História O garoto que controlava mentes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ficção, Poderes
Exibições 26
Palavras 1.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


1º/3º capítulo de O Garoto do Tempo. (mais informações nas Notas Finais)

Capítulo 1 - O recomeço


Fanfic / Fanfiction O garoto que controlava mentes - Capítulo 1 - O recomeço

Vocês devem estar pensando(ou não): Cade ele? Onde está ele?

Bom. Isso não realmente uma boa resposta, na qual vou dizer mas... Voltei. Bom, não será do jeito que vocês pensam pois, estarei fazendo loucuras mas, desta vez estou tentando ser sério. Você me viram(leram) sendo eliminado da existência por causa do (maldito)Kenny. Odeio ele... Mas agora eu tenho uma vida diferente, com histórias de pessoas(se fodendo). Onde tudo é (horrível)bom.

Ok... Agora esta ficando meio estranho(como sempre). Vamos começar a história.

(Eu tinha cabelos pretos, olhos vermelhos, usava uma camisa branca, um casaco preto com capuz, jeans azul claro e tênis preto e branco)

Eu estava na escola sentado na cadeira com a cabeça apoiada com o braço esquerdo. Eu estava observando os meus amigos fofocando. Argh! Tenho nojo desse tipo de pessoa. Olhei para a minha esquerda e vi a parede branca com uma frase escrita: ''o tempo não existe*. Depois olhei para a minha direita, eu vi a aluna mais bonita e popular da minha classe, seu nome era Anne.

Ela tinha longos cabelos cor-de-rosa, olhos azuis escuros, usava a farda da escola e sempre lia aquele seu livro. Ela não tirava os seu olhos por nada. Sempre quieta no seu canto. Com aquela sua beleza incomparável. Seus preciosos olhos. Corpo que parecia ser esculpido por anjos da beleza. E belos pei...

Eu estava nadando naquela sua beleza incrível mas fui acordado pela professora que bateu a sua régua na minha carteira. Ela era uma professora muito bonita mais não conseguia atrair a minha atenção que nem os outros garotos da minha classe. Ela tinha cabelos loiros amarrados a um rabo de cavalo, olhos azuis. Eu não estava aguentando ouvir as suas reclamações, então, controlei ela.

Fiz ela se sentar na sua mesa, tirar o seu rabo de cavalo e deixar os seu longos cabelos serem libertados, fiz ela abrir os botões da sua camisa, depois fiz ela abrir as pernas(ela estava de saia), fiz ela tirar o seu sutiã lentamente. Eu estava com a mente descontrolada naquele momento de pressão. Até eu ouvir uma voz angelical. Olhei para a minha direita e vi Anne com um olhar de preocupação, corpo tremendo de medo e pedindo ajuda corporalmente.

Foi ai que percebi oque eu estava fazendo com a mente da professora. Parei de controlar a mente dela e percebi o medo e a vergonha que ela sentia naquele momento. Ela saiu da classe. Todos começaram a falar alto sobre o ocorrido. Eu estava assustado, coloquei as minhas mãos na cabeça para aguentar a pressão. Olhei para a minha direita novamente e vi Anne olhando para mim. Com um olhar que dizia: ''Você está envolvido nisso... Eu sei... Eu vou encontrar a resposta''

Ela se levantou lentamente da carteira(cadeira escolar) e apontou o dedo para mim com um olhar de raiva e ódio, ela gritou:

Anne: Você! Tudo isso foi você que fez! Todos olham para mim neste instante!

Então todos pararam de falar sobre o assunto da professora e olharem para a Anne que ainda estava apontando para mim.

Anne: Matem-no até que ele aprenda uma lição que jamais teve!

Todos viraram as suas cabeças para a mim com um olhar de sono e brilhando amarelo, como se tivessem sendo controlados pela voz de Anne, lentamente todos se levantaram e fizeram cara de raiva. Eles me pegaram, depois me arranharam, cortaram-me em fatias, arrancaram meus membros, tomavam o meu sangue como se saciasse a sede deles. Lentamente vi Anne se aproximando do meu corpo mutilado, com um olhar de vingança, um sorriso maligno no rosto.  Foi ai que ouvi a sua bela voz, se tornar demoníaca.

Anne: Você pensava que ia escapar de mim e de seus pecados? Agora sofra, sofra com a punição que lhe dei!

Comecei a gritar desesperadamente, eu quase não conseguia gritar pois o meu sangue enxaguava a minha garganta. Sangue começou a sair do meu nariz, impedindo que eu  respira-se. Comecei a chorar sangue, fazendo com que eu não visse aquela cena forte e pesada. Eu apenas sentia as fortes dores que os alunos faziam em mim. Até eu ouvir me chamarem.

???: (???)! (???)! Acorde! Você está acordado?

Comecei a ver uma luz branca naquele mar de sangue que enxaguava os meu olhos. Então tudo começou a ficar deformado e borrado. Os alunos não pareciam ser os mesmos canibais que me torturavam, o rosto de Anne se desfigurava lentamente, aquele seu sorriso psicopata e olhar assustador ficaram muito mais feios. Ela começou a virar fumaça, até não sobrar mais nada dela.

Então eu acordei com a professora falando o meu nome, olhando impressionada comigo pelo oque eu tinha feito mas...

(???): Oque eu fiz?

Olhei ao meu redor e vi a classe toda de boca aberta e com os olhos arregalados, um aluno começou a aplaudir, depois foi a classe toda que começou a me aplaudir (menos a Anne que ainda estava lendo o seu livro). Eu olhava eles com um olhar confuso, olhei para professora e perguntei oque eu tinha feito para receber todos aqueles aplausos, ela responde a minha pergunta:

Professora: Você não percebe? Acabou de encontrar o resultado da conta que ninguém nunca achou a resposta, até mesmo o próprio criador que fez ela não achou o resultado! E você fez isso de olhos fechados!!

Olhei para o quadro negro e vi uma conta gigante, vários números, números desconhecidos, letras e o resultado encontrado. Eu ainda olhava confuso para a professora, dei o giz para a professora e voltei para o meu lugar sendo aplaudido pelos alunos. Olhei para as minhas mãos e via a poeira que o giz tinha deixado nelas. Olhei para a minha direita e vi Anne ainda lendo aquele seu livro, como se nada tivesse acontecido.

Continuei olhando para ela, foi aí que ela olhou para mim. Naquele momento comecei a sentir sensações que nunca tinha sentindo, comecei a tremer, meu coração batia muito rápido, eu suava muito, minha espinha gelava, a temperatura do meu corpo esquentou. Foi aí que ela fez algo que nunca tinha feito e não faria para ninguém. Ela deu um sorriso para mim.

E então eu gelei. Virei um bloco de gelo puro que só podia ser quebrado com um toque das belas mãos de Anne. Ela fecha o seu livro e guarda-o na sua mochila, na hora em que ela se levantou, o sinal toca. Todos pegaram as suas coisas e saíram da sala. Eu observava Anne como seu fosse a última vez que eu ia olhar os seu belos olhos verde marinho e seus cabelos cor-de-rosa. Antes dela sair, ela começava a se aproximar de mim.

Meu coração começava a pulsar tão rápido que remédios para relaxar não iriam fazer efeito nenhum em mim. Aí então ela se aproxima totalmente de mim, coloca as suas mãos na carteira. Ele olhava para mim, como se aquele olhar perguntasse: ''Você quer ser meu amigo? Eu prometo que seria boa com você''.

Então vejo lentamente os seu lábios se separando um do outro e ouço a sua bela e doce voz:

Anne: Você foi incrível.
             (???): O-oque?
             Anne: Você foi incrível fazendo aquela conta impossível de olhos fechados.
             (???): ...... (não consegue falar)
             Anne: Então... Você poderia... Ou melhor... Quer ser...
             (pensamentos): OQUE?! OQUE?!
             Anne: Meu namorado?

O mundo para. Apenas vejo o seu belo olhos me encarando esperando uma resposta. Acabo acordando do meu mundo parado e respondo a sua pergunta:

(???): S-s-sim...

Ela faz um sorrisinho fofo para mim.

Anne: Agora nos somos namorados.

Ela me olhava com um incrível. Eu quase não sentia o meu coração bater. Então Anne começa a aproximar o seu rosto do meu, tento fazer a minha cabeça ir para trás mas, eu estava paralisado. Seu rosto se aproximava do meu lentamente, quanto mais se aproxima mais o meu coração batia, mais o meu corpo tremia, até que...

Os nossos lábios se encontram. Apenas sentia aquela sensação boa de seu beijo em mim. Não pensava em nada, apenas no seu belo rosto que estava próximo ao meu. Naquele momento em que ela me beijava, eu sentia várias coisas que eu nunca tinha sentido. Nossos lábios se separaram e a sensação acaba. Ela olha para mim com um olhar sensual e fala com a sua bela voz:

Anne: Na minha casa às 09:00. Não se atrase.

Ela sai da classe deixando o seu belo perfume que a perseguia no meu nariz. Eu estava no mundo da lua, pensando nela e no encontro(não é bem um encontro) que tenho com ela na sua casa...

Professora: Finalmente conseguiu uma namorada garoto virgem?
             (???): O-o-oque- eu-eu-digo-nos- só estávamos digo... Tchau! *sai da sala correndo*
             Professora: Ei espera! Eu fiz a você uma pergunta! Droga... Ei oque é isso na carteira dele?

Um bilhete escrito: '' Venha na minha casa às 09:00. -Anne''

Professora: Huummm...

Eu muito feliz com a minha namorada. Finalmente eu vou poder amar aquela que eu amo! Yes!

(???): Perdi BV! (BV: Beijo Virgem)

 

Continua...                          

 
 


Notas Finais


1º/3º capítulo de O Garoto do Tempo. Este é o recomeço de tudo, ou seja, o 1º e o 2º capítulo não iriam contar neste inesperado recomeço... Apenas um pouco na parte do poder do (???), ele apenas controla a mente das pessoas... agora... Irei alterar o nome da fanfic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...