História O filho da luz e a filha das sombras - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Alvo Dumbledore, Argo Filch, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Personagens Originais, Ronald Weasley
Visualizações 364
Palavras 1.316
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi estou aqui com mais um cap para vcs!
Bem gente, eu tava com uma ideia, sabem...
Mas não é nada concreto ainda, é só uma ideia mesmo.
Eu queria fazer uma fic interativa...
Oq vcs acham?
Bem coloquem nos comentários o que vcs acham

Capítulo 3 - Plataforma nove e meia


Fanfic / Fanfiction O filho da luz e a filha das sombras - Capítulo 3 - Plataforma nove e meia


01 de setembro de 1991
=POV Anamelech=
Dia primeiro de setembro, o dia mais esperado para todos os alunos de Hogwarts, independente da idade, casa ou classe social.
Acordei cedo com minha mãe me chaqualhando
-Ana, acorde, já são oito horas- minha mãe dizia, eu já estava acordada, porém não abri os olhos pois estava com muito sono
-Ainda é cedo- eu resmunguei ainda de olhos fechados e me virei para o outro lado da cama
-Cedo não, vamos, levante- ela insistiu mais, mas eu me recusava acordar, havia ficado até tarde ontem, lendo um livro de feitiços
-Mãe ainda temos tempo- eu disse mesmo sem saber que horas eram e cobri minha cabeça com o cobertor
-Ana, não me obrigue a te tirar da cama a força- ela ameaçou, então eu tentei abrir meus olhos mas os deixei semi-abertos, pois a claridade estava me incomodando
-Feliz agora?- eu perguntei me sentando e finalmente abrindo os olhos por completo tentando me acostumar com a claridade
-Você não sabe o quanto. Agora se apresse, eu vou sair rapidinho com a sua vó, seu café já está na mesa, ande logo- ela disse saindo do quarto, quando eu percebi que ela estava distante o suficiente, me deitei novamente
-E nem se atreva a voltar a dormir!- ouvi ela gritando no andar de baixo, bufei e me levantei, peguei minha varinha e eu usei um feitiço para levar as minhas malas para o andar de baixo, deixei elas na sala de estar e fui para cozinha, tomei meu café rápido, alimentei Charlot e depois fui para o banheiro tomar banho. Tomei um banho rápido e me enrolei na toalha antes de sair do banheiro.
Quando saí do banho, ouvi vozes no andar de baixo, o que indicava que minha mãe e minha vó já haviam voltado, me arrumei, coloquei uma saia simples, cinza rodada e uma suéter amarele, fiz um rabo de cavalo e desci para a sala de estar
-Oi vovó- cumprimentei minha vó com um beijo e me juntei a elas no sofá
-A minha netinha, já é uma mocinha- disse ela emocionada
-Tenho certeza que ela vai ficar na Corvinal- disse minha mãe animada
-É claro que sim, inteligente como nunca vi- disse minha vó orgulhosa
-Não sei, acho que eu vou ficar na Sonserina, quer dizer, toda a minha família de sangue foi de lá- eu disse cabisbaixa e dando de ombros
-Deixa de bobeira, isso não significa nada- disse minha mãe
-Claro que não significa! Tudo depende de você- disse minha vó 
-Falando em Hogwarts, eu soube que Harry Potter, vai estudar no mesmo ano que você- disse minha mãe empolgada
-Nada que eu ainda não saiba, eu conheci ele no Beco Diagonal- eu disse para elas indiferente
-Não me lembro de você conversando com ninguém por lá- minha mãe estranhou
-Foi quando eu fui no Floreios&Borrões, ele estava lá, o pobrezinho não sabe nada do nosso mundo, estava todo perdido- eu disse eu disse lembrando dele
-Isso não me admira, ele foi criado por trouxas- disse minha vó com desdém, ela não tem preconceito com trouxas, mas acha ridículo a ideia de Harry Potter ter sido criado por trouxas, ela acha que uma "celebridade" como ele deveria ter sido criado por pessoas como nós
-Boas pessoas os pais dele, me lembro deles no meu tempo de escola, a  Lily era uma moça tão boa, empenhada e inteligênte, minha melhor amiga... Lembra mãe de como eu aprontava naquele tempo- disse minha mãe se emocionando

-Dai veio o meu pai matou eles e mais um bocado de pessoas e pronto, fim da história- eu disse com desdém e cruzando os braços na frente do peito

-Filha, não foi nada disso- minha mãe disse
-Claro que foi mãe, aceita a realidade, eu já aceitei. Será que vocês não enxergam o que está na sua frente?- eu já estava começando a me irritar, esse assunto sempre me irrita
-Bem, acho melhor irmos, já estamos muito atrasadas- minha vó mudou de assunto vendo que logo eu e minha mãe comesariamos a discutir
-Vamos então- minha mãe disse se levantado, cada uma de nós pegou uma mala e fomos para o carro, mas antes de eu entrar minha mãe me segurou
-Eu não quero que você fique mal com isso, não fique pensando nesse assunto toda hora, você não tem culpa disso- ela disse e me abraçou
-Obrigada- eu disse retribuindo o abraço, depois entramos no carro, minha mãe deu a partida e fomos em direção a estação King Cross. Fomos conversando sobre varias coisas no caminho, quando chagamos na estação eu parei e fiquei olhando para o nada
-O que foi querida?- minha mãe perguntou vendo minha cara de preocupação
-Você acha que eles vão gostar de mim?- eu perguntei, não que eu me preocupasse com isso, mas eu não queria um monte de pessoas me julgando, como se já não bastasse eu mesma
-Como assim?- ela não havia entendido
-Bem, você sabe... Eu sei que ninguém sabe sobre meus pais mas... E se eu for igual a eles? E se ninguém gostar de mim?- eu disse
-Há querida não seja boba, todos irão adorar você. Uma garota fantástica igual a você, é impossível não se apaixonar. Apenas seja você mesma- disse minha vó, que escutava a conversa
-Além disso, ninguém além de mim, sua vó, Dumbledore e Minerva sabe sobre seus pais então ninguém vai te incomodar com isso- disse minha mãe para me acalmar
-Sério?- perguntei, isso para mim era uma novidade
-Claro- disse minha vó.

Depois fomos para o muro entre a plataforma 9 e 10
-Aproveite a viagem querida, tenho certeza que vai adorar Hogwarts- disse minha vó me abraçando e eu retribui o abraço
-Ah querida, mande uma carta assim que chegar lá, conte tudo!- disse minha mãe chorosa
-Podem deixar, vou sentir saudades- eu disse me despedindo. Depois peguei meu carrinho, encarei o muro, fechei os olhos e comecei a correr, quando eu abri os olhos novamente, eu já não estava mas no mesmo lugar, eu estava na plataforma 9 ³/4 .

Andei empurrando meu carrinho com as malas, a procura de um vagão vazio, foi quando eu encontrei ele de novo...
-Olá lembra de mim?- eu disse quando me aproximei, era Harry Potter, ele estava tendo dificuldade em colocar as malas dentro do vagão. Ele se virou para trás assustado mas quando percebeu que era eu, logo se acalmou e disse:
-Hãn? Ah sim claro, do Beco Diagonal, certo? Hãn me desculpe, mas acho que não sei seu nome- então me lembrei de que eu não havia me apresentado naquele dia, mas sinceramente, ele "acha" que não sabe meu nome?
-Há sim, acho que eu esqueci de me apresentar. Sou Anamelech Rewerita Stuart, mas pode me chamar de Ana- eu me apresentei, peguei minha varinha e usei um feitiço para colocar nossas malas no vagão
-Obrigada- ele agradeceu pelo favor, logo ouvimos o som do apito do trêm e eu disse
-Melhor embarcarmos logo- e foi o que fizemos, demorou um pouco para acharmos uma cabine vazia, mas achamos uma no final do trêm, entramos na cabine e nos sentamos lá.

Harry se sentou do lado da janela e eu ao seu lado, com as nossas corujas no chão dentro de suas gaiolas, uma ao lado da outra, encostadas na parede do trêm, em baixo da janela
-A quanto tempo você estuda em Hogwarts?- ele perguntou, o que me pareceu uma pergunta meio idiota
-Bem esse é o meu primeiro ano- eu tentei soar gentil, ficamos em silêncio por um tempo, eu pensei em tentar começar um assunto, mas logo a porta da cabine é aberta, nos dando a vista para um menino ruivo cheio de sardas
-Posso me sentar aqui? O resto do vagão tá cheio- ele perguntou apontando para o banco na frente de Harry, que acenou com a cabeça de forma positiva...
 


Notas Finais


O que acharam?
Espero q tenham gostado!
Comentem o que acharam.
Bjs e até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...