História O garoto estranho que usava preto - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeongcheol, Jihan, Junhao, Meanie, Seokchan, Soonhoon, Verkwan
Visualizações 104
Palavras 1.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lírica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong!
E ai, como é que voces estao?
Ainda nao enjoaram da historia? Porque eu acabei de terminar a parte do climax no roteiro e tem bastante coisa para acontecer viu? rs
Ahh, quem está narrando é o Dino, so p nao confundir no inicio rs.


Boa leitura!

Capítulo 58 - Eu o faria falar


Formei um bico com os lábios encarando aquela porta, ela havia se fechado ontem assim que DK chegou e até agora ele se mantinha ali, não saindo nem para se alimentar. Suspirei já com as pernas dormentes de tanto tempo que havia passado sentado ali o esperando sair. Estava angustiado, ele chegara sem dar uma palavra sequer a ninguém da casa e se trancou no meio da tarde. Não saiu para jantar, não tomou café, não nos respondeu quando o chamamos para ir a escola, e nem almoçou hoje. Confesso que esta ultima eu também não fiz, mas estava preocupado de mais para sair dali para isso. E eu sequer havia tentado falar consigo, não tivera a coragem de bater em sua porta, tinha medo, embora não soubesse do que exatamente. Não sabia o que havia acontecido, se ele estava triste, se estava bravo com algo.

A preocupação me corroía, e os pensamentos de algo ruim lhe acontecendo me faziam querer chorar. O que dava inicio a uma dolorosa repetição: Queria chorar, mas sempre que sentia os olhos ficarem um dos a garganta fechava e estranhamente uma falta de ar preenchia o peito o fazendo doer, dessa forma, as lagrimas não caiam e eu era obrigado a tentar acalmar a respiração. Ate que eu me acalmasse e tudo começasse novamente. A única coisa que me fazia continuar ali era a esperança de vê-lo fora daquele quarto, pois sem a esperança havia apenas a tristeza.

Respirei fundo me acalmando mais uma vez e secando a única lagrima que havia conseguido cair. Eu gostava de Seok hyung, e não saber que ele estava bem doía. Afinal ele era literalmente a alegria da casa, sempre nos fazendo rir. Com ele trancado faltava algo ali. Era como se tudo estivesse vazio e sem graça. Já não existia mais o som das risadas.

Eu tinha que saber se ele estava bem, para que assim que confirmasse isso, pudesse convencê-lo a ir visitar WonWoo hyung comigo. Tinha certeza que se ele visse WonWoo esqueceria toda essa revolta. Veria que o hyung não fez por querer e que esta machucado agora e precisa de nosso apoio. Aposto que isso melhoraria o humos de todos.

_Ainda aí, pequeno? – Olhei para Hoshi hyung o vendo se abaixar ao meu lado, ele bagunça meu cabelo me lançando um sorriso triste – Você já esta ai há um bom tempo, não comeu hoje. Vem, levanta daí, eu fiz um lanche para ti.

_Não quero, hyung... – Murmurei encarando a porta, o ouvi suspirar. Encarei as frestas da porta a procura de alguma mudança na iluminação causada por ele passando em frente a mesma. Mas nada.

_Você precisa se alimentar Lee Chan, eu não estou pedindo, estou mandando você levantar dai e comer – O olhei com expressões entristecidas, ele pareceu relutante por um momento – Tem que estar no mínimo alimentado se quiser continuar ai no chão frio o esperando sair – Se manteve firme na decisão. Encarei a porta outra vez antes de me levantar com sua ajuda e segui-lo ate a cozinha. Olhei para trás uma ultima vez antes de descer as escadas, mas era tolice minha achar que ele sairia tão cedo. SoonYoung hyung tinha razão de toda forma, se eu adoecesse não poderia fazer nada, nem mesmo sair para ver WonWoo hyung.

SoonYoung hyung colocou um lanche a minha frente e cruzou os braços me olhando esperando que eu comesse algo. Desistente, acabei comendo tudo, sempre olhando na direção das escadas numa esperança tolamente estupida de que SeokMin descesse por elas. Embora lá no fundo soubesse que ele podia muito bem fazer isso, ao mesmo passo que poderia não sair por muito tempo. Dependia do quanto ele estava se sentindo, seja triste ou bravo, dependia apenas da intensidade do sentimento.

Terminei e agradeci Hoshi hyung de forma rápida logo subindo as escadas novamente. Não conseguia conter a ansiedade, mesmo que fosse apenas para passar o resto do dia encarando aquela porta.

Andei um pouco mais rápido por ter tido a impressão de sua porta estar aberta. Mas assim que cheguei perto e confirmei essa impressão ele me viu e a fechou em questão de segundos. Ouvi o som da tranca e engoli em seco tentando acreditar no que meus olhos tinham visto enquanto sentia um frio na barriga. Após perceber o que havia acontecido caminhei ate sua porta e bati fracamente esperando uma resposta.

_... Ficou ali fora me esperando sair? -Ele perguntou quando já estava quase desistindo de o esperar. Sua voz passara a soar abafada por ele estar do outro lado da madeira, mas a entendi perfeitamente.

_Você sabe que sim – Afirmei com convicção baixando o olhar para o chão. Tentei me manter forte, o que aparentemente deu certo contando com a firmeza que a voz teve.

_Não tem mais o que fazer? Vá estudar, as provas estão chegando – Falou de forma seca inicialmente, mas pareceu tentar soar mais amigável depois, mas ainda desanimado.

_Não até você sair daí – Insisti com o tom ainda firme, não desistiria ou descansaria de verdade ate que ele saísse daquele quarto e me dissesse cara a cara que estava bem.

_O que você quer Lee? – Me assustei com seu tom de voz e quase dei um passo para trás ao escutar meu nome, ele nunca me chamava de Lee. Deixei os ombros caírem enquanto percebia que havia deixado meu olhar se tornar longínquo. Balancei a cabeça e me concentrei ali.

_Que você me diga que está bem – Minha voz falhou. Não obtive respostas por um bom tempo, ate que ele abriu a porta e deu de cara comigo. Mordi o lábio inferior pelo nervosismo ao ver sua expressão aflita.

_Eu estou bem – Falou, porem sem me passar confiança alguma de que aquelas palavras eram realmente verídicas. Embora ao menos ele não demonstrasse estar exatamente mal. Continuei a olha-lo calado, mas ele começou a fechar a porta novamente, o impedi a segurando.

_Então vem comigo, vamos dar um fim em toda essa situação que está fazendo mal a todos nós. Vamos ver WonWoo hyung – Implorei e esperei sua resposta positiva, mas apenas esperei mesmo. Ele forçou a porta contra mim e conseguiu a fechar a trancando logo em seguida me deixando ali do lado de fora. Suspirei desistente e resolvi ir para meu quarto, mas antes de dar um passo, o ouvi dizer:

_Eu já fui o ver... Quem sabe outro dia Lee.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...