História O fogo do coração gelado - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Hinamori Momo, Hiyori, Ichigo Kurosaki, Ikkaku, Karin Kurosaki, Kenpachi Zaraki, Orihime Inoue, Personagens Originais, Rangiku Matsumoto, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Shunsui Kyouraku, Soi Fong "Soifon", Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Urahara Kisuke, Yumichika
Tags Bleach, Hitsugaya Toshiro, Novo Amor
Exibições 22
Palavras 2.037
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite, leitores maravilhosos do meu <3!!!!

Segue mais um capítulo da nossa fic...

Espero que gostem, e, boa leitura!!!

Capítulo 41 - Parabéns, Reira!


- Está demorando mais do que o previsto! - reclamou Sói Fong.
- Que tipo de serviço deu a ela? - indaga Tsukiumi na sala da capita do 2° batalhão.
- Uma investigação simples de um caso falso.
- Nani?
- Planejei um teste que consistia em investigar um assassinato.
- Taichou, fomos avisados que a tenente acaba de passar pelo portões de Seireitei - invade a sala um oficial, interrompendo as duas capitãs reunidas.
- O quê?
- Ela está vindo pra cá! - informou.
- Ok... - falou ciente, e virando-se para Tsukiumi continua - Vá, cuidarei do resto por aqui.
- Sim.
A capitã do 4° segue para casa afim de avisar a todos que as aguardavam.
- Por que a demora, Reira? - questionou Sói Fong.
- Foi um serviço mais difícil do que imaginava.
- E o que aconteceu? Está toda ferida, e onde estão os outros?
- Fomos pegos de surpresa por um grupo de almas do distrito, os oficiais foram atacados, no fim, tive de lutar, pensei em não causar muito dano, mas os espíritos daquele lugar são bem fortes. - respondeu sarcástica.
- Como os oficiais do 2° batalhão perderam para um bando de espíritos destreinados? - indagou furiosa.
- Como eu disse, eles eram fortes!
- Amanhã irei ensinar algumas estratégias, e iremos encontrar um substituto para o 3° oficial, tsc...agora tenho de retratar os fatos, e você, está liberada, vá para casa e descanse.
- Arigatou, taichou e gomenasai, não passei no teste corretamente, ne?
- Quando percebeu que era um teste?
- Muitas peças do serviço não se encaixavam.
- Rum... - sorriu de lado a capitã.
- Ja ne! - despediu-se a Yamamoto.
"Está crescendo cada vez mais...", pensou Sói Fong a vendo partir.
Reira chegou até sua casa, estranhamente viu tudo escuro, deu com os ombros e se dirigiu diretamente a seu quarto, tratou de encher a banheira de água enquanto tirava o shihakushou, assim como as peças de roupas que usava por baixo, antes de adentrar percebeu o quão gélida se encontrava e a aqueceu, entrou logo que a temperatura atingiu seu agrado.
Fechou os olhos e relaxou.
- Poderia passar a noite inteira aqui, está tão quente e confortável! - falou a Yamamoto em tom de voz audível, fechando os olhos devagar.
Enquanto no jardim, por trás da casa, Sói Fong aproximava-se.
- Ela ainda não chegou?
- Não, estamos preocupados...
- Ordenei que viesse diretamente para casa, aonde essa garota foi parar?
- Isso está mais demorado do que imaginávamos. - comenta Renji impaciente.
- Vamos encontrá-la! - exclama Tsukiumi e chama - Matsumoto, Isane, Hanatarou, procurem Reira por toda Seireitei!
- Sim, senhora!
- Eu também irei. - prontifica-se Hisagi.
- Arigatou! - agradece a Yamamoto.
Toshiro encontrava-se pelo local, ainda terminando de esculpir uma área de gelo.
- Está ficando maravilhosa. - elogia Hinamori.
- Obrigado. - faz um agradecimento seco, Hitsugaya ainda não havia superado a mentira da amiga, mesmo que não tenha sido grave, era um fato.
- Reira-chan ficará muito feliz de te ver aqui! - comenta Momo.
- Humm...
- Bem, irei ajudar Kuchiki-san... - percebendo a frieza com que estava sendo tratada, afastou-se a fim de não entrar em um conflito ainda maior com seu melhor amigo.
- Sim. - ele falou indiferente e tempo depois finalizou.
"Ficou muito bom mesmo", orgulhou-se observando a arte.
Tsukiumi aproximou-se e disse:
- Nossa, que perfeição!
- Fiz o melhor que pude... - comentou "humildemente".
- Claro, você sempre faz o seu melhor, Tenente Hitsugaya. - sorriu.
- Obrigado. - agradeceu.
- O problema é que está completamente molhado, precisa enxugar-se ou trocar-se.
- Não será necessário, irei para casa.
- De forma alguma, veja, no final desse corredor há um quarto, lá encontrará toalhas e shihakushous secos, não seja tímido. - apontou a Yamamoto para uma direção e saindo.
Toshiro não teve tempo de rebater, então resolveu obedecer, murmurando seguiu para direção indicada, mas ao final do corredor havia duas portas e não uma, como Tsukiumi tinha dito.
"E agora? Qual porta da para o quarto que a capitã falou?", pensava o tenente, resolvendo entrar na da esquerda.
Viu um shihakushou em cima da cama e mais a frente tinha uma estante com toalhas, ao seu ver parecia um quarto normal, pegou uma e foi ao banheiro, estava bastante escuro, mas enxergou a banheira, era grande, passeou os dedos na água natural devagar e estranhou o fato de estar tudo pronto para que se trocasse, mas deixou a cisma de lado, pois poderiam ter preparado momentos antes dele ter terminado o serviço, deu com os ombros e entrou na banheira.
O barulho do corpo pôde ser sentido por Reira, que despertara do seu sono relaxante.
- Quem está aí? - perguntou.
- Nani? Tem alguém aqui? - assustou-se o tenente, saindo da banheira enrolado e ligando a luz.
- Toshiro? Quer dizer, tenente Hitsugaya? - perguntou a garota adentrando ainda mais na banheira, deixando apenas o nariz e os olhos na superfície, não conseguindo disfarçar sua vergonha, mostrando uma face rosada.
- O que está fazendo aqui? - questiona Toshiro.
- Eu moro aqui, e este é meu quarto! - levanta apenas um pouco, e lembrando da sua nudez, volta rapidamente pra dentro da água.
O tenente ainda vê algumas curvas do corpo da garota, e ruboriza, virando-se de costas.
- Gomenasai! - desculpa-se e sai.
Nesse momento, a Yamamoto aproveita para sair, enrola-se na toalha e o segue.
Quando chega ao quarto, Toshiro descia a toalha, mas logo a reergueu ao perceber a presença de Reira.
- Que situação mais embaraçosa! - comentou o tenente.
- Desculpe-me, Toshiro, mas...
- Tenente Hitsugaya!
- Tsc... quando vai parar de ser tão infantil?
- Quando deixar de me perseguir pra aonde quer quer eu vá.
- O quê? Não estou... mas, isso não é o mais importante, quero saber o que faz aqui!
- O taichou me pediu um favor, não pude negar, e não te devo mais explicações... - o tenente foi rude e saiu rapidamente, recolhendo seus pertences.
- Mas...
A porta bate em seguida e uma lágrima rola pelo rosto da Yamamoto.
"Que sensação é essa? Quando a vi com aqueles trajes mínimos meu coração disparou, quase não consigo controlar meu corpo...", pensa Toshiro, suando, mas aliviado de não ter feito nada, e dirigiu-se para o quarto vizinho.
Tsukiumi on:
Estava indo para cozinha e tomei caminho pelo corredor que havia indicado ao tenente anteriormente, o que me surpreendeu bastante foi tê-lo visto apenas de toalha e seu shihakushou em mãos, me aproximei para averiguar.
- Tenente Hitusgaya, o que faz no corredor nesses trajes?
- Ah, entrei no quarto errado, e, por acaso, Reira está nele, estava me direcionando ao outro, sumimasen. - explicou e se retirou, estava muito sério, e pensei logo em algo ter acontecido entre os dois, mas antes de entrar para verificar o estado de Reira, fui até o jardim e comuniquei o aparecimento de nossa filha a Renji, até porque ele precisava tomar as providências em avisar a equipe de busca para cessarem o serviço.
(Toc Toc), bati a porta, não obtive resposta, então tentei abri-la e consegui entrar, por sorte não estava trancada.
Reira estava vestida e encontrava-se deitada na cama, a cabeça afunda entre os braços e pela respiração pude perceber seu choro silencioso, me aproximei, sentei ao lado da cama e falei:
- Feliz aniversário, meu amor! - é, eu não iria tocar no assunto 'Toshiro' até que ela sentisse-se a vontade em me contar.
Passou um tempo na mesma posição e depois, secando as lágrimas, falou:
- Obrigada, mãe! - eu sorri, Reira havia se tornado forte e não deixaria que um simples ocorrido a abalasse, embora eu não tivesse conhecimento do que havia acontecido.
- Venha comigo até o jardim... - chamei.
- Não quero!
E antes que pudesse contestar mais um pouco, puxei-a, forçando a levantar-se, e me seguir.
Tsukiumi off.
Reira on:
Mamãe me puxava rápido, não conseguia assimilar o que estava acontecendo, mas ao chegar próximo a saída para o jardim, avistei luzes, flores e ao lado uma obra que só poderia ter sido feita por uma pessoa: Toshiro.
Era uma pista de patinação, como a que ele me fez em Karakura, mas como? eu me perguntava, já que ele não tinha nossas lembranças? e outra coisa que me intrigava era como eu não tinha a percebido (¬¬).
Meus amigos e os amigos dos meus pais faziam a maior parte de Seireitei, estavam todos presentes, espera, faltava... ah, acabaram de chegar: Matsumoto, Hisagi, Isane e Hanatarou!
Quando me viram, me aplaudiram e vieram me parabenizar, confesso ter sentido meu rosto queimar e a presença deles me fizeram muito feliz.
Papai falou algumas palavras, algumas legais, e outras sem noção, ne? Afinal, esse é meu pai, e eu o amo principalmente por ser assim, haha...
O pessoal se separou pelas mesas, fiquei um pouco desnorteada no começo, então percebi a aproximação da minha mãe, que falou baixo no meu ouvido e abrindo um sorriso logo depois:
- Fique a vontade, a festa é sua!
Eu sorri de volta e avistei Hinamori junto a 'tia' Rukia, Ariasu e Kotoko, a quanto tempo eu não tenho um bom momento de distração? Haha.
- Que bom vê-las aqui. - falei sorridente assim que me aproximei.
- Reira-chan, felicidades, não poderíamos ter deixado de vir a seu aniversário. - Kotoko falou contida, mas entendível, sempre com seu jeito meigo e tímido.
- Sim, apesar de estarmos separadas, o trio continua vivo! - Ariasu diz animada.
"Que saudade eu tava delas...", respirei fundo ao pensar.
- Como estão? - perguntei e aí começaram a me responder, tantas coisas haviam acontecido com elas, estavam tão mudadas, depois teríamos que marcar mais uma saída para o bar, haha.
Em meio aos assuntos, Ariasu comentou:
- Ah, Reira, sei que não é o momento, mas desde o dia que descobri queria pedir sinceras desculpas por ter me oferecido tanto ao tenente Hitsugaya. - com essa ela me pegou de surpresa, na verdade, nunca tinha a considerado uma ameaça e não me incomodava com as tentativas.
- Sem problemas, Ari-chan.
Hinamori me olhou disfarçadamente, mas eu notei, para que o assunto não se aprofundasse mais, pedi licença pra falar com os demais.
"Uff... essa foi por pouco, por mais que eu queira resolver logo esse assunto, hoje não quero mais falar sobre o assunto Toshiro".
Quando me afastei, Momo veio ao meu encontro e alertou:
- Ele está agindo diferente comigo, desconfio que alguém deva ter contado-lhe a verdade.
- Obrigada por me avisar.
- Se quiser minha ajuda hoje para algo, é só dizer.
- Esta bem, mas, por hoje quero esquecer um pouco o Toshiro.
- Ah, entendo.
Ela me deixou só e passei mesa a mesa, cheguei aonde meus pais estavam e vi que a próxima seria a de Toshiro, que acompanhava-se de Hiyori, Lisa, Nanao,  Matsumoto e Hisagi, uma mesa de tenentes, me preparava psicologicamente quando ao perceber minha aproximação, meu tenente se retirou, fingi não ter me magoado com essa atitude, e continuei naquele local por mais algum tempo.
Depois disso, comi alguns petiscos, bebi, mas não o suficiente para me embriagar.
Cansada, não me despedi de ninguém, fugi para o meu mundo de conforto, meu quarto, minha cama, aquela noite tinha me deixado um pouco mais feliz, e tinha afirmado ainda mais minha decisão de reconquistá-lo.
Reira off.
- Ei, Lisa, veja. - Hiyori batizava a bebida de Toshiro aos poucos.
- O que está tramando, baixinha? Por acaso planeja uma noite espetacular com o tenente? - perguntou maliciosa.
- Nani? Está maluca? - espanta-se.
- Só estou te dando uma dica, ate que aquele tenente é bonitinho... - comentou Lisa.
Ruborizada, Hiyori se irrita e explica:
- Lembra da última vez que fizemos isso?
- Sim, ele te agarrou de uma forma de tirar o fôlego, haha.
- Sim, mas muita coisa mudou, quero saber qual vai ser a reação dele agora!
- Você está brincando com fogo, garota... - avisa.
- Eu sei onde piso, Lisa! - diz a garota muito confiante.
 


Notas Finais


Shiii, Hiyori tá aprontando algo, o que será, hein?
Nosso tenente num tá dando nem uma brecha de aproximação da Yamamoto, que difícil! Uff...
Reira, não desiste!!!
~Ja ne~
Bjs, :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...