História O garoto estranho que usava preto - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeongcheol, Jihan, Junhao, Meanie, Verkwan
Visualizações 64
Palavras 1.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lírica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong!
tô postando cedo hoje por que esse capítulo já estava pronto desde ontem, e como já estou começando o próximo resolvi postar de uma vez.
Como ninguém percebeu nada eu vou começar a tentar deixar as coisas um pouco mais na cara por que já estamos em um pouco mais da metade da historia e a partir de agora as coisas vão ficar um pouco mais rápidas

Capítulo 16 - Eu conheci ele


Não consegui evitar um sorriso ao vê-lo caminhar na frente, a forma como andava elegantemente, mesmo que acanhado. E era adorável a forma como ele escondia os dedos dentro do moletom preto. Finalmente conseguira observar o garoto sem ser interrompido por algum dos garotos. WonWoo tinha traços fortes e, mesmo sendo bem magrinho, ele tinha um porte bem alto, pouco mais baixo que eu.

Tentei observar o maior numero de detalhes possíveis que consegui captar ao chegarmos a sua casa, ele parecia levemente hesitante em estar ali em sua própria casa, mas ignorei, estava começando a delirar. Olhei a casa do lado de fora, não era exatamente grande ou luxuosa, ou preta, mas simples e aparentava ser antiga. Entramos em silencio e descobrimos a casa da mesma forma, observei em volta, não era grande, nem luxuosa, nem preta. Era aconchegante, confortável.

Os sofás eram brancos e impecavelmente limpos, o chão era de madeira clara com um tapete de pelos central marrom claro. Tinha uma mesa de centro feita de mogno e vidro, com um vaso de flores com rosas de saron. Havia ainda alguns quadros e vasos de vidro numa estante, consegui ver rapidamente uma foto de WonWoo ali com mais algumas pessoas.

_Queria que minha casa fosse silenciosa dessa forma... – MingHao comenta quebrando o silencio que fora imposto desde que saímos da escola. WonWoo deu um sorriso forçado e já iria comentar algo porem uma mulher _ provavelmente sua mãe _ apareceu ali. Era uma moça muito bonita que se parecia com WonWoo _ na verdade WonWoo que se parecia com ela _ e aparentava ser jovem.

_Olá, são vocês os colegas de WonWoo? – a moça perguntou, WonWoo murmurou um “mãe, agora não” parecendo constrangido e evasivo. Sorri fraco me identificando com a forma que ele estava se sentindo naquele momento, minha mãe me constrangia bastante – oh, desculpe – ela falou sorrindo, sorri junto me contagiando pela felicidade da mais velha, ela parecia ser alguém bem alegre – Vão lá e façam o trabalho, logo eu subo com um lanche – Sorriu mais uma vez, sorri novamente ao compara-la internamente com uma daquelas senhorinhas gentis que aparecem nos animes.

Subimos as escadas obedecendo a doce senhora Jeon, embora ela não tenha se apresentado e WonWoo não tenha se incomodado em apresenta-la também. Adentramos o quarto de WonWoo, que era a ultima porta do corredor, um pouco mais longe das outras duas portas. Assim, começamos a fazer o trabalho, o clima era estranho, pois nos só falávamos do trabalho. E WonWoo não parecia confortável com mais pessoas em seu quarto além de si mesmo. Mas aproveitei que estava ali e observei tudo, seu quarto, suas coisas, ele próprio.

Seu quarto era relativamente pequeno, mas era o suficiente para uma pessoa, era um pouco desarrumado, masquem era eu para falar de quartos desarrumados não é mesmo? E não era preto. era bem simples e... apagado na verdade. As paredes eram cinza, e não haviam muitas coisas, coloridas, digamos assim. Sua cama ficava abaixo de uma janela que tinha vista para a parede de outra casa, não tendo nem uma paisagem. Tinha um armário de madeira pálida no canto do quarto ao lado de uma porta que provavelmente era o banheiro. E por ultimo havia uma escrivaninha no outro canto completamente lotada de papeis, que infelizmente não pude ver do que se tratava.

Ate que em algum momento que não percebera, parara de reparar no quarto e passara a observar o garoto concentrado em um dos livros com o tema do trabalho. WonWoo tinha lábios bonitos, pouco mais rosados que sua pele alva. Um jeito elegante de andar e se sentar, os dedos finos passavam as folhas do livro com suavidade enquanto os olhos atentos, perfeitamente desenhados e pequenos acompanhavam as linhas.  Seus olhos eram quase tão escuros quanto seus cabelos lisos e escorregadios. Ele tinha um corpo esguio, mas com curvas acentuadas, tinha uma cintura fina e bonita. Não era um incomodo observar a silhueta de WonWoo.

Balancei a cabeça e tentei me concentrar novamente no tema do trabalho, que no momento pesquisávamos nos livros. Até MingHao se levantar perguntando onde era o banheiro, WonWoo apontou para a porta que havia dentro do próprio quarto confirmando minhas suspeitas do que seria aquela porta.

_Está com fome? – Ele pergunta meio baixo, nego fraco, mas em seguida minha barriga faz um ruído respondendo o contrário, ele sorriu pequeno e se levantou – Vou falar para minha mãe, já volto – ele diz e sai do quarto me deixando ali sozinho, olhei em volta sentindo mais liberdade em observar seu quarto. Ate que meu olhar parou na sua escrivaninha bagunçada. A curiosidade ainda me arruinaria um dia, eu tinha consciência disso, mas mesmo assim me levantei sentindo as pernas latejarem levemente por estar a tanto tempo sentado. Observei os papeis que havia ali tentando me manter atento para o caso de WonWoo voltar.

Senti-me levemente intrigado ao ler o final de um papel inteiramente cheio de palavras.

seu tênis preto me pisava

Sem eu sequer notar

Quando vi aquilo

Eu quis me matar

Resolvi me mudar

Tudo ficou para trás

Quando iria puxar o papel para ver o resto ouvi a porta do banheiro ser aberta e tenteei disfarçar fingindo que estava olhando o quarto em volta. MingHao me olhou estranho.

_Vai ir ao banheiro também? – indagou com o cenho franzido de leve, neguei lembrando-me algo que já deveria ter falado há algum tempo.

_ei, você conhece o JunHui da sala ao lado da nossa? Ele também veio da china – perguntei e o vi negar com uma pequena modificação na expressão, talvez tivesse se interessado. Vendo que ele não falaria nada, continuei – Ele me disse que queria te conhecer, que te achou interessante – ele me olhou estranhando as palavras, ou tentando entender o que significavam – palavras de JunHui.

WonWoo entrou no quarto atrás de sua mãe, segurando uma bandeja cada um, uma com copos de suco e a outra com simples sanduiches. Conversamos um pouco com sua dócil mãe antes que ela saísse do quarto e nos deixasse ali com o lanche. Comemos e quase comecei a rezar em árabe ali mesmo por não ter sido em silencio, ao menos não fora incomodo. Conversar com os dois era bom, eles eram bem diferentes de mim e das pessoas do meu grupo de amigos. Até falavam de uma forma diferente, eram, de certa forma, mais reclusos. Mas isso não era algo ruim, na verdade às vezes causava risadas em todos os três. Descobri então que WonWoo não era o emo gótico que todos falavam, bem, pelo menos não em relação à personalidade. Ele apenas não era tão social quanto às outras pessoas.

Mas eu ainda iria procurar entender cada uma das coisas estranhas a seu respeito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...