História O gatinho de dois irmãos - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~Sakamaki-Alliy

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 6
Palavras 723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Me desculpem a demora. Estou ocupado com a universidade. Esoero que gostem.

Capítulo 12 - Combate de vida ou morte, parte 2


          Andrew sorriu enquanti dizia:
_ O que estão fazendo? Vocês não podem me ajudar!
         Os três se agrupam e se colocam em pose de batalha e uma das duas fala:
_ É claro que podemos. Eu nunca deixaria meu irmãozinho sozinho nessas horas.
         Minha irmã se supreede e diz:
_ Andrew tem uma irmã?!
          Eram três contra três, porém o cerberus tinha a vantagem, ele lutava muito bem em grupo. Todos se confrontaram e o cerberus, mesmo certado sempre procurava se manter junto. Andrew estava fraco e cansado, mas ainda assim saltou sobre eles e golpeou uma das cabeças. As duas garotas aproveitaram a chance para atacar pelos lados, mas todos foram afastados com a pressão dos gilpes combinados da serpente e da outra cabeça. Andrew diz:
_ Lara, para trás e espere pelo meu sinal. Mery, comigo.
          Andrew e a garota q ele chamou de Mery foram em direção aos três e por alguns momentos eles desciarsm de todos os golpes. Andrew estava se forçando a ficar em pé, pois estava bastante ferido e continuava lutando. O cerberus os envolveu. Era como se um pequeno animal estivesse em baixo de um monstro. Andrew era acertado diversas vezes e se colocava na frente lara denfender a garota que estava com ele. Ao cair de joelho, os dois cerberus e a serpente se colocaram em sua frente afim de derrota-lo, mas ele grita:
_ AGORA!
          E a garota que havia se afastado, avançou rapidamente e fica a centímetros de desferir um soco no rosto de uma das cabeças, mas ele se distancia para fugir. Nessa hora, a outra garota o agarra por trás. O outro logo avança para ajuda-lo, mas a garota sorri e diz:
_ Xeque-mate.
E a garota de antes acerta os dois com um soco. Seu golpe foi tão forte que deixou os dois incapacitados no chão. A serpente se afasta e grita:
_ NÃO, NÃO, NÃO, NÃO, NÃO! PORQUE NÃO CONSEGUIMOS MAIS DEFENDER?!?!
          Andrew levanta e diz:
_ Pelo mesmo motivo da ultima vez. Na minha luta com o cerberus a séculos, eu percebi sua fraqueza. Por mais sinérgico que lutem, vocês não compartilham a mesma visão. Quando um vê perigo, ele avisa o outro com o movimento de seus passos e as outras cabeças entendem, porém eu fui bem rápido e consegui impedir q ele visse meus movimentos. Com sua chegada para supervisionar, eles não atacam aleatoriamente. Eles são ordenados e eu não consigo ser mais rápidos que vocês, mas mery é. Lara só precisa destrair um pouco um de vocês para que mery os surpreenda e esqueçam de Lara. Ela é a mais forte e pode derrubar qualquer um com um soco.
         Mery diz:
_ Melhor parar. Se desistir agora, vai ser punido pelo Seny, mas se não parar você  vai morrer.
          A serpente olha oara seus companheiros caídos e diz:
_ Sabem o que eu tenho que fazer, não é?
          E elas respondem ao mesmo tempo:
_ Sim. Faça isso logo.
          E cruelmente ela perfura o peito dos dois com suas próprias mãos. Eles se desfaziam em um brilho e ela tomou a forma de uma serpente. Um corvo rapidamente desceu dos seus e levou a serpente para longe. A garota chamada Lara diz:
_ É o Virian, não é?
          Andrew responde:
_ É sim.
          Andrew perde as forças e cai ao chão. Um tempo depois nós o levamos para casa e tratamos dele. As duas garotas tentavam se explicar e uma diz:
_ Eu sou Mery, uma grande amiga do Andrew.
          E a outra diz:
_ Eu sou Lara, irmã de Andrew.
          Eu me apresentei e perguntei:
_ Então é verdade que você é a irmã dele? Por que só agora veio ajuda-lo?
          Ela responde:
_ Eu não sabia o onde ele estava. Sem me dizer nada, ele figiu dos nossos companheiros. Depois que eu sube o que houve, eu procurei ele por todos os lugares até que soube que ele estava aqui com humanos.
          Eu respondi:
_ Entendo.
          E meu irmão perguntou:
_ Por que aquela mulher matou seus próprios companheiros?
          Ela respondeu:
_ Elas provavelmente não queria que pegássemos as memória deles. Eles devem estar pensando em alguma coisa.
          Nessa hora, minha mãe chegou em casa. Ela nos vê e diz:
_ Olá crianças. Eu pude sair mais cedo hoj- O que é isso?!

Notas Finais


Será que a mãe dos irmãos vai descobrir tudo? Não perca o proximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...