História O filho da minha madrasta - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Amor Proibido, Drama, Romance, Sexo
Visualizações 193
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 52 - Capítulo 52


Fanfic / Fanfiction O filho da minha madrasta - Capítulo 52 - Capítulo 52

Eu estava incrédula, e ao mesmo tempo com raiva, de algum modo Anthony conseguiu mudar a cabeça do meu pai da noite para o dia.

 - eu não vou ha lugar nenhum com aquele garoto. 

 - essa é minha condição Lorena, não vou deixar você ir sozinha ha São Paulo, ou o Anthony vai junto ou você não vai. 

 - pra quem não me queria perto dele no começo...

 - eu sei mas, ele há tem como uma irmã, é de maior e pelo que eu vi  ele cuida de você.

 - cuida...e como cuida.

 - Lorena sem ironia, pensa na minha condição caso mude de ideia estarei no meu quarto, caso ao contrário bom dia.

 Ele se levanta e caminha em direção a porta mas antes de sair ele diz: 

 - há...e você está de castigo por duas semanas.

 - pai...

 - sem debate, agradeça por não ser pelo resto de sua vida.

 Ele sai fechando a porta. 

 Voltar para São Paulo era um sonho pra mim mas, Anthony não estava incluído nele.

 Corro para o quarto do próprio adentrando sem ao menos bater, encontrando o mesmo sentado na janela fumando....isso mesmo,  fumando.

 Ele me olha assustado com a boca entre aberta. 

 - bater na porta é bom as vezes sabia?! 

 - você é louco? Você disse para o meu pai que eu tentei me matar, até onde você quer chegar com isso.

 Ele da uma última tragada em seu cigarro o jogando pela janela em seguida, ele se levanta indo em direção ha porta e há fechando. 

 - hei... eu consegui em um minuto oque você estava tentando ha meses, seu pai está prestes ha comprar sua passagem pra São Paulo, era isso que você queria não era?! 

 - sim, mas eu não pretendia levar você de arrasto.

 - e não irá. 

 - não tenha tanta certeza, porque essa é ha proposta do meu pai, ou você vai junto ou não tem viagem. 

 Ele solta uma gargalhada alta e longa, como se estivesse debochando de mim... minha raiva so aumentava.

 - você só pode estar de brincadeira comigo.  

- vai em frente, confira você mesmo... estarei esperando a confirmação bem aqui. 

 Saio de sua frente e me jogo em sua cama, Anthony me olha de relance e sai pela porta de seu quarto. 

 Os minutos se passavam e nada de Anthony voltar, eu colocava fé nele e até achava bem provável que ele conseguisse  convencer meu pai ha me deixar ir sozinha...seria uma viagem perfeita.

 Mais alguns minutos passaram e Anthony adentra seu quarto, havia irritação em sua expressão, sua derrota estava aparente.

 Sem conseguir me controlar deixo escapar um sorriso, não de felicidade mas sim de deboche.  

- e ai? Conseguiu convence-lo?

 - se sabe que não, porque pergunta? 

 Ele se senta ao meu lado com a cabeça baixa, algo o prendia aqui...talvez sua mãe.

 - não se preocupe, eu não irei nessa viagem.

 Seus olhos encontram os meus e um sorriso se abre em seu rosto. 

 - qual há graça? 

 - eu não perdi meu tempo inventando detalhes da noite passada ontem para o seu pai em vão.

 - deveria ter dito a verdade.

 Levanto indo em direção ha porta mas Anthony me segura antes de eu dar o próximo passo. 

 - eu já te pedi desculpas.

 - diga isso aos meus pulmões,  que nunca mais serão os mesmos.

 - você sempre foi dramática assim, ou é apenas uma tentativa para me afastar de você? 

Nem uma das alternativas.

- espero mesmo que você aceite minhas desculpas, não fiz por querer, jamais teria coragem de te machucar. 

 Por algum motivo eu até acreditava no que ele dizia mas, acreditar e confiar são coisas bem diferentes.

 Dou um sorriso forçado e solto meu braço de suas mãos. 

 - eu sei. 

 Saio de seu quarto indo em direção ao meu...onde eu passaria o reto do dia.


 --------------------------------------------------------------


 A noite chegou lenta como uma lesma, estava terminando de me arrumar para ir ha escola quando meu pai entrou em meu quarto. 

 - algum problema pai? 

 - não filha...só quero aproveitar você enquanto posso. 

 Ele e o assunto de que estou crescendo rápido de mais e blá blá blá...

 -você terá muito tempo pra me aproveitar pai, mas agora não vai dar, estou atrasada para a escola.

 - Alejandro levará você.

 Ele se aproxima de mim depositando um beijo em minha testa.

 - se veremos mais tarde filha. 

 Pego minha mochila em cima de cama e desço as escadas correndo, encontrando Alejandro na porta de casa.

 - hello.

 - hello.

 Ele abre a porta do carro pra mim e logo em seguida entra no carro dando lhe a partida. 


---------------------------------------------


 A professora de artes terminava de fazer a chamada para começar as temidas provas que pra minha sorte seria em dupla. 

 A sala estava cheia, todos os alunos estavam presentes. 

 Logo em seguida a professora explicava como tudo iria acontecer, todos os nomes dos alunos estava escrito em um pequeno pedaço de papel amassados e misturados dentro de uma caixinha. 

 Seria tipo um sorteio...o nome que o aluno tirasse no papel seria seu par na prova. 

 Eu era uma das ultimas do meu grupo a tirar o papel. 

 - Lorena Rodrigues... 

 Me levanto da cadeira sem a mínima vontade de fazer aquela prova, tiro o papel entregando a professora.

 -Lorena Rodrigues com Emanuelle Salvatore.  

E quando eu achei que nao podia piorar...piorou. 

 - ja vou dizendo, não vou fazer a sua parte da prova. 

 Emanuelle disse chegando derrepente e se sentando ao meu lado.

 -não preciso que faça minha parte, tiro essa prova de letra.

 -que bom, porque terá que começar ela sozinha, Anthony me chamou pra sair hoje...mas amanhã eu te dou uma ajudinha, beijos querida.

 Ela joga beijinhos no ar, reviro meus olhos em resposta. 

 Me extresar por causa da Emanuelle seria perca de tempo. 

 O sinal tinha tocado ha alguns minutos, a sala estava praticamente vazia, alguns grupos de alunos ainda continuavam na sala combinando como fariam a prova. 

 Me levanto lentamente colocando minha mochila sobre os ombros, Alejandro me esperava no portão da escola.

 - How was your class?

 - It's good, thank you.

 Alejandro abre a porta do carro pra mim, como sempre, o caminho todo foi em silêncio até o carro parar na frente do portão de casa.

 Anthony estava escorado no portão de entrada, e assim que viu o carro fez sinal pra que Alejandro parasse o veiculo.

 Meu coração começou a bater mais forte, enquanto ele dava a volta no veiculo vindo em direção ha minha janela, minhas mãos suavam.

 Ele da duas batidinhas no vidro, abaixo lentamente, seus olhos se encontram com os meus e um lindo sorriso aparece em seus labios. 

 -pode deixar comigo Alejandro, eu assumo daqui. 

 Diz Anthony abrindo a porta do carro para que eu saisse.   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...