História O garoto da casa ao lado - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Min Yoongi, Romance, Suga
Exibições 12
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegay, mas chegando, com fic nova, toda fofurinha. Espero que gostem, meus amores <3

Capítulo 1 - O céu que te colore



O garoto da casa ao lado
Capítulo um: O céu que te colore.

 

Tudo começou naquele 29 de setembro, final de outono. Yoongi acordara a contragosto e foi para o trabalho mesmo assim. Contava em sua mente quantos dias faria que não via Jungkook ou Taehyung. Eram muitos. Nem mesmo saíra de casa nesse meio tempo. 
Vestiu a jaqueta e saiu pela porta, ignorando completamente os novos vizinhos de mudança. Era sábado e ele tinha período integral no trabalho apenas com intervalo para o almoço. Mal começara o dia e ele já estava desanimado e sentindo o sono que lhe faltava. Resmungou quando a moto demorou a pegar e seguiu seu caminho tomando cuidado para não adormecer. 
A loja já estava aberta e ele atrasado, sua cabeça voltava às garotas na festa da noite passada, na qual não conseguiu nem mesmo um beijo, e se martirizava por não ter nada na cabeça que não fosse sua mãe ou o bem-estar de seus amigos. 
Jungkook e Taehyung estavam de cama, ambos doentes, e como moravam juntos estavam de quarentena. Yoongi conversava com os dois apenas pelo computador ou pelo celular, fora as poucas vezes que fora levar sua lista de compras até lá. 
No período da tarde, após o almoço, Yoongi recebeu a melhor notícia de seu dia. Estava liberado durante a tarde poderia ir para casa. Ele sorriu, beijou a bochecha do chefe, mesmo com certo nojinho, e saiu com a moto. 
Mas não rumava na direção à sua casa, pegou a pequena estrada que ia para a praia e estacionou não muito longe do calçadão. Ele não tinha o que fazer e não queria ir para casa, embora o cansaço, então optou por ir ver o mar e se animar um pouco com a brisa marítima. 
Yoongi se sentou na areia, e cruzou as pernas, abraçando os joelhos. Quem dera ter a câmera naquele momento, estava tão bonito. O sol que se escondia nas nuvens a algumas horas atrás já estava completamente exposto, se pondo aos poucos. O céu tomava tons de vermelho à lilás que se mesclavam e deixavam tudo que estava ao ar livre meio alaranjado. Ele suspirou e se levantou.
Demorou, mas se deu conta da menina que se sentou um pouco mais à frente. O cabelo escuro ondulado voando com o vento, os olhos fechados e o rosto inclinado na direção do céu com um pequeno sorriso satisfeito. Yoongi via as costas da menina mexerem conforme respirava e novamente, vendo a menina ali, tão extasiada, sentindo o calor dos últimos raios solares e o ar salgado do mar, ele teve vontade de fotografá-la naquele momento íntimo tão nítido.
Ele ia se afastar quando ouviu-a falando, não sabia se era com ele ou não, mas mesmo assim se manteve parado com os pés cravados na areia. Ela falou novamente, e ainda não ouvindo, ele se virou e deu de cara com os olhos escuros e curiosos dela. 

— É você, não é? — Perguntou num coreano enrolado, era nova no país, na cidade, e custava a se acostumar com a nova língua. Ela estava séria, mas um sorriso insistia em sair-lhe dos lábios. Ela tinha, de fato, reparado no garoto divertido e ranzinza que reclamava com sua velha moto por não funcionar. Tinha reparado no quanto a cara de desgosto dele era adorável e em como o cabelo verde algodão-doce — curiosamente da mesma cor das paredes de seu quarto — escapava pelas beiradas do capacete vermelho. Vendo que não obtinha resposta, provavelmente confuso com sua pergunta, então acrescentou. — O garoto da casa ao lado. É você? 

Yoongi, ainda envergonhado e com uma enorme descrença por ter sido notado, ainda mais por uma completa desconhecida, respondeu.

— Sim... sou eu. — Disse se virando e olhando para seus tênis sendo invadidos pelos grãos amarelados. — Como sabe quem eu sou? 
Ela deu de ombros e sorriu, voltando a se sentar. Esperou que o garoto fizesse o mesmo, mas ele demorou para tomar o lugar ao seu lado. Ela virou e deu três tapinhas na areia, sorrindo doce. Yoongi ainda confuso se sentou e apoiou-se nos joelhos. 

— É tão linda a mistura das cores nesse cenário. — Ela começou. — O azul pálido e leitoso se misturando com o laranja e com o vermelho, se tornando lilás e então tomando o azul escuro da noite, quase preto. - Ela sorriu, mostrando os dentinhos pontudos. — Nunca vi estrelas como as de Daegu antes. 
— Daegu tem o céu mais bonito da Coréia. -— Ele comentou sorrindo com certa adoração ao olhar de relance para a garota. Ela olhava para cima, os lábios abertos puxando-se nos cantos em um sorriso maravilhado. O silêncio se instalou e ele apreciou aquele momento.
Os dois passaram o entardecer todo em silêncio, aproveitando a saída do sol e a chegada das estrelas, em completa mudez. Não demorou para a menina e Yoongi se deitarem na areia para olharem as estrelas que apareciam aos poucos.—- Não conheço nenhuma constelação. Nunca consegui ver constelações da minha casa na Califórnia.—- Ela comentou depois de duas horas de silêncio. Vendo que o garoto não respondia, continuou: — Por que você ficou? Podia ter ido embora. 
Yoongi não sabia porque tinha ficado, não fazia ideia do porquê não tinha virado as costas e voltado para casa naquele mesmo instante. Mas sentia que se a deixasse sozinha ou virasse as costas algo ruim aconteceria. Por isso preferiu ficar ali, olhando o céu mudar de cor gradativamente e colorir o rosto gordinho e bonito da garota que supostamente era sua nova vizinha.

 — Do que você mais gosta?—- Ela perguntou, se levantando nos cotovelos e observando o rosto sereno iluminado pela luz alva dos astros no céu. Gostou de observá-lo, poderia ficar analisando o rosto dele por horas, se pudesse.
Ele demorou a responder. Podia pensar em 1001 coisas para enumerar como as que mais gostava: tirar fotografias, matar tempo com seus amigos; jogar videogame com Jungkook ou olhar animes com Taehyung, comer no restaurante de Seokjin; cozinhar e limpar na companhia de sua mãe (quando ela estava de bom humor, principalmente, quando seu marido não estava em casa), tocar piano, embora o seu estivesse muito velho, ouvir rap ou música clássica. Podia ter falado qualquer uma dessas coisas e com certeza seria melhor, mas na sua cabeça apenas uma coisa piscava. 
"O céu que te colore", era o que pensava. Amou o jeito das cores do ambiente no rosto dela e queria eternizá-la num enquadramento perfeito. Ela era linda naquela situação. Sua boca tremeu, vacilou ao soltar a voz e por fim não disse o que tanto queria. 

—- Eu gosto de música.— Respondeu simples, enfiando as mãos nos bolsos da calça clara e esperando que ela se levantasse. 

— Eu gosto de tantas coisas que não posso escolher apenas uma. - Disse rindo de si mesma. — Um dia eu te dou uma lista do que gosto de fazer.
Sorriu uma última vez e saiu saltitando. Ela simplesmente saiu andando feliz aos pulos e ele a observava conforme o cabelo dela pulava de um lado para o outro. Por que não oferecia carona a ela já que moravam ao lado um do outro? Como era estúpido! 
Se apressou quando percebeu que a menina já tinha sumido de seu campo de visão. Correu com todas as suas forças, mas quando chegou onde ela tinha sumido viu a silhueta minúscula sentando-se no fundo do ônibus, o olhar perdido em algo fora da janela e esse algo não era o garoto que corria para lhe encontrar, era o céu. Ela realmente amava olhar o céu, era tão adorável e Yoongi nem sequer perguntou seu nome. Estúpido duas vezes. Bagunçou os cabelos na nuca, completamente frustrado, e voltou para sua moto. Amaldiçoando-se por não ter nem oferecido carona a ela.


Notas Finais


Yoongi se contradizendo uhaushauhs adoro ¬u¬


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...