História O exorcista da alquimia - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 14
Palavras 922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Shonen-Ai, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Aqui está o primeiro capitulo, a história do protagonista é igual ao do fullmetal alchemist, mas gostei tanto desse universo que quis tentar usar-la numa fanfic

Capítulo 1 - A minha história, o meu erro


Fanfic / Fanfiction O exorcista da alquimia - Capítulo 1 - A minha história, o meu erro

-Misaki,Satoshi! Venham almoçar- a minha gritava-nos de dentro de casa, corremos para casa e sentamos-nos a mesa preparados para comer, enquanto ela tirava os pratos da prateleria. Era uma mulher com 20 poucos anos, com cabelos loiros atados para baixo e uns olhos azuis.
-Mamãe- o meu irmão mais novo Satoshi, perguntou olhando para mim.
- Sim querido?-ela disse docelmente.
- O pai vai voltar?- pergutou um bocado receoso.
A minha mãe deixou de colocar os pratos na mesa e parou por um instante como se pensasse, depois foi até ao meu irmão e eu, começando a fazer-nos cócegas na barriga.
- Ele vai voltar num instante, nem vais dar conta da sua falta- ela disse enquanto ria connosco.
Tempo presente:
Eu e Satoshi sentavamo-nos agora no chão frio olhando tristemente para a sepultura da nossa falecida mãe.
- Irmão.-ele disse- Vamos voltar para casa tenho frio.
- Que vamos fazer agora, Satoshi?-respondi, num lamento.
- Se calhar deviamos contactar o pa...- falou até que eu o interrompi.
- Nem sequer fales dele! Ele é um desgraçado!mesmo quando a mãe adoeçeu ele não voltou e ainda por isso não veio ao funeral também.
O meu irmão apenas retornou o olhar para a sepultura novamente.
Time skip on:
-  4litros de amónia ,35 litros de agua, 25 kg de carboidratos,1,5 kg de cálcio,
800g de adenosina, 250g de sal, 100g de nitrogenio, 80g de enxofre, 7,5g de fluor,
5g de ligas metalicas, 3 g de silicone- li a receita enquanto colocava os objectos no circulo- escrevemos a formula e agora informação sobre a alma- eu e o Satoshi fizemos um pequeno corte no dedo fazendo as gotas de sangue cair sobre as cinzas.
- É agora, Satoshi- disse olhando para ele, em resposta ele apenas acenou que sim com a cabeça.
Ao por-mos as mãos no círculo, ele começou a brilhar numa luz de azul, mas podiamos ouvir uns sons estranhos vindos do nada.
-Misaki, acho que alguma coisa esta errada- ele disse com medo.
De repente umas mãos vindas do círculo, agararrão no meu irmão levando para o centro do círculo.
- Irmão!-ele gritou, enquanto tentava me alcançar com a mão.
Tentei-me levantar para o apanhar, mas quando tentei reparei que a minha perna esquerda tinha desaparecido.
-Irmão-ele berrou e de repente, o seu corpo todo começou a se desentregava na minha frente.
-Satoshi!!!- disse, tocando na linha do círculo de transmutação.
Reapareci num estranho lugar, a minha volta não havia nada nem ninguém apenas uma dimensão vazia na cor de branco.
- Com que então chegaste, né?- uma figura toda branca sem rosto falou para mim.
- Onde eu estou e quem és tu?-perguntei com medo
-Eu...- ele disse, aquele sorriso sinistro desaparecendo- Eu sou o que tu chamas de Mundo, ou então Universo, ou então Deus, ou então a Verdade, ou então Tudo, ou então Um. Eu também sou tu.
Por detrás de mim, um gigantesco portão começou a abrir-se e de dentro dele as mesmas mãos negras que agarram o meu irmão começaram a me perseguir.
- Tu não sabes em que te metestes seu idiota, mas bem, era isso que querias certo, senhor alquimista?- A verdade disse enquanto se ria.
O portão se fechou e eu cai dentro daquele abismo, a medida que eu cai várias imagens de todo o mundo passavam na minha mente a uma velocidade assustadora.
-Parem, por favor! a minha cabeça vai explodir!- era como se todas as informações do mundo estivessem a ser diretamente inseridas no meu cérebro.
Mas, a medida que mais via mais tudo minha volta parecia fazer sentido, era este o segredo da vida!!
- Mamãe!!-gritei, quando uma imagem da minha sorrindo passou por mim. Mamãe foi por ti que fizemos isto tudo, por ti que aprendemos a transmutação humana e alquimia, apenas para te trazer de volta!!
Quando a alcançei, voltei de novo para a mesma dimensão.
-Então, como foi?- a verdade perguntou.
- Não estava enganado. A transmutação humana é possivel, só falta alguma coisa,por favor, deixa-me ver o portal mais uma vez- pedi-lhe
- Que? Mas o seu pagamento não é suficiente?
-Pagamento?
Aí a minha perna direita desintregou-se.
- A regra da troca equivalente; para ter algo têm de ser outro coisa do mesmo valor- a verdade sorriu de novo para mim.
Voltei de novo para a minha casa, agarrado a minha perna, gemendo de dor.
- Droga!! Ele levou a minha perna. Satoshi?- chamei por ele.
Olhei para o meu lado com os olhos arregalados, o meu irmão já não estava lá apenas as suas roupas agora espalhadas pelo chão, subitamente veio me a cabeça... pagamento.
- Satoshi..- disse chorando- Não, Não isto não era para acontecer,não era suposto acontecer. Como não tinha uma das minhas pernas, arrastei o meu corpo para o centro do círculo e usando o meu sangue fiz o simbolo da alquimia.
-Leva a minha outra perna, leva o meu braço se quiseres leva também o meu coração!!, mas devolve-o ele é o meu único irmão no mundo!!!- implorei entre lágrimas, unindo as minhas palmas.
Tempo presente:tokyo
Pela primeira vez em muito tempo, olho de novo para o teu túmulo, mãe. Não o pude fazer antes por vergonha do que fiz, fui mesmo idiota,não? achar que um piralho como eu podia curar a morte. Mais que isso pus em risco a vida do meu próprio irmão!!! sei é impossivel recuperar o que agora na terra pertence, o que despareceu está para sempre perdido, a única coisa que podemos fazer é viver.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...