Reis, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rafael Moreira, TazerCraft, Thiago Cruz Alves "TerrorBionic", Thiago Elias "Calango", Whindersson Nunes
Personagens Alan Ferreira, Andrei Soares "Spok" Alves, Cauê Bueno, Christian Figueiredo, Daniel Mologni, Eduardo Benvenuti, Evaristo Costa, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Castanhari, Felipe Neto, Felps, Gabriel Tenório Dantas, Gabriel Vilhena, Guilherme Coelho, Gustavo Stockler, Inês Brasil, Isis Vasconcellos, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Leo Bacci, Lucas "LubaTV", Lucas Henrique, Lucas Lira, Lucas Olioti, Luiz Felipe "Luiz 1227", Lukas Marques, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mariana "Satty" Ferreira, Maycon Lorenz, Miguel "Feromonas" Campos, Mike, Milho Wonka, MoonKase, Muca Muriçoca, Nah Cardoso, Nilce Moretto, Pac, Patricia "Pathy" dos Reis, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rafael Moreira, Rato Borrachudo, Rosane Martins, Thiago Cruz Alves, Thiago Elias "Calango", Whindersson Nunes
Tags Cellbit, Cellnix, Jvtista, Jvzende, Kesta, Lemon, Mitw
Exibições 89
Palavras 921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


UHUL CAP AMOOO 🌚
NO CAP DE HOJE TEM DRAMA E TUDO Q O POVÃO GOSTA
CONTINUEM LENDO ❤

Capítulo 35 - Tão perto de mata-lo. - 2 TEMPORADA



P.O.V Cellbit

 Estava sentado do lado de Lívia segurando sua mão e encarando seu rosto com olhos fechados que as vezes se forçavam como se estivesse tendo pesadelos.Senti sua mão se apertar com a minha como se fosse acordar - mesmo eu sabendo que ela estava acordada e não abria os olhos por causa de suas lembranças.

 Ouvi a porta ser aberta e Pac entrar no quarto,Mike parado na porta sem ultrapassa-la,Pac passou direto por mim e passou a mão pela cabeça de Lívia.

 -Sei como é horrível,mas você vai superar. - ele disse,era mais do que eu conseguia ter dito em 16 horas com ela nesse quarto. - Cell,diga pra ela que eu trouxe isso. - ele me entregou uma rosa branca e saiu do quarto. 

 Olhei a rosa,espetei o dedo em um espinho sem querer manchando a rosa,limpei o dedo na roupa mesmo e larguei a flor no criado-mudo.

 -Por que não foi atrás de mim? - ouvi ela perguntar sem abrir os olhos. 

 -Não sabia onde você estava. - fiz uma pausa e a olhei - se eu soubesse nada teria acontecido.. 

 -Você nem tentou,nem tentou me procurar. 

 -Claro que eu tentei,eu só não sabia onde ir.

-O Pac sabia.

 A médica passou no quarto me pedindo pra sair pois já havia passado muito tempo lá, sai do quarto sem responder uma palavra pra Lívia.

 P.O.V Pac

 Estava no carro junto com o Mike,que não disse uma palavra desde que saímos do hospital para o qual eu nunca mais quero voltar.Eu me senti um pouco tonto quando sai pela falta de sol (Ou pelo fato de eu ser um tonto) ,de dentro do carro observei a paisagem,sinceramente quando ele disse que ia me levar pra minha casa me senti estranho,eu sei que minha mãe foi me visitar mas no último ano não tenho passado muito tempo com eles,na verdade só passo meu tempo como Mike ou desmaiando (a maioria desmaiando).

 -Pronto,chegamos! - Mike disse quando o carro parou. - eu vou pra casa,por favor tenta não ser sequestrado.

 -Vou tentar,mas as pessoas me amam tanto que me levam. - sorri e desci entrando em casa.

 Assim que entrei corri para o meu quarto ignorando minha mãe na cozinha e meu pai assistindo futebol na sala (nunca vou entender esse jogo) , me atirei na cama,já ouvi que pessoas que passam muito tempo doentes e de cama depois disso querem é sair correndo,eu quero é nunca mais ter que levantar daqui.Atirei minha mochila com roupas e outras coisas longe,minha mãe apareceu na porta do quarto e me encarou.

 -Eu estava com saudades Tarik! - ela me obrigou a me levantar e me abraçou/quebrou minhas costelas.

 -Mãe,se acalma,eu não morri. 

 -Não dessa vez né,já tava planejando escrever um livro "Meu filho é um zumbi".

-Seria um sucesso,mas enfim,pode me deixar sozinho só um pouco? - pedi

 -Nem pensar,vem jantar comigo e com seu pai agora. - ela me arrastou escada abaixo.

 Preciso nem dizer o quanto foi constrangedor ficar ali comendo com eles me enchendo de perguntas e eu respondendo como se fosse normal.

 -Então...sobre o casamento. - e foi nessa hora que eu quase morri engasgado imaginando como eles ficariam quando eu dissesse que não queria casar. - estou tão feliz Tarik!Será que meu vestido de noiva cabe em você?

 -Nem pense nisso! - ok,eu me recuso a ir de vestido no meu casamento se tiver um casamento.

 -Mas seria tão fofo... - choramingou mamãe.

 -Não vou ir assim.

 -Concordo,aquele branco é horroroso,ele devia ir com o vestido azul.

 -Pai,não ta ajudando. 

 P.O.V Rezende

 -Pedro Afonso de Rezende Posso se você passar a noite nessa janela observando ele eu juro que enfio essa faca no seu cu. - falou JV impaciente

 -Cala boca to tentando fazer leitura labial aqui. -respondi olhando pelo telescópio. 

 -Pedro eu vou embora,fica ai stalkeando quem você quiser e perdendo tempo da sua vida. 

 -Estressado. - ouvi a porta fechar atrás de mim e joguei um vaso cheio de flores na parede,será que as pessoas tiraram a porra do dia para me irritar?

Me joguei no chão deitado de costas na casa de madeira que cai aos pedaços,parecia errado chorar agora,tão perto do fim,tão perto da vingança que agora parecia até sem sentido,tão perto de ter algo que eu já nem sabia mais a sensação,tão perto da felicidade. Tão perto de mata-lo. 

 P.O.V Mike 

 Cheguei em casa e lá estava o pai do qual eu me lembrava,atirado em sua poltrona reclinavel assistindo qualquer programa com mulheres de biquini e tomando um gole de sua garrafa de cerveja.

 -Demorou Mikhael,onde você estava? - perguntou mesmo eu sabendo que ele não se importava.

 -Cuidando do meu namorado talvez? - respondi e comecei a subir as escadas.

-Isso é jeito de falar com seu pai? 

 -É jeito de falar com um idiota.

 -Escute aqui garoto,enquanto morar nessa casa vai ter que ser muito bem educado comigo porque além de ser seu pai EU te sustento. - ele falou se levantando e cuspindo na minha cara.

 -Ótimo,então eu não moro mais aqui. - subi para o quarto e comecei a jogar tudo que eu tinha dentro de uma mala velha

-Você nem tem pra onde ir. - debochou. 

 -Eu me viro,não precisa se preocupar comigo. - falei depois de tacar todas as roupas na mala e colocar outras coisas como lembranças da minha mãe e da minha infância em minha mochila.

 Sem querer deixei cair uma foto,quando a juntei dei uma boa olhada,era eu,Rafael e nosso amigo de infância,eu nunca lembrava o nome dele.  


Notas Finais


Rezende is stalker
Pac eh mais indeciso q eu
Tá foco
Comentem se gostaram e pá
Saikokisu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...