História O FILHO DO MEU MARIDO(Imagine Park Jimin) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine, Park Jimin, Romance, Sexo
Visualizações 262
Palavras 1.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!!! Boa LEITURA!!!

Capítulo 12 - 12


Fanfic / Fanfiction O FILHO DO MEU MARIDO(Imagine Park Jimin) - Capítulo 12 - 12

(S/N)

É possivel gostamos de uma pessoa em apenas alguns dias? Eu falei que amava Jimin, e o Yoongi? Ele se foi para sempre da minha vida, eu nunca mais o verei. Um adeus é para sempre.

Eu não podia ter nada com Jimin também, se o senhor JunSu descobrir meus órgãos serão vendidos.

Eu dormia nos braços de Jimin, porém de costas para ele, mas acordei com beijos em meu ombro descoberto.

Eu não acredito que eu desobedeci a principal regra da casa de tráfico: perder a virgindade somente a partir dos 21 anos, mas foi prazeroso, muito doloroso no começo, porém o prazer superou todo meu medo e a dor inicial.

Recebo mais beijos, agora ele me descobre um pouco e vai descendo do ombro até minhas costas, ele para e volta aos meus ombros.

- Bom dia Jimin! - falo e me viro.

- Gostou de ontem a noite? - ele pergunta com um sorriso e eu fico vermelha e rindo. - Ah não fique envergonhada. - ele fala rindo - Eu achei que você já tivesse feito com meu APPA. - ele fala. Não posso fazer nem com o APPA dele e nem com ele.

- Não... eu ia casar virgem, mas... - ele ri.

- (S/N) fico feliz que eu tenha sido o primeiro, obrigado por me amar, asim como eu amo você. - ele fala tocando meu rosto com sua mão.

- Você não está me enganando né Jimin? - pergunto e ele olha no fundo dos meus olhos.

- Eu nunca faria isso. - ele fala.

- Nem pra fazer uma vingança ao seu APPA?

- Nem por isso e nem por nada. - ele fala e me dá um selinho demorado - Acredita? - faço que sim com a cabeça e ele ri. - Vamos tomar banho? - ele pergunta e eu começo a rir.

- Eu vou primeiro. - falo e ele ri.

- Vamos juntos! - ele fala.

Nos levantamos e eu corri coberta com o lençol até o banheiro enquanto Jimin ri da minha infantilidade.

- Pode parar por aí! - ele fala e eu tranco a porta do banheiro rindo muito.

Ele bate da porta.

- Vai arrombar - falo rindo.

- Quem vai ser arrombado será o seu interior por mim se não abrir essa porta! - ele fala.

- Daddy! - falo e as batidas param - Você quer que eu abra a porta? - pergunto.

- (S/N) você está brincando com fogo! - ele fala - Não aprendeu a ser uma boa garota ontem? - ele pergunta.

- Você vai ter que me ensinar de novo! - falo abrindo a porta, deixo o lençol cair - Ops!

Jimin me coloca em seu colo e começa a me beijar intensamente. Dava para sentir seu membro duro. Meu Deus que membro enorme. Ele me colocou sentada em cima da bancada da pia olhou no fundo dos meus olhos maliciosamente e intensamente.

- Você não deveria falar assim com seu Daddy! - ele fala e começa a dar chupões em meu pescoço e eu gemi, agora uma mordida.

- Ai! - falo.

- Eu falei que tinha mentido sobre não morder! - ele fala - Não pode gemer até eu mandar! - ele começa novamente a chupar todo meu pescoço, vou ficar marcada.

Mordi meus lábios para evitar os gemidos, ele percebe e ri da situação de obediência.

- Pode me arranhar se quiser Baby! - ele fala e inicia novamente a chupar todo meu corpo.

Ele desce do pescoço até meu seio e começa lambendo-os como se fossem pirulitos.

- Pode gemer. - ele fala rouco.

Ele volta a dar atenção aos meus seios e eu começo a gemer assim como ele. Arranho suas costas em sinalização de prazer. Ele para e me deita na bancada, que ainda bem que é grande.

Ele vai direto para minhas pernas que são abertas pelo mesmo. Estou toda exposta a ele.

Ele se aproxima da mimha intimidade começa a passar a língua em meu clitóris, fazendo-me gemer... ele passa a lingua em toda a a extremidade e eu gozo. Jimin lambe tudo e engole meu liquido, ele faz com que eu me sente novamente e começa a me beijar fazendo eu sentir meu proprio gosto.

Ele me carrega até o box.

Ele liga o chuveiro e me encosta na parede fazendo os dois se molharem, pois era no teto por onde saia a água.

Ele me beija intensamente e morde meus lábios sem piedade ao acabar o beijo.

Fecho os olhos e sinto seu membro penetrando em meu interior, gememos os dois. Dor e prazer ao mesmo tempo, eu ainda não estava acostumada com aquilo, mas logo passou, era só prazer.

Depois de um tempo ele começou a fazer movimentos de vai e vem intensos e firmes, fazendo nossos corpos se chocarem com força criando musica junto com os nosso gemidos.

Ele continuou fazendo os movimentos com mais violência e mais intenso. Eu comecei a arranha-lo nas costas para conter a vontade de gemer, mas era impossível.

Ele fazia cada vez mas rápido e meu corpo se debatia na parede. Jimin começou a fazer movimentos circulares.

- Você é... tão apertadinha..., gosto assim Baby! - fele fala ofegante.

Ele continuou fazendo os movimentos mais profundos. Jimin segura minha cintura e aperta promovendo movimentos mais firmes a medida que ele ia estocando com mais força.

Depois de um tempo ele goza em meu interior e me dá um beijo em meus lábios. Ele fica ofegante.

Jimim pega um sabonete e uma esponja de banho.

- Se vire. - fico de costas para ele. Jimin aperta de leve minha bunda - Uou Baby!

Ele começa a esfregar a esponja em minhas costas e depois em todo meu corpo.

Tomamos banho juntos.

Ao sairmos do banheiro de roupão fomos para o quarto e vemos que já estava amanhecendo.

- (S/N) você vai mesmo se casar com ele? - Jimin me pergunta olhando nos meus olhos.

- Jimin...

- Você nem o ama!

- Mas eu preciso! O que você quer que eu faça? Que eu fuja com você?! - falo e o mesmo se cala - Além disso, essa tem que ser nossa ultima vez juntos!

- Você vai mesmo fazer isso? Não, por favor não faça isso comigo!

- Jimin... - ele me interrompe iniciando um beijo tranquilo e apaixonante. - Vamos viver nos escondendo? Vivendo em segredo? Com medo?

- Eu não tenho medo! - ele fala olhando intensamente para os meus olhas - Vale apena o risco.

- Você precisa ir Jimin, eu tenho que me arrumar! - falo pegando as roupas dele no chão do closet e colocando em suas mãos- Te vejo no casamento.

Ele sai pela porta que ligava seu quarto do meu.

Olhei para o relógio: 6:10, faltavam 3:50 para o casamento.

Ouço batidas na porta e logo alguem entra. Hoseok.

- Aqui está o seu vestido. - ele fala me entregando uma roupa enpacotada com um plastico preto.

- Obrigada! - falo e Hoseok olha afrito para mim.

- Eu não vou contar nada a ele (S/N), mas vocês dois precisam ajudar diminuindo o volume. - ele fala e sinto que minhas bochechas começaram a esquentar - Os dois tveram sorte que o senhor Park saiu assim que vocês foram para o quarto.

- Hoseok, pelo amos de Deus!

Alguem bate na porta. Era Tae.

- Ontem rolou em! - ele chega olhando para mim com um sorriso malicioso e exagerado.

- Silêncio Taehyung! - falo

- Vamos Tae, temos que deixa-la para se trocar. - Hoseok fala e empurra Tae para a saída do quarto.

Eu abro a capa de plástico que cobria meu vestido e me admiro com a beleza dele, parecia ser de princesa. Não era branco como a maioria dos vestidos de casamento, era verde com flores. Combinava mesmo com o tema do casamento já que era no jardim.

Eu mesma fiz meu penteado e minha maquiagem. Coloquei meu salto, que tive que aprender a andar com ele e esperei um tempo até que alguém bate na porta e entra. Hoseok.

- Venha! - ele fala e eu saio do quarto e caminhamos pelo corredor em silêncio - Pronta?

- Não, mas eu preciso fazer isso.


Notas Finais


Obrigada por ler!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...