História O filho desconhecido de Itachi Uchiha - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Boruto, Drama, Família, Filho De Itachi, Itachi, Itachi Uchiha, Itaizu, Izumi Uchiha, Konoha, Naruto, Sarada, Sarada Uchiha, Sasuke, Sasuke Uchiha, Uchiha, Uchiha Itachi, Uchiha Sasuke, Uzumaki Naruto
Visualizações 52
Palavras 2.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal, fico feliz de saber pelos comentários que estão gostando da fic e entendendo ela rs xD
Agradeço a todos que a acompanham
s2s2s2s

Capítulo 8 - Mãe!


Fanfic / Fanfiction O filho desconhecido de Itachi Uchiha - Capítulo 8 - Mãe!

“Então... Você vai... Lutar com ele... Até a morte?”-Ela perguntou receosa com a possível resposta.

Ele assentiu.

“Eu não vou fingir que está tudo bem... Não depois... De tudo que você fez”-Ela murmurou.

Ele apenas ficou calado.

Observou o local.

A vila parecia mais erma durante a noite.

“Você não é obrigada a me perdoar”

“Não, não sou”-Ela rebateu e depois suspirou levando as mãos no rosto.

Ficou uns segundos assim sentada ao lado dele apenas absorvendo as informações dadas.

Agora entendia o porquê, mas... Era difícil vê-lo depois de tanto tempo.

“Izumi!”-Uma garota veio correndo .

Ela parou diante dos dois, e ofegante olhou-os confusa.

“Ué, você conhece o novo hóspede?”-Sayume perguntou apontando.

****                             

 

Vocês... Tinham um relacionamento?”- Koji perguntou confuso-“Antes disso tudo”

Izumi ficou pensativa.

“Mais ou menos... Era um sentimento recíproco, mas... Não tivemos tempo para chegar ao ponto de... relacionamento.”-Ela disse.

“E depois... Quando se reencontraram?”

Ela suspirou-“Tivemos menos tempo ainda”

“Então como eu nasci!?”-O garoto se levantou irritado-“Isso tudo é muito confuso!”

Izumi se levantou e foi até o garoto.

Tocou em seu ombro já que ele estava de costas.

O garoto se mexeu para que sua mão saísse.

Então se virou-“Quem é o Ren? O que ele é de verdade? E quem sou eu?!”

“Ele é o pai da Sayume... A mulher que criou você e... Que pode ser chamada de mãe mais do que eu”

Koji ouviu atento... No fundo, sabia que não tinha certeza de quem era o cara para qual estava trabalhando.

“Apesar de ter sido o acaso que fez eu e Itachi nos encontrarmos novamente... Ele não estava ali por acaso... Sabia que havia um homem que estava começando uma organização que futuramente poderia ser perigosa. Ele sequestrava crianças que já demonstravam talento bem cedo, e as levava consigo para formar um exercito... Mas era bem provável que levasse anos já que... Nem todos...”

“Sobreviviam”-Koji completou pensativo.

Ele sabia bem disso.

Perdeu muito amigos assim...Quem não lutasse até a morte, e fugisse... Era morto pelas mãos do Ren.

“O deslize se assim pode dizer de Itachi, foi abandonar a missão para ficar comigo até você nascer... Ele ainda não tinha desistido de encontrar com o irmão... E eu sabia bem que ele não voltaria depois... E muitas vezes ele saía... E levava dias para voltar... nunca me disse o porquê”

“Imagino que nesse tempo... Me encontraram...”

Ela assentiu.

****

 

“É... ma-mãe”-A jovem dizia bem devagar olhando para o pequeno menino que olhava sem entender.-“Maa-mãee”

O pequeno mexeu a boca fazendo vários sons.

“Viu?! Ele tá aprendendo! Daqui a pouco vai dizer mamãe”-Izumi se gabou do quarto.

Itachi na mesa da cozinha balançou a cabeça negativamente rindo.

“Ai ele está ficando muito pesado”-Izumi murmurou com o menino no colo.

“Você quer carregar ele no colo pra onde vai...”-Itachi murmurou.

Ela semicerrou os olhos.

“Ele sabe engatinhar, você que não deixa”-Ele esticou a mão para o menino que esticou os bracinhos pedindo colo.

“Desisto”-Ela disse o entregando-“Ele gosta mais de você”

“Isso não é verdade”-Ele disse com o menino no colo.

Ela sorriu mas estava de costas propositalmente.

Recolheu a louça do lanche dele e levou até a pia.

“Eu vou sair hoje”-Ele disse sério.

Ela paralisou em frente a pia.

“Denovo?’-Perguntou com gestos bem mais devagar para lavar a louça.

Ele não respondeu.

“Você sabe que aqui nós não temos informações direito sobre o que acontece lá fora”-Ela disse o olhando.

Ele não respondeu.

Continuava brincando com Koji.

“Porque você não me conta o que é essa tal de Akatsuki”-Ela cruzou os braços.

Itachi suspirou se levantando.

“Nós já conversamos sobre isso”-Ele disse e foi em direção ao quarto.

“Não sobre tudo!”-Ela insistiu.

Ele parou na porta-“Você só precisa saber minha intenção lá... O resto não vai te importar ”-Então entrou no quarto.

Izumi deu um passo a frente para insistir.

Seria inútil isso.

Apenas caminhou devagar até a porta entreaberta do quarto.

Itachi colocava o menino calmamente na cama.

Este parecia sonolento.

Agarrou um dos pés e olhou curioso para o homem sentando ao seu lado.

“Sua mãe vai me deixar maluco”-Ele murmurou para a criança.

Izumi tampou a boca ouvindo.

Itachi pegou algo do bolso.

Um envelope.

O olhou pensativo por alguns minutos.

Izumi franziu as sobrancelhas.

Daquela distância e pela fresta... Não conseguiria ler.

Ele se virou para o menino e tocou em seu rosto.

“Espero que você me perdoe por não te ver crescer”.

Izumi sentiu seu peito apertar.

“Tenho certeza que você vai ser muito forte... E que sua mãe não vai ficar bisbilhotando você!”-Ele disse olhando de soslaio para a porta.

A garota tomou um susto e tropeçou.

Depois sorriu e abriu a porta.

“Eu estava passando”-Ela disse.

****

 

Koji?”-Izumi o chamou.

O garoto olhou com a expressão triste.

“Eu estou ouvindo”-Ele respondeu.-“E quando foi que aconteceu?”

Izumi suspirou-“Nesse mesmo dia”

****

 

“Eu ainda não acredito que você vai sair e deixar...”

“Eu sei que não vão estar sozinhos”-Itachi rebateu interrompendo Sayume que cruzou os braços.-“Tenho certeza que você vai ficar vindo a cada 3 horas... Você já faz isso comigo aqui”

Sayume riu.

Era sempre assim, ele saia sem dizer pra onde iria... Mas sempre voltava.

Era a mesma coisa de sempre e... Seria igual dessa vez.

Alguma coisa em Izumi dizia que não.

Ela colocou o filho para dormir e acariciou seu rosto.

Ele sorriu já de olhos fechados.

Saiu do quarto e foi até a varanda.

Itachi estava deitado olhando o céu estrelado da noite.

Ela se deitou ao seu lado e o olhou.-“Vai agora?”-Perguntou.

Ele apenas balançou a cabeça negativamente.

“Sayume já sabe que o pai dela está por trás da organização que lhe disse”-Ele murmurou sem a olhar ainda.

Izumi assentiu pensativa-“Ele sabe... Sobre você?”

Itachi demorou a responder.

“Acho que sim... Mas não creio que virá logo... Até lá... Fique atenta... E, volto ainda amanhã”

Ela suspirou aliviada.

Izumi se garantia em proteger seu filho mas, Não sabia até onde iria esse homem para pegá-lo dela.

“Queria que as coisas tivessem sido diferentes...”-Ela murmurou se aninhando nele.

Itachi respirou fundo.

Ela sabia que ele não responderia sobre isso.

Talvez fosse inevitável desde o começo.

Ele acariciou seus cabelos... E a esperou dormir.

****

 

Sarada olhou curiosa para o local onde estava.

Obviamente uma vila abandoada.

Não havia ninguém e grande parte das construções estavam destruídas.

Ela caminhou devagar e receosa pelo local.

O garoto tinha que estar ali.

Ele não se preocupou em apagar rastros ou a enganá-la.

A garota então parou.

Seria uma armadilha?

Curiosamente olhou para uma casa que chamava a tenção por parecer ter sido muito bonita um dia.

Caminhou até ela preparada para qualquer coisa que visse em sua direção.

****

 

Izumi acordou sonolenta ainda.

Levou seu braço até seu lado.

A mão bateu no chão frio de madeira.

Ela abriu os olhos os forçando para enxergar melhor.

Itachi não estava mais ali.

Izumi disse a si mesma que sua tensão inexplicável era apenas paranoia.

Se levantou cambaleante e caminhou até o quarto.

Koji começou a chorara.

Izumi sorriu.

Provavelmente já estava com fome.

Ele sempre estava com fome.

Abriu a porta e parou.

Seu rosto ficou sério e frio.

E seus olhos mudaram drasticamente.

Um homem acalmava o bebê nos braços-“Você demorou”-Ele murmurou.

Um outro estava encostado na parede.

Olhou para o lado onde uma cadeira foi arrastada.

Uma mulher se sentava.

Enquanto mais três entravam pela janela.

Ela não perguntou quem eram.

O que queriam.

Ou para quem trabalhavam.

Ela não era de perguntar.

Avançou.

****

 

“Koji”-Izumi o puxou pelo braço e o olhou nos olhos.

O garoto não respondia mais.

Ela colocou suas duas mãos em seus ombros.

“Nós sempre o amamos. Eu sempre o amei... Desde o primeiro dia que te vi depois de longas horas  esperando que você nascesse ao lado da Sayume e você sabe o quanto ela é impaciente.”-Ela suspirou-“Mas eu preferi que minha vida fosse levada no lugar da sua, então ouça bem o que vou te dizer agora.”Algumas lágrimas escorreram de seu rosto, ela as ignorou levando suas mãos até o rosto do garoto-“Se arrependa do que fez, e sua memória irá voltar por completo... As pessoas que você tentou atacar são sua única família agora. “-Izumi olhou para suas mãos.

Estavam mais claras.

Koji franziu as sobrancelhas observando isso também.

“Eu tenho certeza que se estivesse viva te daria uns tapas pelas burradas que fez, mas também tenho certeza... Que seu pai diria que você tem uma segunda chance e que apesar dos erros ele sempre vai te amar...”-Ela olhou para seus braços já numa cor tão clara que era impossível de enxerga-los-“ Como eu”

Izumi lhe deu um beijo nas testa .

Então o abraçou.

Koji fechou os olhos.

Podia jurar que sentia cada toque.

A luz emanava calor.

Ele abriu os olhos olhando-a sem saber o que dizer.

Ela apenas sorriu e toda a claridade a cobriu.

Ela também parecia mais longe...

Se afastando cada vez mais.

****

 

A porta estava arrombada.

Janelas quebradas.

Ele correu para dentro de casa desesperado.

Parou diante do que viu.

Havia corpos jogados no chão.

Caminhou se sentindo um pouco mais tranquilo.

Mas algo ainda o apertava o peito.

Chegou a frente de uma porta.

Sangue escorria por ela.

Apreensivo abriu a porta do quarto do filho.

Izumi estava sentada no chão abraçada a criança que estava enrolada numa manta.

Itachi se ajoelhou a sua frente e tocou em seu ombro.

Ela o olhou.

Parecia sentir dor, mesmo assim... Sorriu.

“O que aconteceu aqui?”-Ele perguntou nervoso a puxando para si.

Ela engoliu em seco tentando responder.

Mas a dor era muito maior.

Em sua barriga havia um enorme corte que sangrava demais.

Ele pressionou o local.

Mas sabia que era impossível salvá-la naquele estado.

Seja o que for... Atravessou vários órgãos.

“Itachi”-Ela murmurou chorando-“Leve o nosso filho...”-Ela tossiu-“Para a Sayume... Eu não confiaria a outra pessoa sem ser ela e você...”-Então mais um crise de tosse veio junto com a falta de ar.

Itachi sentiu suas mãos tremerem.

Pegou o menino que se mexia, e o segurou com um braço a mantendo no outro.

“Ele vai ficar bem, eu te prometo”-Ele disse sério.

Ela sorriu.

Seus olhos não tinham mais brilho.

Ela olhou para o bebê que a olhava sem entender o que acontecia ali.

Segurou sua pequena mão.

Ele apertou os dedinhos sorrindo.

Ela riu sentindo uma pontada de dor.

“Continue inocente assim”-Ela murmurou o olhando. Seu sorriso se desfez e ela acariciou seu rosto-“A mamãe te ama”

“Ma...Mamama... mama”-O menino resmungou olhando para seus pés balançando.

Izumi riu pressionando o local da ferida.

Sentiu algo quente escorrendo em seu ombro.

Olhou para Itachi .

Ele chorava calado.

Ela limpou as lágrimas de seu rosto.

“Eu te amo”-Ele disse beijando sua  testa.

Ela sorriu-“Eu sempre te amei...”-Izumi suspirou-“Eu disse que ele... falaria mamãe... primeiro...”

Ele assentiu sorrindo.

Mas logo seu sorriso se desfez.

Seu olhar ficou cada vez mais opaco.

Até sua respiração diminuir ao ponto de não ser mais sentida.

Ele verificou.

Não havia pulsação.

Itachi respirou fundo sentindo seu corpo borbulhar por dentro.

“Ma...mama...mama”-Koji brincava com as pernas.

Itachi o pegou direito nos braços e se levantou.

****

 

Aquelas memórias o torturava.

Não era para ele se lembrar disso.

Porque o pai fez isso com ele!?

Olhou desesperado para a mãe que sorria já sumindo e a uns metros.

Correu desesperadamente.

Se jogou a abraçando.

Sentiu seu toque acolhedor.

As lágrimas corriam por seu rosto.

Então ela desapareceu.

“Mãe!”-Koji gritou chorando.

****

 

Os dois sentiam como se tivesse sido atropelados por um trem.

Koji estava ajoelhado com as mãos espalmadas no chão.

Olhou ofegante e confuso para frente.

Estava no mesmo local.

Alias, nunca saíra.

O outro o olhava também da mesma forma.

Mas conseguiu se pôr de pé.

Parecia confuso.

“Você também viu?”-Koji perguntou com a voz falhando.

Sasuke assentiu  pensativo.

“A viu?”

O outro franziu as sobrancelhas.-“Quem?”

Koji suspirou se apoiando na parede para se levantar.

Limpou o rosto.-“Ninguém”

Então ela só apareceu para o garoto.

Mas as memórias continuavam se compartilhando.

“Pai?’-Sarada murmurou na porta.

 

 


Notas Finais


Até logo mais xD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...