História O garoto que não queria mais viver — Jikook - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Depressão Sexo Traição
Visualizações 109
Palavras 875
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hii!^^ voltei e...olha o jimin aí gente! Finalmente né? Vamos ver o que vai acontecer!

Capítulo 4 - Chapter IV: sentimentos? Para quê? Ninguém liga mesmo!


Fanfic / Fanfiction O garoto que não queria mais viver — Jikook - Capítulo 4 - Chapter IV: sentimentos? Para quê? Ninguém liga mesmo!


       :Pov jungkook:


— mas...c-como assim, centro de recuperação? — perguntei ainda incrédulo 

— pelo que vem acontecendo com você,  seu comportamento e pelo que achamos, parece que você anda se auto-mutilando! 

— i-isso não é verdade!

— então deixe-me ver os seus braços!

— n-não! — ele me puxou e tirou meu casaco:

 Mas...O QUE SIGNIFICA ISSO JEON JUNGKOOK? — gritou a minha mãe com os olhos arregalados 

— é que...e-eu s-só tava brincando!

— brincando? Isso é brincar?  — por pouco ela não me bateu, mas eu já podia ver a fúria nos seus olhos:

— m-me d-desculpa m-mãe...

— não...dessa vez não...me perdoe mas...você precisa aprender!

— mas mãe...

 — nada de mais, arrume suas malas, você vai hoje mesmo! — doeu ouvir aquilo, a minha própria mãe está me abandonando! Fui até o meu quarto, coloco peça por peça na mala, quando termino de arrumar, deixo algo cair:

— é...o meu ursinho preferido...— minha tia havia me dado quando eu era bem pequeno, mas minhas irmãs haviam roubado de mim:

         Flashback on:

kookie, advinha o que eu trouxe para você? 

é um carrinho?

não! 

é um peixinho?

 não!

 é um cachorrinho?

 não!

então o quê? 

isso! 

aaahh é um ursinho!

você gostou?

 eu adorei!

comprei especialmente para você! 

te amo titia! lhe dei um abraço bem apertado

ei eu quero esse urso!  disse a lisa vindo em minha direção 

não, ele é meu!

me dá esse urso agora! disse a rosé por trás de mim: 

 não briguem crianças, vocês vão ganhar um também! 

 NÃO! QUEREMOS ESSE! elas me empurraram e tomaram o urso da minha mão: 

 me devolvam!  disse me segurando para não chorar

 huum deixa eu pensar...não! Agora ele é nosso e sabe o que vamos fazer? 

  o quê?  elas rasgaram o urso em várias partes:

 NÃÃOO, MEU URSINHOO! me ajoelhei no chão e comecei a chorar enquanto elas duas riam e debochavam de mim.

          Flashback off:


Eu costurei o urso mas...não está mais como antes, ele está velho, sujo e ainda meio descosturado, eu nunca mais voltei a pegá-lo e depois disso, minha tia nunca mais veio me ver.

Deixei algumas lágrimas caírem sobre ele, era o único brinquedo que eu tinha! O coloquei com cuidado na mala e desci as escadas: 

— está tudo pronto, podem levá-lo! — me ajoelhei aos seus pés e me desabei em lágrimas: 

— m-mãe...s-se você realmente me ama...não faça isso! — ela me olhava com desprezo, acho que ela não estava nem aí: 

— a partir de agora, eu não sou mais sua mãe! — meu coração congelou, as lágrimas rolavam pelo meu rosto com um rio desgovernado:

— levem-o! — eles me puxaram a força me fazendo sair do chão, vi minhas irmãs chegarem e logo se assustaram com o meu estado:

— P-POR FAVOR! NÃO DEIXEM ELES ME LEVAREM!  Gritei enquanto me debatia com eles, elas começaram a rir de mim:

— Até que enfim, vamos nos livrar de você!  — disse a lisa com um olhar malicioso:

— adeus seu lixo! — eles me colocaram a força no carro e deram a partida, me deitei no banco de trás e chorei ainda mais:

— fica quieto aí seu moleque! — disse um dos homens se virando para mim enquanto o outro dirigia o carro.

(...)

Quinta-feira, 18 de setembro de 2015, centro de recuperação de Busan.

         (15:00 P.M)


Estava sentado em círculo com várias pessoas, umas pareciam estar bem, outras...estavam iguais a mim:

— bom gente...parece que temos um novo membro no grupo, apresente-se por favor!

— oi...meu nome é jeon jungkook...tenho 18 anos...e vivo uma vida nada interessante! — percebi que tinham mais garotos do que garotas, será que vou ficar bem aqui?

— bom meninos, se apresentem para o novato!

— oi meu nome é kim namjoon, tenho 22 anos e...sempre fui sozinho! 

— eu sou o kim seokjin, mas pode me chamar de jin hyung, tenho 24 anos e...sou órfão! 

— eu também! Eu sou o park jimin, tenho 19 anos e...eu nunca recebi a atenção de ninguém...sempre vivi trancado no meu quarto, escrevendo em meu diário!  — seu sorriso desapareceu num piscar de olhos...finalmente...achei alguém...alguém que entende bem o que eu passo!

 — e você tem irmãs?

— sim! Quee dizer...tinha...antes de me abandonarem! — nossa...eu não estou acreditando!

— mas...novato...você ainda sente algo por eles? — perguntou a moça me olhando preocupada, do nada, um grande ódio cresceu denteo de mim, uma grande vontade de matar todos aqueles me me fizeram mal:

— SE SINTO? TUDO O QUE EU SINTO POR ELES É NOJO! — todos me olharam assustados — ELES ME NEGLIGENCIARAM, ME ABANDONARAM, NUNCA LIGARAM PARA MIM! EU QUERIA PODER MATAR TODOS ELES COM AS MINHAS PRÓPRIAS MÃOS!  — a moça ficou paralisada e ao mesmo tempo trêmula, eu não consegui me controlar: 

— v-você...precisa muito de ajuda garoto, eu sei que você ainda tem sentimentos! 

— SENTIMENTOS? — perguntei num tom sarcástico — e para quê? Ninguém liga mesmo! — senti alguém me abraçar por trás, quando virei, era o jimin:

 Calma! — disse ele alisando o meu cabelo — eu também já passei por isso, mas estamos aqui, e queremos te ajudar! — voltei a chorar,  eu nunca tinha ouvido ninguém falar isso para mim:

Finalmente, achei o meu lar.



Notas Finais


Aii que fofo não acham?
Perfil —> @Sexy-Cat


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...