História O Expurgo. - Capítulo 5


Postado
Categorias Akame ga Kill!, Fairy Tail
Personagens Akame, Chelsea, Erza Scarlet, Esdeath, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Laxus Dreyar, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Zeref
Tags Akame Ga Kill, Animes, Assassinos, Crossever, Expurgo, Fairy Tail, Harem, Morte, Naca, Naer, Naju, Nali, Nalu, Nami, Natsu Assassino, Natsu X Akame, Natsu X Chelsea, Natsu X Erza, Natsu X Esdeath, Natsu X Minerva, Overpower, Psicopatas, Sobrevivencia, Survival, Tragedia
Visualizações 213
Palavras 3.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, pessoal! Daqui é o Luiz, foi eu que fiz este capitulo :v
não houve nenhuma morte violenta, mas sim um pouco de hentai, uma demonstração do que irá vir.

O capitulo não foi corrijido por ninguém, já que tamos atrasados neste cap, e ninguém estava online e os co-autores falaram pra postar logo de uma vez :) (na verdade, o etherias falou kkkk)

Espero que gostem! Virá muito mais pela frente!

Capítulo 5 - A traição (18)


Não havia um único presente que suava em nervosismo com a cena que acabara de se passar, cada um deles olhava de relance para o cadáver da mulher jogada no chão em choque. O Natsu se encontrava coberto pelo sangue da sua mais recente vitima, mas mesmo assim parecia que aquilo não lhe incomodava, sendo que este apenas olhava para os homens à sua frente ainda com um semblante sério, enquanto que as mulheres no seu lado, juntamente com os outros trabalhadores daquele hospital, chovaram em tristeza, mostrando assim que ela era querida demais para eles.

Natsu – Será que eu preciso falar mais alguma vez? Ele perguntou com uma pitada de irritação, o que foi o suficiente para fazer o trio de guarda costas tremer por um segundo.

Contudo, foi nessa mesma altura que o homem de cabelos loiros soltou um suspiro pesado, chamando assim a atenção de todos para o mesmo, onde este em seguida salta para fora daquele balcão, deixando-se de esconder por trás do mesmo.

???? – Sting! O que estás fazendo!? Mantém-te calmo! – O homem de cabelos negros pediu com uma pitada de medo, ao ver o seu melhor amigo a se aproximar furiosamente do rosado.

Sting – Eu nunca entregarei o Laxus-Sama!!! – E assim, o mesmo se abaixa rapidamente para agarrar uma arma que escondia o tempo todo nas suas botas pretas, só que antes que o mesmo conseguisse premir o gatilho, o Natsu fez um rápido movimento com as mãos, fazendo essa mesma arma ser jogada para longe, mais precisamente para perto da entrada do hospital, mas não antes de um tiro ser lançado para o teto daquele salão.

O Dragneel então, com esse mesmo ato, tenta enfiar o seu canivete no coração do loiro, só que este foi mais rápido e coloca a sua mão esquerda no caminho, fazendo assim a lâmina atravessar o seu membro e sangue ser lançado para tudo o que é lado. O Sting então agarra o punho do rosado, apesar da sua face estar contorcida em dor e a sua mão ainda se encontrar com um canivete lá preso, só para então gritar com todas as suas forças…

Sting – FUJAM!!! Ele expressou-se com um nítido desespero, o que fez com que todos os cobardolas que lá se encontravam começassem a correr para diversas direções.  

???? – E-Esperem… n-não podemos deixar o Sting sozinho!! O homem de cabelos negros falou aterrorizado com tudo o que estava a acontecer, e isso, na mesma altura em que assistia todos a correrem pelos corredores daquele edifício.

???? – Não sejas idiota, Rogue! Ele está cumprindo o seu dever! Nós temos de proteger o Laxus-Sama a todo o custo! Desta vez, o guarda-costas de cabelos verdes expressou-se com um semblante sério, voltando atrás para assim buscar o seu amigo. Isto é nosso dever para com o Makarov-Dono. Agora, sim. O Natsu com certeza tinha ouvido algo realmente muito interessante.

E assim, passam-se vários segundos depois das palavras do fardado de cabelos verdes terem sido pronunciadas, mas foi só nesse mesmo instante que o moreno, após refletir sobre as palavras do seu amigo, concordou com as suas palavras. Eles tinham feito a promessa de proteger o Laxus a todo o custo, não importando quais danos colaterais pudessem ocorrer pelo caminho. Eles não se deixariam levar por emoções.

O Dragneel então, vendo que todos já tinham fugido dali, abre um largo sorriso, o que resultou com que a expressão facial do loiro ficasse ainda pior! Agora ele estava com o rosto preenchido por grossas veias, mostrando o quão furioso ele se encontrava, mas para além disso… os seus olhos… era evidente que ele sentia ódio pelo rosado.

Natsu – Com que então o velho se preocupa com esse garoto… Que interessante. Ele comentou meio divertido, ao se lembrar de um dos políticos que tinha o mandado prender na prisão de máxima segurança, a Fairy Tail. – Ei, garoto… o teu nome é… S-S… Cecília, não é? – O rosado brincou, observando de em seguida a face irada da sua futura vitima.

Sting – É Sting, seu psicótico de merda. Ele respondeu com os dentes tricados em raiva, só que o rosado simplesmente deu uma pequena risada, oh como ele adorava zombar das suas vitimas. Eu não deixarei encostares as tuas mãos nojentas do meu senhor…

Ele pareceu querer dizer mais qualquer coisa, mas infelizmente, ele teve o azar do Dragneel não ser do tipo que gostava de ser intimidado, sendo assim, de um momento para o outro, o loiro simplesmente é jogado com uma força absurda contra a receção do hospital! E como já era de se esperar, ele acabou por se machucar nas costelas, parecendo até que ele tinha quebrado alguns dos seus ossos, no entanto, nem mesmo isso o impediu de voltar a se levantar.

Natsu – Sabes… eu tenho de admitir que estou um pouco surpreso – Ele afirmou, no mesmo tempo em que o Sting retirava o canivete na sua mão e olhava para o rosado com um olhar de pura fúria. – Sempre que alguém vê do que sou capaz, bem… você viu, tentam fugir pelas suas vidas… Ele solta uma risada, como se achasse aquilo engraçadoNo entanto, com você foi diferente… suponho que isso faça de ti alguém corajoso… ou deveria falar…Abriu um sorriso diabólico. …alguém incrivelmente estúpido?

Ok! Aquilo tinha ultrapassado todos os limites do Sting! Afetar o seu ego!? Oh, aquele tinha sido o último erro do Dragneel, ou pelo menos, era isso que ele pensava…

O Sting então avança na direção do psicopata com a lâmina já armada, contudo, o Dragneel simplesmente dá um pulo para trás no último segundo, só para então agarrar o pulso do loiro e puxa-lo para o seu ombro, fazendo assim com que aquela lâmina atravessasse a sua carne, porém, nem mesmo aquela ferida fez o rosado mostrar feições de dor… Ele simplesmente continuava com aquele sorriso sinistro que servia para enfurecer ainda mais o loiro a cada segundo que passava.

Natsu – Sting, deixa-me te fazer uma pergunta… - Ele expressou-se desta vez meio sério, mas ainda com um sorriso divertido, só para então aproximar-se um pouco do rosto do mesmo, o que o deixou muitíssimo desconfortável. Você por acaso sabe qual é a definição se insanidade? – O homem não conseguiu entender, mas assim que ele ouviu aquela pergunta, foi como se o próprio ar ficasse 100 vezes mais pesado!

O seu corpo tremia com a mirada intensa dos olhos ónix do homem, era como se estivesse a olhar para a própria escuridão, ele nem sequer tentava escapar das garras do Dragneel, isso por quê se encontrava num estado que nunca tivera antes, era quase como… se ele estivesse traumatizado? Como raios aquilo era possível com uma simples pergunta e olhar!?

Natsu – Não sabes, não é? (riu-se) Bom, acho que deveria te contar antes de te matar… Ele aproxima-se lentamente do seu ouvido A insanidade não nasce com a pessoa, na verdade é precisamente o oposto… Ele então muda o seu tom de voz para um mais grave Ela é criada. E sabes quando o resto da minha sanidade terminou…? O rosado deu-lhe tempo de responder, mas quando a sua resposta veio em forma de silêncio, decidiu continuar… Quando eu, com apenas meus 9 anos, estuprei a minha mãe e depois a decapitei com um enorme sorriso brincalhão nos lábios!!

Ele declarou cheio de animação, durante o tempo em que soltava algumas enormes gargalhadas que se iam intensificando ao longo do tempo, fazendo assim uma risada divertida se tornar uma extremamente sádica. Quanto ao Sting? Esse simplesmente permaneceu em silêncio, mas agora com os olhos arregalados em puro horror, como alguém poderia fazer algo tão cruel? Principalmente com a mulher que o fez nascer e também o criou?

Sting – P-Por quê e-estás m-me dizendo… tudo isso? Ele perguntou, ainda horrorizado com o que acabara de descobrir, no entanto, o Dragneel simplesmente coloca as suas duas mãos nos ombros do Sting com um sorriso aparentemente “gentil”, só que isso não passava de uma enorme farsa.

Natsu – Acho que por vezes me sinto solitário, sabes? Ele respondeu cheio de ironia, só para então o seu sorriso voltar a virar um mais sombrio. E foi aí que o Natsu coloca as suas mãos no pescoço do loiro e o quebra com uma velocidade extrema, não o dando tempo para reagir.

O corpo do homem bem-vestido então caí para o chão à sua frente. Ele poderia muito bem ter feito mais estragos com o loiro, mas ele não tinha muito mais tempo, ele teria de achar o seu alvo antes que conseguisse escapar. Sendo assim, ele retira o canivete do seu ombro, sentido parte do seu sangue começar a vazar, mas foi nesse momento que ele se apercebe de algo muito importante.

Ele tinha se esquecido de perguntar a porra da conexão do Makarov com o Laxus, caralho!! Ele tinha sido muito burro, porra. Ele se tinha deixado levar pela humilhação do Sting, que até se esqueceu de perguntar algo tão importante? Puta que pariu, ele estava tão frustrado. Aquele tinha sido o seu primeiro deslize nos seus interesses… Ele não poderia deixar aquilo voltar a acontecer, nunca mais!

Natsu – Droga… estive demasiado tempo naquela cela de merda… Ele comentou, ainda irritado por se ter esquecido de perguntar algo tão importante, no entanto, ele sabia que tinha pelo menos mais três pessoas que poderiam saber a resposta à sua pergunta, e por essa mesma razão, ele decidiu se acalmar.

Em seguida, o Natsu dirige-se até as mochilas com o seu armamento e coloca-as novamente nas suas costas, só para então ir buscar o seu Desert eagle à entrada do hospital e coloca-la novamente do seu cinto, juntamente com o seu canivete M16. Agora nada o iria parar. Ele estava novamente armado até os dentes!!

O Natsu não pôde deixar de se sentir entusiasmado com aquela caçada às presas, aquilo era algo novo para ele, visto que ele não dava nem chance aos seus inimigos para conseguirem lhe fugir, até por quê ninguém o via por mais de uns minutos e escapava com vida. Ou melhor, era isso que acontecia antes de ele ter sido capturado pelos federais.

Segundo os seus cálculos mentais, ele só teria duas escolhas. Ele poderia investigar o paradeiro do Laxus pelo enorme corredor à direita, onde os seus restantes guarda-costas tinham se dirigido. Ou então, ele poderia ir pelo corredor à esquerda, onde se tinha direcionado a maioria dos enfermeiros daquele hospital.

Obviamente, a escolha mais acertada era ir pela esquerda, até por quê eles sabiam como obter informações naquele hospital, e também, se ele fosse à busca dos subordinados do seu alvo, provavelmente eles não iriam contar-lhe nada “obedientemente” e ele não teria tempo de os torturar para obter informações, Laxus poderia escapar.

Assim sendo, o Natsu começa logo a direcionar-se pelo corredor à esquerda, onde ao longo do caminho foi se apercebendo que, praticamente, todos os quartos daquele edifício estavam vazios. Será que os familiares dos doentes quiseram levá-los para as suas casas durante o expurgo? Provavelmente, essa seria a hipótese mais provável a considerar. No entanto, o rosado estava nem aí para isso, e simplesmente continuou o seu trilho com passos apressados, só para então virar na primeira curva daquele corredor, tendo assim uma surpresa um tanto inesperada.

???? – Eu tinha esperança que passasses por aqui… Uma mulher de cabelos brancos pronunciou-se com um sorriso um tanto provocador, na mesma altura em que se encontrava no centro daquele outro corredor, só para assim a mesma começar a se aproximar a passos lentos do rosado. Sabes, aquele teu show foi demasiado… intenso. Ela comentou com um tom de voz meio estranho, só para então, quando chegou a apenas uns centímetros de distância do Dragneel, envolver os seus braços à volta deste. E eu simplesmente o adorei. Ela afirmou cheio de animação, fazendo uma pequena aproximação no rosto do psicopata e assim dando-lhe um pequeno selinho.

….

O Natsu apenas se manteve em silêncio, com os olhos um pouco arregalados em surpresa, no fim de contas, depois de alguém tê-lo visto em “ação”, normalmente os espectadores têm diversos tipos de reações, quer seja entrar em pânico, quer seja vomitar em horror, mas aquela? Oh, com certeza tinha sido completamente inesperada e chocante.

Visto que aquela mulher possuía trajes de enfermeira, ele poderia supor que ela era uma das mulheres gostosas que estava o olhando anteriormente, mas ele não pôde fazer a pergunta diretamente, pois de repente esta começou a desabotoar o seu traje, deixando assim parte dos seus seios expostos, só para então a mesma entrar em um daqueles quartos e se deitar em uma das camas dos pacientes numa forma um tanto sensual.

O Natsu, ainda sem entender o que ela estava fazendo, decide aproximar-se dela, assim entrando também naquele quarto, só para ver que a mesma se estava a espreguiçar numa maneira… que puta que pariu, fez até o seu próprio pirilau ficar tão duro quanto rocha! Dessa forma, o rosado joga as suas três mochilas com armamento pesado para o chão ao lado daquela outra cama no quarto, só para em seguida se aproximar a passos lentos na albina que estava em 1 das 2 camas daquela sala, obviamente o rosado se encontrava com o olhar emanado de desejo…

???? – Calma aí, boy. Não tornemos isto estranho, livra-te dessa porcaria. Ela pediu com um meio sorriso, apontando para a cabeça decapitada da sua “amiga”, que era médica daquele hospital.

Claramente, isso fez com que o Natsu arqueasse uma sobrancelha em confusão, no mesmo tempo em que agarrava aquela cabeça e a empunhava um pouco. A albina, vendo a sua confusão decide lhe explicar.

???? – Essa vadia tentou seduzir o meu namorado, se não a tivesses a matado, eu própria trataria desse assunto. Ora, aquelas suas palavras com certeza eram interessantes, ao que tudo indicava, o Natsu tinha encontrado uma mulher um tanto quanto cativante.

Natsu – Então… deixa-me ver se eu entendi, tu tens um namorado, tu viste o quão cruel eu posso ser, mas mesmo assim, queres fazer sexo comigo, é? – Ele perguntou, soltando umas risadas divertidas, o que fez com que a albina se levantasse e aproximasse-se novamente do rosado, só para então colocar a sua mão esquerda no ombro direito do homem, e isso, enquanto esta tirava a cabeça decapitada das mãos do Dragneel e a jogava para longe.

???? – Eu odeio o meu namorado. Sabes… ele tem o pinto tão pequeno (riu-se) só estou com ele por causa do dinheiro, e quanto ao facto de seres cruel? Aproximou-se do ouvido do rosado. Eu sou do tipo que adora “bad boys” Ela declarou, voltando a beija-lo, só que desta vez não foi um simples selinho, mas sim um escaldante linguado que se ia intensificando ao longo do tempo.

E assim, o Natsu decide ceder aos encantos da albina, colocando em seguida as suas mãos na bunda da mulher, fazendo-a dar um pequeno pulo e envolver as suas pernas no seu tronco. Eles continuaram a se beijar durantes vários segundos, até que o maldito fôlego os impede de continuar.

Logo após eles se terem deixado de beijar, uma mirada mútua de puro desejo foi transmitida nos olhos de cada um deles, deixando bem claro o que eles pretendiam e queriam fazer. O Natsu então, deixando-se de enrolações, joga-se juntamente com aquela mulher para a cama que lá se encontrava, fazendo-o assim ficar por cima desta. Oh, sim… Ele iria aproveitar a loucura daquela mulher sem sobra de dúvidas.

Só houve uma simples questão de segundo para que de repente a sua blusa fosse arrancada do seu corpo, deixando assim o seu sutiã roxo exposto, o que obviamente resultou com que o rosado abrisse um sorriso perverso, imaginando o que poderia fazer a aquela pobre ingénua moça, mas foi aí que de repente ele sentiu o seu vergalho a ser massajado por uma mão imensamente delicada…

Era ela. O rosto da albina só mostrava uma imensidão vermelha, quase parecendo que ela estava envergonhada com tudo aquilo, no entanto, o rosado percebeu que essa não era a realidade da situação, mas sim que ela se encontrava enormemente excitada com aquela sua ação de colocar a mão dentro das calças do Dragneel, só para assim começar a masturba-lo sem mais rodeios.

Natsu – Suponho que sejas uma pervertida… estou errado? Ele perguntou depois de um tempo após o seu comentário, meio irónico com ela. Contudo, para a sua surpresa a sua resposta veio em forma de um sorriso assustadoramente safado, o que lhe fez ter um pensamento um tanto arrepiador… Não me digas… (abriu um sorriso divertido) que tu és uma masoquista, girl? E assim, uma mirada um tanto perversa lhe foi lançado, fazendo-o assim ter a resposta à sua pergunta, ao que parecia, as suas suspeitas estavam corretas.

O psicopata nem falou mais nada, simplesmente começou a beijá-la de uma forma selvagem, começando a massajar os seios desta sem um mínimo de cuidado, porém, nem mesmo aqueles toques dolorosos do rosado fizeram o seu prazer diminuir, ela apenas soltou gemidos abafados por causa da língua invasora do rosado que lhe tinha subjugado a boca…

O Natsu, não querendo perder mais tempo, logo começa a descer os seus beijos para o seu ombro, pescoço e em seguida seus peitos. Ele começara a chupar os mamilos dela sem misericórdia, com o objetivo de satisfazer simplesmente os seus desejos sexuais, tendo falhado com a sua missão, no fim de contas, a albina era do tipo que adorava que fossem “brutos” com ela, e aquilo não passava de um enorme desejo a lhe ser saciado aos poucos…

Posteriormente a essa sua ação, ele começa a descer a sua mão esquerda pelo corpo da albina, deixando para trás a sua outra mão ainda a massajar o seu peito, enquanto que o outro estava sendo ocupado pelos chupões sedentos do Dragneel, e isso ocorria, na mesma altura em que a sua mão entrava nas calças e calcinha da mulher, sentindo assim uma fervura ardente na sua intimidade… Oh yeah, ela estava bem molhadinha pelo rosado… e isso estava lhe agradando de um jeito, que nem mesmo ele conseguia entender.

Aquilo era diferente das outras vezes que ele tinha feito sexo, desta vez ele não estava forçando ninguém a cometer o ato com ele… e o rosado tinha de admitir que aquilo era um pouco estranho.  Na verdade, era um pouco menos prazeroso do que ver a agonia das suas vitimas ao terem os seus corpos a lhe serem usados como bem o entendesse, mas mesmo assim… era um sentimento delicioso!

Porém, foi aí que a ficha caiu… E se na verdade, tudo aquilo não passasse de uma farsa? Se a mulher de cabelos brancos fosse alguém enviada pelos subordinados do Laxus para o distrair? E assim, consequentemente fazê-lo ter tempo para fugir? Essas perguntas que lhe rodeavam a mente, fizeram-no de imediato parar de acariciar o clitóris da mulher e olha-la com uma face sedente de sangue… Aquelas suas suposições faziam sentido, até por quê ninguém estaria tão calma depois de ter visto o que ele tinha feito, sendo que manteriam a sua postura se, e apenas se, tivessem algo a esconder…

Natsu – Antes de continuarmos… diz-me quem és tu. – Aquele não foi um pedido, e a enfermeira de olhos azulados sabia perfeitamente disso. Sendo que o Dragneel a olhava com um olhar frio e enfurecido, parecendo até que se ela não lhe desse a resposta que mais o agradasse, ela acabaria por não sair daquele quarto viva. – Estás aqui para me distrair, não é? O rosado perguntou, começando a sentir vontade de derramar sangue, só que este tentou controlar-se ao máximo, se as suas suspeitas estivessem corretas, ele poderia tirar proveito disso.

???? – Do que estás a falar? (riu-se) Eu já falei por quê estou aqui, eu quero que um homem de verdade me foda por inteiro. Ela explicou meia nervosa com o clima tenso que lá se instalou. E quem sou eu? Sou simplesmente a Mirajane Strauss, a namorada do homem que estás à procura. Ela continuou, meia irritada com as desconfianças do homem, no fim de contas, o momento deles tinha sido arruinado por aquela sua paranoia sem sentido.

Natsu – És a garota do Laxus? Ele perguntou em surpresa, já sentado naquela cama. Obviamente, isso fez as suas suspeitas sob ela aumentarem, mais motivos ela tinha para querer ajudar o seu namorado, ou pelo menos, era isso que ele pensava. Sabes que isso me dá mais motivos para acreditar que estás mentido sobre… basicamente, tudo o que falaste até agora. Ele explicou com um semblante sério, fazendo a albina o olhar como uma cara enfurecida, parecendo até que já não se sentia nervosa com a presença ameaçadora do Dragneel.

Mira – Ele está no 4º andar, quarto 417. Ela falou, deixando-o calado por uns momentos, pensando sobre o que deveria fazer, ele poderia estar a correr um grande risco ao confiar nela, mas e daí? Como se o seu próprio modo de vida não fosse um risco. Se ela estivesse falando a verdade, ótimo. Se ela estivesse mentindo… oh, ele arrancaria os membros delas um por um, até que ela morresse por esvaziamento de sangue.

O Natsu então se levanta, retirando a sua Deagle da cintura e a apontando para a albina. Claramente, isso fez com que ela arregalasse os olhos em horror, pensando que ela iria morrer, só que as próximas palavras do Dragneel fizeram-na ficar surpresa, mas ao mesmo tempo aliviada.

Natsu – Veste-te. Temos de visitar o teu “queridinho”. Ele não falou mais nada. E nem ela conseguiu mais se pronunciar, pois se encontrava com um leve receio de levar com um tiro nos cornos. Assim sendo, ela começasse a vestir novamente, assim ficando uma outra vez apresentável com o seu uniforme, só para então aproximar-se do rosado com uma face raivosa. O que é garota? Trabalho é trabalho, não tenho tempo para distrações.

Ele entendia perfeitamente a ironia das suas palavras, visto que ele se tinha divertido um monte pelo caminho até o hospital, mas fodasse, infelizmente ele não poderia perder mais tempo, o Laxus poderia fugir, e isso iria ser bastante prejudicial para o seu futuro…

Quanto à Strauss? Ela simplesmente se manteve com uma face irada por não ter acabado a sua diversão, porém, esta logo começou a se dirigir até a saída daquele quarto, sendo seguido pelo Natsu que ainda lhe continuava a apontar aquela arma à sua cabeça… ele não deixaria que ela tentasse alguma gracinha.

E foi aí que um pensamento macabro lhe veio à mente, fazendo-o novamente abrir aquele sorriso largo emanado de frieza e loucura… Ele tinha acabado de ter uma ideia.


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...