História O grande mar azul - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias .hack//G.U.
Tags O Grande Mar Azul, Wadanohara
Visualizações 11
Palavras 870
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha quem está aqui novamente! Sim... Eu demorei... Demorei mt... Mas é pq está fic me deixa com mt bloqueio criativo, mas prometo voltar a escrever ela a cada uma ou duas semanas... Não sei se posso cumprir, mas juro que tentarei meu máximo, até pq eu amo escrever esta fic o problema msm é a falta de criatividade.

Sem mais enrolação, vamos pro capítulo ^^

Capítulo 8 - Vozes em sua mente


Fanfic / Fanfiction O grande mar azul - Capítulo 8 - Vozes em sua mente

Wadanohara

O Orca entrou sorridente na sala do castelo nem parecia que tinha cometido um delito um tanto quanto grave no meu ponto de vista.

- Então foi você? - falei ainda tentando assimilar que Idate estava mesmo na minha frente

- Fui eu o que? - ele me olhou com um leve sorriso sádico, eu conheço este sorriso. Foi o mesmo que ele usava quando agrediu Samekichi e lutou comigo

Princesa Uomi deu um suspiro longo e alto chamando a atenção de todos no lugar.

- Qual seu nome, Orca? - a voz da princesa era calma, porém firme

- Idate! - seu sorriso não desaparecia do rosto nem por um momento

- Idate... Tivemos um problema grave no nosso Reino e ao que tudo indica foi culpa de Sal - os olhares de todos foram para Sayke que estava amarrado em um canto - Mas ele nos disse que na hora do... Indecente, ele estava sendo agredido por você. Confirma esse fato?

- Claro!

Hélica soltou um grunhido como se fosse um engasgo e Sal deu um sorriso. Até mesmo a princesa Uomi estava surpresa pela facilidade que ele se entregou.

- Olha, eu sou apenas uma Orca em um passeio... Sabe eu gosto deste Reino o único problema dele é que ele é muito calmo... Então eu trago alguma diversão pros habitantes deste lugar... Tubarões de preferência - seu olhar foi entre Same e Sal - A carne deles é mais deliciosa... - ele sorriu com dentes pontiagudos

- Hélica, solte o Sal... Pelo visto ele é inocente... - disse a princesa

Ela na mesma hora obedeceu a ordem, um pouco a contra gosto, mas obedeceu. Sal assim que se levantou correu pra trás de mim olhando com medo pra Idate.

- Senhor Idate, você sabe de algo sobre o habitante que morreu hoje de manhã? - Uomi perguntou

- Não... Assim que cheguei me diverti com o tubarãozinho aí

Com isso ele disse algo sobre fumar pra relaxar e saiu do lugar.

- Tatsumiya... Quero que fique de olho nele... Não quero ele agredindo mais ninguém no meu Reino - Uomi disse ordenando

Tatsumiya apenas assentiu e correu pra fora do castelo. 


Sal

Estávamos na casa da Wadda conversando. Quero dizer eles conversavam enquanto eu ficava parado ouvindo, eles diziam coisas sobre o que conseguiram investigar do caso de Lobco.

- Eles perceberam alguma alteração no comportamento dela? - Wadda perguntou diretamente a Fukami, eu não sei por que, mas o clima entre os dois estava pesado. Me pergunto o que deve ter acontecido

- Ela está bem, Doloz me disse que a filha só está um pouco cansada - a voz de Fukami estava mais arrastada, ele não parecia muito afim de falar

Eu por um momento parei de prestar a atenção na conversa deles e fiquei olhando pra um ponto, minha visão ficou avermelhada e percebi que eu estava no mesmo lugar de meu sonho. Tudo estava com sangue tripas por todos os lugares.

Sal...

Olhei pro quadro do pai da Wadda, o mesmo estava rasgado, como se garras tivessem feito isso.

O que esta fazendo? Este não é você!

A voz começou em minha mente ficou mais insistente.

Pare com esse teatrinho... Sal...

Sal...

- Sal! - senti mãos pequenas e delicadas me balançando, me acordando de minha alucinação - Você está legal? - era Wadda - Está... Cantarolando...

Me ajeito no sofá e percebi que todos me olhavam agora.

- Estou bem... Eu apenas estava... Pensando... - menti

Wadda sorriu e me ofereceu mais Takoyaki. No mesmo momento alguém bateu a porta e Samekichi correu pra atender.

- Cherry? - sua voz carregava surpresa

Cherry Blood adentrou a casa sua face demonstrava preocupação.

- Wadanohara... A Lobco não passou por aqui? - ele parecia aflito

- Não... O que houve? - Wadda tinha a voz preocupada agora

- Ela sumiu Wadda! Sumiu!


Idate

Eu passeava com Tatsumiya numa parte isolada do Reino. Aquele lugar era ótimo pra ficar sozinho com ela.

- Fico feliz que tenha voltado Idate - seu sorriso estava luminoso, ela devia estar realmente feliz

- É... Eu gosto daqui tem muitas coisas... Interessantes...

Falo olhando ela de cima a baixo, a peixinha cora e desvia o olhar do meu me tirando uma leve risada.

- Quero te pedir algo Idate - sua voz agora era séria

- Sou todo ouvidos - falo acendendo um cigarro e o levando a boca

- Quero que pare de agredir os habitantes quando estiver aqui... Não queremos te expulsar do Reino, muito menos eu - seu olhar sobre o meu era melancólico e me tirou um suspiro

Peguei Tatsumiya pelo braço e a imprenssei contra uma antiga construção.

- Sabe que todo pedido tem um preço - digo baixo e tirando o cigarro da boca assoprando a fumaça em seu rosto

Ela tosse e abre um leve sorriso pra mim.

- E qual seria? - seus olhos iam dos meus lábios até meus olhos

Me aproximei mais dela, quase a beijando. Mas fui interrompido por um barulho. Me virei e Tatsumiya olhou por cima do meu ombro.

- Lobco? - a voz da peixinha demonstrava surpresa

A tal Lobco não parecia em si. Seus olhos estavam insanos e escorria uma baba preta por sua boca.

- LoccBo... N-NãO...MmaIs - custei a entender algo, ela não falava coisa com coisa

Antes que um de nós pudessemos nos aproximar dela, a tal Lobco correu até nós pronta pra atacar.



Notas Finais


Espero que tenham gostado!! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...