História O Ex do meu Atual - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Bottom!jimin, Ex Do Melhor Amigo, Lemon, Menção Jikook, Menção Vhope, Taemin, Top!taehyung, Vmin, Yoonkook
Visualizações 1.088
Palavras 4.510
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU SEI É NOME DA MÚSICA DA NAIARA AZEVEDO OU SEI LÁ DE QUEM DOS SERTANEJOS DA VIDA MAS EU JURO QUE QUANDO PENSEI NESSA FIC EU NÃO TAVA ESCUTANDO, JURO MESMO DJSKLDSJDKSDJSD

VMIN É TIRO NA MINHA CARA, EU AMO TANTO VMIN PUTA MERDA EU NEM TENHO COMO EXPRESSAR COMO EU AMO ESSE COUPLE AI SOS

É COISA DE EX NAMORADO MESMO, CÊS VÃO VÊ CITAÇÃO TODA HORA SOBRE ISSO MAS É COISA QUE DA TRETA E SE DÁ TRETA NOIS GOSTA

É 3shot, é curtinha e eu espero que tenha ficado aceitável :D

Eu tô de louca aqui postando mas nem revisei nem nada, perdoem qualquer coisa <3

Capítulo 1 - É só o meu ex


Taehyung e Jeongguk gargalhavam.

As risadas altas de ambos os garotos ecoavam pelos cômodos do pequeno apartamento do Kim, sendo possível escutá-las a metros de distância, assombravam a toda a vizinhança naquela noite quente.

Taehyung se encolheu para agarrar a própria barriga que já doía pelos minutos de risadas, arremessando o próprio celular antes em suas mãos no canto de sua cama, a tela estava ligada e aberta no motivo de toda a graça.

— Zoar o meu ex foi a melhor ideia do mundo. — o moreno, Jeongguk, disse após se recuperar da crise de risadas, respirando fundo para fazer com que o ar retornasse aos seus pulmões necessitados. Tossiu algumas vezes por conta da secura que estava sua garganta e voltou a pegar o celular de seu melhor amigo, relendo do conteúdo da conversa. — Ele caiu igual um patinho.

— Eu nunca pensei que o Jimin fosse tão burro. — rebatendo, o Kim consertou sua posição sentando-se despojadamente sobre o colchão desforrado.

O fato era: a sessão de gargalhadas gratuitas fora gerada por uma famigerada ideia vinda da cabeça deveras criativa de Jeon.

Era uma fatídica tarde, Jeongguk resolveu que ir visitar seu melhor amigo, Taehyung, seria uma boa ideia para o arrancar do tédio que estava já que havia sido deixado de lado pelo próprio namorado em um fim de semana por este preferir sair para pescar do que ficar horas a fio assistindo Netflix no quarto de Jeon - e agora, do próprio Yoongi, seu namorado. E de certo, quando chegou a casa do Kim e vira que o mesmo estava mergulhado num mesmo poço de desânimo similar, resolveu que precisavam fazer alguma coisa divertida mas que não poderia ser gasto um tostão já que ambos os estudantes de engenharia apenas usavam a carteira para guardar documentos, está vivia sempre vazia sem fazer o papel natural de guardar dinheiro, fazendo jus aos duros que eram.

Após tanto pensar, Jeongguk decidiu que seria bom passar o dia zoando com alguém e esse felizardo era seu ex namorado: Park Jimin. Haviam namorado durante dois anos completos​, sem dúvidas não foi um tempo perdido e realmente quando decidiram terminar não houve um motivo concreto, conclusivo, simplesmente estavam cansados um do outro mas decidiram que poderiam seguir como bons amigos, esquivando da lei número um dos términos de namoro: exclua o telefone do antigo companheiro da sua lista de contatos.

Com este fator atualizado, o número de Jimin salvo na memória do celular e o melhor amigo com um número desconhecido para o ex namorado, seguiram com uma ideia que podia soar como uma piada infame; Taehyung trocou a foto de perfil de seu contato, colocando no lugar a de qualquer outro amigo que fosse desconhecido para o Park, em seguida chamou-o casualmente e dali se seguiu uma série de afirmações sobre a vida pessoal de Jimin que somente uma pessoa próxima poderia ter acesso, este último se encontrou completamente perdido, assustado com o fato de um desconhecido - que até então ele sequer sabia que na verdade era o melhor amigo de seu antigo namorado, Jeongguk, - saber de toda a sua vida de uma maneira tão pontual, sem de fato ter ciência de que tudo o que Taehyung falava era com base no que Jeon sabia.

Foram dois anos de namoro, era óbvio que Jeongguk conhecia até a última mania de Jimin. Sabia o nome de sua mãe, onde ele morava, o nome de seus irmãos, as coisas que já aprontou na vida, o hospital em que nasceu, o nome completo e etc.

Até acontecimentos como Jimin roubar camisinhas do próprio pai, Jeongguk tinha informado para Taehyung. O Park nunca fora flor que se cheire, diga-se de passagem, e informações tão sigilosas como aquelas nas contas de terceiros era perigoso, afinal, ninguém poderia saber de todos os seus podres tão detalhadamente daquela forma como Taehyung, o desconhecido - ou Mark, como se identificou - que só poderiam ser abstraídas de algo como espionagem. Por um instante, Jimin até mesmo achou que existia mesmo alguém obcecado por si para ter conhecimento de toda a sua vida.

Era assustador.

E com aquele pensamento no vácuo, assim como suas perguntas em busca da identidade do anônimo que o chamou narrando todos os episódios de sua vida, Jimin fora bloqueado do kakaotalk por Taehyung.

— Ele deve achar que tem um psicopata ou algo como um perseguidor atrás dele, tadinho. — Jeongguk tinha noção de ter ido longe demais entregando os segredos de Jimin para o Kim, mas fora uma experiência divertida e não se arrependia. Além do mais, havia sido só uma brincadeira sem fins maquiavélicos.

— Nós não deveríamos ter feito isso, Jeongguk. — debateu o outro, sentindo uma pontinha de culpa o afligir, conquanto, contrariando o que falava, um sorriso quadrado emoldurava seus lábios.

Os dedos compridos do maior passaram a deslizar novamente pela tela do celular, voltando com suas informações iniciais no aplicativo de mensagens - que outrora tiveram de ser substituídas pela do falso “Mark” para que Jimin não desconfiasse de que na verdade não se passava de um conhecido e pseudo melhor amigo de Jeongguk - e a foto de perfil voltou a ser sua própria, que mostrava Taehyung tomando um belo milkshake de flocos com cobertura dupla.

— Ah, relaxa, Tae. Ele nem vai saber quem foi e vai acabar esquecendo. — disse, por fim, checando a hora em seu relógio de pulso. — Você até vai poder desbloqueá-lo daqui a alguns dias, ele nem vai se tocar que tudo não se passava de uma brincadeira criada por mim e que você é meu amigo, ficou sabendo de tudo acerca de Park Jimin por mim. Conheço o meu ex namorado, ele pensa na mesma velocidade que uma lesma.

— Amigos não fazem isso com “amigos”. — se referiu a atual situação em que Jeongguk e Jimin se encontravam, após o término do namoro duradouro. — Sério, eu não consigo entender como você e o Jimin ainda se falam normalmente depois de namorarem. É meio surreal.

— Nós nos damos bem, só isso. — o Jeon respondeu simplista, dando de ombros. — Nosso término nem teve um motivo, a gente só não se gostava mais. Não é porque você e Hoseok depois que terminaram e não conseguem nem olhar um pra cara do outro, que todo término de namoro vai ser igual.

Taehyung suspirou, desviando o olhar ao se lembrar de seu ex namorado. Haviam namorado por pouco mais que dois anos, mas terminaram quando o relacionamento passou a ser estressante e cheio de cobranças, o Kim era uma criança que encontrava motivos para brigar com Hoseok por qualquer razão, a mais frequente sendo ciúme, já o segundo odiava o círculo de amigos de Taehyung. Era ciúme o problema, de qualquer modo. A relação chegou ao fim na mesma época que Jeongguk e Jimin deixaram de namorar, porém ao contrário dos últimos não se falavam mais, sequer mantinham contato.

Porque, de qualquer forma, era desnecessário sabendo que se mantivessem uma amizade só traria mais mágoa e antipática um do outro.

No fundo, o avermelhado invejava como Jeongguk havia construído uma bela amizade com Jimin após o fim do relacionamento de ambos já que não havia conseguido fazer o mesmo sequer tentado.

— Já parou para pensar que talvez vocês só sejam amigos ainda porque se gostam? — Taehyung quis especular um pouco mais, recebendo uma careta engraçada em resposta.

— Ah, não. — negou com um aceno, sendo sincero. — Eu estou feliz com Yoongi agora, de verdade. Estamos morando junto acerca de seis meses, já é alguma coisa, não é?

— Não sei, Yoongi-hyung é meio inconstante. Você nunca sabe o que esperar dele. — soprou uma risada amarga, desviando o olhar.

Yoongi, atual namorado de Jeongguk, de longe era uma boa companhia. Possuía um humor esquisito, uma personalidade forte, cabelos verdes e um sorriso gengival que raramente era exibido. Havia se mudado para a cidade pouco mais de um ano, conheceu Jeongguk logo quando o mesmo havia se tornado um descompromissado  oficialmente e começaram a ficar, trocar beijos até que esse singelo toque se tornasse algo mais… íntimo, quente, evoluísse para um novo nível que eles gostavam de denominar como “namoro aberto”. Bem, esse pseudo relacionamento não se manteve tanto tempo mas deu lugar para algo mais concreto, e logo já estavam dividindo um apartamento próximo a faculdade onde cursavam suas respectivas futuras áreas.

E mesmo com todos os defeitos do Min, Taehyung podia ver que Jeongguk gostava dele e nem em um milhão de anos cogitava a ideia de se separar. Oh, como era difícil ver seu melhor amigo daquela maneira… apaixonado, rendido e definitivamente comprometido, sem se render à sedução que era ter o status de “relacionamento aberto” por mais atrativo que fosse. Jeongguk queria manter aquele namoro que a cada dia mais parecia real com Yoongi.

— Ele tem seus momentos de “ah, me deixa sozinho que hoje eu não tô afim de ver sua cara”, mas eu já me acostumei com isso. — imitou a maneira como o Min falava, fazendo Taehyung rir. — Hoje eu fui trocado por pescaria, nada mais me deixa indignado.

— Se bem que com Jimin era mais como “vamos ficar o dia todo grudados" porque ele era meloso demais e você vivia reclamando disso. — era um fato, talvez o tipo de relacionamento com Yoongi fosse o ideal para Jeongguk.

Mas Taehyung discordava, seu plano de namoro era exatamente o contrário e o que Jeongguk mais detestava; era muita carência acumulada em um corpo só.

— Não importa mais. — se levantou, dirigindo-se até a porta. — Agora eu vou indo, nos vemos amanhã na faculdade.

— Até mais, Gukkie. — acenou, assistindo a porta se fechar um instante depois.

Ao se ver sozinho, jogou o peso de seu corpo sentindo-se afundar no colchão. Encarou o teto por um certo intervalo, apoiando a nuca ruiva nas costas das duas mãos, soprou o ar devagarinho enquanto devaneava para bem longe das paredes de seu quarto.

O que havia feito com Park Jimin era errado? Quer dizer, expor os segredos de uma pessoa para própria, mesmo que de fato ela não saiba quem você é, não pode ser algo a se considerar um crime. Existiam aspectos pecaminosos de fato, porém somente aquele pequeno fragmento de culpa não poderia afligir Taehyung por muito tempo.

A sensibilidade do Kim chegava a ser irritante.

Não era um segredo de estado que o ex namorado de seu melhor amigo fosse, na verdade, um delinquente, no sentido conotativo da palavra, com todas as letras: Park Jimin era, e sempre seria, um desvirtuado de noção e racionalidade. Fugia da imagem de garoto bonzinho que sua aparência esboçava; os cabelos loiros divididos para enquadrar ambos os lados de seu rosto bem desenhado, o queixo franzino, as bochechas acentuadas, os lábios carnudos e luxuriosos que eram os principais utensílios para suas badernas pessoais. Aqueles tecidos rosados e chamativos já haviam desperto gemidos, trazendo homens e mulheres atingirem a volúpia do mais elevado prazer, em qualquer noite casual.

Park Jimin era uma perversão escondido em um rosto de garotinho angelical. Ele podia enganar seus pais, seus professores, seu familiares em geral e a toda e qualquer coisa que lhe conhecesse, porém os anteriores citados tinham algo em comum: a ausência de informações, as quais Taehyung teve acesso por Jeongguk, a pessoa que mais tinha conhecimento dos podres do Park em todo o mundo.

Jimin ainda era jovem, cometia erros como qualquer outro e os escondia. Era bem simples.

E Taehyung, por um ínfimo momento, achou engraçado a maneira assustada como ele se portou quando o primeiro contou sobre sua vida como quem narra uma história de livro. Desde o dia em que havia se mudado pela primeira vez na vida, - para uma cidadezinha no interior - até quando fora ameaçado pelo namorado, este fato fez com que tivesse de se mudar mais uma vez para outra cidade, está sendo a atual em que morava desde então. Taehyung também falou sobre a separação de seus pais quando era menor, e que havia sido uma experiência conturbada para o Park - mais uma informação que somente uma pessoa conhecida teria ciência. Narrou a primeira relação íntima com um homem do dobro de sua idade na época, as aventuras noturnas, às vezes em que usava o carro de seu pai para transar com Jeongguk, quando ainda namoravam.

Talvez o Jeon houvesse fornecido conteúdo demais para Taehyung.

-

Em um outro cômodo do pequeno apartamento, Yoongi e Jeongguk discutiam a lista de compras que se faria necessária para a devida organização do aniversário de dezoito anos do Jeon. Enquanto o esverdeado insistia na ideia de apenas comprar bebidas para que todos ficassem loucos, Jeongguk queria algo mais elaborado, digno de uma festa de um recém-adicionado na faculdade.

Pois, para o mais novo entrar em uma instituição de ensino superior havia superado todas as suas expectativas de vida.

Taehyung os observava do balcão da cozinha, tinha uma torrada enchendo a própria boca e o celular em mãos para o entreter. Sua mochila preta estava encostada em um assento logo ao seu lado, deixando claro que havia acabado de chegar da faculdade — assim como os outros — e estava cansado demais para tentar, de certa forma, entrar na discussão para dar a própria opinião.

— Eu desisto. — Yoongi suspirou, derrotado. — Taehyung, diga para ele que adolescentes não ligam pra coisas como decoração. Eles só querem beber, ficar loucos e transar até não poder mais.

— Ah, hyung… — o de cabelos vermelhos revirou os olhos, se recusando ao pedido do mais velho para que se intrometesse na pequena troca de opinião alheia.

Jeongguk guardou a pequena agenda onde fazia as anotações em qualquer gaveta dos armários altos, jogando-se em uma cadeira ao lado do Kim. Agarrou o prato coberto por torradas, começando a devorá-las no mesmo instante.

— Pode até ser, mas a minha festa será diferente. — retrucou após um intervalo de tempo, de boca cheia. — Vai ser a melhor que todo o campus já viu.

— Eu realmente não acho necessário um drone, Jeongguk. — estava inconformado com a mentalidade de seu namorado; o garoto era futurista ao extremo, muito mais do que se é realmente indicado. — Sério. Quem é que vai reparar se uma festa tem drone ou não?

Taehyung resolveu que deixar os dois namorados discutindo era o mais sensato a se fazer. Quando Yoongi e Jeongguk começavam com aquele tipo de comportamento infantil, a disputa para ver quem era o mais certo, não adiantaria tentar pará-los. Afinal, uma hora ou outra eles logo entrariam em um acordo sem precisar de intromissões terciárias.

O sofá foi o escolhido para ser o seu próximo companheiro. A cabeça ficou apoiada no braço do móvel enquanto o restante do corpo se esticava por toda a extensão, em uma posição confortável.

Voltou a levar o celular até a frente dos olhos, movendo os dedos pela tela entrando no kakaotalk. Por um momento, enxergou o contato de Jimin na lista de bloqueados do seu perfil. Havia mesmo necessidade para tanto? Quer dizer, havia se passado algumas semanas desde a brincadeira saudável proposta por Jeongguk e definitivamente o Park não deveria se lembrar de algo tão insignificante.

A ideia de ser um perseguidor em um perfil falso era mirabolante demais, Taehyung gargalhava nas vezes em que se lembrava dos palpites do garoto.

Automaticamente, o ícone vermelho com a palavra desbloquear se tornou chamativo, no outro Taehyung já não via o porquê de continuar o evitando. Pressionou-o sem pensar duas ou mais vezes e deu de ombros, deixando o celular de lado para tentar dormir e recuperar as horas perdidas de seu sono.

Estudar no período da manhã era realmente uma merda.

 

 

Acordou pela tarde, o celular vibrando em seu colo e o barulho irritante do volume da televisão aos extremos. Levantou o tronco confuso, virando a cabeça para os lados logo notando Yoongi com um controle brincando nas mãos e Jeongguk deitado em seu colo, com o mesmo equipamento e gritando para que o esverdeado deixasse de pressionar o x tantas vezes.

— Isso não vale, Yoonie. — choramingou, promulgando a gargalhada do Min. — É sério, que golpe baixo.

Taehyung olhou para o teto, como se dali pudesse ver os céus para questionar o porquê de eles não serem o tipo de namorados que ficam horas sem se falar. Era só ter um console e um par de controles-remoto de videogame que tudo estaria resolvido; Jeongguk e Yoongi esqueceriam de quaisquer que fossem os problemas conflitantes para se concentrar em qualquer jogo novo que ambos costumavam comprar ao decorrer da semana letiva.

Não que o Kim encontrasse problema em os dois se entenderem tão bem, mas não queria ter o seu sono interrompido pelos gritos de clemência de seu melhor amigo muito menos pelo som estridente das naves espaciais do jogo que sequer teve interesse em saber o nome.

Bocejou, esfregando os olhos para por fim despertar. Abriu a tela do celular, entrando em seu aplicativo de mensagens para checar as novas que havia recebido enquanto dormia.

E céus, não poderia ser o que estava vendo em frente os seus olhos.

Número Desconhecido: Então era você?

Taehyung engoliu em seco e por um instante achou que fosse desmaiar pelo nervosismo. Levantou o olhar para Jeongguk afim de certificar-se de que o mais novo estava distante o suficiente, completamente alheio e intrépido com Yoongi, suspirou aliviado.

O que deveria fazer? Deveria responder? Em uma fração de segundos sua mente gerou diversas hipóteses de uma possível opção. Dentre todas, a mais sensata seria bloquear o número novamente, fingir que nada aconteceu.

Mas não o fez.

Seria interessante saber até onde aquele assunto iria.

Taehyung: Era eu o quê?

Número Desconhecido: Que me mandou as mensagens estranhas falando da minha vida. Cara, se eu soubesse que era você nem teria ficado assustado e ligado pra polícia.

Taehyung: Você ligou para a polícia?

Com toda certeza, o Kim estava surpreso.

Número Desconhecido: É claro que liguei! Vai que era um maníaco atrás de mim. Para saber sobre todas aquelas coisas precisaria ser ou um psicopata, ou um amigo muito íntimo ou… o melhor amigo do meu ex namorado.

Taehyung: Você me conhece?

Jimin: Ah, claro. Você é o melhor amigo do Jeongguk, como eu poderia esquecer de você?

Taehyung: Eu não sabia que… Ah, cara, quando você estava com ele era quase impossível a gente se esbarrar.

Jimin: Mas eu lembro.

Aquilo era no mínimo curioso. Taehyung se lembrava das raríssimas vezes as quais se encontrava, por acidente, com Jimin, quando este ainda namorava seu melhor amigo. E mesmo que às vezes houvessem esses encontros, o diálogo era escasso; Jimin se limitava a encará-lo, ora participando do assunto entre o Kim e Jeongguk, ora apenas concordando sem realmente saber com o que concordava.

Parou de respondê-lo, não tinha o que responder.

Jimin: Mas e aí.. Por quê fizeram aquilo? Foi bem chato.

Taehyung: Foi só uma zoeira, Jeongguk que deu a ideia, não me culpe.

Jimin: Falar de quantas vezes eu e ele transamos no carro do meu pai foi golpe baixo. Aquele idiota não sabe guardar segredo.

Taehyung: Foi só uma brincadeira. Pode ficar tranquilo, já esqueci tudo.

Jimin: Acho bom. Imagina se isso se espalha por aí, é a minha morte na certa.

Taehyung: Jeongguk jamais me contaria sabendo que eu poderia sair falando por aí.

Jimin: É, eu sei, conheço o Jeongguk. Ele já foi meu namorado, lembra?

Taehyung: Sei, Sei. Mas e aí, está fazendo o que?

E a partir dali, uma conversa se iniciou seguindo até alcançar horas, dias, semanas.

De uma brincadeira insensata de Jeongguk, acabaram por fazer com que Jimin e Taehyung se tornassem amigos.

-

— Faltam exatamente cinco dias para o meu aniversário, hyung. — se aproximando, Jeongguk entregou o copo de sorvete para o de cabelos vermelhos que estava sentado em uma das mesas da sorveteria.

Era uma noite calma, tranquila. As ruas estavam pouco movimentadas, a lua brilhava cheia no alto do céu com poucas estrelas e o clima era agradável, nem muito calor sequer frio.

— Já convidou bastante gente? — Taehyung perguntou com a colher do gelado pendendo nos lábios, observando o amigo se acomodar na cadeira em sua frente com um sorriso divertido esboçado no rosto bonito.

— Hm… só o campus inteirinho e… — deu uma pausa, arqueando a sobrancelha ao ver Taehyung segurar o celular em mãos e o encarar como se estivesse ansioso.

Como se estivesse a espera de algo, de alguma coisa. E certamente, Taehyung estava.

Há meses conversava com Jimin, trocavam mensagens seja quando o Kim estivesse realizando alguma atividade extracurricular da faculdade ou tomando banho, qualquer fosse sua ocupação. Era quase como um ritual religioso. Porém, Taehyung nunca chegou ao menos comentar sobre estar trocando mensagens com o Park para Jeongguk, porque, afinal, era seu ex namorado.

E era… estranho estar conversando com um garoto que já partilhou de uma cama e momentos com o seu melhor amigo. Em sua cabeça, Jeongguk nunca poderia aceitar aquilo e certamente se afastaria, aquela não era uma atitude de amigo e de qualquer maneira, Jeon não tinha de aceitar aquela traição vinda do próprio melhor amigo.

Era uma traição, não era?

A verdade era que Taehyung se colocava no lugar de Jeongguk, não sabia como iria reagir caso o mesmo o surpreendesse contando que estava conversando com Hoseok, seu ex namorado. Certamente, seria terrível.

Ex namorados são feitos para serem deixados de lado, dentro de uma gaveta do passado.

— Está esperando alguma coisa, Taehyung? — perguntou o moreno, notando a inquietação do Kim.

Estava tão perceptível assim? Fazia apenas algumas horas que Jimin não o respondia por estar ocupado fazendo algo logicamente, mas isso não justificava sua inquietação e ansiedade.

— Ah, não. — deu de ombros, guardando o celular dentro do bolso da blusa meia estação. — Não é nada, na verdade. É só  minha mãe que disse que iria me ligar hoje, sabe como é aquela coisa de saudade, não é?

Jeongguk assentiu um pouco desconfiado. Resolveu descartar a ideia de seu amigo estar tentando o coagir, o enganar por seja lá qual fosse a razão, e voltou ao que realmente importava no momento: sua festa de aniversário.

— Inclusive, sabe quem eu convidei? — soprou uma risada com a expressão curiosa do avermelhado. — O Jimin.

— Jimin? Park Jimin? Você convidou o seu ex namorado, Jeongguk? — estava um pouco nervoso, surpreso era a palavra que o descreveria.

— Sim, e daí? Ele é meu amigo, uma pessoa legal, eu gosto dele… — mexeu nos cabelos, desviando o olhar. — Como amigo, antes que você insista em perguntar em que sentido.

Taehyung o faria num segundo momento, agradeceu mentalmente por suas perguntas serem sanadas antes de realmente serem feitas.

— Mas, Jeongguk… Ele é… — foi interrompido por um revirar de olhos.

— Esse não é o principal problema, e sim o Yoongi. — abaixou o tom de voz, levando mais uma colherada de sorvete a boca. — Você sabe como ele é. E tem essa de ele saber que o Jimin foi o meu namorado e de não gostar nem um pouquinho dele por isso. Mas ele é meu amigo e eu quero muito que ele vá nessa festa.

— Lógico que o Yoongi não gosta do Jimin, não é como se você gostasse dos ex namorados dele também, não é mesmo?! — Taehyung perguntou retoricamente, num tom de sarcasmo. — Nossa, ele vai achar coisa errada disso aí.

Jeongguk sabia e como sabia. Conhecia o Min como a palma de sua mão para ter noção de qual seria sua reação caso encontrasse Jimin desacompanhado em sua festa — pois ex namorados sozinhos eram sinal de perigo iminente.

— E é por isso que eu tive uma ideia. — retrucou simplista, não dando muita atenção para o alarde do Kim. — Você bem que podia ir com ele, não é?

Engolindo em seco, o avermelhado arregalou os olhos completamente indignado. O que Jeongguk queria dizer com aquela pergunta?

— Quê?

— Ir com ele, Taehyung. — falou em um tom tedioso, sua proposta ao seu ver era algo completamente dentro da normalidade e não um absurdo como o outro esboçava. — Fiquem durante a festa, assim Yoongi vai ver e não vai implicar por Jimin estar lá já que ele vai estar com você, sabe.

Não, Jeongguk só poderia ter enlouquecido. Que porcaria de ideia era aquela?

Taehyung se remexeu na cadeira, incomodado. Não sabia como reagir àquele pedido, era… estranho. Ele já considerava conversar com Jimin uma atrocidade, imagine ter algo a mais com ele.

— E ele não namora, se é isso que está pensando. Se ele for com você, com certeza Yoongi não vai implicar e vai achar até engraçado você estar ficando com o meu ex. — riu nasalado, ignorando o espanto de Taehyung. — Mas vai ser só nessa noite, hein. É só alguns beijos, Tae, que mal tem?

Era oficial: Jeon Jeongguk era maluco.

Por que só na cabeça de Taehyung aquela ideia soava absurda demais?

— Eu não vou fazer isso, Jeongguk. Não tem como… quer dizer, você não percebe que isso é um absurdo? — uma coisa era conversar, manter uma troca de mensagens diárias com o ex de seu melhor amigo, outra coisa era ir além disso como trocar uns beijos.

E o problema não estava em Jimin, longe disso. Ele era bonito, tinha um corpo bem trabalhado, céus, Park Jimin era perfeito.

Mas não deixava de ter tido algo, mesmo que num passado distante, com o seu melhor amigo e quase irmão.

— Por favor, Taehyung! Eu quero muito que ele vá, Jimin precisa ir. Esperei tanto por essa festa, é injusto que as pessoas que eu quero ir não vão por… coisinhas pequenas. — insistiu, juntando as mãos em prece. — Quebra essa pra mim, eu juro que vai ser a última coisa que eu vou te pedir na vida.

A verdade era que Jeongguk já esperava aquela resistência de Taehyung. Era absolutamente normal que ele não quisesse ter envolvimento algum com Jimin, de início até afastou a ideia por ela precisar alcançar picos tão extremos mas era a sua única opção. O Park era seu amigo como qualquer outro, merecia estar presente em um momento que esperou durante anos.

— Por que você não conversa com o Yoongi? Ele pode entender que o Jimin é só o seu amigo e… — deixou de falar ao ver a expressão decepcionada do mais novo.

— Você conhece o Yoongi tanto quanto eu, sabe que ele vai ficar puto e cara… tudo o que eu menos preciso é ficar solteiro justo na semana do meu aniversário. — crispou os lábios, insatisfeito. — Imagina seu melhor amigo chorando e chapando o globo pelos cantos ao invés de estar transando com o namorado com drogas no cérebro.

Uma careta fora feita por Taehyung. Em que ponto da sua vida havia errado para ter um amigo tão... Jeongguk?

— Esquece, eu não vou ficar com o Jimin. — se levantou, dando fim a conversa. — Que ideia maluca, eu hein, Jeongguk.

Ele, definitivamente, não poderia aceitar uma proposta tão absurda.

Aliás, Jimin ainda era ex namorado de seu melhor amigo e se existe uma regra no dicionário de como ser um bom amigo era:

Número 1: não pegue o que já foi pego por um amigo, ainda mais o seu melhor amigo.

 


Notas Finais


meu coraçãozinho de jikook shipper tá bem tristinho mas é isso, aquele famoso ditado do "não se pode ter tudo na vida", tamo ai na atividade

yoonkook é top demais, tinha que ter yoonkook cara eu tô sofrendo me salvem

Enfim, se tu chegou até aqui (ou não né, vai saber) deixa um comentário, por favorzinhoooooo <3 ajuda demais a saber se vocês querem ou não uma continuação. É isso, tô com medo, eu vou sair de fininho aqui como se nada tivesse acontecido


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...