História O Fantasma da Minha Casa (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bts, Fantasma, Imagine, Imagine Jungkook, Jeon Jungkook, Jungkook, Romance, Sobrenatural, Você
Exibições 362
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura, amoras ♥

Capítulo 3 - Imaginação


Fanfic / Fanfiction O Fantasma da Minha Casa (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 3 - Imaginação

O Fantasma da Minha Casa

Capítulo 03

______ (seu nome)

Eu queria entender, mas não conseguia. Será que ele realmente existe? Nããão, isso é impossível. Tenho certeza de que ele é coisa da minha cabeça (que não é nem um pouco madura). Ligo a televisão e ponho no dorama que estava assistindo, antes dele a desligar. Bebo um pouco mais de café e começo a chorar sozinha. Yong tinha me magoado muito. Por quê ele foi pro trabalho e me deixou aqui? Hoje era para estarmos juntos, só nós dois. Mas ele ainda deve estar zangado comigo. Aish, eu nunca iria imaginar que ele fosse agir desse jeito. Aquele idiota, só pensa nele mesmo.

— Idiota, idiota, idiota, IDIOTA!!! -fico reclamando como uma criança de cinco anos de idade enquanto, pela segunda vez, chutava a mesinha de centro. Eu sei que ela é apenas um objeto e que serve para colocar coisas em cima, não tem culpa de nada. Mas como eu disse, minha cabeça não é nem um pouco madura. — YONG, SEU IDIOTA!!! -grito chorando ainda mais. Acho que não consegui ter aquele "casamento dos sonhos" que eu sempre quis.

"Por quê não se divorcia desse "idiota", como você diz?"

E novamente aquela voz. Olho em volta o procurando.

— Por que eu o amo, droga! -gritei ainda frustrada, derramando mais e mais lágrimas.

Sinto algo tocar no meu rosto e me assusto.

— V-você está a-aqui?

— Estou. -fala aparecendo agachado na minha frente.

Ele era tão bonito... mas ele estava muito perto.

— N-não me assuste desse jeito, ouviu? -falo me afastando dele rapidamente.

Sentia o meu rosto inteiro queimar.

— Está bem. -sorri.

O seu sorriso era a coisa mais fofa do mundo, me lembrava um coelhinho.

— O que faz aqui? -pergunto tentando ignorar o que tinha acabado de pensar.

— Tentando te fazer sorrir.

— .... p-por... q-quê?

— Eu não sei... mas fiquei muito mal vendo você chorando daquele jeito. -se senta do meu lado enquanto eu tentava formular o que ele tinha acabado de dizer.

— M-mas... você não queria que eu fosse embora? -o olho confusa.

Ele estava tão irritado por eu estar aqui, mas agora...

— É, mas... eu mudei de ideia quando conheci você. -fala corando fofamente.

Ele estava tão fofinho. Estava me segurando para não apertar as suas bochechas.

— Oh... então você não me odeia? -pergunto olhando-o nos olhos.

— Não, nunca odiei você. -sorri e eu acabo sorrindo também.

Eu queria fazer amizade com ele, mesmo ele sendo coisa da minha cabeça (infantil). Seria divertido ter um amigo imaginário. Não acredito que acabei de pensar isso. Mas é o que eu sinto de verdade.

— Então vamos ser amigos? -estendo a mão esperançosa e ele apenas a encara. — O que foi? Não quer ser o meu amigo? -falo triste.

Se ele não quiser, eu vou ficar muito chateada...

— N-não é isso. Eu quero muito ser seu amigo. Mas eu não consigo te tocar... -abaixa a cabeça.

— Como assim? É só você fazer isso. -pego no seu braço, mas a minha mão atravessa nele. Arregalo os olhos. — M-mas... -tento pegar de novo, mas a minha mão passa novamente. — O-o que... -me calo na mesma hora.

Eu não podia perguntar o que ele era. Provavelmente ele iria sumir, e eu não quero que ele vá embora.

— Entende agora? -sua voz sai baixa e eu fico preocupada.

— M-mesmo assim. Ainda podemos ser amigos, não precisamos apertar as mãos, tá bom? -digo tentando animá-lo.

Ele levanta a cabeça e sorri fraco.

— Amigos?

— Amigos. -sorrio.

Agora eu tinha um amigo imaginário. Pra mim essa era a coisa mais incrível que já tinha acontecido em toda a minha vida, e eu não podia falhar. Amigo é para sempre.

— Só mais uma coisa. -digo me lembrando do óbvio.

— Hum?

— Meu nome é ______. -ele ri.

— Jeon Jungkook.

— Okay, Jeon Jungkook... mas... eu tenho um nome que combina mais com você. Kookie. -ele sorri abertamente.

E um pequeno flashback passa na minha cabeça da noite quando eu senti alguém me abraçar mas não tinha ninguém.

— K-kookie... f-foi v-você que... m-me a-abraçou ontem? -pergunto muito envergonhada.

Mesmo ele tendo acabado de dizer que não podia me tocar, eu sentia como se tivesse sido ele naquela hora.

— N-não! -diz completamente vermelho.

— Jungkook!

— Desculpa, eu não queria fazer isso. Mas você estava muito triste e eu só queria te consolar... -fala mais corado ainda.

— Então você pode me tocar? -pergunto tombando a cabeça para o lado.

Aquilo estava totalmente confuso para mim.

— Não, não posso. Mesmo querendo eu não consigo. Mas desde que você chegou, os meus poderes começaram a falhar.

— É minha culpa?

— É, mas... graças a você eu pude me sentir vivo de novo. -sorri e eu fico mais confusa ainda.

— Então você está morto?

Ele fica encarando o chão por um tempo, até que começa a desaparecer.

— Espera, não vai embora! Desculpa se te falei algo de errado, foi sem querer! Por favor, não vai embora, Jungkook!!! -tento segurá-lo, mas ele some.

[...]

Se passa uma semana e Jungkook não aparece desde aquele dia. Eu me sentia muito mal, era tudo culpa minha. Comecei a ficar pensando em tudo. Eu tinha certeza absoluta de que ele era imaginação minha. Então por quê isso tudo? Por quê todo esse mistério? Eu deveria acreditar que ele era algum tipo de "ser mágico"? Ou... um fantasma? Isso seria maluquice minha, não, era tudo da minha cabeça. Não seria possível ser outra coisa, não. Fiquei pensando em diversas possibilidades durante esses últimos dias. Hoje Yong ficaria até tarde no trabalho, o que seria um dia perfeito para tentar trazer Jungkook de volta. Yong parecia ter me perdoado por aquela noite, mas mesmo assim ele ainda guardava rancor, dava para perceber.

Entro no quarto e começo a procurá-lo.

— Jungkook? Você está aí? Eu não queria dizer aquilo, eu não sabia que ia te magoar. Me desculpa, Kookie. Por favor, fala comigo!

"Eu não queria ir embora."

Sorrio abertamente. Era bom poder ouvir a sua voz.

— Então por quê foi? -pergunto olhando para o teto.

"Meus poderes falharam de novo..."

— Ah... mas aonde você tá, agora? -pergunto com medo da resposta.

— Aqui. -ele aparece perto na porta e eu sorrio aliviada. Corro para abraçá-lo, mas me lembro do que ele disse e paro na sua frente. Ele sorri pra mim e eu sorrio de volta. — Por quê ficou tão preocupada?

— Porque eu só tenho você como amigo e pensei que tinha te perdido. Desculpa por ser tão... carente. -rio sem jeito coçando a nuca.

Ele sorri mostrando todos os seus dentinhos branquinhos.

— Posso te falar uma coisa?

— Pode! -digo animada.

— Eu... -ele é interrompido pela porta, que é aberta bem na hora. Vejo o Yong aparecer retirando o seu casaco e o jogando no sofá. Olho para o Jungkook e depois para o Yong.

— Boa noite, querida. -me dá um selinho sem avisar.

— Boa... noite. -Jungkook não parecia nada feliz.

— O que foi? -Yong me encara.

— N-nada. -falo assustada e ele levanta uma sobrancelha. Volto a olhar para o Jungkook.

— Ele não pode me ver, ______.

— Amor, você está bem? -Yong vira o meu rosto com as suas mãos para poder encará-lo. — Amor?

— Estou bem sim, calma. -me afasto com um sorriso forçado e ele dá de ombros.

Ufa!


Notas Finais


Querem que eu faça five-shot ou long-fic? Estou toda perdida, não sei o que fazer.
Me ajudem, por favor T~T


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...