História O gatinho de dois irmãos - Capítulo 13


Escrita por: ~ e ~Sakamaki-Alliy

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Me desculpem por não estar postando muito. O feedback não está muito bom e isso desmotiva um pouco. A universidade ocupa um bom tempo e eu não me sinto muito motivado para escrever no tempo livro... compartilhem com os amigos, enviem o link da fic, isso ajuda muito. Quanto mais views, mais rapido eu postarei mais capitulos.
Aliás, me desculpem os erros. Eu escrevi os ultimos capitulo bem tarde e eu estava com sono...
Mas os próximos serão melhores. Prometo.
Pra quem se perdeu, esse capitulo conta a visão de Aline e o proximo contara a de João, porém eles estão separados por um tempo e serão duas linhas de historia. Isso da trabalho então, por favor, compartilhem com os amigos para me motivarem. Obg a todos.

Capítulo 13 - Apenas um doce momento


Fanfic / Fanfiction O gatinho de dois irmãos - Capítulo 13 - Apenas um doce momento

         Minha mãe se supreedeu e eu disse:
_ Mãe, eu posso explic-
        Mas quando olhei para as garotas e para Andrew, todos haviam se tornado gatos. Minha mãe perguntou:
_ De onde vieram esses outros dois gatos?
          Eu suspirei aliviada e disse:
_Descupe. Eles apareceram aqui em frente e não pudemos deixa-los la fora.
          Ela olha para eles e sorri, dizendo:
_ Está bem. Podem deixar essas fofuras aqui, mas não tragam mais nenhum animal para casa.
          Eu respondi:
_ Obrigada, mãe.
          Ela foi para o quarto e nós resolvemos sair de casa para um lugar onde pudessemos continuar a conversar. Andrew ainda estava se curando, mas já se sentia melhor. Lara diz:
_ Eu sei que pareço ser alguém terrivel por não estar com ele a mais tempo. Eu procurei ele por toda parte desde que ele desapareceu.
         E Mery diz:
_ Nós duas não passamos de força bruta e velocidade. Somos uma classe baixa aos olhos dos outros. Sozinhas, nós não somos pareo para um ser místico em combate, por isso estamos juntas para combrir a fraqueza da outra. Eu foi veloz e Lara é forte, mas Andrew tem habilidades que o fazem especial e por isso nosso líder confiava nele. Andrew seria o sucessor dele no futuro. Ele comandaria os seres místicos na busca da convivência pacífica com os humanos nesse mundo e nosso líder iria governar nosso povo que escolhesse ficar no nosso mundo. Seny sempre teve inveja do Andrew, pois sempre dizia que era superior.
         Eu, curiosa, perguntei:
_E que habilidades Andrew tem que o tornam especial?
          Lara responde:
_ Nâo força, não velocidade, nem mada assim, mas o equilíbrio entre tudo. Ele é esperto e inteligente. Ele conseguirá  extrair toda sua capacidade de ser místico com o tempo, coisa que só nosso líder consegue. Ele é o mais poderoso de nós e Andrew talvez venha a ser também.
          Meu irmão a indaga:
_ Está dizendo que Andrew não mostrou todo o poder dele?
         Ela responde:
_ No mundo dos humanos, as leis da física se aplicam de forma mais pesada em nossos corpos. Somos seres espirituais, quase divinos e por isso esse mundo não é adaptado para nós. É bem mais dificil usar nosso poder aqui. Mas ainda assim, mesmo em nosso mundo, nenhum de nós, exceto nosso líder, consegue usar todo o poder que possuímos.
          Era incrível. Toda aquela forca e ainda assim ela nos falava que poderiam usar ainda mais força. Eu abracei Andrew e disse:
_ Eu nem consigo imaginar como isso deve ser para você. Todo esse poder, todo esse peso... Isso deve ser horrivel.
          E Andrew responde:
_ É sim. A tempos venho lutando dentro de mim mesmo para controlar esse poder... Mas ainda assim tenho medo de que eu não possa contê-lo se eu tentar usar. Aline, podemos conversar a sós?
          Eu respondi:
_ Sim, claro. Mano, Mel, volterei logo.
          Nós caminhamos um pouco e ficamos a sós à sombra de uma árvore. Eu olhei para ele e perguntei:
_ Tem algo que queira falar em especial?
          De repente, uma luz brilhante cobriu meus olhos e eu não conseguia enxergar nada. Senti umidade descendo pelo meu rosto e um doce e suave toque em minha boca. Ao me dar por conta, Andrew havia me beijado. Seus olhos estavam em lágrimas e ele me pedia perdão.
_ Aline, me perdoe por tudo. Eu não sei se consigo continuar vencendo. Eu sou fraco... E se eu perder, eles vão machucar as pessoas que eu gosto, as pessoas especiais para mim e todos a quem amo. Eu não me perdoaria se algo acontecesse com você.
         Eu olhei de volta em seus olhos e me pus a chorar junto a ele. O abracei e disse:
_ Idiota... Pare de se preocupar comigo. É você que não pode morrer.
         Por alguns segundos, o mundo ao nosso redor parecia estar parado e toda tristeza parecia nos cercar, mas nada mais importava para mim. Eu só queria poder ficar nos braços dele para sempre. Ele olhou para mim e disse:
_ Se eu libertar nosso Líder, ele vai querer que passemos algumas décadas em nosso mundo. Não são os humanos que não estão prontos para nós e sim nós não estamos prontos para os humanos. Mas não importa, eu ficarei aqui com você.

Notas Finais


Mt obg por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...