História O fogo do coração gelado - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Hinamori Momo, Hiyori, Ichigo Kurosaki, Ikkaku, Karin Kurosaki, Kenpachi Zaraki, Orihime Inoue, Personagens Originais, Rangiku Matsumoto, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Shunsui Kyouraku, Soi Fong "Soifon", Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Urahara Kisuke, Yumichika
Tags Bleach, Hitsugaya Toshiro, Novo Amor
Exibições 18
Palavras 1.986
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yo, meus amores!

Um pequeno atraso na postagem, gomen, ontem nosso capítulo já encontrava-se pronto, porém quis dar mais uma revisadinha :3
Pois pela semana inteira estive escrevendo entre os intervalos de um afazer e outro, o que me fez pensar numa necessária revisão (e o domingo foi curto pra quem ficou de ressaca dormindo até tarde u.u), desculpas de lado, finalmente está revisada e postada...

Espero que gostem, e, boa leitura!!!

Capítulo 47 - Reunião de Emergência


Toshiro on:
Nos dividimos para procurar Matsumoto, eu fui para o Sul e primeiramente passei pelos lugares que mais frequentava, nem sinal, subi em um galpão do 6° esquadrão e a vi entrar num prédio abandonado, usei o shunpou conseguindo alcançá-la, porém, ao entrar não a enxerguei, estava tudo escuro, mas eu sabia que ela estava lá.
- Matsumoto, vamos voltar ao trabalho. - chamei, sem resposta, continuei - Eu não entendo o que está acontecendo comigo, nem o que sinto pela filha do capitão, o que não é motivo para ter sido grosso, me desculpe, e obrigado por se preocupar comigo, estarei esperando-lhe no esquadrão! - finalizei e saí.
Pouco tempo depois, Matsumoto me seguia.
- O taichou está muito nervoso? - questionou como se nada tivesse acontecido.
- Diria mais que está preocupado! - respondi da mesma forma.
- Entendo, gomen. - ela se desculpou?
- Pelo que? - perguntei.
- Por me envolver, e pela insensibilidade em não ter percebido sua crise antes. - olhei de canto e ela não me encarava, continuava olhando pra frente.
- Não por isso... - falei voltando minha atenção ao caminho tomado.
Nossa sincronia era o que mais gostava nela, em poucas palavras tudo se encontrava resolvido.
Toshiro off.
******************************************
- Não acredito que estávamos perdendo um oficial tão bom! - Reira comentou animada com a capitã, que não teve como negar vendo Hideki derrotar todos os outros oficiais em sua frente, ela assentiu e retrucou com olhar desafiador:
- Digno de tenente, não acha?
- No máximo 3° oficial! - a Yamamoto ficou séria ao falar.
- Hahaha, não se preocupe, não há tenente melhor que poderia querer. - sorriu Sói Fong vendo a expressão insatisfeita da tenente, com relação a brincadeira que fizera.
Hideki se aproximou ofegante até as duas e perguntou:
- Como me saí?
- Derrotou todos os outros oficiais e ainda pergunta? Ok, Reira, volto atrás na minha opinião... - verificou que o recém oficial não era tão esperto como parecia.
- O quê? Não estava brincando? - a tenente arregala os olhos.
- Haha, claro que estava. - brinca novamente a capitã, totalmente contrária ao habitual e continua a falar olhando para Hideki - Você ficará sob supervisão da tenente Yamamoto como 3° oficial do 2° batalhão, e isso é tudo! - concluiu, os deixando a sós.
- Que legal, sabia que você conseguiria! - parabenizou Reira seu mais novo subordinado.
- Obrigado, não queria ficar tão atrás da pirralha! Haha.
- Hahaha. - eles sorriam e de repente Hideki a abraça novamente, tornando a tenente a ficar séria.
- Não me abrace assim tão de repente, Hideki-kun! - ela pede ainda em meio aos braços do grandalhão.
- Oh, desculpe-me, não sabia que incomodava.
- O problema não é você, é que isso pode me causar problemas, entende? - respondeu a dúvida um pouco receosa pela reação que ele poderia ter.
- Tudo bem. - e Hideki a largou.
- Obrigada...
- Então a pirralha deve ter namorado! - alegou com um olhar malicioso.
- Não é bem um namorado, bem, ele já foi, e agora eu não sei mais o que ele sente por mim. - dessa vez, ela abrira seu coração, falava com semblante confuso e triste simultaneamente.
- Pois esse cara não sabe o que tá perdendo! - disse virando de costas e cruzando os braços.
Reira levantou a cabeça corando e percebeu que ele não mais a encarava, agradecia-o internamente por tê-la poupado alguma explicação e tamanho constrangimento, ela sorriu e andando para fora do grande salão de batalhas do esquadrão, o chamou:
- Venha comigo, te apresentarei todo batalhão assim como Seireitei, enquanto isso, falarei sobre as regras!
- Hai! - assentiu o 3° oficial, a seguindo.
Após Reira ter apresentado o batalhão e suas regras, expandiu para fora de Seireitei, explicando algumas regras gerais que todos os outros também deveriam seguir.
- Quantas regras... - reclamou Hideki em um suspiro.
- Tá querendo desistir? - ela sorri de canto e o provoca.
- Nem em milhares de anos! - respondeu o oficial decidido.
- Haha, que bom, ah, estamos próximo ao 10° esquadrão, poderíamos ir até lá para que conheça meu pai... - ela repensa, faz uma pausa e conclui - melhor deixar pra depois!
- Por que? Sabe que sempre é uma honra para os recém-formados conhecer um capitão. - insistiu.
- É que ele deve tá muito ocupado... -nesse momento, a tenente pára seu raciocínio ao vê Toshiro e Matsumoto aproximarem-se do portão.
- Bom dia, lindinha! - Rangiku é a primeira a cumprimentar.
- Ah, bom dia! - Reira abre um sorriso discreto e cora ao olhar pra Toshiro, desviando em seguida.
- O que fazem aqui? - Novamente Matsumoto dá início a conversa.
- Bom, esse é Hideki, o mais novo 3° oficial do 2° esquadrão, estou apresentando-lhe Seireitei.
Ele curva-se para os oficiais do 10° esquadrão como demonstração de respeito.
- Ah, eu já o vi antes, ele tinha sido preso por tentar golpeá-la por trás... - observou Rangiku inocentemente.
- Sim, mas isso é passado ne? - falou sem jeito a garota, fazendo com que a oficial se tocasse do que tinha dito.
- Gomen, não deveria ter dito isso! - diz envergonhada.
- Não tem problema, nós já superamos. - Hideki amenizou o clima, apoiando uma mão no ombro da garota.
- Que bom, querem entrar? - Toshiro encarou friamente sua oficial pela pergunta.
- Gostaria de conhecer o capitão! - o oficial de Reira insistiu, tomando a frente dela, pois sabia que iria negar.
- Ele não está... - o tenente responde grosseiramente.
- E, por culpa minha! - Rangiku completou com olhar de espanto para Toshiro.
- Deixa pra depois, ne, Hideki-kun? - a tenente falou, o encarando repreensiva.
- Ótimo, vamos, Matsumoto! - disse o tenente entrando no esquadrão a frente.
- Sim! - assentiu Rangiku o seguindo e pedindo desculpas gesticulando com a boca um "gomen", dando com os ombros.
Reira assentiu, pegou Hideki pela mão e saiu rapidamente de perto.
- Por que estamos fugindo? - indagou irritado, e continuou - Por acaso é aquele tenente que te magoa?
A Yamamoto pára de repente e quase é atropelada por Hideki.
- Sim, é ele, como percebeu? - respondeu ainda de costas.
- Não precisa ser gênio, eu vi vocês desviando várias vezes os olhares, mas o que viu nele? Um arrogante, egoísta e sem coração, sinceramente, merecia alguém melhor! - reclamou.
- Ele nem sempre foi assim... - disse a tenente encarando o oficial, com os olhos marejados.
Hideki engole a seco, ele não era tão sensível quanto havia demonstrado nos últimos minutos, não conseguindo mais contestar a garota.
O silêncio pairava até ser interrompido por um informante:
- Tenente do 2° esquadrão, Yamamoto-san, a pedido da Tenente do 1° esquadrão, Nanao-san, solicito a vossa presença a reunião emergencial que será realizada o mais breve possível assim que todos os tenentes estiverem presentes no local habitual das reuniões mensais.
- Irei de imediato, arigatou! - se prontificou Reira e logo após o informante partir, olha para Hideki perguntando - poderia retornar ao esquadrão e avisar a taichou?
- Sim! 
Se despediram assentindo com a cabeça e partiram para lados opostos.
Reira on:
"Não deveria tê-lo enviado sozinho ao esquadrão, será que ele ainda lembra o caminho? Humm... Espero que sim!", pensava enquanto corria por Seireitei, avistei alguns tenentes a minha frente e me intrigava com essa reunião emergencial, o que terá acontecido?
Me aproximando do salão de reuniões de Nanao, percebo Toshiro ao meu lado, o olhava atentamente enquanto nem uma verificada de canto de olho merecia dele, e de repente:
- Deveria ser mais coerente com o que anda dizendo.
- O quê? - puxei-o pelo braço, questionando e fazendo-no parar, ficamos frente a frente.
- Não preciso entrar em detalhes com você!
- Como não? É sobre mim que estamos falando...
- É só um aviso. - ele se portava indiferente, qual é a dele? Por acaso tinha a pretensão de me enlouquecer?
Hinamori apareceu nos interrompendo:
- Shirou-chan, Reira-chan, estão indo para a reunião também?
- S-sim.. - respondi, enquanto Toshiro apenas balançou a cabeça positivo.
- É melhor não demorar, Nanao-san dirá o que está acontecendo com a condição de todos estarem presentes.
- Eu já estou de partida! - ele exclamou partindo em seguida.
Hinamori deu algumas passadas e logo que não me viu fazer o mesmo, parou.
- Venha comigo, Reira-chan! - Momo sorriu, mas não tinha humor para corresponde-la, sentia-me furiosa.
- Sim... - concordei e caminhava a seu lado quando a tenente iniciou uma conversa:
- Tenha paciência com ele e continue a ser você mesma.
- Eu tento, mas ele é tão teimoso, e irritantemente chato e frio e...
- Ele era exatamente assim quando o conheceu, ne? - ela me interrompeu e estava coberta de razão.
Fiquei pensativa quanto ao que disse até chegarmos a sala de reunião, nós fomos as últimas, e Nanao estava uma fera:
- Da tenente Yamamoto já esperava, mas de você não, Hinamori-san. - ok, fui ofendida, mas era de se esperar, eu sempre me atrasava mesmo...
- Gomenasai! - pedimos em uníssono e nos curvamos em sinal de arrependimento.
- Tudo bem, acomodem-se. - ela suspira e depois prossegue alinhando o óculos - bem, o comandante quer analisar a força, pontos fracos e fortes de cada um, por essa razão, decidiu organizar um campeonato, onde terão que lutar uns contra os outros.
- Campeonato? Como será isso? - Hinamori pergunta afobada.
- Eliminatório! 
- Explique melhor, tenente. - pediu Toshiro.
- Não era avaliativo? - questionei confusa.
- Acalmem-se, será sorteado um número para cada um, seguindo a sequência em duplas, teremos 6 lutas preliminares, o que significa que eu não participarei e que terá apenas um vencedor. - explicou nervosa.
- O que vai acontecer com quem perder?  - indagou Hisagi.
- Está muito preocupado com isso? - Hiyori provocava, tsc.
- Se vai sobrar apenas um, quero saber o que acontecerá com os outros. - respondeu aborrecido pela provocação.
- A pergunta correta seria o que acontecerá com o ganhador, não? - corrigia Hiyori quando foi interrompida por Nanao.
- Exatamente, tenente, entretanto, não tenho mais detalhes sobre o pós campeonato, o comandante pediu apenas que os informassem e se preparassem.
Os tenentes silenciaram pensativos, quando levantei animada:
- Certo, só temos que lutar, e não temos escolha, hein... então é melhor nos dizer quando vai ser!
- Obrigada pela compreensão, tenente Yamamoto, será daqui a 5 dias.
- Ótimo, estaremos prontos! - soquei minha mão e percebi que consegui instigar competitividade entre os outros, beleza, esse era meu intuito, por que ficar receoso com um simples campeonato? O comandante sabia o que estava fazendo e eu confiava nele.
Com isso, Nanao deu por encerrada a reunião e fomos dispensados.
Hinamori e Yachiru me acompanhavam, mas meu pensamento estava em quem caminhava calmamente atrás de nós, a poucos metros.
- Não fica nervosa em ter que lutar conosco, Reira-chan? - perguntou Momo.
- Por que ficaria? - indaguei.
- Somos de distintos esquadrões, mas somos companheiros do Gotei 13. - respondeu.
- Sabe, Momo-chan, batalhas são importantes, principalmente entre amigos! - Yachiru interrompeu com a resposta perfeita.
- Sim, Yachiru-chan sente o mesmo que eu. - concordei.
- Aah, mesmo assim é tão difícil entender vocês, não sei se consigo.
- Hahaha... - eu e Yachiru sorrimos juntas, para nós, integrante e ex-integrante do 11° esquadrão era uma honra lutar com um amigo.
Estávamos a um passo para sair do 1° batalhão quando avisto ao longe minha mãe sair da sala do comandante Kyouraku.
- Err... podem continuar, tenho algo a fazer agora! - sorri e corri na frente a fim de alcançar a capitã do 4° esquadrão, me despedindo - Ja ne, Ganbatte*!
 


Notas Finais


O que se passa pela cabeça do nosso querido comandante, hein?
E é impressão minha, ou nosso tenente de gelo está sentindo, nem que seja uma pontinha, de ciúmes? ^^,
Hideki não deixa fácil, se aproveitando da nossa Yamamoto, está me saindo um "conquistador" barato, tendo em vista que colocou os olhos sobre Matsumoto também! Haha...
O que Tsukiumi fazia saindo da sala de Kyouraku? Humm... isso e muito mais teremos nos próximos capítulos, por isso não deixem de acompanhar a fic!!!

*Ganbatte: É uma expressão muito comum no Japão e pode ser usada de várias formas, mas no geral é usado para incentivar as pessoas para dar o máximo de si mesmas ou seja, se esforçarem naquilo que estiverem fazendo, seja nos estudos, no trabalho, nos esportes ou qualquer outra atividade.
Vocês podem encontrar mais derivações dessa expressão no link (vale a pena conferir) : http://www.japaoemfoco.com/ganbatte-faca-o-seu-melhor/
~Ja ne~
Bjs, :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...